Jornalista Milton Cardoso recebe título de Cidadão de Porto Alegre

Jornalista Milton Cardoso recebe título de Cidadão de Porto Alegre

Cidade Comunicação Destaque Porto Alegre

A Câmara Municipal da Capital entregou, na tarde desta terça-feira (7/11), o título de Cidadão de Porto Alegre ao jornalista Milton Batista Cardoso. A homenagem, em sessão solene presidida pela vereadora Mônica Leal (PP), teve a iniciativa do vereador Dr. Thiago Duarte (DEM).

Nascido no Rio de Janeiro e criado em São Leopoldo, Milton Batista Cardoso atua há mais de três décadas no jornalismo. O homenageado trabalhou em emissoras de televisão como o SBT, TV Manchete e Globo, e em jornais e revistas como Folha de São Paulo, Rede Capital, Rádio Nacional, Jovem Pan e Jornal do Brasil, além de ter participado de projetos de assessoria política, assessoria esportiva e marketing.

Outorga do Título de Cidadão de Porto Alegre ao jornalista Milton Batista Cardoso. Na foto, o homenageado e sua esposa Patrícia de Conto.
Milton Cardoso e sua esposa Patrícia de Conto. Foto: Andielli Silveira/CMPA

Cardoso desempenhou, também, por mais de uma década, a função de setorista no Congresso Nacional, no Palácio do Planalto e na Esplanada dos Ministérios, e atuou como correspondente internacional. Depois de atuar em diversos veículos no eixo Rio-São Paulo e em Brasília, Cardoso retornou ao Rio Grande do Sul, passando a integrar as equipes da Rádio Guaíba, TV Assembleia e, mais recentemente da Rede Bandeirantes, onde apresenta o Repórter Bandeirantes, com grande audiência.

Em sua fala, Dr. Thiago destacou o currículo do homenageado e os programas nos quais está à frente com a sua participação como apresentador, na Rádio Bandeirantes e TV Assembleia. “São uma rica fonte de formação, informação e esclarecimento, sempre com um jeito claro e objetivo de passar a mensagem sobre fatos do cotidiano”.

Dr. Thiago afirmou que é assíduo convidado a participar dos programas de Cardoso e isso já lhe rendeu reconhecimento em viagens que faz no interior do Estado, o que, segundo o vereador, comprova o alcance do sinal da Rede Bandeirantes pelo Rio Grande do Sul, “o que só acontece com quem sabe, com precisão, se conectar aos interesses do seu público”.

O parlamentar ainda citou um dos momentos mais destacados na carreira de Cardoso, quando o jornalista acompanhou a visita do papa João Paulo II ao Brasil. “Com a credencial da rádio Jovem Pan, ele esteve com o chefe da Igreja Católica nas cidades de Brasília, Belo Horizonte, Manaus e Belém, tendo sido este o seu primeiro contato, como jornalista, com o rádio, veículo de sua preferência”, lembrou Dr. Thiago, além de referir os prêmios Press, na categoria de Melhor Programa de Rádio, nos anos de 2011 e 2012, e de Jornalista do Ano, em 2013.

Ao se manifestar, Milton Cardoso salientou que incorporou e procura agir dentro dos princípios de ética e independência transmitidos pela emissora para a qual trabalha por acreditar neles. Citou como exemplo o fato da Bandeirantes, na década de 80, ter sido a emissora que deu guarida aos defensores da campanha pelas Diretas Já, entre outras causas e demandas da sociedade. Também que a emissora está, hoje, imbuída em resgatar pautas positivas, “que elevem a autoestima dos gaúchos e porto-alegrenses”.

Milton Cardoso fez referência a vários políticos, muitos dos quais presentes ao ato solene, e que já não fazem mais parte do cenário político como referência de ética. E citou o senador Pedro Simon (PMDB) para dizer que eles fazem falta no atual Congresso. Declarou ser um apaixonado pela análise política, “daqueles que fica até a madrugada lendo e estudando” e que, portanto, chegou à conclusão de que o atual sistema está falido, independente de quem esteja no comando do Palácio do Planalto. “Não há mais como admitir um modelo com 513 deputados federais com 25 cargos cada um, suplentes de senador, e nós trabalhando para pagar essa conta”. Finalizou dizendo que está com “tolerância zero” e, portanto, apelou aos presentes que não reeleja quem tem mandatos em Brasília, “com raríssimas exceções”.

