Bancos já restringem consignado a aposentados. Instituições suspendem financiamento a quem recebe auxílio por invalidez

Bancos já restringem consignado a aposentados. Instituições suspendem financiamento a quem recebe auxílio por invalidez

Destaque Economia Negócios

Com revisão de benefícios pelo INSS, clientes com menos de 60 anos perdem acesso a empréstimo com desconto em folha, que oferece juro menor que outras modalidades

Bancos de médio porte, com forte atuação no empréstimo consignado a aposentados e pensionistas, começaram a suspender o financiamento a clientes com menos de 60 anos que recebem auxílio por invalidez, informa JOÃO SORIMA NETO. Com a revisão prevista de 1,1 milhão de benefícios, quem for considerado apto a voltar ao mercado de trabalho ou faltar à perícia perderá a aposentadoria, segundo o INSS. Como o crédito é descontado da folha de pagamento, as instituições temem aumento da inadimplência. Especialistas avaliam que o movimento é negativo por afetar o acesso a uma modalidade de crédito mais barata do que as outras opções no mercado. (O Globo)

PF indicia presidente do Bradesco na Zelotes, diz MP; com informações da Exame e Valor Econômico

PF indicia presidente do Bradesco na Zelotes, diz MP; com informações da Exame e Valor Econômico

Negócios Notícias Poder Política

A Polícia Federal encaminhou nesta terça-feira ao Ministério Público Federal (MPF) relatório de inquérito relacionado à operação Zelotes em que indicia o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, informou o MPF do Distrito Federal via assessoria de imprensa.

O órgão não soube informar imediatamente por quais crimes a PF indiciou Trabuco e se havia outros funcionários do banco indiciados. O Bradesco não comentou a informação imediatamente. Caberá agora aos procuradores do Ministério Público analisarem o relatório da PF e decidirem se oferecem denúncia contra Trabuco à Justiça.

Já o jornal Valor Econômico informa que, o presidente do Banco Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, e outras nove pessoas foram indiciadas pela Polícia Federal, referente à Operação Zelotes. Os crimes acusados são tráfico de influência, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

De acordo com o Valor, corre em segredo de Justiça o inquérito sobre o Bradesco, que já foi concluído e enviado ao Ministério Público Federal (MPF). O órgão irá avaliar o material e poderá solicitar novas diligências.

Em seguida, o MPF poderá oferecer ou não a denúncia. Todos os indiciados poderão ser denunciados. No entanto, o Ministério poderá ainda incluir mais pessoas.

Ainda segundo o Valor Econômico, no início das investigações, foram identificados 74 processos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) com suspeita de pagamento de propina. Destes, 12 tinham “fortes indícios” de corrupção e envolvimento do Bradesco.

A Operação Zelotes foi deflagrada pela Polícia Federal em março de 2015 e investiga a compra de Medidas Provisórias e o suposto pagamento de propina a integrantes do Carf, ligado ao Ministério da Fazenda.

Mais informações em instantes.

Instituições financeiras projetam inflação acima do teto da meta em 2016

Instituições financeiras projetam inflação acima do teto da meta em 2016

Destaque Economia Negócios Poder Política

A projeção de instituições financeiras para a inflação em 2016 ultrapassou o limite da meta. Na 16ª alta consecutiva, a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 6,50% (teto da meta de inflação) para 6,64%. Essa projeção faz parte de pesquisa semanal feita pela Banco Central (BC) com instituições financeiras. Para este ano, a estimativa subiu pela 10ª vez seguida, ao passar de 10,04% para 10,33%. O BC abandonou o objetivo de alcançar o centro da meta de inflação (4,5%) em 2016. Devido às indefinições e alterações na política fiscal do governo, o BC espera que a inflação fique na meta somente em 2017. Na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o BC diz que as indefinições e alterações significativas na meta fiscal mudam as expectativas para a inflação e criam uma percepção negativa sobre o ambiente econômico.

Antes de adiar o objetivo de levar a inflação ao centro da meta, o Copom elevou a taxa básica de juros, a Selic, por sete vezes consecutivas. Na reunião de setembro e de outubro, o Copom optou por manter a Selic em 14,25% ao ano. A expectativa das instituições financeiras para a última reunião do Copom deste ano, marcada para amanhã e quarta-feira (25), é de manutenção da Selic no atual patamar.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

A pesquisa do BC também traz a projeção para a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que passou de 10,54% para 10,90%, este ano. Para o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), a estimativa subiu de 10,26% para 10,38%, em 2015. A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) foi alterada de 10,26% para 10,32%, este ano.

A projeção para a alta dos preços administrados passou de 17% para 17,43%, este ano, e segue em 7%, em 2016.

A inflação alta vem acompanhada de encolhimento da economia. A projeção para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, este ano, chegou a 3,15%, contra 3,10%, previstos na semana passada. Para 2016, a projeção de retração passou de 2% para 2,01%, no sétimo ajuste consecutivo.

Na avaliação do mercado financeiro, a produção industrial deve ter uma queda de 7,5%, este ano, e de 2% em 2016.

A projeção para o dólar passou de R$ 3,96 para R$ 3,95, ao final deste ano, e permanece em R$ 4,20, no fim de 2016. (Agência Brasil)

Após três semanas de greve, bancos voltam hoje a funcionar no RS

Após três semanas de greve, bancos voltam hoje a funcionar no RS

Notícias

Os bancos do Rio Grande do Sul abrem as portas às 10h desta terça-feira. Os trabalhadores estavam com os braços cruzados desde o dia 6 de outubro em função da campanha salarial. O presidente do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região, Éverton Gimenis, a campanha pode ser considerada vitoriosa. Parte das horas paradas devem ser compensadas.

Os banqueiros ofereceram 10% de reajuste e 14% nos vales-refeição e alimentação. Inicialmente, os funcionários pediam 16% de aumento, enquanto os bancos ofereciam 5,5%. A inflação oficial no período é de 9,88%. Os 198 trabalhadores do Badesul são os únicos que seguem com os braços cruzados. O acordo deve ser assinado nesta terça-feira. Com isso, os servidores voltam ao trabalho amanhã. (Rádio Guaíba)

Em três anos, tarifa bancária subiu nove vezes mais que a inflação

Em três anos, tarifa bancária subiu nove vezes mais que a inflação

Economia Negócios Notícias

As tarifas cobradas pelos oito maiores bancos do país nos últimos três anos cresceram até 169%, percentual 8,6 vezes superior à inflação para o mesmo período, mostra a associação de consumidores Proteste.

O levantamento comparou as tarifas das cestas informadas nas tabelas das próprias instituições bancárias. O maior aumento foi na cesta Exclusive Fácil (antiga Conta Fácil Bradesco Super) do banco Bradesco, que em 2013 custava R$ 23 mensais, e no próximo mês passa a custar R$ 61,90. O valor anual, com isso, sobe para R$ 742,80, ou seja, R$ 466,80 a mais que em 2013.

No levantamento, também foram encontrados pacotes de serviços com valores de até R$ 74 mensais, como o cobrado pelo banco Santander na cesta de serviço Van Gogh Max. O custo anual do pacote soma R$ 888.

A pesquisa verificou tarifas dos bancos Banrisul, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Citibank, HSBC, Itaú e Santander. A Proteste lembra que os bancos são obrigados a divulgar o valor de todas as tarifas e taxas cobradas, além de deixar claro quais serviços estão inclusos nos pacotes. (Agência Brasil)