PMDB, PTB, PP e DEM querem presidir Parlamento da Capital e PT reage; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

PMDB, PTB, PP e DEM querem presidir Parlamento da Capital e PT reage; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

Agenda Cidade Destaque Direito Poder Política Porto Alegre

Já é pública a informação de que quatro partidos firmaram acordo estabelecendo um rodízio para presidir a Câmara Municipal de Porto Alegre a partir do próximo ano. Pelo combinado, ficou definido que PMDB, PTB, PP e DEM se revezarão no comando da Casa nos próximos quatro anos. O vereador Valter Nagelstein, do PMDB, deve ser o presidente em 2107, seguido de Elizandro Sabino, do PTB, em 2018. Já o PP definirá entre Mônica Leal ou José Carlos Nedel pra 2019 e, em 2020, Reginaldo Pujol será o presidente pelo DEM.

Entretanto, as bancadas mais volumosas do próximo mandato são: PMDB (cinco vereadores) e PP, PTB e PT (todos com quatro vereadores). Ou seja, o DEM não faz parte deste leque e, tradicionalmente, o rodízio sempre envolveu as quatro maiores bancadas. O que ocorre é que normalmente as quatro bancadas mais numerosas atingem a maioria absoluta da Casa, de 19 vereadores. Porém, na próxima legislatura, elas vão contabilizar 17.

Esta situação abriu uma brecha para o acordo estipulado e, com isso, o PT ficou de fora do rodízio rompendo a tradição do comando da Câmara Municipal permanecer sobre o alcance das quatro maiores bancadas. O DEM formou um bloco com partidos com um ou dois vereadores para se alçar ao posto. A expulsão do PT do rodízio não foi aceita por vereadores da sigla.

Sofia Cavedon, do PT, já chegou a presidir a Casa e a parlamentar sustenta que nada justifica a exclusão da legenda. Segundo ela, acordos sem transparência ou diálogo não resistem aos preceitos do Parlamento, que é proporcional, conforme regimento interno. Já Adeli Sell, também do PT, subiu o tom e voltou a declarar que este fato é inaceitável.

“A sensatez ao respeitar o regimento interno deve imperar e situações casuísticas não serão aceitas. Não somos contra formação de blocos, mas não se pode romper uma tradição sem um diálogo aberto e a anuência dos envolvidos”, lamentou.

Adeli mantém contato com lideranças do PSB, PSD e PROS, que teriam se aproximado do DEM para dar sustentação à presidência do democrata Reginaldo Pujol.

Rodrigo Maia diz para Rádio Guaíba que sistema eleitoral está falido

Economia Notícias Poder Política

 

Em uma rápida entrevista exclusiva ao Programa Agora da Rádio Guaíba, o novo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que quer debater a reforma política com líderes dos partidos. Para ele, o sistema está falido a e a ideia é que os parlamentares cedam em suas posições para a criação de um novo sistema político brasileiro.

Maia disse que a pauta que prevê a cassação de Eduardo Cunha não é a mais importante da atualidade, mas a ideia é fazer com que 450 deputados da Casa colaborem para a solução do impasse envolvendo o ex-presidente da Casa. Ao ser questionado sobre a reforma da Previdência, disse que o texto ainda não chegou a plenário e na melhor das hipóteses o debate sobre o tema deve avançar até dezembro.Em entrevista ao Programa Agora da Rádio Guaíba, Maia destacou que até o fim do primeiro semestre de 2017 a reforma deve estar votada.

Maia destacou que a ideia é avançar as pautas de interesse do país por meio do diálogo. Deixou claro que a pauta com a base do governo é a superação da crise econômica. Ante a chegada das eleições em outubro, o presidente da Câmara disse que até setembro os trabalhos serão levados normalmente.

Eleições 2016: DEM quer Doutor Thiago Duarte como vice da chapa que apoiar

Eleições 2016: DEM quer Doutor Thiago Duarte como vice da chapa que apoiar

Cidade Eleições 2016 Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

Depois da retirada da candidatura de Onyx Lorenzoni para prefeitura de Porto Alegre, o DEM procura assegurar a cadeira de vice na chapa que coligar. Hoje o Partido divulgou uma nota com o seu nome preferido do para o cargo nas Eleições de outubro:

“Chegamos a uma opção viável para a saúde e a política de Porto Alegre. O DEMOCRATAS Porto Alegre, apresenta o nome de seu correligionário Doutor Thiago Duarte, um dos vereadores mais votados da última eleição para compor a chapa como vice-prefeito, nas conversações que estão sendo mantidas com os vários partidos concorrentes ao pleito de outubro. O Dr. Thiago Duarte é formado em Medicina UFRGS, ingressou por concurso público na Prefeitura Municipal de Porto Alegre trabalhando inicialmente na Unidade de Saúde da Restinga e Unidade de Saúde do Lami onde permaneceu lotado até início de 2005. Também é Bacharel em Direito pela PUC em 2007. Realizou exame da OAB RS em 2008 obtendo aprovação. Desde o início de 1999 é professor de Medicina Legal para o direito na UFRGS. Dr. Thiago Duarte é o nome que o DEMOCRATAS apresenta para vice-prefeito nas eleições 2016.”

