Porto Alegre: Cine Iberê exibe primeiro filme de Jean Cocteau O Sangue de Um Poeta, realizado em 1930, terá sessão comentada com o advogado e escritor Gustavo Melo Czekster. A entrada é franca

Porto Alegre: Cine Iberê exibe primeiro filme de Jean Cocteau

No domingo, 11 de novembro, às 16h, a Fundação Iberê Camargo apresenta uma das obra-prima do cinema experimental: O Sangue de Um Poeta, primeiro filme do cineasta francês Jean Coctau, realizado em 1930. A sessão única e gratuita será comentada pelo escritor e advogado Gustavo Melo Czekster. Com curadoria de Marta Biavaschi, a programação do Cine Iberê integra as atividades paralelas às exposições Subversão da Forma e Iberê Camargo: formas em movimento.

O Sangue de Um Poeta é uma viagem ao mundo interior de um poeta, dividida em quatro sequências atemporais, com linguagem de cinema mudo que dispensa o diálogo, contendo apenas algumas narrações do próprio autor. O filme é Cinema-poesia, onde o poeta-realizador suspende o real e transgride a fronteira entre arte e realidade, desenhos e estátuas ganham vida, um artista atravessa um espelho e hermafroditas se encontram no Hotel dos Loucos Dramáticos. Cocteau coloca em cena expressivas figuras da cena parisiense da época, como a fotógrafa de moda Lee Miller e estrelas dos music-halls, como o bailarino Féral Benga e a drag queen Barbette.

Jean Cocteau (1889-1963) foi poeta, pintor, escultor, dramaturgo, cineasta e ator francês. Atuou na cena das vanguardas do início do século XX, sendo considerado o primeiro artista multimídia, mesmo quando ainda não havia esta expressão. Iniciou cedo na poesia, publicando seus primeiros poemas aos 16 anos. Publicou seu primeiro romance, O Diabo no Corpo, aos 17 anos e foi colaborador de Erik Satie, Stravisnki e Picasso, em textos para balés e cenários para peças de teatro. Escreveu roteiros para filmes de importantes realizadores como Marcel Carné e Robert Bresson. No cinema trabalhou também como ator e narrador. Entre seus filmes destacam-se, A Bela e a Fera (1946) e Orfeu (1950).

Gustavo Melo Czekster é formado em Direito pela PUCRS, mestre em Letras, na área da Literatura Comparada, pelo Instituto de Letras da UFRGS e Doutorando em Escrita Criativa pela PUCRS. Participante de oficinas literárias, é autor dos livros “O homem despedaçado” (2011, Editora Dublinense) e “Não há amanhã” (2017, Editora Zouk).

A Fundação Iberê Camargo tem o patrocínio de Itaú, Grupo GPS, IBM, Oleoplan, Agibank, BTG Pactual, Banrisul e apoio SLC Agrícola, Sulgás e DLL Group, com realização e financiamento do Ministério da Cultura / Governo Federal. Hotel oficial: Ibis Styles Porto Alegre. Serviços de tradução: Traduzca. Patrocinador do projeto Iberê nas Praças: Corsan – Companhia Riograndense de Saneamento. Apoiador da exposição Subversão da Forma: Unisinos.

Serviço – Cine Iberê
Domingo, 11 de novembro

Às 16h – O Sangue de Um Poeta, de Jean Cocteau (1930, 50 min, França). Sessão comentada com Gustavo Melo Czekster | Entrada franca por ordem de chegada | Classificação indicativa: 14 anos | Local: Auditório

Endereço: Fundação Iberê Camargo – Avenida Padre Cacique, 2000

Visitação: das 14h às 19h (último acesso às 18h45min).

ENTRADA FRANCA

Comunicação Destaque Notícias