Internado há dez dias, Carlos Araújo segue sem previsão de alta

Internado há dez dias, Carlos Araújo segue sem previsão de alta

Destaque Saúde
 Internado desde o dia 25 de julho no Hospital São José, da Santa Casa de Porto Alegre, o ex-deputado estadual pelo PDT Carlos Araújo segue sem previsão de alta. Conforme boletim divulgado pelo Hospital, o paciente permanece em estado regular.

Ex-marido da ex-presidente Dilma Rousseff, Araújo, de 79 anos, deu entrada no hospital, em estado gravíssimo, e precisou ser entubado devido a uma crise de cirrose medicamentosa. Depois, no último dia 28, o ex-parlamentar deixou a UTI. (Rádio Guaíba)

Dilma recorre à Justiça para voltar a voar com a FAB.  Na última quarta, o PT fretou um avião para evitar que a presidente afastada se deslocasse em voo comercial; Voltaire Porto / Rádio Guaíba

Dilma recorre à Justiça para voltar a voar com a FAB. Na última quarta, o PT fretou um avião para evitar que a presidente afastada se deslocasse em voo comercial; Voltaire Porto / Rádio Guaíba

dilma Direito Notícias Poder Política

A presidente afastada Dilma Rousseff, do PT, quer reverter a decisão do governo Temer de proibir que ela utilize aviões da Força Área Brasileira (FAB) em todos os seus deslocamentos aéreos. Uma medida judicial já foi adotada, através de ação protocolada na 6a Vara Federal de Porto Alegre. A juíza, Daniela Cristina de Oliveira Pertile, já determinou que a União se manifeste num prazo de cinco dias. O advogado de Dilma é Carlos Araújo, ex-marido da presidente. A interpretação é de que é ilegal a proibição que consta em parecer da Casa Civil. Já a alegação do Palácio do Planalto é de que Dilma não precisa cumprir agendas oficiais como chefe de estado, uma vez que está afastada.

Diante da restrição, a presidente já realizou a primeira viagem de voo fretado, na última quinta-feira, para Campinas, em São Paulo. Os custos foram pagos pelo PT. Para o líder da bancada do PT na Assembleia Legislativa, este tipo de situação, de fretamento aéreo, representa um risco. Luiz Fernando Mainardi argumenta que o perigo envolve a nação. ”Andar com um avião da FAB é mais uma proteção para a sociedade do que para a própria Dilma, ela continua sendo presidente. É uma temeridade viajar de voo fretado ou comercial, nenhum presidente faz isso”, sustentou.

Mainardi também acredita que a proibição de aviões da FAB para a presidente afastada é um erro. “Não creio que se trate de mesquinharia ou represália do governo Temer, o que deve ter ocorrido foi uma leitura equivocada da legislação. Repito que ela continua sendo presidente e está afastada por um período de 180 dias, podendo voltar ou não ao cargo”, concluiu.

A única exceção para Dilma voar com a FAB envolve os deslocamentos entre Brasília e Porto Alegre, considerada residência da presidente afastada.

“Se desse a desgraça de o Lula morrer hoje, parava tudo isso”, diz Carlos Araújo; por Joyce Heurich e Roberto Caloni/Beta Redação – Unisinos

“Se desse a desgraça de o Lula morrer hoje, parava tudo isso”, diz Carlos Araújo; por Joyce Heurich e Roberto Caloni/Beta Redação – Unisinos

Economia Notícias Poder Política Vídeo

Era fim de tarde de quinta-feira (19), fechava uma semana desde a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff no Senado e do consequente afastamento da presidente do poder…

O motivo de tanta procura pelo ex-deputado estadual do PDT, hoje apenas filiado ao partido, tem explicação. Na posição de ex-marido de Dilma Rousseff, Araújo é rotulado pela imprensa, de modo geral, como “conselheiro” dela. Ele, no entanto, nega o título: “Somos amigos, o conselheiro dela é o Lula”. Além da fama de consultor, é para a casa dele que a presidente, afastada do cargo desde o dia 12 de maio, costuma ir quando visita Porto Alegre. No dia seguinte ao afastamento, Dilma viajou para a capital gaúcha e passou o fim de semana em família na casa de Araújo, onde almoçou com a filha Paula Rousseff de Araújo e os dois netos…

Nessas ocasiões, Araújo diz que evita falar sobre política, já que a presidente visita o Estado para descansar. Ainda assim, entre uma conversa e outra, a ex-esposa compartilha com ele como se sente sobre o ocorrido e comenta estratégias para tentar preservar o mandato. Sobre isso e sobre o que está em jogo por trás do impeachment, Carlos Araújo falou à Beta Redação no vídeo. Confira outras informações em betaredacao.com.br .

Carlos Araújo: “Dilma vai usar todos os recursos contra o golpe”

Carlos Araújo: “Dilma vai usar todos os recursos contra o golpe”

Notícias Poder Política

O advogado gaúcho Carlos Araújo disse que a presidente Dilma Rousseff – com quem teve um relacionamento de 25 anos e uma filha – vai usar todos os recursos possíveis para se opor ao processo de impeachment, que chamou de golpe. Para Araújo, a reação popular vai crescer se o vice-presidente Michel Temer assumir o governo, caso o Senado aceite o processo e Dilma seja afastada do cargo. O advogado e ex-preso político deu as declarações ontem ao participar do programa Espaço Público, da TV Brasil.

