Brasil faz acordo com EUA para exportar carne

Brasil faz acordo com EUA para exportar carne

Destaque Economia Entrevistas Mundo Política Vídeo

Brasil e EUA fecham hoje acordo sanitário para carne bovina. Os americanos vão aceitar carne de regiões com vacinação contra febre aftosa. O acordo é importante pois os EUA são vitrine para condições sanitárias. Conversei sobre o acordo com o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal, Francisco Turra.

Puxadas pela soja, exportações do RS crescem em maio. Entre janeiro e maio, vendas externas caíram 6,8%

Puxadas pela soja, exportações do RS crescem em maio. Entre janeiro e maio, vendas externas caíram 6,8%

Economia Negócios Notícias Poder Política

Puxadas pelas commodities, que exerceram a maior influência positiva sobre o resultado, com crescimento de 31,9%, as exportações do Rio Grande do Sul somaram US$ 1,78 bilhão em maio. A alta é de 12,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Isso ocorreu em função do crescimento da demanda da China e do Paquistão pela soja gaúcha, produto que, sozinho, totalizou US$ 695 milhões, ou 39,1% do total das vendas para o exterior.

“Essa participação elevada se deve à sazonalidade típica da safra.  Mas é fundamental que os manufaturados tenham maior destaque na pauta. A desvalorização cambial, ainda que benéfica, está ajudando apenas a evitar perdas ainda maiores para o setor industrial”, destacou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Heitor Müller, ao analisar os resultados da Balança Comercial, nesta segunda-feira.

Em relação à indústria de transformação, a base de comparação deprimida, segundo Müller, foi o principal fator a contribuir para o aumento de 2,5% nas vendas externas em maio, que alcançaram US$ 1,04 bilhão. “Em maio de 2015, os embarques haviam sido os mais baixos para o mês desde 2009”, lembrou. O resultado do setor no âmbito estadual foi pior em relação ao nacional, onde houve elevação de 11,5%.

Das 23 categorias que registraram alguma operação de exportação no mês, 11 caíram, sete cresceram e cinco registraram estabilidade.

Enquanto as exportações aumentaram, as importações totais caíram. As perdas chegaram a 21,7% (US$ 625 milhões), o valor mais baixo desde 2004 para o mês, alcançando todas as categorias de uso, à exceção de bens de consumo (18,8%).

Acumulado

Entre janeiro e maio, as exportações totais caíram 6,8% (total de US$ 5,9 bilhões), enquanto a indústria retraiu 3,9% (US$ 4,4 bilhões). (Rádio Guaíba)

Safra da Soja impulsiona exportações do Rio Grande do Sul

Safra da Soja impulsiona exportações do Rio Grande do Sul

Economia Opinião

A entrada da nova sofra de soja nos depósitos gaúchos teve forte impacto nas exportações do estado. Maio marcou a primeira vez no ano com registro de aumento na comparação entre os mesmos meses de 2015 e 2016. O crescimento foi de 17% em relação ao valor exportado. Somente o Complexo Soja teve um incremento de 28,8% no valor e 35,3% no volume comercializado. Os dados foram divulgados pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul nesta quinta-feira.

Também apresentaram resultados positivos os grupos Produtos Florestais, com aumento de 150% no valor e 190% no volume e Carnes com crescimento de 19% no valor e 40% no volume negociado. No total, o agronegócio comercializou 2,780 milhões de toneladas e foi responsável por 74,93% de todas as exportações do Rio Grande do Sul, atingindo US$ 1,331 bilhão. Esta é a maior participação registrada neste ano até agora. A balança comercial do setor fechou com US$ 1,253 bilhão.

Na comparação com abril de 2016, o embarque de soja foi 70,5% maior, gerando um resultado positivo de 48,6% no valor e 50,5% no volume exportado. No grupo Carnes, o aumento foi puxado pelo frango que teve um crescimento de 33%. No acumulado do ano, o agronegócio chegou a US$ 3,958 bilhões, uma queda de 6,2% em relação ao mesmo período de 2015. A China se mantém como o principal comprador do produto gaúcho, sendo destino de 30,81% das vendas do estado.

 

Confira o Relatório de Comércio Exterior de Maio 2016 na íntegra

Movelsul Brasil 2016 encerra com grandes perspectivas nas exportações

Movelsul Brasil 2016 encerra com grandes perspectivas nas exportações

Economia Negócios Notícias

A 20ª edição da Movelsul Brasil termina nesta sexta-feira, 18, com grandes perspectivas de exportações para os fabricantes de móveis e complementos em exposição no evento. Esse foi o grande destaque apontado pelo presidente da feira e do Sindmóveis Bento Gonçalves, Henrique Tecchio, que revelou uma parcial de 25 mil visitantes profissionais do Brasil e de outros 47 países nos quatro primeiros dias. De acordo com ele, a presença de estrangeiros foi o ponto forte do evento. “Havia um grande receio de a feira ser impactada pela situação política e econômica do país, mas considero esta edição um verdadeiro divisor de águas. Não apenas por ser uma edição histórica por si só, mas também pelo sucesso conquistado num período de tantas adversidades”, destaca.

Tecchio ainda pontua que a intenção de negócios na Movelsul Brasil surpreendeu. Segundo ele, esse reajuste de expectativas é natural, já que os expositores também precisaram reduzir seus investimentos para participar com qualidade. Em função disso, as próprias indústrias trouxeram um menor número de convidados. “Ainda assim, surpreende a qualidade e efetividade do visitante. Houve expositores que usavam a feira mais como canal de relacionamento e tiveram que providenciar talões de pedido para fechar negócios aqui mesmo”, comemora.

