Duda Melzer no Clube de Opinião; por Julio Ribeiro/Adonline

Duda Melzer no Clube de Opinião; por Julio Ribeiro/Adonline

Cidade Comunicação Cultura Direito do Consumidor Economia Entrevistas Negócios Notícias Poder Política Vídeo

 

 

O presidente do Grupo RBS, Duda Melzer, esteve reunido hoje com integrantes do Clube de Opinião de Porto Alegre. Falou sobre vários assuntos. Abaixo, o texto assinado pelo presidente do Clube de Opinião, Julio Ribeiro (Revista Press/Advertising) e publicado no site Adonline. Duda negou veementemente que exista alguma possibilidade que a RBS Rio Grande do Sul seja vendida. “Isto é uma grande bobagem que se diz.” Confira acima na íntegra a resposta dele ao questionamento feito por Juliano Tonial (Band).

===================================================

Muito interessante, simpático e produtivo o encontro que os jornalistas do Clube de Opinião do RS tiveram nesta terça-feira, no Plaza São Rafael, em Porto Alegre, com o presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS, Eduardo Melzer.

Durante as duas horas do encontro, que contou com a participação de 20 jornalistas, Duda falou de sua carreira e trajetória pessoal até chegar ao mais alto posto do grupo de comunicação gaúcho e respondeu, sem qualquer restrição, a todas as perguntas feitas pelos participantes do Clube.

A seguir, algumas das coisas que foram ditas por ele:

AZAR OU SORTE
Perguntado se não se sentia azarado por ter assumido a direção do Grupo, justamente quando a indústria da comunicação passa por uma crise conceitual no mundo todo, com os negócios de mídia sendo colocados de cabeça pra  baixo, Duda disse se sentir super privilegiado por estar nesta posição, neste momento. “Tenho condições de liderar nosso grupo neste momento” frisou, ao salientar que se preparou durante muito tempo para esse desafio.

SONHO DE GURI
Ele disse que seu maior sonho sempre foi, um dia, trabalhar na RBS. Foi um sonho alimentado, diariamente, no convívio com o avô, Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador da empresa, com quem aprendeu, durante cerca de 14 anos, os princípios que continuam norteando as ações e a postura da RBS.

Mas, antes de chegar a ocupar um cargo na empresa, teve que empreender seu próprio negócio (franquias  da Swet Swet Way), estudar fora do país e iniciar uma carreira no exterior. A primeira proposta de trabalho da RBS só veio quando ele tinha 30 anos e trabalhava em Nova York. “Naquele momento, no entanto, a proposta era para um cargo com escopo muito reduzido e me causou uma reversão de expectativas”, disse ele. Só dois anos depois, foi desafiado a assumir a direção do escritório paulista do Grupo. Não apenas aceitou o cargo, como teve, a partir dele, mostrar que era capaz de voos mais altos dentro da empresa.

DEMISSÃO
Ele se disse impressionado com a capacidade de se produzir noticias falsas a respeito da RBS, a maioria fruto de falta de informação ou de má vontade com a empresa. Uma delas, que circulou há cerca de um ano, dizia que Duda Melzer estaria sendo demitido da RBS. “Como pode ter surgido uma noticia falsa como essa, justamente no momento em que eu estava mais fortalecido do que nunca dentro da empresa, acumulando a presidência do Grupo e a  presidência do Conselho de Administração!?”.

Eduardo Sirotsky Melzer
Duda Melzer no Clube de Opinião Foto: Marcos Nagelstein/Agência Preview

VENDA DE SANTA CATARINA
A venda das operações do Grupo em Santa Catarina, também, foi objeto de questionamentos pelos participantes do encontro. Ele disse que a empresa já vinha sendo assediada, há mais de dois anos, por dois investidores, interessados nas operações de SC. Sempre houve recusa, mas neste ano eles fizeram uma proposta irrecusável e ai houve consenso na família de que o negócio devia ser feito. “Vamos concentrar todos os nossos esforços e investimentos em comunicação no RS, voltando às nossas origens e fortalecendo ainda mais nossas posições”, disse ele.