“No governo Lula e no primeiro governo Dilma, as elites brasileiras, de modo geral, foram muito beneficiadas, ganharam muito dinheiro. Mas os trabalhadores também. O povo também. A classe média alta ficou de fora – não foi beneficiada nem prejudicada. Mas se sentiu prejudicada ideologicamente, por vários fatores”, disse, em entrevista ao programa.

Carlos Franklin Paixão de Araújo é advogado trabalhista e foi três vezes deputado estadual pelo PDT do Rio Grande do Sul. Ao lado de Dilma, militou contra ditadura militar de 1964. Ele e Dilma são pais da procuradora do Trabalho Paula Rousseff Araújo e avós de Gabriel, de 5 anos, e Guilherme, nascido no começo do ano. Dilma e Araújo mantêm o companheirismo.

Na avaliação de Araújo, o “conformismo” em relação à saída de Dilma tende a desaparecer ao longo das próximas semanas. Para ele, a questão por trás do atual cenário político brasileiro é uma tentativa de impedir uma nova eleição de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República. “Se não fosse 2018, não tinha impeachment, não tinha nada”, disse. “Se Lula morresse hoje, se houvesse essa desgraça, não haveria impeachment”, finalizou. (Agência Brasil)

Ex-deputado estadual Carlos Araújo ataca tese de eleições em 2016 e fala em desrespeito com Dilma

Ex-deputado estadual Carlos Araújo ataca tese de eleições em 2016 e fala em desrespeito com Dilma

Comunicação Notícias Poder Política
Ex-marido da presidente Dilma Rousseff (PT), o ex-deputado estadual do PDT Carlos Araújo declarou, nesta terça-feira, discordar da realização de novas eleições, tese que passou a ser defendida por parte da oposição ao governo. Araújo foi entrevistado pelos jornalistas Taline Oppitz e Juremir Machado, no programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba. Para ele, a oposição está dividida. “Parte das forças conservadoras defende o impeachment sob qualquer argumento. Outra quer o poder, mas pensa nas consequências políticas do impeachment sem justa comprovação de crime. Em meio a esta divisão surge como nova a tese de realização de eleições gerais. Discordo dela, pois seria um desrespeito com a decisão popular”, analisou o ex-deputado.

Araújo acrescentou que a livre expressão também deve ser respeitada: “Quem discorda de um governo deve reclamar, sacudir a poeira para ser ouvido, mas não pode tentar derrubar um governo eleito pela força, porque daí é golpe”.

Para o ex-deputado pedetista, o avanço de “forças conservadoras”, como Araújo descreveu, deve-se em grande parte à incapacidade do PT em criar alternativa capaz de contemplar os interesses da sociedade, em sua amplitude. “O PT não soube conduzir uma nova aliança de classes”, criticou.

Araújo manifesta, ainda, forte preocupação com a tensão social provocada pela atual situação política. “Estou preocupado demais, porque os ânimos estão muito acirrados na sociedade. Posicionamento político está separando pessoas numa mesma família, causando tensão no trabalho e na escola. Há muita violência verbal. Espero que a gente tenha uma resposta democrática para isso”, concluiu. (Correio do Povo e Rádio Guaíba)

Carlos Araújo anuncia que processará a Revista Época por calúnia

Direito Economia Entrevistas Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

Conversei hoje com Carlos Araújo, no programa Agora/Rádio Guaíba. O ex-marido da presidente Dilma Rousseff,  disse que a matéria publicada nesse fim de semana pela Revista Época é caluniosa e representa o jornalismo marrom no País  porque não há nenhuma acusação e que não há provas de envolvimento na Operação Lava Jato. Araújo destacou que foi retratado como se fosse um corrupto na capa da revista. Em entrevista ao Programa Agora, disse que o presidente da Engevix ( Que durante a entrevista Araújo repetidas vezes chamou de “Engemix”) procurou ele três vezes tentando marcar uma audiência com a presidente Dilma, mas respondeu que não faz articulações nem exerce influência no governo da petista. Para ele, como não há nada que desabone a mandatária, estão atingindo pessoas próximas a ela. Questionou porquê os irmãos Marinho fugiram para Miami e reiterou sua idoneidade. Disse que ajuizará ação contra a revista e os jornalistas que escreveram a reportagem, que tem suas responsabilidades também.

Araújo reiterou que não tem o poder de marcar audiência com a presidente. Ao ser questionado sobre o envolvimento de amigos da família no caso, disse que são pessoas honestas e que não há nada o que os desabone. Confirmou que um jornalista da Época foi ao seu escritório para investigar o caso, mas foi expulso da sala depois de descoberta a armação. Ele disse acreditar que por trás dessas atitudes existe algum tipo de interesse político envolvendo a presidente.