Filha revela em rede social que Paulo Sant’Ana está com Alzheimer

Filha revela em rede social que Paulo Sant’Ana está com Alzheimer

Cidade Comunicação Cultura Destaque Poder Política Saúde Vídeo

Em um post no seu perfil do Facebook, a filha do jornalista Paulo Sant’Ana,  Fernanda Sant’Ana Wainer revela que o cronista está com Alzheimer. Lamento muito, trabalhei uma década com ele e a todo momento Sant’Ana nos impressionava com sua memória fantástica. Declamava com perfeição poemas e cantava músicas que tinha aprendido na infância. Esbanjava talento nas “tiradas rápidas” e estava sempre pronto para polemizar. Esta também é a lembrança de Paulo Germano, jornalista e cronista do jornal Zero hora, em uma coluna que é citada pela filha no texto onde comunicou a doença do pai.

11204933_690542254412837_3279999749003288423_nFernanda escreve:Este recadinho vai para todas as pessoas carinhosas que perguntam sobre a saúde do meu pai. Ele foi diagnosticado, há pouco, com Alzheimer. Hoje, fui visitá-lo e qual não foi a minha surpresa qdo a enfermeira contou que qdo leu a coluna que o Paulo Germano fez sobre ele, para ele, meu pai foi dizendo o poema junto das enfermeiras!! Fui, então, surpresa e feliz, questioná-lo: Como tu lembras desse poema, pai? ” É claro, minha filha, é o poema mais bonito de todos os que eu sei”!
Realmente esta caixinha chamada cérebro, é muito mais complexa do que supõe a nossa vã filosofia!! ” .

É farto o número de crônicas e textos onde Sant’Ana tratou das diversas doenças que contraiu durante a vida e das várias cirurgias que realizou. Em poucas ele cita o Alzheimer, é o caso de uma escrita na edição de Zero Hora, em 17/09/2013 que aqui transcrevo:

 

“Recordações e esquecimentos”; Paulo Sant’Ana

Quando me acordo pela manhã é que noto a enrascada em que estou metido: a vida.

Em outras palavras, quero dizer que a única forma pela qual podemos fugir da realidade é o sono. Assim mesmo, essa fuga é temporária.

*

Imagine o desespero que sofre quem tem insônia. Retorce-se de vontade de fugir temporariamente da vida pelo sono e não consegue se livrar por horas desse calvário!

Gastam muito dinheiro comprando soníferos. Alguns funcionam, outros não. Enquanto isso, a vigília se desenvolve sinistra, mantendo as pálpebras abertas e mergulhando a pessoa em atroz estado pré-agônico.

*

Às vezes, chego a pensar, absurdamente, que, para essas pessoas que pretendem desesperadamente se refugiar no sono para fugir à realidade, o mal de Alzheimer seja uma solução.

Imagino que quem é acometido de Alzheimer se beneficie do esquecimento da realidade adversa.

*

O mecanismo cerebral, felizmente, é dotado do esquecimento. O nosso conhecimento em geral é armazenado no cérebro, de onde é retirado circunstancialmente, quando necessitamos dele.

É desesperante que retiremos de nossos arquivos as lembranças de que não necessitamos. Se tal processo se verificar com insistência, não resistimos a esse suplício e ingressamos na loucura.

Por isso é que é instigante o pensamento de Chesterton de que “louco é aquele de quem roubaram tudo, menos a razão”.

*

O homem, portanto, vive se debatendo num dilema: entre lembrar e esquecer. A memória é o mediador principal entre as lembranças e os esquecimentos. Quem souber lidar com a dança dessas duas variantes está exercendo um estado mental que se denomina lucidez.

E quem lembrar quando não quiser lembrar ou esquecer quando quiser lembrar, esse ser acaba de ingressar nada menos do que na loucura.

*

A consciência exerce um papel preponderante entre as lembranças e os esquecimentos.

A consciência culpada nada mais é que uma lembrança insistente que, como num acicate, nos persegue quando só nos livraríamos dela caso a esquecêssemos.

Por isto também é que muitas pessoas recorrem ao álcool e às outras drogas: para tentar afugentar certas lembranças desagradáveis e atrair o esquecimento.

*

O fracasso mental é muito não conseguir lembrar ou não conseguir esquecer. Um homem pode desesperar-se tanto quando não consegue lembrar mais os instantes felizes que teve com uma mulher amada quanto quando não conseguir esquecer-se dos momentos infelizes que passou com uma mulher mal amada.

E no centro todo desse mecanismo tangencial da mente está muito claro que a saúde mental reside especialmente em conseguir ter as lembranças do que se necessita lembrar como conseguir esquecer as lembranças indesejadas.

Compras de mulher e filha de Cunha foram pagas com propina, aponta denúncia. Foram gastos cerca de 86 mil dólares entre dezembro de 2012 e julho de 2015

Direito Notícias Poder Política
Compras de mulher e filha de Cunha foram pagas com propina, aponta denúncia | Foto: Marcelo Camargo / ABr / Divulgação / CP
Compras de mulher e filha de Cunha foram pagas com propina, aponta denúncia | Foto: Marcelo Camargo / ABr / Divulgação / CP

A denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aponta que as compras de luxo da mulher e da filha do deputado, no exterior, “foram pagos com parte do dinheiro de propina”. Os gastos de Claudia Cruz e Danielle Dytz da Cunha Doctorovich com as marcas de renome Chanel, Dior, Balenciaga e Louis Vuitton somam cerca de 86 mil dólares, entre dezembro de 2012 e julho de 2015, e serão investigados pela força-tarefa da operação Lava Jato em Curitiba.