Ônyx Lorenzoni analisa renúncia e sucessão de Eduardo Cunha

Notícias Poder Política

A renúncia de Eduardo Cunha à presidência da Câmara tem desdobramentos imediatos. Parlamentares denunciam que esse movimento de Cunha seria uma manobra para adiar o processo de cassação do mandato. Ele já conseguiu uma primeira medida favorável: o adiamento da votação do recurso dele na Comissão de Constituição e Justiça.

A renúncia de Eduardo Cunha à presidência da Câmara não deveria parar o processo de cassação do mandato dele. O processo tem que seguir normalmente, como prevê o regimento da Câmara. Mas Cunha e aliados operam para que a renúncia seja retribuída com o perdão político para o acusado de mentir sobre contas na Suíça. Com a boa vontade do Palácio do Planalto, tentam trocar o ato desta quinta-feira (7) por uma vitória na Comissão de Constituição e Justiça. E já deram o primeiro passo.

Como parte do acordo, Cunha apresentou um novo pedido à Comissão de Constituição e Justiça, alegando que todo o processo no Conselho de Ética foi decidido com base no fato de ele ser presidente da Câmara, e agora, que ele não tem mais o cargo, o processo, no argumento de Cunha, teria que ser refeito. O presidente da CCJ, Osmar Serraglio, adiou a reunião da comissão de segunda (11) para terça-feira (12). Na prática a comissão pode decidir simplesmente devolver o caso para o Conselho de Ética. Conversei com Ônyx Lorenzoni(DEM) sobre isso e também a sucessão de Eduardo Cunha.

Porto Alegre: Depois de deixar a TV Farid Germano Filho prepara candidatura para Câmara de Vereadores

Porto Alegre: Depois de deixar a TV Farid Germano Filho prepara candidatura para Câmara de Vereadores

Notícias Poder Política

O jornalista Farid Germano Filho anunciou  na sexta-feira, 24, sua saída da TVE. Ele fez o comunicado no encerramento do programa Plano de Jogo. Este ano o comunicador completou três décadas de 13240651_256797941375711_5359381212312967345_n-600x450jornalismo iniciados em Cachoeira do Sul e com passagens pelos principais veículos de comunicação do Rio Grande do Sul.

13550991_1770088823210113_2009947168_n
Farid Germano Filho com José Ivo Sartori

Farid disse que sai com o coração dividido e que foi uma decisão difícil, porém consciente. O jornalista esteve por pouco mais de um ano na TVE. Farid será candidato a vereador em Porto Alegre, pelo DEM nas eleições. Nos últimos dias ele tem se reunido com o pré-candidato do DEM, Ônyx Lorenzoni para dar sugestões no programa de governo do partido a prefeitura de Porto Alegre e também ouvir conselhos sobre como montar uma boa estrutura para a campanha eleitoral. Atrás de conselhos e também para agradecer o convite para trabalhar na TVE, Farid se reuniu esta manhã com o governador José Ivo Sartori, no Palácio Piratini.

Ministro do STF quebra sigilos fiscal e bancário de Agripino Maia

Ministro do STF quebra sigilos fiscal e bancário de Agripino Maia

Direito Notícias Poder Política

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso determinou a quebra dos sigilos fiscal e bancário do senador José Agripino Maia (DEM-RN) e de mais dez pessoas e cinco empresas ligadas ao parlamentar, que é presidente do DEM. Em outubro do ano passado, o STF abriu um inquérito contra o senador. A Procuradoria-Geral da República (PGR) utilizou mensagens apreendidas pela Polícia Federal no celular de um dos executivos da empreiteira OAS, José Aldelmário Pinheiro, condenado na Operação Lava Jato, para embasar o pedido de abertura de inquérito contra Agripino. O senador é investigado pelo suposto recebimento de dinheiro da empreiteira OAS, responsável pela construção da Arena das Dunas, estádio construído em Natal para Copa do Mundo de 2014.

A PGR pede a quebra dos sigilos de 2010 a 2015. De acordo com o pedido, há elementos nos autos que indicam que “os fatos se relacionam a complexo esquema de recebimento e repasse de valores ilícitos para várias pessoas, mediante a utilização de diversas empresas, com a finalidade de ocultar a origem e o destino final dos recursos envolvidos. Nesse contexto, mostra-se essencial à descoberta da verdade o acesso aos dados fiscais e bancários dos implicados na situação”.

A quebra de sigilo bancário e fiscal foi decidida por Barroso no último dia 7 e atende a um pedido feito pela PGR no mês passado. De acordo com a decisão, a PGR demonstrou que as provas apontam indícios de lavagem de dinheiro.

