PMDB rompe com Dilma hoje, e PT já declara guerra a Temer. Ministro do Turismo, Henrique Alves é o primeiro peemedebista a desembarcar O vice-presidente Michel Temer deixa a residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros, acompanhado por Eunício Oliveira - André Coelho / Agência O Globo

PMDB rompe com Dilma hoje, e PT já declara guerra a Temer. Ministro do Turismo, Henrique Alves é o primeiro peemedebista a desembarcar

Começou ontem o desembarque do PMDB do governo Dilma. Henrique Eduardo Alves (Turismo) foi o primeiro dos sete ministros do partido a pedir demissão, alegando que o diálogo com a gestão petista “se exauriu”. Hoje, o PMDB formalizará a saída do governo, e o vice Michel Temer atua para que o rompimento ocorra por aclamação na reunião do diretório nacional. O ex-presidente Lula tenta conquistar votos de dissidentes do partido, numa coalizão informal, mas a debandada do governo provoca efeito dominó, atingindo outras legendas da base. No Congresso, o PT reagiu. O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT), disse que Temer “será o próximo a cair”, caso o impeachment seja aprovado. Coordenador do MST, Alexandre Conceição afirmou que o vice, se assumir, não terá paz. A reportagem completa está em O Globo.

Notícias Poder Política