VENDA PARA A GLOBO
Sobre boatos de que a RBS TV estaria sendo vendida para a Globo, ele foi enfático: “Quem fala uma coisa dessas, não conhece sequer a legislação brasileira, que impediria esse tipo de transação. A RBS RS não está à venda e não será vendida para a Globo ou qualquer outro investidor. Esse é um negócio da família e vai continuar sendo”, concluiu.

CRISE DA MÍDIA
Questionado sobre o destino dos veículos de mídia impressa, especialmente Zero Hora, ele salientou que “nunca se leu tanto ZH como hoje”. “Antes se lia ZH todos os dias, agora se lê ZH o dia todo”, frisou Duda. Ele também disse que a empresa não está no negócio de papel e sim no de produção de conteúdo relevante e que se o mercado apontar para o fim do impresso, não haverá razão para não mudar.

OPERAÇÃO ZELOTES
Obviamente, esse seria um assunto a ser perguntado e Duda Melzer fez questão de se antecipar: “Podem me perguntar o que quiserem, inclusive sobre a Zelotes”.

Sobre a operação da PF, ele disse que não há multa alguma. “Na hora certa, as coisas vão aparecer. Estamos lá na Zelotes, e se estamos lá tem uma razão pra isso, mas eu estou tranquilo que as coisas vão se resolver e a verdade vai poder ser dita”.

CADÊ O PRÉVIDI
Uma das primeiras coisas que Duda Melzer fez ao sentar à mesa com os membros do Clube de Opinião foi perguntar pelo jornalista José Luiz Prévidi, que em seu blog costuma se referir ao presidente da RBS como comedor de sucrilhos e tomador de nescauzinho. “Eu até ia trazer uma caixa de sucrilhos pro Prévidi, é uma pena que ele não esteja aqui, gostaria muito de conhecê-lo, porque ele fala muitas coisas a meu respeito, sem que nunca tenhamos nos apresentado”.

Quando a reunião estava quase terminado, o presidente do Clube de Opinião, Julio Ribeiro recebeu uma ligação do José Luiz Prévidi e aproveitou a ocasião para colocar o Duda na linha. Eles conversaram sob o aplauso e as gargalhadas dos colegas jornalistas presentes.

“Eu faço questão de te conhecer e de conversar contigo, seja na RBS ou na tua casa, onde quiseres, pra que eu possa te responder a todos os teus questionamentos e aclarar o que for preciso a meu respeito e da RBS”, propôs Duda.

Durante o encontro, ele informou o número do seu celular pessoal e seu email para que todos os jornalistas do Clube pudessem contatá-lo diretamente, quando precisassem. Ah, e pediu que o número fosse repassado ao Prévidi.

Venda da RBS/SC supera Um Bilhão de Reais

Venda da RBS/SC supera Um Bilhão de Reais

Notícias Poder Política

Acabo de conversar com uma das principais figuras da direção da RBS. Ela confirma que em instantes o Chairman Duda Melzer (foto) fará o anuncio oficial da venda do Grupo em Santa Catarina. Eram 22hs desse domingo, quando os advogados concluíram o acordo que fechou o negócio. O valor é claro está nas cláusulas de confidencialidade, mas a fonte me garantiu que o preço que divulguei ontem foi subestimado. O negócio supera 1 bilhão de reais.

Os novos donos Carlos Sanchez (majoritário) e  Lirio Parisotto. Um pequeno grupo de investidores pode fazer parte do negócio no futuro. Sanchez e Parisotto devem assumir o comando nos próximos meses. No período de transição o executivo da RBS, Mario Neves, será o CEO da “nova empresa”. Atual Diretor-Geral da RBS/SC, ele foi escolhido em acordo com os novos proprietários para comandar o Grupo em Santa Catarina. É bom lembrar que um negócio desse tamanho tem que passar pelos órgãos reguladores como Cade e Ministério das Comunicações, por isso a “entrega” leva alguns meses.

