Dupla é presa com 75 mil comprimidos de ecstasy no Salgado Filho

Dupla é presa com 75 mil comprimidos de ecstasy no Salgado Filho

Destaque Segurança

A Polícia Federal e a Receita Federal apreenderam 75 mil comprimidos de ecstasy no Aeroporto Salgado Filho, na noite deste sábado. Duas brasileiras que haviam embarcado em Barcelona com destino a Porto Alegre foram presas em flagrante e responderão por tráfico internacional de drogas, cuja pena pode chegar a 15 anos de prisão.

Agentes da PF haviam desconfiado do comportamento das duas na área do desembarque do aeroporto. A bagagem das duas foi submetida ao raio-x da Receita, que apontou a presença da droga. Os comprimidos estavam escondidos sob fundos falsos de três malas. As jovens detidas, de 22 e 27 anos, moram em Santa Catarina, segundo a PF. Elas foram encaminhadas ao sistema prisional.

A apreensão é uma das maiores já registradas no Brasil e ocorre uma semana depois de a PF apreender 4,7 quilos de cocaína no Salgado Filho. A fiscalização foi reforçada durante o período dos Jogos Olímpicos. (Correio do Povo)

Uber rompe vínculo com motoristas presos por tele-entrega de ecstasy na Capital

Uber rompe vínculo com motoristas presos por tele-entrega de ecstasy na Capital

Cidade Comportamento Notícias Porto Alegre prefeitura Segurança Tecnologia

A multinacional Uber assegurou, em nota divulgada no início da tarde deste sábado, que desativou, permanentemente, os dois motoristas colaboradores que foram flagrados e presos, nessa madrugada, fazendo suposta tele-entrega de ecstasy no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre. No comunicado, a plataforma reitera “tolerância zero com relação a álcool ou drogas” e garante colaborar com as investigações.

A assessoria da Uber acrescentou que ambos haviam ingressado no sistema há cerca de 15 dias e, até então, não tinham ficha criminal. De acordo com a multinacional, a seleção de motoristas verifica a existência de antecedentes em níveis municipal, estadual e federal.

De acordo com o Denarc (Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico da Polícia Civil), os motoristas presos hoje, de 21 e 26 anos, eram responsáveis pela entrega de ecstasy, enquanto um gerente de banco, de 23, também detido, era o articulador do esquema.

Com eles, foram apreendidos 230 comprimidos da droga e os dois carros que, conforme a Polícia, eram usados para o transporte. Cada unidade era vendida por ao menos R$ 100, com a taxa de entrega.

O delegado Guilherme Calderipe, da 1ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico (DIN), foi responsável pela investigação durante três meses. Não está descartada a existência de um esquema maior envolvendo compradores de alto poder aquisitivo, conforme o diretor de investigações do Denarc, delegado Mario Souza.

Leia a nota emitida pela Uber, na íntegra:

“A Uber mantém uma política de tolerância zero com relação a álcool ou drogas, e se coloca à disposição para colaborar com as autoridades no correr das investigações. Ambos os motoristas já foram desativados permanentemente da plataforma Uber.” (Rádio Guaíba)