Manifestantes pró-governo se reúnem em frente a residência de Dilma em Porto Alegre. Presidente veio à Capital passar o dia das mães com a filha e os netos; Claudio Isaías/Correio do Povo

Manifestantes pró-governo se reúnem em frente a residência de Dilma em Porto Alegre. Presidente veio à Capital passar o dia das mães com a filha e os netos; Claudio Isaías/Correio do Povo

Cidade Notícias Poder Política
Grupo de manifestantes favoráveis ao governo se reúnem em frente a residência de Dilma em Porto Alegre | Foto: Claudio Isaías / Especial / CP
Grupo de manifestantes favoráveis ao governo se reúnem em frente a residência de Dilma em Porto Alegre. Foto: Claudio Isaías / Especial / CP

Cerca de 50 pessoas se reuniram na frente do prédio da presidente Dilma Rousseff na zona Sul de Porto Alegre, na manhã deste domingo. O grupo de manifestantes é favoravel a permanência de Dilma no governo e por volta das 9h chegaram ao local para manifestar apoio à presidente. Eles levaram flores e mensagens de apoio a Dilma, em especial cartazes com homenagem ao dia das mães.

A presidente Dilma chegou em Porto Alegre no início da noite desse sábado para passar o feriado de dia das mães junto da filha e dos netos, na zona Sul da Capital.

Dilma passa o Dia das Mães em Porto Alegre

Dilma passa o Dia das Mães em Porto Alegre

dilma Notícias Poder Política

Após participar de uma cerimônia que marcou a entrega de projetos ligados à agropecuária, aquicultura e educação, em Palmas, no Tocantins, a presidente Dilma Rousseff embarcou hoje para Porto Alegre, onde chegou no início da noite. Ela passa o Dia das Mães junto da filha e dos netos, na zona Sul da cidade. A agenda no Tocantins ocorreu em meio ao cronograma elaborado pelo Palácio do Planalto para entrega de obras e projetos antes de o Senado analisar a admissibilidade do processo de impeachment contra a petista, na semana que vem. Hoje, Dilma voltou a afirmar

Palmas - TO, 07/05/2016. Presidenta Dilma Rousseff durante Cerimônia de Inauguração da Embrapa Pesca e  Aquicultura. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Presidenta Dilma Rousseff durante Cerimônia de Inauguração da Embrapa Pesca e Aquicultura. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

que o processo de impeachment é uma tentativa de golpe e disse que vai “resistir até o fim”. A presidente destacou que o pedido de afastamento é motivado pelo fato de ela ter escolhido gastar o dinheiro do governo com os mais pobres. “Nós fizemos escolhas porque o dinheiro é finito, então, você tem de escolher onde gastar. Nós escolhemos ampliar o gasto na agricultura, na produção e nos programas sociais. Na área da agricultura familiar e assentamentos, nós saímos de menos de R$ 2,5 bilhões para R$ 30 bilhões. Na agricultura comercial, nós saímos de menos de R$ 25 bilhões para R$ 202 bilhões [de estímulos econômicos]. Nós fizemos, de fato, uma escolha diferente da dos nossos antecessores”, afirmou.

Para a presidente, o que está ocorrendo no país, “mais que um golpe, é uma tentativa clara de fazer uma eleição indireta para colocar no governo quem não tem voto suficiente para lá chegar”. Segundo ela, o novo governo a ser formado, caso ela seja afastada, pretende reduzir o Bolsa Família aos 5% mais pobres do país, o que significa 10 milhões de pessoas. Atualmente, o programa atende a 46 milhões de brasileiros. “O foco é tirar do Bolsa Família 36 milhões de pessoas. Isso porque eles sabem que o gasto do Bolsa Família é de menos de 1% do PIB, um dos menores do país. E aí querem fazer economia com o dinheiro dos pobres? Jamais se elegeriam”, afirmou.