Mudanças na RBS! Nelson deixa funções executivas

Mudanças na RBS! Nelson deixa funções executivas

Comunicação Negócios Notícias

Nelson Sirotsky está deixando suas funções executivas de Presidente do Conselho da RBS e do Comitê Editorial da Rede Brasil Sul. Duda Melzer assumirá acumulará a função de presidente do Conselho. Marcelo Rech está sendo promovido a VP editorial. Cláudio Toigo deixa de ser o homem das finanças para ser o CEO do Grupo.

O grupo publicou a seguinte nota sobre as mudanças em sua página:

Em comunicado enviado na tarde desta segunda-feira (14/12) aos colaboradores do Grupo RBS, a empresa anunciou mudanças relevantes na sua estrutura organizacional e em sua governança, que passam a valer a partir de 1º de janeiro de 2016. O assunto foi tema do encontro que reuniu lideranças da empresa durante a tarde.

O atual presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS, Nelson Sirotsky, após completar 45 anos de atuação executiva na empresa, decidiu continuar contribuindo com a RBS como membro do conselho e em questões editoriais e institucionais, mas sem funções executivas.

Para ocupar seu lugar na presidência do Conselho de Administração, Nelson indicou o atual presidente do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer, que foi aprovado pelo conselho e, então, passará a acumular a presidência do Grupo RBS com a presidência do Conselho de Administração.

– Vivemos uma época de profundas transformações, desafios e oportunidades. Precisamos de uma governança que dê condições para o cumprimento de nossos objetivos. Neste sentido, teremos um conselho integrado por profissionais que são referências em nossas áreas de maior relevância: jornalismo e entretenimento, mercado, pessoas, gestão e operações. Vou acompanhar a estratégia, a cultura da organização e as pessoas. Serei um garantidor do nosso propósito e dos valores da nossa família – disse Eduardo Sirotsky Melzer.

Com esse movimento, foi criada a posição de Presidente Executivo – CEO para as operações de mídia do Grupo RBS, cargo que será ocupado pelo atual vice-presidente de Finanças, Claudio Toigo Filho. Ele assume com a missão de dar continuidade e fortalecer o trabalho que vem sendo feito em televisão, rádio e jornal em cinco frentes estratégicas: conteúdo, mercado, eficiência, comunicação e pessoas. Formado em Administração de Empresas, com MBA pela University of Southern California e cursos na London Business School e no Jim Collins Lab, Toigo foi escolhido por Eduardo e aprovado por unanimidade no Conselho de Acionistas e de Administração.

Ao longo de sua trajetória de mais de 20 anos na RBS, iniciada em 1994 como trainee, sempre demonstrou enorme capacidade de realização e liderança, respeito pelo público, pelo mercado e pelas pessoas e um profundo conhecimento da empresa. Toigo liderou a área de Rádios da RBS entre 2004 e 2008 e também dirigiu as operações de TV do grupo durante dois anos, antes de tornar-se Vice-presidente de Finanças.

– É uma grande honra para mim assumir uma posição tão relevante em uma das empresas de mídia mais importantes do país. Tenho compromisso com o nosso propósito, que é o nosso grande diferencial competitivo e o que vai nos orientar, como empresa, para nos mantermos relevantes neste mercado em constante mudança – disse Claudio Toigo Filho.

Como CEO, Toigo continuará se reportando a Eduardo Sirotsky Melzer, ao lado de Fabio Bruggioni, CEO da e.Bricks, empresa de desenvolvimento de negócios digitais da RBS, e de Luciana Antonini Ribeiro, diretora de Estratégia.

Outra decisão importante é a criação da Vice-Presidência Editorial, que será ocupada pelo jornalista Marcelo Rech. Marcelo reportará a Toigo e terá o papel de garantir as condições para a prática de um jornalismo que informe, inspire e transforme e faça diferença na vida das pessoas. Marcelo, que recentemente assumiu como presidente do Fórum Mundial de Editores, ligado à Associação Mundial de Jornais (WAN-Ifra), também assume a liderança do Comitê Editorial da RBS.