Cláudia e Danielle estão sob a tutela do juiz federal Sergio Moro. O próprio Eduardo Cunha já foi denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro perante o Supremo Tribunal Federal. Como não são detentoras de foro privilegiado, Claudia e Danielle agora estão sob investigação dos procuradores da força-tarefa da Lava Jato. Em janeiro de 2014, durante uma estadia em Paris, Claudia Cruz gastou quase 18 mil dólares em três dias. Foram 7 mil na loja da Chanel, 2 mil na Christian Dior, 4 mil na Charvet Place Vendôme e 2 mil na Balenciaga.

“Todos estes valores foram pagos com parte do dinheiro de propina recebido por Eduardo Cunha”, diz a denúncia sobre os valores relacionado ao próprio presidente da Câmara, sua mulher e sua filha. “As despesas pagas em cartão de crédito com as quantias ilícitas recebidas podem se verificadas nos extratos dos cartões de créditos da Corner Card. Referidos extratos

demonstram despesas completamente incompatíveis com os lícitos declarados do denunciado e de seus familiares.” Segundo a Procuradoria-Geral da República, Claudia Cruz e Danielle Dytz se favoreceram de valores de uma propina superior a 5 milhões de dólares que Eduardo Cunha teria recebido “por viabilizar a aquisição de um campo de petróleo em Benin, na África, pela Petrobras”.

A investigação aponta que Cláudia Cruz é a única titular da conta Kopec, na Suíça – pela qual “transitou dinheiro ilícito”. Desta mesma conta aparece como beneficiária do cartão de crédito, segundo a Procuradoria, Danielle Dytz. A denúncia sustenta que o rastreamento do cartão de crédito mostra gastos sequenciais de grandes valores em restaurantes, hospedagens e viagens ao exterior.

Nessa terça-feira, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu mandar para o juiz Sérgio Moro, em Curitiba, o processo na Lava Jato contra Cláudia Cruz e DanielleDytz. A determinação atendeu a uma manifestação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sob a justificativa de que elas não têm foro privilegiado para serem investigadas pelo Supremo.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ofereceu denúncia contra Cunha, em 4 de março pelo recebimento de propina na Suíça, em valor superior a 5 milhões de dólares, por viabilizar a aquisição de um campo de petróleo em Benin, na África, pela Petrobras. Segundo a acusação, o dinheiro é fruto de corrupção e houve lavagem de dinheiro. A denúncia sustenta que Cunha atuou para garantir a manutenção do esquema ilícito na Diretoria Internacional da Petrobras e para facilitar e não colocar obstáculos na aquisição do Bloco de Benin.

O bloco foi adquirido da Compagnie Béninoise des Hydrocarbures Sarl (CBH), por 34,5 milhões de dólares (R$ 138.345 milhões). A acusação aponta que Cunha era um dos responsáveis do PMDB pela indicação e manutenção do então diretor da Área Internacional no cargo, Jorge Zelada, e por isso recebia um porcentual dos negócios.

O processo foi transferido do Ministério Público Suíço para a Procuradoria-Geral da República do Brasil considerando que o deputado é brasileiro, está no país e não poderia ser extraditado para a Suíça. Além disso, como a maioria das infrações foi praticadas no Brasil, a persecução penal será mais eficiente no território nacional. Para a Procuradoria-Geral, a documentação enviada pela Suíça permite compreender todo o esquema.

Defesas

“A parte da investigação referente a Claudia Cruz foi remetida ao primeiro grau e está sob sigilo, razão pela qual não podemos tratar do mérito. Porém, esclarecemos que Claudia Cruz nada tem a ocultar, já apresentou as declarações de seus bens e está à disposição da justiça pra esclarecer tudo o que for necessário, já que não praticou delito algum”, disse a defesa da esposa de Cunha.

Os advogados que defendem Danielle Dytz não retornaram contato feito pela reportagem. Em 8 de março, em petição ao Supremo Tribunal Federal (STF), a defesa de Danielle sustentou que a filha de Eduardo Cunha “é apenas indicada como beneficiária da conta Kopek, cuja titularidade é atribuída a sua madrasta, e que teria sido, segundo a acusação, alimentada com valores transferidos a partir de outras contas controladas por seu pai”.

Família argentina esquece filha em posto de combustíveis de Eldorado do Sul. Foi o segundo caso parecido em pouco mais de duas semanas

Família argentina esquece filha em posto de combustíveis de Eldorado do Sul. Foi o segundo caso parecido em pouco mais de duas semanas

Notícias

Uma família argentina esqueceu, nesta tarde, a filha de 19 anos em um posto de combustíveis da BR 290, em Eldorado do Sul, na região Metropolitana de Porto Alegre. A família segua pra casa depois de passar férias em Florianópolis, Santa Catarina. Federica Sosa desceu do carro para colocar lixo na lixeira, quando os pais retomaram a viagem de retorno a Buenos Aires. A jovem já foi devolvida aos familiares.

O caso ocorreu por volta das 14h30, no posto do km 107 da rodovia. Outra família argentina foi abordada por policiais rodoviários para que ficasse com a jovem até o reencontro, que ocorreu cerca de 45 minutos depois de ela ser deixada. Patrulheiros emitiram alerta para que as equipes de ronda abordassem o veículo Toyota Corolla cor prata em que a menina estava. Antes disso, no entanto, os pais perceberam e voltaram para buscá-la. Os pais alegaram que não se deram conta que ela não estava mais no carro e seguiram mais de 60 km para sentirem falta da filha.

Em janeiro, outra argentina foi esquecida, mas pelo marido, em um posto de combustíveis na BR-285, em Passo Fundo, no Norte do Estado. A família também retornava de férias no Brasil. A mulher estava no banco traseiro e saiu para ir a loja de conveniência. O marido já havia rodado cerca de 160 km e voltou para buscar a esposa. (Samuel Vettori / Rádio Guaíba)