Dilma também voltou a dizer que é honesta, além de não ter contas no exterior nem receber dinheiro de propina. Para ela, como não era possível apontá-la como criminosa por isso, tentou-se criar um fato em torno da edição de decretos que “todos os outros governos também fizeram”. “São decretos que dão recursos para o Tribunal Superior Eleitoral fazer concurso, para o Ministério da Educação pagar hospitais, para o Ministério da Justiça complementar recursos para escoltas. Não são recursos que a presidência pegou para ela”, disse.

Ela também voltou a alegar que não participou das definições sobre o Plano Safra em 2015 porque a lei determina que isso seja feito pelo ministro da Fazenda. “Ora, o que está em questão são atos que eu sequer participei. Todos atos que são regulares, mas além disso eu não estive em nenhum deles”, disse. No discurso, a presidente disse ainda que o novo governo não vai ter condição de “quebrar” todos os programas sociais, mas alertou o público presente de que “eles vão tentar”. Ela conclamou as pessoas a lutarem pelos direitos que conquistaram. “Nós todos temos que lutar para que não haja retrocesso. Eu tenho de lutar contra o impeachment, e vocês tem que defender o interesse de vocês. Nós temos que lutar pela democracia”, disse.

Kátia Abreu chama ex-ministros de traidores 

Palmas - TO, 07/05/2016. Presidenta Dilma Rousseff durante Cerimônia de Inauguração da Embrapa Pesca e  Aquicultura. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Presidenta Dilma Rousseff e Ministra da Agricultura Katia Abreu. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Antes da fala da presidente Dilma em Palmas, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, também discursou e voltou a defender o governo. Após declarar que se sente orgulhosa de Dilma, Kátia Abreu repreendeu os ex-ministros do governo que votaram a favor da continuidade do processo de impeachment na Comissão Especial do Senado e os acusou de traidores.

“Esses políticos que até ontem eram ministros de vossa excelência, que foram ministros durante cinco anos do seu governo, agora lhe viram as costas, lhe enfiam a faca pelas costas. Mas antes usufruíram do seu mandato”, disse a ministra.

A ministra concluiu o discurso citando a frase “não toque os pés no barco que te ajudou a atravessar o rio”, em uma referência ao que ela considerou uma “deslealdade” com a presidente. (Rádio Guaíba e Agência Brasil)

Frio aquece as vendas para o Dia das Mães. A data deve movimentar cerca de R$ 378 milhões para o comércio do Rio Grande do Sul.

Frio aquece as vendas para o Dia das Mães. A data deve movimentar cerca de R$ 378 milhões para o comércio do Rio Grande do Sul.

Cidade Comportamento Economia Negócios Notícias

A data mais importante para o varejo, após o Natal, o dia das mães, deve movimentar cerca de 378 milhões para o comércio do Rio Grande do Sul. Segundo pesquisa realizada pela Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, 77,2% dos entrevistados comprarão presentes alusivos à data. Para o presidente da AGV, Vilson Noer “a importância da data das mães e o clima de inverno supera qualquer crise”. As mães e esposas receberão mimos de 84,2% e as sogras de 37,9%. Além delas, avós, irmãs e madrastas também apareceram na lista de presenteadas em 2016. Roupas 45,7%, cosméticos 18,1%, acessórios 16%, calçados 14,9%, lideram as intenções de compra, juntamente com “o que ela pedir”. Noer destaca que “nessa pesquisa, o que podemos  perceber é que o momento atual da economia fez com que as pessoas diminuíssem seus gastos médios, mas mesmo assim irão comprar alguma lembrança para suas mães, com um tíquete médio de R$ 107,00”.

O cartão de crédito foi apontado pela maioria como forma de pagamento preferida (53,7%), seguido de dinheiro (42,1%) e do cartão de débito (13,7%). Cerca de 79,8% dos gaúchos participantes farão as compras em lojas de rua. A semana que antecede o dia das mães é a escolhida por 60,4% das pessoas para fazerem as compras. A imensa maioria, 85,2% dos gaúchos fará surpresa no presente. Mas, 12,9% das mães escolherá o que quer ganhar.