 

 

Melzer diz que segue CEO da RBS (Maurício Renner/Baguete)

Melzer diz que segue CEO da RBS (Maurício Renner/Baguete)

Economia Negócios Notícias Poder Política

O presidente do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer, enviou um e-mail aos colaboradores do grupo nesta quarta-feira, 30, reforçando a mensagem de uma comunicação anterior sobre sua permanência na empresa. “Sou e continuarei sendo presidente do Grupo RBS, sob a liderança e com o apoio do Conselho de Administração, presidido por Nelson Sirotsky, e com toda a energia e foco que o momento nos exige”, afirma Melzer no e-mail ao qual a reportagem do Baguete teve acesso.

É uma mensagem bem mais explícita do que a do texto de ontem, no qual o CEO não chegou a dizer com todas as letras que permanecerá no cargo, negando somente que estivesse “se afastando da RBS” e afirmando que estava “focado no nosso negócio e dando atenção as nossas questões estratégicas”.

O presidente do grupo gaúcho de comunicação voltou a usar palavras duras contra a matéria do JA assegurando sua saída, colocando os adjetivos “falso” e “absurdo”, a uma lista de qualificativos que já tinha “irresponsável” e “construído a partir de interesses pouco claros”.

“Responder a boatos é contra nossos valores e princípios. Eles desviam nossa energia e nos movem em direção à desinformação”, explica Melzer. A RBS não se posicionou oficialmente sobre o assunto até o momento.

De acordo com informações divulgadas pelo JA, Melzer deve deixar o cargo até o final de outubro. Uma empresa de head hunting já teria sido contratada em São Paulo para contratar um novo CEO para o grupo de comunicação gaúcho.

O texto do JA foi reproduzido por outros portais críticos da “grande mídia” como o Sul21 e Brasil 247.

A contratação da companhia de RH também foi revelada hoje pelo Coletiva.net, um portal especializado no mercado de comunicação gaúcho. A Coletiva, no entanto, não chegou a cravar como certa a saída de Melzer, falando apenas genericamente em “mudanças radicais”.

Eduardo Sirotsky, neto do fundador da RBS, Maurício Sirotsky (1925-1986), assumiu o comando do grupo em 2012, recebendo o bastão de comando do tio, Nelson Sirotsky.

Na avaliação do JA, cuja linha editorial é crítica da RBS, Melzer sairia porque adotou medidas que enfraqueceram pessoas de confiança do seu tio e prejudicaram a imagem do grupo, fazendo com que o conselho acreditasse que ele não era o homem certo para liderar a empresa em um momento de crise econômica.

Duda Melzer deixará de ser presidente da RBS, mas seguirá na empresa

Duda Melzer deixará de ser presidente da RBS, mas seguirá na empresa

Comunicação Negócios Notícias

A informação que deu o que falar nas redes sociais entre o público da comunicação do Rio Grande do Sul nesta terça-feira, a partir da reportagem do jornalista Luiz Cláudio Cunha no Jornal Já, é verdadeira.  Eduardo Melzer realmente está deixando a presidência do Grupo RBS, que recebeu das mãos do tio Nelson Sirotsky em 2012, e a empresa está em busca de um sucessor. Duda, como o executivo neto do fundador da empresa, Maurício Sirotsky, prefere ser chamado, no entanto, seguirá na empresa. Baseado em São Paulo, ele ficará responsável pelos negócios da e-Bricks digital, braço do grupo de comunicação menos relacionado com a origem das atividades da empresa, a menina dos olhos do filho de Carlos e Suzana Melzer.

Soube hoje que um executivo gaúcho ligado ao setor financeiro foi convidado para substituí-lo, mas não aceitou o convite. Como Cunha afirma em sua reportagem, uma empresa de headhunter está em busca do nome que presidirá todas as demais estruturas do Grupo que cresceu com base na comunicação, com rádios, TVs, jornais e portais de notícias. O presidente do conselho, Nelson Sirotsky viajou hoje a São Paulo.

