Perdemos os sanduíches e a ótima Companhia no Menino Deus

Perdemos os sanduíches e a ótima Companhia no Menino Deus

Cidade Comportamento Comunicação Cultura Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias Porto Alegre Segurança Turismo Vídeo

 

 

Márcio Pinheiro me avisa, abro o computador e dou de cara com a nota do Julio Ribeiro: “Depois de 28 anos na batalha, está fechando um dos endereços mais tradicionais da cidade: a Companhia dos Sanduíches, na esquina da av. Getulio Vargas com Saldanha Marinho, no Menino Deus. O alto preço dos aluguéis foi um dos motivos, associado à diminuição de público (em todos os restaurantes) em função da crise econômica do País. É uma pena, tinha uns dos melhores sanduíches quentes do RS.”. Concordo com o Julio sobre os sanduíches e acrescento um dos melhores atendimentos também e isso faz uma diferença e tanto. A comida era ótima, o chope bem tirado e a recepção da equipe do Claúdio fraterna. Junte-se a tudo isso sempre um bom show de música ao vivo. Por aquele “palquinho do Plauto Cruz” passaram grandes nomes da música gaúcha e brasileira, mas principalmente da “música da noite”. Na biografia de Renato Borghetti, escrita por Márcio Pinheiro, a lembrança de um bar da turma: “Daniel Sá havia entrado de maneira inusitada na vida de Borghetti um ano antes da gravação deste disco. Morando no bairro Menino Deus desde quando havia se casado com Cadica, Renato tornou-se habitué de um bar localizado quase defronte ao seu prédio. Começou como frequentador e logo transformou-se num cliente cheio de regalias. A maior delas era poder chegar mais cedo, pegar a chave com o zelador e abrir o bar. Servia o próprio chope e ficava conversando com os músicos que começavam a chegar para os shows da noite. Um desses músicos era Daniel Sá.”

Poderia citar “n” noites que passei ali e convivi com gente muito boa, mas de alguma forma minha lembrança recai sobre conversas e aprendizados que dividi com o Paulo Deniz, Glênio Reis e outros amigos da Rádio Gaúcha. Nos últimos anos serviu de ponto encontro antes de jogos do internacional com Geraldo Da Camino, apreciador dos “sandubas e chopinho”. Recentemente fizemos um evento da Guaíba na Cia de Sanduíches, a qualidade seguia impecável, mas a “conjuntura econômica” e falta de segurança nos levam mais um local da noite e  boemia da cidade. Tipo de notícia triste de tratar, mais um letreiro com uma bela história que se apaga. Espero que em breve se acenda em outro lugar e Porto Alegre possa voltar a saborear a Companhia em todas suas essências…

Execução no Centro: sem antecedentes, professor foi morto por estar ao lado de alvo da quadrilha. Duplo homicídio ocorreu dentro de bar próximo do Quartel do Comando Geral da BM, em Porto Alegre; por Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Execução no Centro: sem antecedentes, professor foi morto por estar ao lado de alvo da quadrilha. Duplo homicídio ocorreu dentro de bar próximo do Quartel do Comando Geral da BM, em Porto Alegre; por Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Cidade Direito Notícias Porto Alegre Segurança

Após coletar as primeiras informações, a Polícia Civil revela que um dos homens executados dentro de um bar no Centro de Porto Alegre, não era alvo dos criminosos. A informação foi repassada nesta tarde pelo delegado, Filipe Bringhenti, responsável pelo caso. O duplo homicídio ocorreu na noite passada no Souza’s Bar, localizado na rua dos Andradas. O estabelecimento fica a próximo do Quartel do Comando Geral da Brigada Militar.

Segundo a investigação, o professor de geografia Marcos Ayres, de 42 anos, foi morto por estar ao lado do alvo da quadrilha na noite passada. Ele não tinha antecedentes criminais. Ayres estava em uma mesa ao lado de Luan Silveira da Silva, 21, alvo dos criminosos. Os dois foram executados por cerca de 50 tiros, frisa o delegado Bringhenti. “Foi possível apurar que havia um alvo dentro do bar, que era desejado pelos criminosos. Este alvo veio a falecer, sendo que outros dois indivíduos, sem antecedentes criminais, também foram atingidos. Por esta razão acreditamos que eles não eram os alvos desejados, mas foram atingidos porque os criminosos atiraram a esmo”, explica.

Durante o tiroteio, um terceiro homem também foi baleado. Ele foi socorrido para o Hospital de Pronto Socorro e não corre risco de morte. A vítima também foi baleada sem querer pelo bando. O homem passou no bar antes de ir ao Beira-Rio, acompanhar jogo do Internacional.

Cinco criminosos chegaram em um carro branco e uma moto ao local, desceram e atiraram contra a dupla. Informalmente, um dos suspeitos admitiu a Polícia Civil ter atirado contra Luan por vingança. Foragido do regime semiaberto desde outubro de 2014 e com antecedentes por tráfico e homicídio, o jovem teria assassinado o irmão de um dos integrantes da quadrilha, informou a Brigada Militar. A Polícia Civil solicitou a prisão preventiva do bando.

Durante a fuga, a BM interceptou o veículo utilizado pelos bandidos e prendeu os cinco suspeitos no Campo da Tuca, zona Leste da cidade. Durante perseguição, disparos foram dados contra viatura da polícia. (Lucas Rivas/Rádio Guaíba – Foto: Fabiano do Amaral/Correio do Povo)

Infiel Atlântida: cervejas artesanais e muito mais

Infiel Atlântida: cervejas artesanais e muito mais

Negócios Notícias

Um ambiente construído para os fãs das cervejas artesanais se sentirem em casa. Só que com aquele clima descontraído de casa de praia. Assim prometem ser os dias no Infiel Atlântida durante esta temporada de veraneio no Litoral Norte gaúcho. O bar, localizado na Avenida Central do balneário (Av. Central, 2060, complexo Las Ramblas) contará com nove torneiras de chope engatadas todas as noites, além de uma carta com aproximadamente 40 cervejas diferentes em garrafa, e de deliciosos petiscos como hambúrgueres, pizzas servidas no azulejo e cortadas em xadrez, buraco quente, entre outros para acompanhar as bebidas. As novidades ficam por conta dos drinks, alguns usando cervejas em seus ingredientes, e dos shows acústicos de artistas gaúchos para animar ainda mais a noite.

Hoje, em Porto Alegre, trabalhamos com mais de 140 rótulos, sendo mais de 90% marcas nacionais. No litoral, não será diferente. Trabalharemos com uma quantidade inferior de rótulos (serão cerca de 40 diferentes), dando prioridade a cervejas artesanais brasileiras”, afirma o fundador sócio do Infiel, Marcus Bagorro.

Marcas conhecidas do público cervejeiro estarão no cardápio, nomes como as gaúchas Coruja, Elementum e Perro Libre, a Eisenbahn (SC) eColorado (SP). Além das opções “on tap”, haverá haverá garrafas de marcas do Rio Grande do Sul, a exemplo da Barco e da Irmãos Ferraro, e nacionais, como Amazon (PA) e Bierland (SC). Cervejas importadas, como a Delirium Tremens (Bélgica) e Erdinger (Alemanha) também estarão à venda na casa.

Como conhecer:

A casa funcionará de quinta a domingo, a partir das 20h. Agenda e mais informações podem ser acompanhadas através da página do bar no Facebook (https://www.facebook.com/infielatlantida/?fref=ts) ou pelos contatos: 51 3072-4800 ou contato@infiel.com.br.