Piratini recua e não colocará ações do Banrisul no mercado.  Cúpula do governo está reunida em busca de alternativas; por Taline Oppitz/Correio do Povo Governo do Estado desiste de vender ações do Banrisul | Foto: Guilherme Testa / CP Memória Governo do Estado desiste de vender ações do Banrisul. Foto: Guilherme Testa / CP Memória

Piratini recua e não colocará ações do Banrisul no mercado. Cúpula do governo está reunida em busca de alternativas; por Taline Oppitz/Correio do Povo

O Governo do Estado recuou de realizar a transação de venda de ações do Banrisul, que ocorreria neste mês. A decisão se deu em função da queda no preço de ações do banco. O valor no mercado hoje chegou a R$ 14, ficando abaixo do valor patrimonial, de R$ 17.

Segundo o governo, entre os motivos para a queda no valor das ações estão o entendimento, pelo mercado, de que o Banrisul não será privatizado, o que reduziu o interesse de investidores. O mau momento das bolsas de forma geral também teria contribuído para o cenário desfavorável. “Vamos retomar a iniciativa no momento em que o mercado estiver satisfatório. O governo não irá liquidar ações do Banrisul a qualquer preço. Não seremos irresponsáveis”, disse integrante da cúpula do Piratini.

O road show para investidores teria início na próxima semana. O governador José Ivo Sartori está reunido na tarde desta quarta-feira com integrantes da Secretaria da Fazenda, que apresentam cenários financeiros sem a transação, que poderia gerar, segundo estimativa inicial, cerca de R$ 2,2 bilhões.

A venda de 49% de ações ordinárias do banco era uma das principais apostas para viabilizar o pagamento do 13º salário aos servidores, além da adesão ao Plano de Recuperação Fiscal, que também não está avançando em função de exigências da Secretaria do Tesouro Nacional.

Em outubro, Sartori anunciou a venda das ações excedentes que tem sob o seu domínio do Banrisul, ou seja, 49%. Com isso, o Estado tinha o controle acionário de 51%, o que garantia o a manutenção do Banrisul como banco público.

Destaque