RBS define último dia da TVCOM no ar e emissora começa a operar em HDTV. Chique né?

RBS define último dia da TVCOM no ar e emissora começa a operar em HDTV. Chique né?

Cidade Comunicação Notícias Poder Publicidade Vídeo

Passava um pouco das cinco da tarde quando, na escada em frente ao prédio da RBS TV, o então presidente da empresa, Nelson Sirotsky, oficializava em um breve discurso a entrada no ar da TVCOM. Eu estava posicionado no estúdio da emissora na redação de Zero Hora. Lembro perfeitamente quando falou da ideia de fazer desse novo projeto algo “Glocal”. A intenção daquele time comandado pela Ligia Tricot era de fazer uma televisão focada na Grande Porto Alegre com uma visão gaúcha dos fatos que acontecessem além fronteiras. O modelo deveria, guardadas todas as proporções e megalomanias, ser uma espécie de NY1 ou, como diziam alguns mais exaltados, a CNN Gaúcha. A bem da verdade, diga-se que nunca ouvi isso das chefias, mas essa referência de que a RBS queria transformar a emissora em um canal de notícias 24 horas no ar, tal como a CNN, dos Estados Unidos foi feita inclusive em uma reportagem do Vídeo Show da Globo.

Pois bem, a TVCOM não virou NY1, nem CNN e “morrerá” antes de completar a maioridade. A emissora que completou 20 anos no dia 15 de maio, será tirada do ar dia 18 de outubro. Durante um 220px-Placa_TVCOMmês, vai operar em BETA como diz o pessoal da tecnologia. E, finalmente, dia 17 de novembro, entra no ar o novo projeto cujo nome, se já estiver definido, está sendo guardado a sete chaves MESMO. Um chave está com Duda Melzer, outra com Nelson Sirotsky, uma com Flavia Moraes (responsável pelo novo projeto) e as outras quatro, não arriscaria dizer. O que se sabe do projeto é que a nova TVCOM não se chamará OCTO. Ainda bem. O nome é ótimo para um projeto, mas péssimo para uma TV. Que entrará no ar com sinal digital e operando no canal 536 da NET Sul. Sim, nesta segunda-feira, 21 de setembro de 2015, a TVCOM está liberada pelo Ministério das Comunicações para operar em HDTV e a TVCOM HD confirmou o novo canal 536 em HD. Chique, né?!!!

O que se sabe da substituta da TVCOM que entrará no ar em 17 de novembro é que será algo muito moderno, multiplataforma, que deve unir diferentes meios, como rádio e televisão (o que na TVCOM não é novidade, porque lá na década de 90, já fazíamos isso – ou seja: há muito tempo), além de serviços on demand. Aí é que está a novidade.

Flavia Moraes, diretora de Inovação e Linguagem do grupo e responsável pelo projeto tem apresentado o OCTO em encontros reservados com publicitários, produtores e diretores de vídeo que ganharão espaço para apresentação de seus projetos. Segundo alguns deles, não está definida a forma como eles serão remunerados. Como tudo o que é moderno, o novo empreendimento terá facilidades para acessos em plataformas mobile e digital com muita interatividade. Pelo que entendi, a ideia é transformar o público “testemunha ocular da história” em repórter. Todo mundo enviando vídeos feitos pelos celulares ou mais produzidos para o novo canal que selecionaria o que iria ao ar pelo canal convencional ou através de outras plataformas. Uma espécie de youtube gaudério. Se isso estiver certo… O grande mistério que quero ver desvendado é: o que fará as pessoas preterirem o youtube pela ex-TVCOM ?! Sirvam nossas façanhas…

 

*Foto de Ricardo KADÃO Chaves: Rogério Mendelski, Tulio Milman, Jonas Campos e Eu. Primeiro time de apresentadores do Jornal TVCom e noticiários da TV. Éramos tão jovens…