RS: Assembleia garante celeridade em análise de pedido de impeachment de Sartori

RS: Assembleia garante celeridade em análise de pedido de impeachment de Sartori

Agenda Destaque Poder Política Sartori
Após o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edegar Pretto (PT), ter recebido, nessa segunda-feira, mais um pedido de impeachment contra o governador José Ivo Sartori (PMDB), a Procuradoria da Casa deu início, hoje, à análise jurídica da peça. A presidente do Cpers, Helenir Schürer, esclarece que o pedido leva em conta, além do pagamento parcelado de salários do funcionalismo e o descumprimento de lei que determina pagamento integral, a denúncia de que Sartori recebeu suposta propina de R$ 1,5 milhão da JBS, dissimulada como doação oficial de campanha, em 2014.

Sem estimar uma data específica, o procurador da Assembleia, Fernando Ferreira, garantiu que a revisão dos “requisitos formais” do texto vai ser feita com celeridade. “É um material bem extenso. É uma pilha com vários documentos, então é muito difícil eu conseguir te dar, agora, uma previsibilidade mas, o quanto antes, a gente vai tocar adiante”, assegurou.

Esse é o segundo pedido de impeachment protocolado pelo Cpers contra Sartori. O primeiro havia sido recebido em 2016 pela então presidente Silvana Covatti (PP). A denúncia chegou em 24 de outubro, mas a Procuradoria da Casa concluiu a análise e devolveu o texto à presidência em 16 de janeiro. A deputada, que é integrante da base aliada, arquivou o pedido por entender que ele não possuía sustentação jurídica.

Opositor de Sartori, o hoje presidente da AL, Edegar Pretto, garantiu que quando receber o parecer jurídico vai agir com embasamento técnico, e não político. “Não espere de nós nenhuma irresponsabilidade política. Eu não farei o papel que Eduardo Cunha fez com a presidenta Dilma. Aqui nós vamos analisar por parte da Procuradoria e regimento interno todas as normas constitucionais. Um olhar sobre isso não pode ser político, tem que ser técnico”, finaliza.

Delação cita Sartori

Conforme a delação de Ricardo Saud, um dos diretores da JBS, a campanha de Sartori recebeu os recursos com a intercessão do então candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, a quem Sartori declarou apoio. O teor das delações veio à tona na sexta-feira passada.

Em nota, Sartori repudiou as acusações: “nunca participei desse mar de lama. Não me misturem com essa gente”, afirmou.

O coordenador financeiro da campanha de José Ivo Sartori, João Carlos Bona Garcia, também reiterou que todas as doações recebidas pela chapa que se elegeu em 2014 foram legais e classificou como “fantasiosa” a delação do diretor da JBS. Bona Garcia explicou que as doações da JBS para campanha de Sartori foram feitas dentro da legalidade e aprovadas pela Justiça Eleitoral.

OAB pede detalhamento

Já o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, vai pedir esclarecimentos ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a delação do diretor da JBS, Ricardo Saud, que cita o suposto pagamento de propina em meio à corrida eleitoral do Rio Grande do Sul em 2014. (Lucas Rivas/Rádio Guaíba)

Movimento mundial ElesPorElas será lançado sexta-feira no RS

Movimento mundial ElesPorElas será lançado sexta-feira no RS

Direito Mundo Notícias Poder Política Saúde

O movimento mundial #ElesPorElas #HeForShe, da ONU Mulheres, será lançado no Rio Grande do Sul no dia 11 de setembro, às 18 horas, no Solar dos Câmara da Assembleia Legislativa. O evento terá apresentação do cantor gaúcho Wander Wildner. O ElesPorElas é um movimento global que convoca os homens do mundo a participarem ativamente da luta pelo fim da violência contra mulheres e meninas. Criado pela ONU Mulheres, a entidade das Nações Unidas para a igualdade de gênero, o movimento chegou ao Brasil em 2014.

Sob a liderança da ONU Mulheres, o movimento é composto por governos, empresas, universidades, sociedade civil, mídia e homens públicos que colaboram para a realização de ações para ampliar a mobilização e adesão de homens e meninos. Convidado pela ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, o deputado Edegar Pretto fez adesão ao movimento e é integrante do Comitê Brasileiro Impulsor ElesPorElas. O parlamentar, que também é coordenador da Frente Parlamentar dos Homens pelo Fim da Violência contra a Mulher, fez a adesão em nome da Frente e Assembleia Legislativa gaúcha, que é o primeiro Parlamento do país a assumir o compromisso com a igualdade entre homens e mulheres.

O deputado Edegar Pretto intensificou a coleta de adesões no RS, em ações que começaram na própria Assembleia com seus colegas deputados. “A Frente Parlamentar se tornou referência no país na luta pelo fim da violência contra as mulheres e tem o reconhecimento do governo federal e da ONU, que nos apresentou o desafio de convocar homens para discutir o seu próprio comportamento. O desafio foi aceito”, diz o deputado.