Porto Alegre:  Beira-Rio recebe jogo amistoso entre Brasil e Honduras

Porto Alegre: Beira-Rio recebe jogo amistoso entre Brasil e Honduras

Agenda Cidade Destaque

Pela décima segunda vez, o Estádio Beira-Rio será palco de um jogo da Seleção Brasileira. No dia 9 de junho, o Brasil enfrenta a seleção de Honduras, em amistoso que antecede a Copa América 2019. No último confronto com os hondurenhos, em 2015, também na casa colorada, teve vitória brasileira por 1 a 0 com gol de Roberto Firmino. A iniciativa é uma parceria da Confederação Brasileira de Futebol – CBF, BRIO e o Sport Club Internacional. A partida integra o calendário de comemorações dos 110 anos do Inter e os 50 anos do Estádio Beira-Rio.

Os ingressos poderão ser adquiridos a partir desta terça-feira (4), das 10h às 18h, na bilheteria do Gigantinho, nas lojas Multisom e na Federação Gaúcha de Futebol, ou pelo site da CBF https://www.cbf.com.br. Os valores variam entre R$80 e R$450. Para quem for ao jogo de carro já pode reservar online sua vaga de estacionamento, acessando www.estapar.com.br/reservabeirario ou pelo aplicativo com o custo de R$40. Sócios do Inter têm 10% de desconto. No dia da partida, o valor sai por R$50. Confira abaixo o serviço completo do amistoso:

 

• Arquibancada Inferior (sem cadeiras / em pé): R$80 inteira
• Arquibancada Inferior (sem lugar marcado): R$150 inteira
• Arquibancada Superior (sem lugar marcado): R$150 inteira
• Cadeiras Coração do Gigante (sem lugar marcado): R$250 inteira
• Cadeiras Tribuna: R$350
• Cadeiras Camarote Superior: R$350
• Cadeiras Camarote Av. Padre Cacique: R$400
• Cadeiras Camarote Av. Edvaldo Pereira Paiva: R$450

 

Gigantinho

Avenida Padre Cacique, 891, das 10h às 18h

 

Multisom – Praia de Belas

Av. Praia de Belas, 1181 – loja 26 – Praia de Belas

Horário: 10h as 22h

 

Multisom – Iguatemi

Av. João Wallig, 1800 – Loja 109 – Passo D’Areia

Horário: 10h as 22h

 

Multisom – Andradas

Rua dos Andradas, 1546 – Loja 01/02 – Centro Histórico

Horário: 10h as 17h

 

Multisom Bourbon Ipiranga

Av. Ipiranga, 5200 – Loja 145 – Jardim Botânico

Horário: 10h as 22h

 

Federação Gaúcha de Futebol

Av. Ipiranga, 10 – Praia de Belas

Horário: 10h as 17h

 

Os proprietários de cadeiras perpétuas poderão adquirir um ingresso de Arquibancada Superior Livre (sem lugar marcado) com 50% de desconto. A venda ocorrerá até quinta-feira 06/06, na Bilheteria do Gigantinho, das 10h às 18h. A compra deve ser realizada pelo titular, sendo que cada cadeira perpétua dá direito a um ingresso com desconto. É necessária a apresentação da carteirinha na compra e no acesso ao jogo.

Valor do Ingresso Inteiro: R$ 150,00
Ingresso com 50% de Desconto: R$ 75,00

Artigo: Os desafios extras do treinador brasileiro; by Tinga

Artigo: Os desafios extras do treinador brasileiro; by Tinga

Artigos Destaque Esporte Trabalho

Os treinadores brasileiros são mais completos do que seus colegas de outros países. Não é uma opção, mas sim uma exigência imposta pela complexidade da gestão de quatro variáveis simultâneas e com pesos similares: diretoria, jogadores, jornalistas e torcida. Talvez os treinadores europeus e até mesmo os demais sul-americanos se defrontem com os mesmos fatores, mas aqui, no Brasil, a dificuldade é infinitamente maior, gerando uma distorção no exercício do cargo.

No Brasil, treinador tem que ser pai e amigo dos jogadores, segurar as broncas e os egos da diretoria, ser simpático com os jornalistas e representar a torcida. Tudo isso sendo um profissional, na essência, solitário. Tão solitário, que se a imprensa pressionar, os jogadores ficarem insatisfeito, a diretoria precisar de um bode expiatório ou a torcida se revoltar, o treinador cai – devido a cada a esses fatores, combinados ou isolados. A questão é tão desafiadora que leva a uma realidade estranha. O treinador brasileiro deve gerir quatro variáveis que podem derrubá-lo, mas tem poder limitado sobre elas.

A complexidade da função de treinador e o fato de os profissionais brasileiros serem mais completos não garante necessariamente vitórias. Às vezes, é o contrário. Ao investir energia na gestão dos humores e de outros fatores exageradamente emocionais, o treinador perde a oportunidade de focar no que realmente interessa: a busca do resultado dentro de parâmetros profissionais. Isso exige cobrança, autoridade e profissionalismo extremo de cada um dos atores envolvidos no futebol.

Estamos caminhando nessa direção. Ainda devagar, mas chegaremos lá. Até porque, cada vez mais, o esporte de alta performance não nos deixa outra opção.

 

imagesPaulo César Fonseca do Nascimento, Tinga

Semana no Senado terá votações de impeachment e da cassação de Delcídio. CPI que investiga denúncias contra CBF deve concluir trabalhos

Semana no Senado terá votações de impeachment e da cassação de Delcídio. CPI que investiga denúncias contra CBF deve concluir trabalhos

Notícias Poder Política

A semana começará cheia no Senado, com votações importantes sobre duas cassações de mandato. Os senadores se debruçarão sobre a análise da admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff – que, se for aceita, implicará no afastamento imediato dela do cargo – e da cassação do mandato do senador Delcídio do Amaral (Sem Partido-MS). Além disso, os membros da comissão parlamentar de inquérito que investiga denúncias contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) devem concluir os trabalhos, com a votação do relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR).

Diante da aprovação do relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) na Comissão Especial do Impeachment, na última sexta-feira, a previsão é que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), faça a leitura do resultado ao plenário nesta segunda-feira. Com isso, começará a contar o prazo de 48 horas para que a votação do parecer pela admissibilidade do processo seja marcada no plenário.

Assim, a sessão para discussão do parecer começará na próxima quarta-feira, mas a previsão é que a votação só ocorra na quinta-feira porque, se os senadores quiserem, o presidente poderá suspender a sessão na quarta-feira à noite e retomá-la no dia seguinte pela manhã. O tempo estimado apenas para a fase de discursos dos senadores é de 20 horas, mas o plenário ainda deve discutir questões de ordem que serão apresentadas pela base governista e o encaminhamento dos líderes. A previsão é que a votação ocorra pelo painel eletrônico, sem a chamada nominal que houve na votação da Câmara.

Delcídio

Antes da votação da admissibilidade do impeachment, no entanto, os senadores deverão se debruçar sobre outra questão relevante logo no início da semana: a cassação do mandato do senador Delcídio do Amaral. Na segunda-feira a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deverá aprovar o parecer do Conselho de Ética da Casa que recomenda a perda do mandato por quebra de decoro parlamentar, atestando a constitucionalidade do processo.

Com isso, o plenário poderá votar, na terça-feira, se cassa o senador, que foi flagrado em conversa com o filho do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, oferecendo propina e um plano de fuga para que Cerveró não firmasse acordo de delação premiada com o Ministério Público no âmbito da Operação Lava Jato. O próprio Delcídio, posteriormente, firmou esse tipo de acordo, no qual disse que a tentativa de atrapalhar as investigações foi feita a pedido do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma Rousseff.

CBF

Senado terá ainda que votar o relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito do Futebol. A previsão inicial é que o relatório seja votado na terça-feira, logo após ser lido aos membros da CPI. Diante do anúncio feito pelo presidente da comissão, Romário (PSB-RJ), de que apresentaria um voto em separado para ser também analisado, a votação pode ser adiada para vistas. (Agência Brasil)