A expectativa é gerar US$ 300 milhões em negócios, num período de 12 meses.

Próximas ações

O Sindmóveis Bento Gonçalves ainda tem dois importantes e inéditos eventos para este ano. Pela primeira vez na história, a entidade terá um espaço no Salão Internacional do Móvel de Milão (ISaloni), na Itália. A ação tem apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) por meio do projeto Raiz, braço do Projeto Orchestra Brasil que promove as exportações do serviço do designer brasileiro.

Produtos assinados por Bruno Faucz, Estudiobola, Guto Indio da Costa, Jader Almeida, Juliana Llussá, Marta Manente, Paulo Alves, Ronald Scliar Sasson e Sérgio Fahrer estarão neste espaço. O ISaloni ocorre de 12 a 17 de abril.

Depois, de 09 a 11 de agosto, será realizada a primeira edição da High Design – Home & Office Expo, em São Paulo, uma feira que reunirá as principais tendências, inovações e lançamentos em mobiliário de alto padrão, móveis planejados e complementos, móveis e objetos autorais, soluções para cozinhas e banheiros, superfícies e light design e automação. O evento é direcionado a arquitetos, designers de interiores, decoradores, construtores, engenheiros, lojistas e compradores internacionais e será a feira âncora do DW! São Paulo Design Weekend. A High Design Expo é promovida pela gigante britânica de eventos Informa Group e idealizada pela Summit Promo, numa parceria com a Casa Brasil, do Sindmóveis Bento Gonçalves.

Mais de R$ 7 milhões em apenas três dias de Couromoda

Mais de R$ 7 milhões em apenas três dias de Couromoda

Cidade Comportamento Comunicação Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias

Até o terceiro dia da Couromoda 2016, as vendas das micro e pequenas indústrias gaúchas já bateram a casa dos R$ 7 milhões. Isso significa que o estande coletivo das 56 empresas apoiadas pelo SEBRAE/RS, em parceria com o Governo do Estado e a ACI/NH, registra um total de 158.124 pares/peças a serem entregues aos clientes, lojistas de todas as partes do Brasil e até mesmo do exterior. De acordo com o gerente da Regional Vale dos Sinos, Caí e Paranhana do SEBRAE/RS, Marco Aurélio Copetti, que representa a região de origem da maioria das marcas presentes no estande coletivo do Rio Grande do Sul, o trabalho está superando as expectativas, principalmente, porque o cenário de crise econômica indicava que as vendas poderiam não atingir patamares tão elevados como têm sido desde a abertura do evento, no domingo, dia 10. “Estamos vivenciando o bom desempenho dos expositores, também, como resultado da estratégia do estande coletivo. Mais do que o espaço compartilhado, trata-se de um conceito. Foi uma inovação do SEBRAE/RS há algumas edições”, avalia.

A Couromoda 2016 – Feira Internacional de Calçados, Artefatos de Couro e Acessórios de Moda termina nesta quarta-feira, 13 de janeiro, no Expocenter Norte, em São Paulo, com várias novidades para os analistas do setor calçadista. “Acredito que estamos em nova fase de readequação de mercado. Os visitantes estrangeiros – e foram muitos durante essa edição da Feira – estão reabrindo as portas para os produtos gaúchos com um olhar de reconhecimento para a qualidade da produção cuidadosa que se tem no Estado”, anima-se o executivo. O próprio SEBRAE/RS, diz ele, ao trabalhar com essas pequenas empresas se surpreende com o desenvolvimento de linhas de produção cada vez mais conceituais, alinhadas com tendências internacionais, produtoras de moda, estilo e muito valor agregado.

Sapato de alta qualidade faz a diferença na hora de fechar negócios

É esse o caso da marca Rio de Luz, de Campo Bom. O diretor, Mário Hugo Mosmann, relata que mesmo com menos visitantes na feira em geral conseguiu mais negócios porque o perfil mudou. “O pessoal do varejo está mais seletivo e exigente. Como eu produzo um sapato de alta qualidade, obtive melhores contratos, quase todos de perfil de boutiques femininas”, conta. A Rio de Luz é especializada em mocassins. Fica localizada no município de Campo Bom e tem apenas quatro anos de mercado. “São 30 funcionários e só trabalhamos com couros (bovino e cabra). Conseguimos as primeiras exportações e acredito que, em 2016, pela alta do dólar, vamos crescer”, empolga-se o empreendedor. Hoje, as vendas internacionais já ocorrem para a Rússia, Nova Zelândia, Uruguai e Colômbia.

A Couromoda 2016 conta com novidades de mais de 2.000 coleções que incluem calçados, tênis, bolsas, artigos esportivos, artefatos de couro, acessórios de moda, equipamentos para lojas, componentes e tecnologia para calçados. Estes expositores representam 13 Estados brasileiros (90% da produção nacional do setor). São projetadas 84.000 visitas profissionais e 25.000 visitantes únicos, desfiles com as principais novidades da temporada, seminários e a realização do 20º Seminário Brasileiro do Calçado. Cerca de 35% das vendas anuais do setor são iniciadas ou encaminhadas na Couromoda. Esse resultado é fruto da grande variedade de produtos que a feira apresenta com coleções diversificadas que vão do outono/inverno à meia estação, atendendo a necessidade de lojistas de todo o País e dos mais diferentes tipos de mercado, além de compradores internacionais de outros 64 países.