RS: Ministério Público de Contas entrega Comenda Guilhermino Cesar a jornalistas e defende a liberdade de expressão

RS: Ministério Público de Contas entrega Comenda Guilhermino Cesar a jornalistas e defende a liberdade de expressão

Comunicação Destaque Direito

O Ministério Público de Contas do RS, entregou nesta quinta-feira a Comenda Ministro Guilhermino Cesar pela liberdade de expressão. a jornalistas com atuação relacionado ao controle e transparência na administração pública. O mineiro Guilhermino Cesar, que leva o nome da premiação viveu 50 anos em Porto Alegre e atuou como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, jornalista, escritor, professor da Ufrgs e teve forte participação na comunidade cultural de Porto Alegre.

D8aCbqlW4AEKtoi
Marcelo Rech Foto: MPC

Foram agraciados os jornalistas: Marcelo Rech, Telmo Flor, Juremir Machado da Silva, Taline Oppitz, Graciliano Rocha, Fernando Albrecht, Elmar Bones, Leandro Demori, Adriana Irion, André Machado, Carlos Etchichury, Paulo Sérgio Pìnto e Felipe Vieira. O presidente da Associação Nacional de Jornais, Marcelo Rech, falou em nome dos jornalistas e lembrou a frase dita há mais de um século por Louis Brandeis, ex-juiz da Suprema Corte dos EUA, “O melhor desinfetante é a luz do sol.”.

D8aClzlXoAId4z0
Geraldo Da Camino Foto: MPC

Segundo o procurador geral do MPC-RS, Geraldo Da Camino, “O Ministério Público de Contas e a imprensa são parceiros no controle da administração pública, ao lado da sociedade civil. Vivemos em um momento, no mundo e no Brasil, de ameaças à liberdade de expressão, então, o MPC achou oportuno, na véspera do dia da liberdade de imprensa, homenagear alguns dos tantos jornalistas que tem colaborado com a instituição e com a sociedade no controle da administração”.

André, o filho do Dilamar volta a ter filiação partidária e está apto a concorrer em 2016

André, o filho do Dilamar volta a ter filiação partidária e está apto a concorrer em 2016

Notícias Poder Política

O jornalista André Machado foi inoculado por dois vírus que já haviam vitimado seu pai, Dilamar Machado: o rádio e a política. Alguém pode dizer e estará correto que está no DNA, a molécula da vida, como ensinam os cientistas. O André anunciou que iria deixar o jornalismo para iniciar uma carreira política em setembro de 2013. Optou pelo PCdoB, concorreu a deputado federal, não se elegeu e voltou à labuta no jornalismo. Há dois meses, anunciou a saída da agremiação comunista e ontem se filiou ao PDT. Partido do pai.

Conheci Dilamar pessoalmente em 1986, ele era candidato preferencial pelos trabalhistas em Butiá. O comitê ficava a dez metros da minha casa. Antes disso, o ouvi no rádio. Era muito bom nas duas atividades. Depois, eu o acompanhei como repórter no governo Collares, uma figura. Daqueles com quem a gente se impressiona pela capacidade de trabalho, agilidade mental nas respostas, língua ferina quando necessário e sempre pronto para o diálogo. Carismático, dominava o ambiente em que se encontrava.

Desde que conheci o André, na década de 90, vi muitas semelhanças nos dois. Exceção talvez da facilidade de retórica que o Dilamar tinha, e o André, não. Mas o filho compensa isso com a obsessão pela busca da informação correta e o estudo de cada assunto. Se você vai debater com o André, estude muito. Porque ele fez isso. Sempre o admirei pela garra e determinação.

Pois bem, a fruta nunca cai longe e finalmente ela está junto ao “pé ideológico” da árvore. O André tinha sido na minha opinião, pragmático na escolha do seu primeiro partido. Ele acreditou que ganharia o número de Manuela e, isso somado à visibilidade que tinha no Rádio, o catapultaria para a Câmara dos Deputados.

Todos vão negar, mas puxaram o tapete dele. Na minha opinião, para um sujeito que tinha seus sonhos e metas, ele agiu certo. Viu ali chances maiores de se eleger e tentou, não conseguiu. O André assinou na noite passada a ficha de filiação ao PDT. Como cumpriu o prazo legal, está apto para ser candidato a vereador, vice ou prefeito em 2016. Será?!

 

Ippon: João Derly nocauteia PCdo B e vai para a Rede de Marina Silva

Ippon: João Derly nocauteia PCdo B e vai para a Rede de Marina Silva

Cidade Notícias Opinião Poder Política

Não sei ainda a repercussão junto ao PCdo B, mas me parece que o ex-Campeão Mundial de Judô deu um IPPON no seu antigo partido que apostou forte nele na eleição 2014. Os comunistas atuaram em favor do judoca e vereador da Capital, em detrimento do então deputado federal Assis Melo e do jornalista André Machado, que acreditou na promessa de apoio dos partidarios a sua candidatura. Na verdade, os três disputaram quem ficaria com a maior parte do eleitorado de Manuela Dávila, que deixou Brasília para disputar ser eleita deputada estadual. Único deputado federal eleito pelo PCdo B, no Rio Grande, João Derly divulgou uma nota sobre a troca de partido na rede social Facebook: “Hoje tomei uma decisão política importante. Estou me filiando à Rede Sustentabilidade, somando-me a inúmeras lideranças nacionais na construção de uma força alternativa à polarização existente hoje em dia na política brasileira. Entendo que a Rede será um diferencial, como uma forma inovadora de construir um país com visão cooperativa e sustentável de sociedade.

Agradeço a oportunidade de ter me somado às lutas do Partido Comunista do Brasil. Refiro, em especial, a deputada Manuela D´Avila, que sempre tive como referência de liderança FOTO2-353785-2015-05-28-21_05 democrática e de boa política. Também agradeço aos deputados Juliano Roso e Raul Carrion e a vereadora Jussara Cony, que foi minha colega de bancada, no meu início na política, e com quem aprendi muito, e a todos os outros filiados.

Devido ao alinhamento irrestrito político, principalmente da bancada do PCdoB, ao governo federal, tomei essa decisão por divergir de diversas posições tomadas pelo governo com apoio incondicional da bancada do partido.

Agradeço o convite da Marina Silva para me unir a esse projeto de renovação da política brasileira, me juntando a nomes como a vereadora Heloísa Helena, os deputados federais Alessandro Molon, Miro Teixeira e Aliel Machado e o senador Randolfe Rodrigues.

Por fim, reitero meu compromisso com as sociedades gaúcha e brasileira de seguir na luta por uma sociedade mais justa e igualitária através de serviços públicos de qualidade, esporte, educação e direitos da juventude”.