RGE investe R$ 211,4 milhões na rede elétrica em 2016, crescimento de 6,5% . Recursos aplicados entre janeiro e setembro foram aplicados na expansão, modernização e manutenção do sistema da concessionária

RGE investe R$ 211,4 milhões na rede elétrica em 2016, crescimento de 6,5% . Recursos aplicados entre janeiro e setembro foram aplicados na expansão, modernização e manutenção do sistema da concessionária

 Em um ano desafiador para a economia gaúcha, a Rio Grande Energia (RGE), distribuidora do Grupo CPFL Energia, ampliou os seus investimentos nos 255 munícipios de sua área de concessão. A companhia investiu R$ 211,4 milhões entre janeiro e setembro de 2016, o que representa um crescimento de 6,5% na comparação com os R$ 198,6 milhões de igual período do ano passado. Somente no terceiro trimestre de 2016 foram aplicados R$ 75 milhões. Os investimentos RGE refletem diretamente na qualidade do fornecimento de energia elétrico para os mais de 1,45 milhão de clientes da concessionária no Rio Grande do Sul. Conforme o seu planejamento estratégico, os recursos foram destinados à ampliação e melhoria das redes elétricas primárias e secundárias, na substituição e manutenção de equipamentos e no suporte ao crescimento do mercado.

Nos nove primeiros meses do ano, a distribuidora desenvolveu uma série de projetos para tornar o seu sistema elétrico mais resistente aos fatores externos, como os fenômenos climáticos (chuvas, raios e ventos) que se tornaram cada vez mais recorrentes e castigam a rede com os temporais em sequência que atingem o Estado. Além disso, a RGE segue desenvolvendo ações que preparam o sistema elétrico da companhia para o futuro aumento da demanda por energia tanto dos clientes industriais quanto dos consumidores das classes comercial e residencial.

Para a execução de projetos destinados à expansão do mercado consumidor e do número de clientes, a RGE fez investimentos robustos no terceiro trimestre deste de 2016. Foram R$ 25,5 milhões empregados na instalação de novos medidores para clientes residenciais, industriais e comerciais. Neste montante também estão contabilizadas ações de ampliação da rede trifásica a novos pontos das áreas rurais.

Os projetos de suporte de crescimento do mercado receberam R$ 20,7 milhões. Uma parcela dos recursos foi aplicada na modernização e aumento de capacidade de subestações e nas adequações das redes de distribuição. A RGE fez, também, melhoramentos da ordem de R$ 9,2 milhões nas redes primária e secundária. Por sua vez, as manutenções do sistema elétrico e os reparos emergenciais na rede elétrica, tais como a troca de transformadores avariados, consumiram R$ 11 milhões dos recursos entre julho e setembro deste ano. Já as ações para o combate às perdas comerciais, como a substituição de medidores obsoletos, receberam R$ 355 mil dos recursos no período.

O presidente da RGE, José Carlos Saciloto Tadiello, ressaltou a ampliação nos investimentos nos três trimestres de 2016 em relação ao mesmo período do ano passado, especialmente diante do cenário adverso para a economia brasileira. “Esse avanço no volume investido demonstra a preocupação da RGE em oferecer um serviço de qualidade e caminhar na direção dos melhores índices de fornecimento de energia. Nossos recursos são aplicados com base em um planejamento estratégico que garante a todos um ganho real, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico da nossa área de concessão”, afirma Tadiello.

 

Cidades que mais receberam investimentos no terceiro trimestre de 2016

 

 

Ranking Município Valor investido (R$)
Caxias do Sul 9.727.520
Santa Rosa 3.527.807
Erechim 2.525.880
Passo Fundo 2.492.465
Sananduva 2.366.648
Júlio de Castilhos 2.269.836
São Francisco de Paula 2.257.202
Gravataí 1.931.487
Bento Gonçalves 1.829.164
10º Taquara 1.771.917
11º Cachoeirinha 1.737.197
12º Três de Maio 1.442.261
13º Farroupilha 1.426.946
14º Severiano de Almeida 1.191.494
15º Santo Ângelo 1.171.376

 

Destaque Economia Negócios