Dez são presos por atos preparatórios de terrorismo nos Jogos Olímpicos

Dez são presos por atos preparatórios de terrorismo nos Jogos Olímpicos

Esporte Notícias Olimpíada Segurança Tecnologia Turismo

Dez pessoas foram presas nesta quinta-feira durante a primeira operação da Polícia Federal (PF) baseada na lei antiterror. O ministro da Justiça e da Cidadania, Alexandre de Moraes, confirmou que o grupo foi detido por iniciar atos preparatórios para realizar ataques terroristas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Os suspeitos detidos não haviam definido o alvo.

“Prendemos essas pessoas a partir do nosso rastreamento. Identificamos esses suspeitos, que faziam simples comentários de atentados e agora se preparavam para um ataque. Ele saíram daquele estado de quase apologia para um status de atuação. A partir de uma solicitação de uma AK 47 a um site de armas do Paraguai nós decidimos agir”, disse Alexandre de Moraes.

Conforme o ministro, alguns integrantes do grupo realizaram contato via internet com pessoas ligadas ao Estado Islâmico. “Eles entraram em contato e fizeram inclusive um juramento. A partir disso, toda situação foi progredindo até essa solicitação da arma. Não temos a informação de que o armamento tenha chegado às mãos do suspeito, mas a tentativa de compra já demonstra um ato preparatório”, explicou.

Durante o monitoramento do grupo, o serviço de inteligência brasileiro encontrou comentários em que os suspeitos comemoram o atentado contra uma boate em Orlando, nos Estados Unidos, e o ataque terrorista feito em Nice, na França. “Cumprimos mandado de busca e apreensão e confiscamos celulares, computadores e outros equipamentos. Há ainda duas pessoas que não foram encontradas, mas já foram rastreadas”, completou Alexandre de Moraes. ( Radio Guaíba e Correio do Povo)

Califado digital: Jihadistas vendem imagem ilusória na internet

Cultura Mundo Notícias
2015-867832943-dabiq.jpg_20151119
O último número da revista “Dabiq”, do Estado Islâmico, já com os atentados em paris na capa – Reprodução

Nenhum grupo terrorista explorou a tecnologia como o Estado Islâmica: os extremistas não só recrutam membros e divulgam a barbárie nas redes como vendem a imagem ilusória da guerra santa como estilo de vida. Nessa batalha, já criaram uma versão do Facebook, games e revista digital. Sua missão: pintar assassinos como heróis e atrair seguidores. Ontem, o medo de um atentado paralisou a capital da Bélgica. A reportagem completa está em O Globo.

Entrevista/Jack Lang: Obscurantismo, o inimigo

Ex-ministro da Cultura da Fiança afirma que os ataques em Paris podem contribuir para abrir os olhos sobre ou EI. Confira a íntegra da entrevista publicada em O Globo no link.

França lança bombardeio maciço a reduto do Estado Islâmico na Síria. Depósito de armas e campo de treinamento teriam sido atingidos

França lança bombardeio maciço a reduto do Estado Islâmico na Síria. Depósito de armas e campo de treinamento teriam sido atingidos

Mundo Notícias
Caças franceses lançaram cerca de 20 bombas neste domingo sobre o reduto do grupo radical Estado Islâmico em Raqa, no Leste da Síria, destruindo um posto de comando e um campo de treinamento, anunciou o ministério da Defesa. O governo francês liberou imagens do início das operações dos aviões.

Leia mais sobre os atentados em Paris

De acordo com o jornal Le Figaro, os ataques ocorreram às 20h25min e 19h50min (horário da França). O primeiro objetivo foi destruir um posto de comando, centro de recrutamento jihadista e depósito de armas e munições. O segundo objetivo foi o acampamento de treinamento terrorista, informou o ministério das comunicações.

A operação foi realizada junto com as forças dos Estados Unidos e o ataque envolveu 10 equipes, que estavam envolvidas simultaneamente nos Emirados Árabes e Jordânia, segundo o jornal Le Figaro.

O ataque ocorre menos de 48 horas depois de uma série de ataques terroristas, que foram reivindicados pelo Estado Islâmico, em Paris. O número de vítimas no atentados na capital francesa é de 132, pelo menos. (Correio do Povo)