Porto Alegre: Presidente da Câmara defende reajuste para vereadores ; Camila Diesel/Rádio Guaíba Trogildo comparou reposição pela inflação ao mesmo direito das classes trabalhadoras. Foto: Elson Sempé Pedroso / CMPA

Porto Alegre: Presidente da Câmara defende reajuste para vereadores ; Camila Diesel/Rádio Guaíba

Mesmo com o anúncio de contenção de despesas pela prefeitura, o presidente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Cássio Trogildo (PTB), defendeu, nesta segunda-feira, o reajuste anual de salário dos parlamentares. Durante coletiva de imprensa, Trogildo comparou a reposição do Legislativo à das classes trabalhadoras, alegando que também é direito dos vereadores pelo menos a diferença da inflação acumulada.

“Nós não tivemos aumento nenhum aqui na Câmara Municipal. Nós tivemos a reposição da inflação, que deveria ser o preceito constitucional. Mas no caso da Câmara tivemos um acordo coletivo, em 2013, para que pelo menos a inflação seja dada”, afirmou.

O aumento de 9,28% foi publicado no Diário Oficial da Câmara de Porto Alegre, um dia depois de a Prefeitura ter admitido a suspensão de obras e projetos por falta de dinheiro em caixa. Na semana passada, o prefeito, José Fortunati (PDT), dobrou o contingenciamento, de R$ 67 milhões para quase R$ 132 milhões, para evitar o parcelamento de salários dos servidores do Executivo.

O salário de cada parlamentar sobe de R$ 11.882 para R$ 12.984. O vencimento de Trogildo, como presidente da Câmara, era de R$ 14.852 e passa para R$ 16.231. O índice de reajuste corresponde à inflação calculada pelo IPCA entre 1° de maio de 2015 e 30 de abril de 2016.

Contra o reajuste

Das 15 bancadas da Câmara, apenas as do PSol e do PR foram contrárias ao reajuste. Para a líder do PSol no Legislativo, vereadora Fernanda Melchiona, a crise econômica do país inviabiliza o aumento dos vereadores. Em nota, o vereador do PR Rodrigo Maroni também se posicionou contra e prometeu devolver o valor do reajuste, doando a verba para a compra de um ambulância de atendimento veterinário (Samuvet).

“Sou contrário a que os próprios vereadores assinem o aumento de seus salários, deveria caber à população, através de um plebiscito ou consulta pública, a tomada dessa decisão”. Maroni lançou, na semana passada, pré-candidatura à Prefeitura de Porto Alegre.

Economia Notícias Poder Política Porto Alegre

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *