RS: Alegrete e Santiago dão início a novo ciclo de interiorização Sistema Farsul em Campo

RS: Alegrete e Santiago dão início a novo ciclo de interiorização Sistema Farsul em Campo

Agronegócio Destaque Economia

O Sistema Farsul iniciou um novo ciclo de interiorização. Com a proposta de estreitar ainda mais a relação com os Sindicatos Rurais, o“Sistema Farsul em Campo” irá realizar reuniões em todas as regionais da Federação apresentando o trabalho da Farsul, Senar-RS e Casa Rural e ouvindo sindicatos e produtores sobre questões que envolvam a região. Nesta semana, duas reuniões já foram realizadas. Na terça-feira (23/7), o encontro aconteceu em Alegrete com integrantes da Regional 1, na quarta-feira (24/7) foi a vez de Santiago reunir a Regional 12.

O presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, abriu os dois encontros destacando qual o objetivo do sistema sindical, “estamos aqui para servir e não para sermos servidos”, afirmou. Ele explicou que o processo de interiorização significa levar o Sistema Farsul ao seu lugar de origem “A ideia de vir ao interior é porque viemos do interior. Fui produtor a vida inteira, agora que me tiraram da fazenda”, comentou.

Uma novidade desta etapa é a participação da CNA em todo o roteiro. Nestes dois primeiros encontros, a Confederação foi representada pela superintendente Técnica Adjunta, Natália Fernandes. Ela apresentou a estrutura do Sistema CNA, áreas de atuação, a representatividade garantida ao produtor por meio da Confederação e a importância da participação dos produtores no sistema sindical. O protagonismo da CNA nas negociações de comércio exterior pela superintendência de Relações Internacionais, que tem Gedeão Pereira como diretor, também foi destacado por Natália, além da participação gaúcha nas câmaras e comissões da CNA e Ministério da Agricultura.

57282838807959
Superintendente Eduardo Condorelli e a diretora de Administração e Finanças do Senar-RS, Fabiana Flores, em Alegrete. Foto:Gerson Raugust/ Sistema Farsul

Natália vê na interiorização a demonstração do interesse da Farsul em fortalecer o sistema sindical por meio de uma aproximação com a base. “É ir até o produtor, mostrar o que está fazendo e ver o que ele acha disso, ouvir sindicato e produtor”, avalia. Ela pretende levar o formato à CNA para buscar formas de incentivar as demais federações a desenvolverem projetos semelhantes.

Nos encontros, que tiveram duração de um dia, o Senar-RS recebeu atenção especial. O superintendente Eduardo Condorelli, acompanhado dos diretores Cláudio Rocha e Fabiana Flores apresentaram a nova estrutura da entidade, atividades de cada setor e o projeto de implantação da ATeG (Assistência Técnica e Gerencial) no início de 2020, com projeção de atender dez mil propriedades no estado. “Depois dessa reorganização, já esperamos ter muito para mostrar no fim do ano. Mas, iremos mergulhar na ATeG. Temos dados que apenas 20% dos produtores tem algum tipo de assistência técnica,”, explica Condorelli.

O economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, mostrou como funciona a atual política agrícola e apresentou a proposta de um novo formato, elaborado pela Farsul, adotado e ampliado pela CNA e bem recebida pelo Governo Federal. A proposição é baseada na otimização e uso eficiente dos recursos do orçamento, concentrando no Seguro Rural. Isso garantiria, além do próprio seguro, o acesso ao crédito com juro baixo e controle ao mau endividamento. Questões tributárias, as assimetrias do Mercosul, gestão de propriedades e endividamento também foram temas tratados pelo economista.

70476990923312
Em Alegrete o Sistema Farsul em Campo reuniu sindicatos da regional 1 da Farsul. Foto:Gerson Raugust/Sistema Farsul

Ainda compõe o quadro de apresentações, o protagonismo jovem e a formação de novas lideranças sindicais, feita pelo assessor da Presidência, Luis Fernando Cavalheiro Pires. Os jovens também receberam destaque do secretário das Comissões, Rodrigo Rizzo, que, ao falar da reinstalação das comissões da Farsul, destacou a importância da participação deles nos demais grupos, não ficando restritos apenas a Comissão Jovem. O assessor Álvaro Moreira comentou sobre a gestão jurídica das propriedades. O advogado apontou os principais itens que merecem especial atenção dos produtores como questões trabalhistas, contratos de arrendamentos, entre outros.

O assessor técnico, Marcelo Camardelli, falou sobre a importância da participação dos sindicatos nos comitês de bacias hidrográficas e deu especial atenção à questão do 2,4-D e os oito itens da proposta elaborada pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEADPR). 2,4-D também foi tema da apresentação do coordenador de Programas Especiais do Senar-RS, Alexandre Prado, com o Deriva Zero, programa voltado para orientação e treinamento de produtores e colaboradores na aplicação de agroquímicos para evitar a deriva.

Também participaram dos eventos, o vice-presidente da Federação, Elmar Konrad, os diretores administrativo, Francisco Schardong, financeiro, José Alcindo de Souza Ávila, os diretores vice-presidentes, Carlos Simm e José Aurélio Silveira, o diretor Hermes Ribeiro de Souza Filho, o assessor da presidência, Derly Girard, e o assessor jurídico da superintendência do Senar-RS, Daniel Jung.

Aposta de Alegrete fatura sozinha o prêmio da Mega-Sena. Concurso premiou com R$ 27 milhões dono da aposta

Aposta de Alegrete fatura sozinha o prêmio da Mega-Sena. Concurso premiou com R$ 27 milhões dono da aposta

Negócios Notícias

O Rio Grande do Sul tem uma nova pessoa milionária a partir deste sábado. Uma aposta de Alegrete acertou sozinha as seis dezenas do concurso 1842 da Mega-Sena, que ocorreu este sábado, e faturou R$ 27.801.637,78.

As dezenas sorteadas foram 16 – 18 – 22 – 24 – 34 – 43.

Conforme a Caixa, 100 apostas acertaram a Quina, e ganharam R$ 29.087,40. Outros 6722 bilhetes fizeram a quadra e poderão ser trocados por R$ 618,17.

O próximo sorteio da Mega-Sena ocorre na quarta-feira e o prêmio estimado é de R$ 2,5 milhões. (Correio do Povo)

Sindicato Médico repudia marcha do Orgulho Louco, ocorrida em Alegrete

Sindicato Médico repudia marcha do Orgulho Louco, ocorrida em Alegrete

Comportamento Comunicação Direito Notícias Saúde

A caminhada chamada “Parada Gaúcha do Orgulho Louco”, realizada em Alegrete, na Fronteira Oeste do Estado, há uma semana, tem gerado polêmica no meio da assistência mental. Em entrevista ao jornalista Felipe Vieira, no Programa Agora da Rádio Guaíba, o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Paulo de Argollo Mendes, disse que as pessoas com problemas mentais merecem a mesma consideração dispensada a outros doentes e não fazer brincadeira com essa situação. Destacou que sociedades médicas ligadas ao SUS querem acabar com esse tipo de hostilidade com o doente mental.

“É preciso acabar com a discriminação. Uma pessoa não pose ser exposta em praça pública e passar por uma situação ridícula como essa”, justifica. Argollo adiantou que o departamento jurídico do Sindicato entrará em contato com as pessoas que organizaram o evento em Alegrete e saber a forma como estão lidando com esse tipo de fragilidade. Com isso, elas poderão ser processadas por abuso de incapaz. (Rádio Guaíba)

AES Sul concentra maior parte dos 54 mil que seguem sem energia elétrica no RS

Notícias

Foto: Vinicius Roratto / CP Memória

Quatro dias após o temporal mais recente que derrubou redes de energia elétrica no Estado, ao menos 54 mil pontos seguem desabastecidos. Desse total, 50 mil estão concentrados na área de atuação da AES Sul. Os municípios com maior número de desabastecidos nessa área são Santa Maria, Cachoeira do Sul, Canoas, São Sepé, Alegrete, Sapucaia, São Francisco de Assis e Jaguari.

Na área de atuação da CEEE, há somente pontos isolados. Entretanto, por segurança, devido aos alagamentos, nas ilhas da Capital ainda há 2 mil pontos sem energia. O mesmo ocorre com cerca de 2 mil clientes da RGE na Serra, Vales, Norte e Nordeste do Estado.

No pico do desabastecimento, o total de pontos sem luz no RS chegou a 712 mil. Na manhã de sexta-feira, ainda eram 280 mil. (Rádio Guaíba)