Cruz Alta forma mais uma turma no Curso Técnico em Agronegócio

Agronegócio Economia Educação Negócios Notícias

 

O Rio Grande do Sul contará com 85 novos técnicos em Agronegócio, formados pelo SENAR-RS, aptos a atuar em propriedades rurais, indústrias e serviços ligados ao meio rural neste mês. São duas novas turmas que concluíram a formação de dois anos nos polos de Cruz Alta, que ocorre nesta sexta, 22 e março e em São Sepé, que ocorre dia 29.

O principal objetivo do programa  é formar e qualificar profissionais para a aplicação dos procedimentos de gestão e comercialização do agronegócio, com ênfase na variedade de segmentos e cadeias produtivas do Brasil.

A formanda Karina Marques Wolf credita a entrada no mercado de trabalho ao fato de estar buscando mais qualificação: “Foi fundamental o fato de este curso ser realizado parcialmente à distância, porque eu não teria como frequentar diariamente o Polo e trabalhar em Santa Maria. O material fornecido para o estudo é de altíssima qualidade e os professores estavam sempre nos incentivando a ler e participar. É algo que a região estava precisando, porque existe muito potencial”, afirma Karina.

No polo de São Sepé será a primeira vez que uma turma conclui o curso, mas antes mesmo de receber o certificado, os formandos já estão colocando os conhecimentos em prática. Todos estarão aptos para exercer função técnica, e colocar em prática os conhecimentos adquiridos.

A formatura em São Sepé acontece na próxima sexta, dia 29 de março.

Boas práticas na produção de trigo é tema de seminários promovidos pela Farsul

Boas práticas na produção de trigo é tema de seminários promovidos pela Farsul

Agenda Agronegócio Destaque Expointer Negócios Poder Política

O trigo será tema de quatro etapas do Fórum Permanente do Agronegócio. Ijuí (27/09), Santa Rosa (28/09), Passo Fundo (04/10) e Cruz Alta (21/10) recebem o seminário Boas Práticas na Produção de Trigo: Oportunidades e desafios para a cadeia tritícola. A finalidade do evento é desencadear um processo que garanta segurança ao produtor e à sociedade desse produto que está presente diariamente na alimentação humana.

Nos últimos dois anos, o excesso de chuva, além de incidência de geada, fizeram com que alguns produtores utilizassem a técnica de dessecação para a uniformização da lavoura às vésperas da colheita. Entretanto, além de não aconselhado, o método só pode ser feito com produtos recomendados. Se não for feito de forma correta, o procedimento corre o risco de deixar contaminantes no processo de manipulação do trigo.

Preocupados com isso, o Ministério Público junto com Ministério da Agricultura e Secretaria da Agricultura, irão realizar forte fiscalização nas plantações com o objetivo de coibir a prática da dessecação com produtos não recomendados. Procedimento semelhante já vem acontecendo no Paraná, onde já há registro de triticultores que foram autuados e lavouras interditadas.

Para evitar situações semelhantes no Rio Grande do Sul, a Farsul, apoiada por outras entidades, promoverá as quatro edições do evento. O presidente da Comissão do Trigo da Federação, Hamilton Jardim, destaca que “A Farsul saiu na frente, ainda em tempo de corrigir algum problema nesta safra, o que particularmente não acredito que exista. Neste ano ela vem numa condição bem melhor do que foram as duas últimas. Talvez essa prática não seja tão usada”, comenta.

O dirigente destaca que, com a programação que inicia na próxima semana e encerra durante a edição da Fenatrigo, o objetivo é “alertar o produtor rural e os formadores de opinião de que nós deveremos, se não estancar esse processo, diminuir drasticamente. Para isso se fez uma programação junto com a Câmara Setorial Estadual do Trigo e demais apoiadores”, explica Jardim.

Cada edição do fórum terá a presença de auditores fiscais do Ministério e Secretaria da Agricultura, técnicos da Embrapa Trigo e Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas, além representantes da Acergs, Fecoagro e Sinditrigo. Eles falarão sobre o controle de contaminantes, tecnologia de produção e manejo e segregação. “A gente espera chegar aos produtores rurais justamente num ano que a safra está se configurando bastante boa. Mas é uma safra preocupante, porque nós teremos excesso de oferta tanto no estado, quanto no Paraná e Mercosul. Se o produtor não primar pela qualidade, ele pode ter preços bastante baixos que é um risco já inerente a toda a cadeia do trigo”, .

Os eventos acontecem sempre no turno da manhã com início às 9 horas e entrada gratuita e sem a necessidade de inscrição antecipada. Mais informações podem ser obtidas nos sindicatos rurais locais. O Fórum Permanente do Agronegócio é uma realização do Sistema Farsul. O seminário Boas Práticas na Produção de Trigo: Oportunidades e desafios para a cadeia tritícola tem o apoio da Embrapa, Fecoagro, Acergs, Emater, Seapi, Fetag, SDR, Mapa, Crea, Sargs, Sinditrigo e Senai.

 

Calendário:

27 de setembro – Ijuí

Casa do Produtor – Parque de Exposições Vanderlei Burmann

 

28 de setembro – Santa Rosa

Parque de Exposições Alfredo Leandro Carlson

 

04 de outubro – Passo Fundo

Embrapa Trigo

 

21 de outubro – Cruz Alta

Parque de Exposições do Sindicato Rural

Amante é condenado a indenizar casal por divulgar vídeo íntimo em Cruz Alta

Amante é condenado a indenizar casal por divulgar vídeo íntimo em Cruz Alta

Comportamento Comunicação Cultura Direito Direito do Consumidor Economia Notícias Vídeo

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul determinou que um amante pague danos morais a um casal de Cruz Alta, pela divulgação de vídeo íntimo. O réu foi condenado a pagar R$ 8 mil à mulher e R$ 4 mil ao marido dela para que “repense a maneira que utiliza os canais disponíveis na internet”.

O relator, desembargador Carlos Eduardo Richinitti, votou pelo provimento parcial à apelação dos autores, concedendo a extensão dos danos ao marido da vítima, mas negando o aumento do valor a ser indenizado. O magistrado ainda negou a apelação do réu, que alegou consentimento da autora com as gravações. O voto do relator foi acompanhado, na íntegra, pelos desembargadores Iris Helena Medeiros Nogueira e Eugênio Facchini Neto.

Conforme apurado na ação, durante crise conjugal vivenciada pelos autores da ação, a mulher e o réu se encontraram em um motel da cidade. As partes, que já haviam namorado anteriormente, gravaram um vídeo consentido na ocasião.

No entanto, sem autorização da mulher, o homem divulgou as imagens no YouTube e no Facebook, com o título “escapadinha no motel”. Além disso, o réu enviou a gravação para conhecidos do casal.

Na análise do processo, o relator, desembargador Richinitti, considerou que “nunca houve consentimento da autora para que os vídeos fossem divulgados”. O magistrado ainda reconheceu a pouca relevância do fato de ter havido consentimento sobre a realização das imagens. Foi constatada violação do direito de privacidade da vítima, que nutria relação de confiança com o réu. Também foi “evidenciado o dano indireto sofrido pelo marido, constrangido com a revelação de ter sido traído pela companheira, passando a ser conhecido na comunidade por apelido pejorativo”, conforme o desembargador. (Correio do Povo)