Porto Alegre: Reitor da Ufrgs pede reconsideração de moção de repúdio da Câmara de Vereadores Estiveram presentes na reunião 16 vereadores de nove bancadas. Foto: Tonico Alvares/CMPA

Porto Alegre: Reitor da Ufrgs pede reconsideração de moção de repúdio da Câmara de Vereadores

O presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, Cassio Trogildo (PTB), recebeu, nesta quarta-feira (26/4) pela manhã, o reitor da Ufrgs, Carlos Alexandre Netto, e a pró-reitora de Extensão, Sandra de Deus. Eles vieram prestar esclarecimentos sobre os motivos que levaram a Câmara a aprovar moção de repúdio ao comportamento do reitor, do vice-reitor, Rui Vicente Oppermann, e do professor Domingos Savio Dresch da Silveira, da Faculdade de Direito, “pela parcialidade no uso de suas atribuições e ofensa ao Regimento Interno da Ufrgs no trato de questões político-partidárias”.
Reunião com o Reitor da UFRGS. Na foto: Presidente da CMPA vereador Cassio Trogildo e Reitor da UFRGS Carlos Alexandre Netto
Reunião com o Reitor da UFRGS. Na foto: Presidente da CMPA vereador Cassio Trogildo e Reitor da UFRGS Carlos Alexandre Netto

O presidente convidou todos os demais vereadores para a reunião. Netto foi o primeiro a se manifestar, afirmando que, em nenhum momento, houve ferimento ao estatuto. “O ato não era político-partidário. Foi organizado por sindicatos e movimentos sociais, e nós apenas cedemos o Salão de Atos. Eu estava no Exterior, e o vice-reitor representou a Universidade, lendo uma nota aprovada pelo Conselho Universitário, nossa instância máxima.” O reitor aproveitou para pedir a reconsideração da medida, pois “não gostaria que ficasse um antagonismo entre a Universidade e sua cidade, através da sua casa legislativa”.

Dos 16 vereadores presentes, representando nove bancadas, dez se manifestaram. O presidente Cassio Trogildo afirmou que não votou na sessão de aprovação da moção (foram 14 votos favoráveis e 13 contrários), pois só pode fazer isto em caso de empate, mas chegou a pedir ao proponente, vereador Valter Nagelstein (PMDB), que adiasse a votação. “Se eu votasse, seria contra. Acho que um recuo seria um gesto de grandeza”, declarou Trogildo.
O vereador Airto Ferronato (PSB) pediu reconsideração da votação, o que pode resultar na suspensão do ato. A data da votação será definida pelo colégio de líderes da Câmara.
Cidade Direito Notícias Poder Política Porto Alegre

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *