Porto Alegre: Baixo número de imóveis cadastrados prejudica Moradia Primeiro

Porto Alegre: Baixo número de imóveis cadastrados prejudica Moradia Primeiro

A prefeitura de Porto Alegre busca alternativas para ampliar o programa Moradia Primeiro, que oferece residência a pessoas em situação de rua na Capital. No momento, há sete imóveis efetivamente inclusos no programa, um dos principais pontos do chamado Plano Municipal de Superação da Situação de Rua – dos 11 originalmente cadastrados, quatro desistiram. O número, porém, está bem distante de preencher a demanda prevista pelo projeto para 2018, que seria de 153 beneficiários. As casas já passaram por vistoria do Departamento Municipal de Habitação (Demhab), e, agora, a Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) está selecionando quem será destinado a cada uma delas. A previsão é que as primeiras chave sejam entregues em setembro.

Leia mais em Jornal do Comércio

Comunicação Destaque Notícias