“Com efeito, há nos autos informações de operações financeiras realizadas pelo investigado que consubstanciariam indícios da prática de lavagem de dinheiro. Como explicitado pelo Procurador-Geral da República, estes elementos, aliados aos demais indícios coletados, recomendam o aprofundamento da investigação com o deferimento da medida requerida”, diz a decisão.

No pedido feito ao STF, a PGR lista familiares, empresas, assessores e ex-assessores do senador, que também terão os sigilos bancário e fiscal quebrados. O deputado federal Felipe Maia, filho de Agripino, está entre os citados.

Por meio de sua assessoria, Agripino Maia disse que a quebra de sigilo vai ajudar no esclarecimento dos fatos e mostrar “a falta de fundamento” das acusações. “Tenho certeza que tornarão clara a improcedência da acusação que me é feita, de conduta irregular na construção da Arena das Dunas.”

A assessoria do deputado Felipe Maia também informou que a medida será positiva para o esclarecimento da denúncia. “A quebra dos meus sigilos fiscal e bancário, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, contribuirá para esclarecer em definitivo os fatos investigados e comprovará a falta de fundamento e consistência das acusações feitas contra o senador José Agripino e pessoas ligadas a ele”, disse. (Agência Brasil)

Onyx fala sobre ação contra Lula no ministério e citação ao PFL na delação premiada de Delcídio

Direito Notícias Poder Política

Conversei hoje no programa Agora/Rádio Guaíba, com o  deputado federal Onyx Lorenzoni (Dem). Ele explicou que o partido preparou ações populares no sentido de contestar eventual nomeação do presidente Lula como ministro na Secretaria Geral de Governo, baseado na lei 4.717 que determina que se anule por pleno direito por ser considerada um verdadeiro drible na lei, que mesmo havendo a nomeação, não acompanha a alteração do fórum, segue o mesmo da ação original. Disse que a medida cautelar é devido à evidência de que a intenção é blindar Lula de dar as devidas explicações na justiça. Se for tomada essa decisão fica evidente que o governo acabou e que não vê mais chance de continuar. Disse que seu partido toma a iniciativa de confrontar “essa quadrilha que tomou conta do Brasil”.

Na entrevista ao Agora, o deputado disse acreditar na celeridade da Justiça, mas evidentemente é preciso aguardar a nomeação para ingressar com a ação. Do contrário ela será desconsiderada. Ao ser questionado sobre o envolvimento de parlamentares do antigo PFL, que deu origem ao atual Democratas, Onix foi claro ao dizer que não passa a mão na cabeça de ninguém, afirmando que eventualmente pessoas cometerem irregularidades ou ato de corrupção serão colocados para a rua, diferentemente de outros partidos, como o PT, que colocam a sujeira para debaixo do tapete.

Deputados Onyx Lorenzoni e Henrique Fontana trocam farpas em debate sobre processo de impeachment contra Dilma. Confronto de ideias ocorreu durante o Programa Agora, da Rádio Guaíba

Notícias Poder Política

Os deputados federais Onyx Lorenzoni (Dem) e Henrique Fontana (PT) debateram, no Programa Agora da Rádio Guaíba, a aprovação do pedido de abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em rito que pode marcar a saída da chefe de Estado do poder. Onix abriu sua participação dizendo que durante muito tempo o presidente da Câmara usou seu cargo para fazer um jogo político para ganhar tempo e minimizar os problemas que enfrenta por suspeição de ter conta secreta no exterior e de ter mentido para uma CPI. “Cunha ficou retardando ilegalmente o processo durante meses para apresentar nesse momento o documento formulado por juristas pedindo a saída de Dilma”, destacou. O parlamentar lembrou que é preciso ter o apoio de 342 parlamentares pelo impeachment, necessitando convencer uma parcela importante da base do governo de que fechou um ciclo político no país.

Henrique Fontana, por sua vez, denunciou a defesa de um posicionamento pelo golpe institucional. “Acho que boa parte da oposição tem compromisso democrático”, destacou. Fontana falou mais uma vez que a presidente Dilma tem uma história de honradez e uma trajetória política ilibada, mas admitiu que muitas pessoas estão desgostosas em relação aos resultados da economia. Destacou que o movimento pela saída de Dilma do cargo poderá causar prejuízos incalculáveis ao país a médio e longo prazo. “Acho que esse movimento não terá legitimidade”, afirmou.

Oposição quer Lulinha na CPI

Oposição quer Lulinha na CPI

Notícias Poder Política

A oposição quer levar Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho mais velho do ex-presidente Lula, ao Congresso Nacional para explicar a acusação de que teve despesas pessoais pagas pelo lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano. Conforme revelou ontem o colunista Lauro Jardim, no GLOBO, o lobista afirmou em delação premiada ter feito pagamentos de R$ 2 milhões a Lulinha. Confira a reportagem completa em O Globo.