Porto Alegre: Aprovado crédito para controle de perdas em abastecimento de água Obras vão melhorar serviços, reduzir consertos e cortes de abastecimento. Foto: Jefferson Bernardes/PMPA

Porto Alegre: Aprovado crédito para controle de perdas em abastecimento de água

O projeto de redução e controle de perdas nos sistemas de abastecimento de água em Porto Alegre teve mais uma etapa vencida para a obtenção de financiamento. A Caixa Econômica Federal aprovou a proposta encaminhada pela Prefeitura. O objetivo das obras é melhorar a prestação de serviços, com menor necessidade de consertos e paradas operacionais.

A proposta, enquadrada no programa Avançar Cidades – Saneamento, terá financiamento de 95% e contrapartida de 5% do município. Os recursos a serem financiados são de R$ 38,4 milhões, e a contrapartida será da ordem de R$ 2 milhões A próxima etapa é a publicação, por parte do Ministério do Desenvolvimento Regional, de uma portaria autorizando o crédito para as obras. A partir daí, o processo segue para liberação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e, na sequência, vem a assinatura do financiamento.

De acordo com a secretária municipal de Planejamento e Gestão, Juliana Castro, com as reformas estruturais implementadas para ajustar as contas públicas, Porto Alegre está recuperando a capacidade de contratar novas operações de crédito. “Vencemos mais uma etapa importante para executarmos um projeto que vai beneficiar milhares de pessoas”, destaca.

O projeto de redução e controle de perdas nos sistemas de abastecimento de água vai favorecer mais de 130 mil famílias. Como resultado, além da significativa diminuição de custos operacionais, uma vez que a setorização proposta vai atingir cerca 20% da malha de rede da cidade (aproximadamente 550 mil habitantes), projeta-se a melhoria da qualidade na prestação de serviços. O diretor-geral do Dmae, Darcy Nunes dos Santos, ressalta que o principal objetivo do projeto é melhorar a eficiência do sistema de distribuição de água da cidade.

Quando ocorrerem consertos emergenciais, o número de pessoas desabastecidas será menor, porque a área fechada será reduzida. O projeto também busca a queda no número de consertos e paradas operacionais, com menor interrupção no abastecimento e maior agilidade na resposta aos eventos.

Avançar Cidades – O programa contempla os municípios em três grupos: menos de 50 mil habitantes, outro de até 250 mil e, por último, acima de 250 mil habitantes. Os recursos obtidos são para obras de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de águas pluviais, manejo de resíduos sólidos, redução e controle de perdas, estudos e projetos, e plano municipal de saneamento básico.

Comunicação Destaque Notícias