Porto Alegre: Presidente da Câmara de Vereadores intercede para que Polícia agilize investigação sobre ataque a vereador; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba Cassio Trogildo, presidente da Câmara de Vereadores da Capital

Porto Alegre: Presidente da Câmara de Vereadores intercede para que Polícia agilize investigação sobre ataque a vereador; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

O atentado que o vereador da Capital Rodrigo Maroni (PR) alegou ter sofrido, na sexta-feira passada, levou o presidente da Câmara Municipal, Cássio Trogildo (PTB), a pedir providências junto à investigação. Maroni, que pretende concorrer a prefeito em 2016, teve o carro alvejado com dez disparos na zona Sul da Capital, na noite de quinta-feira. O vereador sustenta ter sido vítima de um ataque por ser defensor da causa animal.

Trogildo esteve reunido com o subchefe da Polícia Civil, Leonel Carivalli, pedindo agilidade na apuração da autoria do ataque. O vereador lembrou que, ainda na segunda-feira, Maroni já havia registrado ocorrência por agressão, e não escondeu o temor de ter um vereador na Casa sofrendo risco de morte. Carivalli estimou, em contrapartida, que as duas investigações possam ser concluídas nos próximos dias. O vice-presidente da Câmara, Delegado Cleiton, do PDT, que é policial, participou da audiência e também garantiu que espera resposta positiva para o desfecho da investigação.

Saiba mais:

pol_20428-248647
Vereador Rodrigo Maroni

Ainda na sexta, Maroni solicitou à Secretaria de Segurança Pública que disponibilize um policial (civil ou militar) para acompanhá-lo diariamente no trajeto ao trabalho. O vereador ainda requer que lhe seja disponibilizado um colete à prova de balas. Entretanto, segundo a assessoria da Secretaria de Segurança – e também conforme o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Pohlmann Garcia, o pedido deve ser feito à Justiça.

A assessoria da pasta ainda lembrou que o único programa destinado a um fim parecido é o de Proteção, Auxilio e Assistência a Testemunhas Ameaçadas (Protege), sob responsabilidade da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos.

O vereador disse ainda que estuda contratar seguranças particulares para ele e para a família. Isso porque, no entendimento dele, está claro que se tratou de uma tentativa de homicídio por conta da atuação parlamentar em defesa da causa animal.

Cidade Notícias Poder Política Porto Alegre Segurança

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *