Ibsen Pinheiro: “Aprovar impeachment é difícil. Crise precisa virar uma avalanche”

Ibsen Pinheiro: “Aprovar impeachment é difícil. Crise precisa virar uma avalanche”

Comportamento Comunicação Direito Notícias Poder Política

Deputado estadual pelo Rio Grande do Sul e presidente do PMDB naquele estado, Ibsen Pinheiro voltou às páginas do noticiário nacional nesta semana por conta do avanço do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Presidente da Câmara que recebeu o pedido de impeachment de Fernando Collor, em 1992, Pinheiro tem traçado paralelos entre os dois processos — a principal diferença para ele, no momento, é que o impedimento de Collor avançou por unanimidade, e ele ainda não enxerga isso no processo de Dilma. De passagem pelo Congresso Nacional para participar da reunião que definiu o rompimento do PMDB com o Governo, o deputado estadual falou com o EL PAÍS.

Pergunta. O senhor tem dito que é difícil o impeachment da presidenta Dilma Rousseff passar na Câmara.

Resposta. Não é exatamente isso que eu tenho dito. Digo que é muito difícil conquistar 342 votos com cantada, anotação, ponta de lápis, porque é um número muito alto em 513. Dois terços é muito difícil. Mais fácil seria a unanimidade, porque [para chegar a esse ponto] os acontecimentos políticos teriam de superar o centro de gravidade e virar uma avalanche. Confira a entrevista completa no site do El País Brasil.