RS: Balanço positivo do Sindióptica RS para campanha contra óculos falsificados

RS: Balanço positivo do Sindióptica RS para campanha contra óculos falsificados

Durante dois meses de ações de mobilização da campanha “Óculos de Qualidade Protege de Verdade”, do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico (Sindióptica RS) no Litoral gaúcho, mais de 450 mil veranistas despertaram a atenção sobre os malefícios para o uso de óculos falsificados.

No total, em ações à beira-mar em 13 praias de Cidreira a Torres na temporada verão, foram realizadas durante 06 finais de semana, blitz envolvendo cerca de 50 pessoas nas operações de abordagem e divulgação, com distribuição 300 mil materiais impressos em pontos próximos a venda de produtos sem procedência. A recepção dos consumidores foi positiva e gradativamente, os veranistas apoiaram a iniciativa – já rechaçando a venda de produtos ilegais por ambulantes – por considerar especialmente a venda de óculos falsificados prejudicial à saúde.

WhatsApp Image 2019-03-07 at 15.50.50Mas a campanha não limitou-se apenas em balneários. Na Capital, na orla do Guaíba, foram executadas ações junto aos transeuntes, além do alerta reforçado nas praças de pedágios da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) em Portão (RS-240, km 13), Campo Bom (RS-239, km 19) e Viamão (RS-040, km 19). Entrevistas e participação de programas de rádio e televisão para alertar sobre o tema por parte dos representantes do sindicato somaram 15 ocasiões.

Testes de visão junto à comunidade praiana e palestras proferidas por especialistas sobre os cuidados com a saúde visual também fizeram parte das ações da campanha nas Casas de Verão Sesc, em parceria com o Sistema Fecomércio RS/Sesc. Para o presidente do Sindipótica RS, André Roncatto, o uso de óculos falsificados causam efeitos cumulativos e irreversíveis ao olhos, provocando lesões para o futuro. “Nós estamos conversando com a sociedade e despertando no consumidor a necessidade de estar atento a produtos prejudiciais à saúde. Neste sentido, a campanha conseguiu mobilizar e conscientizar os consumidores desavisados, sobretudo, no litoral”, explica.

Devido ao êxito da campanha, ações semelhantes foram encampadas em Mato Grosso, Bahia e Minas Gerais. O diretor executivo do Sindióptica RS, Roberto Tenedini, afirma que nas operações – a partir de relatos da fiscalização em Porto Alegre e Litoral – o comerciante ilegal já começa a abandonar a venda de óculos em razão do rigor da fiscalização diante das constantes apreensões. “Percebemos que, apesar das inúmeras apreensões de óculos ilegais, o comércio deste produto já está diminuindo e até há o manifesto de ambulantes em buscar outros locais fora do Rio Grande do Sul para manter sua prática ilegal”, aponta.

Os óculos estão em quinto lugar na escala de artigos falsificados. Até mesmo em locais de venda itinerante ou no comércio virtual na internet, revestido sob aspecto “legal”, a venda de óculos sem procedência busca atrair o consumidor desavisado. De um total de R$ 1,17 trilhão que a economia subterrânea movimenta no Brasil, 6% dizem respeito ao Rio Grande do Sul. O percentual é equivalente a R$ 76,48 bilhões.

A sucessão da campanha completou este ano 10 anos de atividades ininterruptas e já em 2019 será programada outra ação junto ao consumidor. Participam das ações da campanha, além do Sindióptica RS, a Ajorsul, Fecomércio RS, Sesc RS, Ministério Público Estadual do RS e Governo do Estado.

Comunicação Destaque Notícias