Segurança de magistrados durante julgamento de Lula preocupa Associação dos Juízes Federais Para Gerson Godinho da Costa, apesar do julgamento ser polêmico, deveria ser considerado normal dentro de um regime democrático.

Segurança de magistrados durante julgamento de Lula preocupa Associação dos Juízes Federais

A Associação dos Juízes Federais do Estado do Rio Grande do Sul (Ajufergs) está preocupada com a segurança dos magistrados e servidores que atuarão no julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao programa Agora, da Rádio Guaíba, na manhã desta segunda-feira, o presidente da entidade, Gerson Godinho da Costa, disse que apesar do julgamento ser polêmico, deveria ser considerado normal dentro de um regime democrático.

“O problema é a polarização que está havendo dentro desse assunto e as ameaças que estão sendo enviadas pelas redes sociais aos desembargadores e contra o prédio do Tribunal. Todos têm o direito de fazer protesto, de se manifestar, mas desde que observem os limites”, avaliou o magistrado.

A audiência acontecerá no dia 24 de janeiro, no prédio do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Para preservar os servidores, nos dias 23 e 24 o TRF4 não terá expediente externo e toda a estrutura da instituição estará voltada ao julgamento. Ainda segundo o presidente da Associação dos Juízes, é a independência do poder judiciário que está em jogo. “Independente do resultado ser favorável ou desfavorável ao acusado, as manifestações apesar de legais não podem acuar os magistrados”, disse o juiz.

O presidente do TRF4, desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, está em Brasília, nesta segunda-feira, para falar sobre detalhes envolvendo a segurança do julgamento. Pela manhã, ele se reuniu com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia. À tarde, o desembargador tem reunião com a procuradora Geral da República, Raquel Dodge. (Texto: Carlos Machado/Rádio Guaíba)

Agenda Destaque Direito Segurança