Ao encerrar a cerimônia, Mônica Leal ressaltou a sua gratidão por poder fazer parte de um momento tão importante para um colega jornalista. Ainda que esse é um reconhecimento do Legislativo de Porto Alegre ao profissional e à pessoa de Cardoso, que só do Repórter Bandeirantes completou 10 anos, “sempre com boa informação, debate de ideias e temas que interessam à cidade”.

Falaram em apartes, os vereadores Reginaldo Pujol (DEM), Cassiá Carpes (PP), João Bosco Vaz (PDT), Comandante Nádia (PMDB), João Carlos Nedel (PP), Ricardo Gomes (PP), Valter Nagelstein (PMDB) e Clàudio Janta (SD). Fizeram parte da mesa dos trabalhos, além de Mônica Leal e o homenageado, a esposa de Cardoso, Patrícia De Conto; o secretário de comunicação do Estado, Cléber Benvegnú; o deputado Marcel Van Hattem; o desembargador Sérgio Fernando de Vasconcellos Chaves; o ex-senador Pedro Simon; o prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal; e o presidente do Conselho Deliberativo da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), João Batista de Melo Filho.

 

Tinga receberá Título de Cidadão de Porto Alegre

Tinga receberá Título de Cidadão de Porto Alegre

Agenda Cidade Esporte Notícias Poder Política Porto Alegre
A Câmara Municipal de Porto Alegre concederá na próxima terça-feira (26/4), às 19 horas, no Plenário Otávio Rocha, o Título de Cidadão Emérito de Porto Alegre ao ex-jogador de futebol Paulo Cesar Fonseca do Nascimento, mais conhecido como Tinga. Proposta pelo vereador Valter Nagelstein (PMDB), a homenagem é fruto do reconhecimento de sua trajetória profissional no futebol, que, segundo Nagelstein, “primou pela excelência e, para além do esporte, reivindicou igualdade e conscientização contra o racismo”.
De acordo com Nagelstein, no dia 14 de fevereiro de 2014, durante o segundo tempo da partida entre o Cruzeiro (Belo Horizonte) e o Real Garcilaso, na primeira rodada da Copa Libertadores da América de 2014, no Peru, Tinga foi alvo de ações de racismo por parte da torcida peruana. “Quando o jogador do Cruzeiro tocava na bola, a torcida do Garcilaso imitava o som de macacos. Após o término da partida, Tinga lamentou o ocorrido e afirmou que trocaria todos os seus títulos por igualdade”, relata o vereador. O Projeto de Lei lembra que, em 2005, Tinga já havia sido vítima da prática de racismo, quando jogava pelo Sport Club Internacional.
 
Trajetória 
 
Nascido em Porto Alegre, no dia 13 de janeiro de 1978, no Bairro Restinga, na Zona Sul de Porto Alegre, Paulo César Tinga começou sua carreira no Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, no qual disputou três edições da Copa Libertadores da América e conquistou, entre outros títulos, a Copa do Brasil, em 1997 e 2001. Depois, jogou pelo Kawasaki Frontale (Japão) e pelo Botafogo (ambos por empréstimo junto ao Grêmio), retornou ao Tricolor Gaúcho e, em 2004, foi vendido ao Sporting (Portugal).
Em 2005, Tinga retornou ao futebol brasileiro para jogar no Internacional. Em 2006, o jogador se apresentou ao Borussia Dortmun (Alemanha) e, em maio de 2010, se despediu do clube, para retornar  ao Internacional, no qual conquistou novamente a Copa Libertadores da América em 2010 e o Campeonato Gaúcho em 2011, além da Recopa Sul-Americana de 2011.  Em 2012, Tinga atuou no Cruzeiro Esporte Clube de Minas Gerais, onde encerrou sua carreira.