Turismo & Tecnologia: Canela ganha uma aplicativo inovador. O Guia de Canela desenvolvido por Sandra Pecis, Marina Gil e Ilana Bonder  traz inovações e roteiros personalizados para os cerca de 5 milhões de visitantes da cidade serrana

Turismo & Tecnologia: Canela ganha uma aplicativo inovador. O Guia de Canela desenvolvido por Sandra Pecis, Marina Gil e Ilana Bonder traz inovações e roteiros personalizados para os cerca de 5 milhões de visitantes da cidade serrana

Cidade Crianças Cultura Destaque Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias Tecnologia Trabalho Turismo
1445608432
Canela oferece tranquilidade, hospitalidade, compras, opção de lazer, gastronomia, belezas naturais, parques, matas nativas e turismo aventura.

A cidade de Canela ganhou essa semana um aplicativo para smartphones. Desenvolvido pela jornalista Sandra Pecis, pela empresária Marina Gil e pela webdesigner Ilana Bonder para a Prefeitura Municipal da cidade, o Guia de Canela traz uma série de inovações e roteiros personalizados para os visitantes da Serra gaúcha, que em 2018, ultrapassaram a marca de 5 milhões de pessoas. “Quando pensamos no aplicativo, vínhamos de uma constatação: a Internet está cheia de informações desencontradas sobre Canela, que confundem os visitantes. Com tanta informação disponível, no que confiar?”, comenta Sandra Pecis, que apostou em um produto interativo e no conteúdo com sabor local.

A ideia de oferecer gratuitamente um produto inovador contou com a receptividade do secretário de Turismo Ângelo Sanches e do prefeito Constantino Orsolin, que agora vão investir na divulgação do aplicativo, seguros de ter nas mãos um grande diferencial.

A ideia de facilidade de uso foi a base do projeto criado por Ilana Bonder, baseada em Nova York, onde cursa o último semestre do mestrado em Tecnologia e Arte Digital Interativa da New York University. “Criei um modelo de navegação para auxiliar o usuário a descobrir todas as funcionalidades do produto. E como o grande diferencial do aplicativo é a qualidade e o sabor local do conteúdo, o foco foi facilitar esse entendimento e a exploração de cada seção proposta”, explica Ilana. Criadora do tradicional Festival de Bonecos e hoje diretora do jornal Nova Época de Canela, Marina Gil, resume: “O visitante se sentirá como se estivesse acompanhado de um guia local”. Para Marina, o guia é um presente da gestão município para toda a comunidade canelense pois beneficia o turismo e todo o seu entorno.

O aplicativo Guia de Canela é gratuito e pode ser encontrado para download na Google Play para usuários de smartphones Android e na Apple Store para IPhones.

1445608357
Canela oferece tranquilidade, hospitalidade, compras, opção de lazer, gastronomia, belezas naturais, parques, matas nativas e turismo aventura.

 

TRF4 lança primeiro aplicativo de consulta processual e prazos para dispositivos móveis do Judiciário Federal

TRF4 lança primeiro aplicativo de consulta processual e prazos para dispositivos móveis do Judiciário Federal

Destaque Direito Economia Poder Política Tecnologia Vídeo

 

O controle dos processos e prazos na palma da mão. A partir de amanhã (11/8), Dia do Advogado, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) vai disponibilizar para os profissionais do Direito o aplicativo eproc – processo judicial eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região.

O app para dispositivos móveis poderá ser baixado gratuitamente nas lojas Apple Store (IOS) e Google Play (Android), garantindo aos profissionais mais acesso e facilidade na gestão dos seus processos.

O app eproc é destinado aos advogados e oferece funcionalidades como a consulta de processos e prazos, ciência em intimações, íntegra dos processos judiciais, baixa de documentos e lista de processos favoritos. O acesso é realizado com a mesma sigla e senha utilizadas na versão normal do eproc.

Uma das novidades é a organização dos prazos abertos em uma linha do tempo por data de vencimento. Já nos prazos que aguardam a abertura, é possível visualizar os processos nos quais ainda não houve a confirmação da intimação. Nas duas funcionalidades, o sistema mostra quando o prazo é urgente, com sinalização em destaque.

Desenvolvido por servidores da Justiça Federal da 4ª Região, o app eproc apresenta um design moderno e uma interface amigável, com o uso de ferramentas e metodologias já consagradas no desenvolvimento de aplicativos móveis.

Mobilidade 

O app leva aos tablets e smartphones a facilidade do sistema eproc, no qual tramitam todas as ações da Justiça Federal da 4ª Região (TRF4, RS, SC e PR).  O eproc para desktop, também pode ser aberto em dispositivos móveis, mas sem a mesma usabilidade do app. O aplicativo não tem objetivo de substituir , mas sim complementar o consagrado eproc.

Para o presidente do TRF4, desembargador federal Luiz Fernando Wowk Penteado, o app eproc é mais uma facilidade oferecida aos advogados. “Sempre tivemos o cuidado de proporcionar as melhores alternativas possíveis de trabalho no nosso sistema de processo eletrônico. O lançamento do aplicativo do eproc é mais uma medida que tem por objetivo tornar mais fácil o uso do sistema eletrônico para os advogados, simplificando o acesso a informações processuais e o controle dos prazos processuais”, afirma Penteado.

Sindilojas Porto Alegre lança aplicativo da Febravar 2016

Sindilojas Porto Alegre lança aplicativo da Febravar 2016

Agenda Comunicação Direito do Consumidor Economia Notícias Publicidade Tecnologia Turismo

O Sindilojas Porto Alegre lançou hoje, 1º de julho, o aplicativo da Febravar 2016 para sistemas Android e IOS. O download é gratuito e o app tem o objetivo de conectar os visitantes às principais informações da 4ª edição do evento, como destaques dos expositores, pesquisa de satisfação, novidades, cobertura e a programação do Congresso Brasileiro do Varejo.

Para o presidente da Febravar, Ronaldo Sielichow, a criação do aplicativo foi inspirada no principal foco do evento: apresentar soluções tecnológicas e inovação para o varejo. “Com o aplicativo os comerciantes poderão acessar todo o conteúdo sobre o evento, tais como as palestras, cronograma, mapa da feira, além de ter acesso ao sistema de inscrição para a Feira Brasileira do Varejo”, explicou. A 4ª edição da Febravar acontece de 6 a 8 de julho, no Centro de Eventos do BarraShoppingSul, em Porto Alegre.

Alternativo ao Uber, aplicativo WillGo opera a partir de amanhã em Porto Alegre; por Ananda Müller/Rádio Guaíba

Alternativo ao Uber, aplicativo WillGo opera a partir de amanhã em Porto Alegre; por Ananda Müller/Rádio Guaíba

Cidade Comportamento Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

O aplicativo indiano WillGo passa a operar a partir de amanhã em Porto Alegre com o objetivo de se tornar uma alternativa ao Uber. O serviço de caronas pagas funciona de forma semelhante ao Uber, mas se diferencia na forma de pagamento e na possibilidade de agendar corridas, por exemplo. O WillGo já opera em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.

Porto Alegre vai ser a quinta cidade a receber o serviço. Nos primeiros 30 dias de atuação na cidade, os usuários que se cadastrarem serão classificados como premium e terão desconto de 5% em todas as corridas, durante um ano. O app usa tarifas fixas, mudando apenas de acordo com a categoria de veículo escolhida – black, smart, SUV, blindado ou moto.

Além disso, os usuários podem solicitar a entrega de documentos e objetos, com qualquer veículo. Os usuários também podem montar uma lista com os motoristas preferidos, para corridas futuras. Já o motorista parceiro paga taxas trimestrais ou anuais para receber a licença de atuação, sem descontos em cada viagem.

O que disse a EPTC

A EPTC garantiu que vai atuar, em relação ao WillGo, do mesmo modo como já age com o Uber. Conforme a assessoria de comunicação da empresa pública, um projeto de lei aprovado pela Câmara de Vereadores de Porto Alegre ainda em maio proíbe a atuação de todo e qualquer serviço de transporte de passageiros não regulamentado pela Empresa. Desse modo, os motoristas do WillGo estão sujeitos a multa e recolhimento do veículo.

Também no mês passado, o prefeito José Fortunati encaminhou outro projeto à Casa prevendo a regulamentação de caronas via aplicativo, mediante as devidas cobranças de taxas e identificação junto à EPTC. A pauta, no entanto, precisa passar por quatro comissões técnicas até chegar a plenário.

Tecnologia: Aplicativo Porto Alegre Livre chega a mais de 1500 downloads

Tecnologia: Aplicativo Porto Alegre Livre chega a mais de 1500 downloads

Cidade Comportamento Comunicação Cultura Direito Direito do Consumidor Economia Educação Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura Publicidade Saúde Segurança Turismo Vídeo
O aplicativo Porto Alegre Livre, lançado em abril deste ano, já possui mais de 1.500 downloads nas lojas on line Google Play Store e Apple Store. No app é possível localizar os pontos de conexão grátis à internet em diversos espaços públicos da Capital, além de restaurantes e estabelecimentos comerciais que integram o projeto. O aplicativo possibilita o acesso ao mapa da cidade via satélite e os endereços dos 63 locais cadastrados.
O projeto Porto Alegre Livre foi lançado no final de 2015, pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMDH) e pela Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa) e tem o objetivo de compartilhar redes Wi-Fi gratuitas na capital gaúcha. A iniciativa conta com 15 instituições apoiadoras, 14 empresas parceiras e 49 espaços públicos com o sinal disponível à população. Todos os pontos de acesso são localizados pelo aplicativo. Para baixar ou atualizar a versão, basta acessar as lojas online, de acordo com o aparelho celular (Android ou iOS) e fazer o download (Saiba como baixar aqui).
Apoio institucional – Ministério das Comunicações; Secretaria Estadual da Justiça e dos Direitos Humanos; Unesco; Associação Software Livre.Org (ASL); Comitê Gestor da Internet no Brasil (cgi.br); Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (nic.br); Associação Sul-Riograndense de Apoio ao Desenvolvimento de Software (Softsul); Tecnopuc; Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP); Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Rio Grande do Sul (Assespro); Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha); Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas); Sindicato das Empresas de Informática do Rio Grande do Sul (Seprorgs); Associação dos usuários de informática e telecomunicações do RS (Sucesu-RS) e Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Estado do Rio Grande do Sul (Sulpetro).
Confira os locais públicos e empresas parceiras com rede wifi gratuita aqui.

Impeachment de Dilma: Movimentos Acorda Brasil e Brasil Melhor anunciam lançamento do aplicativo “Lista Negra” que irá seguir deputados que votarem pró-Dilma

Notícias Poder Política

 

Os movimentos Acorda Brasil e Brasil Melhor  prometem lançar no dia 18 um aplicativo de celular para Iphone e Android. A ideia é que quem baixar o Lista Negra poderá azucrinar a vida dos Deputados que votarem contra o Impeachment. O vídeo publicado no YouTube garante que a partir do aplicativo será gerada uma relação dos Deputados qu.acesso aos telefones, redes sociais, e locais que os parlamentares visitam com frequência. A intenção é que os deputados federais sejam cobrados pessoalmente, quando ele estiver nas proximidade de onde a pessoa está. Segundo o texto, o aplicativo emite um sinal de alerta para todos que tem o aplicativo instalado, nas proximidades de onde esta o político. Os movimentos propõe a partir disso que todos possam ir até ele e cobrar por sua atitude de votar com Dilma. No dia 18 de Abril de 2016, será disponibilizado o link para download do aplicativo,  para quem se inscrever no canal.

Baby Check-in! chega ao mercado gaúcho. Aplicativo facilita a rotina dos pais e promove interatividade

Cidade Comunicação Crianças Economia Educação Negócios Notícias Porto Alegre Saúde Segurança

Já pensou saber antes mesmo de sair de casa se aquele local está adaptado para o seu filho?  Essa é a proposta do aplicativo Baby Check-in, que também possui um blog (babycheckin.com.br ). “Através do aplicativo o usuário poderá buscar e avaliar locais e eventos que recebam adequadamente toda a família, principalmente as que tiverem crianças até os cinco anos”, explica a sócia-idealizadora da startup, Ana Paula Prati, que criou o aplicativo com a Marina Lubianca Beloray. As duas empreendedoras são gaúchas e designers. Como funciona o app Baby Check-in!? BABY CHECK-IN_0001Bem fácil: ele conecta pais de primeira viagem aos mais experientes por meio do compartilhamento de dicas e avaliações de locais que recebam adequadamente toda família. Todos os locais foram conferidos em Porto Alegre pela própria Marina, e a ideia é ampliar a todo o estado gaúcho, São Paulo e Rio de Janeiro. “Queremos dar mais confiança aos pais e possibilitar mais interatividade para as crianças”, conta Marina Lubianca Beloray. A expectativa é mapear cerca de 200 estabelecimentos entre bares, restaurantes, clínicas médicas e eventos até o seu lançamento, dia 6 de dezembro.

Disponível para Android a partir do dia 6 de dezembro  e IOS a partir de 25 de dezembro, o lançamento oficial do Baby Check-in! será no dia 6 de dezembro, das 14h30 às 18h, no shopping Paseo Zona Sul (Av. Wenceslau Escobar, 1823), em Porto Alegre.

As sócias Ana Paula e Marina embarcam para Monterrey, no México, a convite pela Anjos do Brasil, MIA Mulheres Investidoras Anjo e Rede Mulher Empreendedora, para participar do WeXChance 2015, um evento que conectou, capacitou e integrou empreendedoras e investidores da América Latina e do Caribe. Na ocasião, que ocorreu final de novembro, as gurias apresentaram o Baby Check-in! a mais de 200 empreendedoras, 60 mentores e 150 investidores e especialistas em empreendedorismo de 17 países e ficaram em 7º lugar dos 112 projetos.

 

Aprovado na Câmara de Porto Alegre projeto que proíbe o Uber até julho de 2017

Aprovado na Câmara de Porto Alegre projeto que proíbe o Uber até julho de 2017

Notícias

A Câmara de Porto Alegre aprovou, no fim da tarde desta quarta-feira, o projeto de lei do vereador Clàudio Janta (SDD) que proíbe o transporte remunerado de passageiros em veículos particulares cadastrados por aplicativos ou plataformas semelhantes, a exemplo do oferecido pela empresa Uber. Foram 22 votos a favor e nove contra (quatro vereadores não votaram e havia uma falta justificada) em sessão tumultuada, marcada por manifestações de taxistas contrários e estudantes favoráveis ao aplicativo. Uma das emendas aprovadas prevê que a proibição vigore até 31 de julho de 2017.

O projeto também veda a associação de empresas administradoras de aplicativos, ou plataformas semelhantes, com estabelecimentos comerciais, para o fim de transporte remunerado de passageiros em veículos que não atendam às exigências da Lei Municipal que regulamentou o serviço, no ano passado. O texto recebeu seis emendas, das quais quatro foram aprovadas, uma rejeitada e uma retirada.

De acordo com Janta, atualmente há um crescimento significativo de plataformas e de aplicativos usando tecnologias novas para atuarem de forma irregular no transporte individual de passageiros, “o que é temerário, já que não há um controle estatal”. O vereador estima que, com a decisão de hoje, o Uber retire do ar a plataforma que oferece o serviço em Porto Alegre.

Para o vereador, a lei aprovada nesta quarta reforça a legislação da cidade que trata sobre transporte remunerado. Na véspera, o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, avaliou, porém, que a matéria é inócua, por já existirem leis sobre o tema.

Vereador cita até escravidão para defender proibição

Questionado pela Rádio Guaíba sobre o posicionamento favorável ao Uber de parte dos moradores de Porto Alegre, Janta minimizou o apoio ao aplicativo: “Se os governantes ouvissem somente o que as pessoas são favoráveis nós ainda iríamos manter os escravos e não teríamos a vacina”, argumentou . “Nós tivemos pessoas que foram inteligentes, como Abraham Lincoln, que absolveu (sic) os escravos nos Estados Unidos, Osvaldo Cruz, que foi a favor das vacinas. As pessoas eram contra a libertar escravos e eram contra as vacinas. Estamos somente exigindo que as leis sejam cumpridas”, ponderou.

Em Porto Alegre, a lei obriga que o veículo usado como táxi seja registrado no Executivo e possua características especiais de identificação como adesivos, taxímetro, carteira de identificação do proprietário e do eventual condutor do veículo.

Governo liberou bancada

Nesta quarta, a Prefeitura liberou o voto da base aliada. O vereador Nereu Dávila, do PDT, votou contra e defendeu o Uber. Ele chegou a se indispor com motoristas de táxis que lotaram as galerias e rechaçaram a manifestação na tribuna. “O que está se instalando na cidade é uma campanha contrária ao progresso. Raramente qualquer tipo de evolução demora para surgir em Porto Alegre e, quando chega, enfrenta essa resistência injusta querendo impedir os avanços estabelecidos pelo próprio mercado”, defendeu.

EPTC defende regulamentação 

O presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, era contrário à proibição. O órgão defende, inclusive, a regulamentação de aplicativos envolvendo o transporte público. “Nós não somos contra a regulamentação de novas alternativas de transporte, somos contra que apenas o Uber tenha exclusividade nesse serviço. Temos que propor que outras ações também possam ser permitidas e viabilizadas em Porto Alegre, com uma regra clara para todos”, esclareceu. (Com informações do repórter Voltaire Porto/Rádio Guaíba)

Uber começa a operar hoje em Porto Alegre

Cidade Notícias
Segundo a EPTC, enquanto não for regulamentado, o serviço é ilegal na cidade. (Foto: Reprodução)                                                                                             Segundo a EPTC, enquanto não for regulamentado, o serviço é ilegal na cidade. (Foto: Reprodução)

O serviço de táxi Uber, que funciona por meio de aplicativo de telefone celular, começou a operar hoje em Porto Alegre. Depois de polêmicas nas cidades do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Brasília (DF), o Uber entrou em operação na capital gaúcha nesta tarde de forma ilegal, já que não está regulamentado, conforme a EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação).

Porto Alegre receberá, neste primeiro momento, o serviço “Uber X”, que é uma modalidade 30% mais barata que o “Uber Black”. Neste modelo, a empresa oferece o desconto total da taxa de serviço (25%), e o pagamento será direto pelo cartão de crédito cadastrado em nome do cliente, sem transações em dinheiro.

Segundo representantes do Uber, nesta fase de implantação, o tempo de espera por um carro em Porto Alegre tende a ser mais demorado, por causa do baixo número de motoristas cadastrados. Com o tempo, a espera deve diminuir. Em outras cidades do Brasil onde o serviço já atua,  o passageiro aguarda cerca de 5 minutos após o chamado.

De acordo com o  diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Capellari, não se trata de ser a favor ou contra o aplicativo, mas “não é possível permitir que algo não regulamentado atue”. Segundo ele, a multa para o motorista que for pego transportando passageiros pelo é de R$ 5.860, além do recolhimento do veículo.

Tramita na Câmara de Vereadores da Capital o projeto do vereador Claudio Janta (Sol), que proíbe transporte de passageiros em veículos particulares contratados por aplicativos, como é o caso do Uber. (O Sul)

Uber minimiza resistência e garante que opera em Porto Alegre até o fim do ano (Bibiana Borba / Rádio Guaíba)

Cidade Comunicação Direito Direito do Consumidor Mundo Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura Segurança
Expectativa é que serviço inicie o funcionamento até o fim do ano | Foto: Site oficial do Uber / Divulgação / CP

Expectativa é que serviço inicie o funcionamento até o fim do ano | Foto: Site oficial do Uber / Divulgação / CP

Apesar de a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e o Sindicato dos Taxistas da Capital terem se posicionado contra a novidade, a empresa Uber confirmou nesta sexta-feira que vai começar a oferecer o serviço de transporte em Porto Alegre até o final de 2015. Através de assessoria de imprensa, a Uber admitiu à Rádio Guaíba que motoristas já estão sendo prospectados na Capital gaúcha para atuar na rede. O cadastro de interessados pode ser feito através do site da empresa.

De acordo com um taxista da Capital, que disse à reportagem ter feito o cadastro por curiosidade, diretores da Uber realizaram reuniões nas últimas semanas com alguns interessados, salientando que o objetivo é trazer um serviço de transporte com foco na qualidade para o passageiro. Por enquanto, os representantes da empresa afirmaram que pretendem lançar na Capital apenas a versão mais barata, o UberX, sem a exigência da cor preta para os carros e nem de uniforme para os condutores.

Sobre a manifestação da EPTC de que motoristas que aderirem ao sistema serão multados, em R$ 5,8 mil, a assessoria da Uber adiantou que a mesma resistência já foi enfrentada em várias outras cidades do mundo. No Rio de Janeiro, uma lei para tornar o serviço ilegal chegou a ser aprovada, mas, através de liminar judicial, a Uber teve permissão para voltar a atuar.

No entendimento da empresa, com sede nos Estados Unidos, a oferta de motoristas privados pelo aplicativo de celular configura o transporte do tipo individual privado, considerado legal pelo Plano Nacional de Mobilidade Urbana.

No Brasil, o aplicativo já funciona em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte. Um novo serviço de transporte de animais de estimação foi lançado nesta sexta-feira nas capitais carioca e paulista.