Porto Alegre: Comediante Murilo Couto faz turnê com show “Gala Seca” dia 03 de maio no Bourbon Country

Porto Alegre: Comediante Murilo Couto faz turnê com show “Gala Seca” dia 03 de maio no Bourbon Country

Agenda Cidade Cultura Destaque Porto Alegre

Com seu novo show de comédia, o paraense Murilo Couto apresenta “Gala Seca”, seu novo stand up, pelo Brasil. O comediante passará por Porto Alegre (3 de maio), Fortaleza (24 de maio), Natal (26 de maio) e Rio de Janeiro (9 de novembro) em teatros administrados pela Opus Promoções. Informações sobre ingressos podem ser encontradas ao final do texto. A gíria de Belém, que da nome ao espetáculo, é usada para falar de pessoas com comportamento patético, idiota, ridículo.

Contanto situações da sua própria vida, Murilo relata histórias da infância, adolescência e maioridade para mostrar porque a expressão “Gala Seca” o descreve tão bem. “Venha rir da desgraça alheia”, é o convite de Murilo faz ao público. Murilo Couto é integrante do programa The Noite com Danilo Gentili, do SBT. Seu canal no Youtube possui mais de um milhão de inscritos. Atualmente, o comediante viaja pelo Brasil apresentando seus espetáculos de stand up. Iniciou a carreira em 2004, em Belém, mas ficou conhecido em 2009 ao participar do elenco de Malhação, da Globo.

Ao lado de Tatá Werneck e Maurício Meirelles, apresentou o programa “O Estranho Show de Renatinho”, em 2016, no Multishow. No mesmo ano, disputou as finais do prêmio “A Pessoa Mais Engraçada do Mundo”, promovido pelo clube de comédia americano Laugh Factory. Seu primeiro show solo, “Eu, Murilo” estreou na Netflix em 20017, onde também possui um filme com Danilo Gentili, Dani Calabresa e Léo Lins.

Porto Alegre (RS)

Dia: Sexta-feira, 3 de maio, às 21h

Duração: 90min
Classificação: 12 anos
Teatro do Bourbon Country (Avenida Tulio de Rose, 80 –  Shopping Bourbon Country  – Passo d’Areia)
www.teatrodobourboncountry.com.br

Setor Valor Meia-Entrada
Plateia Baixa R$100,00 R$50,00
Camarote R$80,00 R$40,00
Plateia Alta R$80,00 R$40,00
Galeria Alta Direita R$40,00 R$20,00
Mezanino R$60,00 R$30,00
Galeria Mezanino Direita R$40,00 R$20,00
Galeria Alta Esquerda R$40,00 R$20,00
Galeria Mezanino Esquerda R$40,00 R$20,00

 

 

– 50% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS somente na estreia – limitado a 100 ingressos e vendas apenas na bilheteria;

– 50% de desconto para titulares dos cartões Zaffari Card e Bourbon Card somente na estreia – limitado a 100 ingressos e vendas apenas na bilheteria;

– 10% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS nos demais ingressos;

 

* Crianças até 24 meses que fiquem sentadas no colo dos pais não pagam

**Descontos não cumulativos a demais promoções e/ ou descontos;

*** Pontos de vendas sujeito à taxa de conveniência;

**** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso ao auditório;

***** A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem têm direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Rio Grande do Sul:

– IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br

– PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS COM ATÉ 15 ANOS mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– APOSENTADOS E/OU PENSIONISTAS DO INSS (que recebem até três salários mínimos) mediante apresentação de documento fornecido pela Federação dos Aposentados e Pensionistas do RS ou outras Associações de Classe devidamente registradas ou filiadas. Válido somente para espetáculos no Teatro do Bourbon Country e Auditório Araújo Vianna.

– DOADORES REGULARES DE SANGUE mediante apresentação de documento oficial válido, expedido pelos hemocentros e bancos de sangue. São considerados doadores regulares a mulher que se submete à coleta pelo menos duas vezes ao ano, e o homem que se submete à coleta três vezes ao ano.

******Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso.

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sujeito à taxa de serviço):

Site: www.uhuu.com

Atendimento: falecom@uhuu.com

 

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sem taxa de serviço):

Bilheteria do Teatro do Bourbon Country: Av. Túlio de Rose, nº 80 / 2º andar (de segunda a

sábado, das 12h às 22h, e domingo e feriado, das 14h às 20h)

 

 

Formas de pagamento:

Internet: Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American.

Bilheteria: Dinheiro, Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American e Banricompras (débito).

Livros: Helena Gayer lança “Me diga quem eu sou, Uma bipolar em busca da sanidade” na Livraria Cultura do Bourbon Country

Livros: Helena Gayer lança “Me diga quem eu sou, Uma bipolar em busca da sanidade” na Livraria Cultura do Bourbon Country

Agenda Cidade Comunicação Cultura Destaque Porto Alegre Saúde

Helena Gayer é funcionária pública na prefeitura de Pelotas. Depois de cursar um ano de oceanografia, mudou de área e se formou em jornalismo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. “Sou bipolar. Fui diagnosticada quando tinha 21 anos. Ou seja, vivo entre dois mundos. Nunca sei para que lado estou indo até mergulhar num dos extremos.”  De maneira sincera e sem poupar detalhes, Helena depõe sobre sua vida com o transtorno de bipolaridade. Em uma narrativa não linear, a autora percorre da infância até a vida adulta retratando as crises de mania e depressão com crueza, minúcia e fervor. Na quarta-feira, 19 de abril, às 19hs ela lança na Livraria Cultura/Bourbon Country, o livro onde dividiu a doença em fases.

Crises e diagnóstico:

Quando adolescente, Helena sofria uma oscilação radical de humor e passou por intensos episódios de depressão, especialmente depois da separação de corpos dos pais. Aos 21 anos, depois do primeiro surto de mania, foi diagnosticada com o transtorno de bipolaridade. Em algumas dessas crises, Helena correu risco de morte e abusos.

“Voltei a frequentar o Submarino Amarelo, agora de forma mais intensa. Passava dias inteiros gravitando ao redor do bar como um satélite insano e obcecado. Minha trajetória só foi interrompida na noite em que comecei a esbravejar com uma cliente. Ela era mais uma entidade maligna. Dessa vez o dono se irritou e me expulsou do bar com um golpe de alguma arte marcial que até hoje não identifiquei. Só sei que me pegou pelos braços e me fez voar como uma pena.”

Internações

Cada uma dessas crises foi seguida de uma internação. Foram dez ao longo da vida da autora, que as relata com intensidade:

“As internações me vêm à mente como um pesadelo vívido. Através da pequena janela gradeada chegava a esperança em forma de raios de sol. A cela era fria, só havia uma cama de ferro e um colchão. Nada transmitia aconchego, conforto. Tudo era punição, castigo, violência.”

Medicação

Helena também descreve os efeitos colaterais da forte medicação em seu organismo, especialmente os do lítio:

“O efeito colateral do uso de lítio se manifesta inicialmente no tremor das mãos. (…) Me lembro dos almoços no restaurante universitário em que eu tinha de controlar a mão para que o garfo não fosse parar fora da boca.”

Superação

A autora apresenta um relato íntimo sobre como é viver, sobreviver e constantemente se rearranjar nessa realidade tão dura e tantas vezes negligenciada. Ao se abrir e descrever com detalhes as inúmeras tentativas de ter uma vida normal, ela deixa escapar um pedido para que se tenha um olhar mais apurado em direção à pessoa com transtorno psiquiátrico, não só à doença.

Antes de esse livro ser publicado, ela estava há dez anos sem passar por internações, o que foi possível graças a um longo processo de autoconhecimento e a incrível capacidade de renascer após cada crise.

“Apesar de não ter uma imagem imaculada, aprendi que a capacidade de se reerguer é o grande trunfo de um bipolar e, no meu caso, essa foi a maior prova de amor por mim mesma.”

 

Páginas: 120

Tiragem: 6 mil

Preço:

R$ 29,90

E-book: R$19,90

Lançamento: 17/04

Palavras-chave: memórias, relato, autobiografia, bipolaridade, transtorno bipolar, internação, depressão, mania, dor, descoberta, superação