NY Times Opinion: Onde estão os liberais da Venezuela?; por John Sexton

NY Times Opinion: Onde estão os liberais da Venezuela?; por John Sexton

Destaque Mundo Opinião Poder Política

Bret Stephens tem um artigo de opinião no NY Times hoje perguntando por que a esquerda americana parece ter tão pouco interesse em uma causa de direitos humanos acontecendo aqui em nosso próprio hemisfério. Toda geração de ativistas abraça uma causa de política externa digna: acabar com o apartheid na África do Sul; parar a limpeza étnica nos Balcãs; salvar Darfur da fome e do genocídio. E então há a perene – e perenemente indigna – causa de “libertação” da Palestina, para a qual nunca há escassez de fanáticos crédulos do campus. Depois, há as causas humanitárias que os jovens ativistas de esquerda geralmente não abraçam, pelo menos não em grande parte. Prisioneiros políticos de Cuba. A violência islâmica contra os cristãos no Oriente Médio. O vasto e aterrorizante campo de concentração que é a Coréia do Norte. Onde estão os protestos esquerdistas sobre qualquer um desses?

O caso da Venezuela deve ser especialmente digno para estudantes universitários. É urgente. Está por perto. Suas vítimas estão lutando pela democracia, pelos direitos humanos, pela capacidade de alimentar seus filhos. Stephens diz que um motivo para o silêncio relativo pode ser que, até dois anos atrás, o socialismo venezuelano foi considerado um ponto brilhante por muitos à esquerda: O regime venezuelano foi uma causa da esquerda, animado por pessoas como Naomi Klein, Sean Penn e Danny Glover. As publicações de esquerda, como “The Intercept”, de Glenn Greenwald, fizeram desculpas para o regime e tratam seus críticos como Washington Stooges. Jeremy Corbyn, que ainda poderia ser o próximo primeiro-ministro da Grã-Bretanha, memorializou o falecido ditador Hugo Chávez em 2013 por suas “contribuições massivas para a Venezuela e um mundo muito amplo”. Ainda hoje, a crítica é surpreendentemente silenciosa. Se Klein tenha chegado a um acordo formal com a tirania de Maduro ou a catástrofe da Venezuela, ela não fez isso na The Nation, The Guardian ou em qualquer lugar indexada pela LexisNexis ou Factiva. A resposta de Corbyn à repressão de Maduro foi expressar sua condenação de “a violência que foi feita por qualquer lado, por todos os lados” – uma peça de equivalência ofuscante digna da observação de Charlottesville de Donald Trump. Apenas para enfatizar esse ponto sobre os fãs de esquerda da Venezuela, aqui está o primeiro parágrafo para um dos meus artigos favoritos de todos os tempos:

Durante mais de uma década, as pessoas que se opuseram ao governo da Venezuela argumentaram que sua economia implodiria. Como os comunistas na década de 1930 rooteando para a crise final do capitalismo, viram o colapso econômico ao virar da esquina. Quão frustrante tem sido para eles testemunhar apenas duas recessões: uma diretamente causada pelo ataque petrolífero da oposição (dezembro de 2002 a maio de 2003) e uma provocada pela recessão mundial (2009 e primeiro semestre de 2010). No entanto, o governo obteve o controle da empresa petrolífera nacional em 2003 e o desempenho econômico de toda a década mostrou-se bastante bem, com um crescimento anual médio de renda real por pessoa de 2,7% e a pobreza reduzida em mais de metade e grandes ganhos para a maioria no emprego, acesso a cuidados de saúde, pensões e educação.

Isso foi publicado em novembro de 2013. Quatro anos depois, a inflação venezuelana agora é estimada em dígitos quadruplicados e pode levar horas para colecionar dinheiro suficiente de caixas eletrônicos para comprar uma xícara de café. E, claro, isso realmente é apenas arranhar a superfície do pesadelo, a vida diária tornou-se para muitas pessoas lá. Este é um país onde as crianças estão indo para os hospitais por desnutrição porque os grampos básicos como o leite e o pão são extremamente difíceis de encontrar.

Estamos testemunhando uma lição de objeto de uma década sobre as alegrias do socialismo, mas nunca parece chegar a uma massa crítica aqui nos EUA, quase como se não fosse relevante para o que está acontecendo aqui. Suspeito que Stephens tenha razão sobre tudo isso. Se a Venezuela não tivesse sido promovida como um paraíso socialista de esquerda até alguns anos atrás, provavelmente estaríamos ouvindo muito mais sobre seu declínio agora.

 

*Joe Sexton, hoje é editor sênior,  antes trabalhou por 25 anos como repórter e editor do The New York Times.

Deputada vai ao MP para denunciar morte de cães de guarda em presídios, por falta de ração. Regina Becker relata casos em Osório, Rio Grande e Pelotas. Administradores desmentem

Deputada vai ao MP para denunciar morte de cães de guarda em presídios, por falta de ração. Regina Becker relata casos em Osório, Rio Grande e Pelotas. Administradores desmentem

Cidade Direito Notícias Política Saúde Segurança

Após receber denúncias, nas últimas semanas, sobre a morte de pelo menos 10 cães em penitenciárias do Estado por falta de verba para a compra de ração, a deputada estadual Regina Becker (Rede) afirmou hoje que vai ingressar com uma representação no Ministério Público para denunciar o fato. A parlamentar disse que as denúncias partiram de pessoas que fazem os cuidados diretos a esses animais, usados para auxiliar na guarda do sistema prisional gaúcho. O caso mais grave, segundo ela, ocorreu na Penitenciária de Osório, no litoral Norte.

“Eu soube da denúncia nas últimas semanas. De que isso vem ocorrendo sucessivamente, partindo dos próprios servidores do sistema prisional gaúcho. É inadmissível que esses cachorros sejam condenados a pena de morte por falta de alimentos e ainda exercendo uma função de trabalho em um ambiente totalmente insalubre. Os animais não cometeram nenhum delito  e recebem uma pena mais rigorosa que os próprios detentos”, alertou.

Regina revela que, em abril, questionou o secretário da Segurança, Wantuir Jacini, sobre o problema e, como não houve avanço, recorreu ao governador. Sartori garantiu providências. A parlamentar sustenta ter recebido relatos de falta de ração nas cadeias de Osório, Rio Grande e Pelotas.

Os diretores das três instituições negaram os fatos, em entrevistas para o A Cidade É Sua, na Rádio Guaíba. Entretanto, admitiram que em Rio Grande e Osório houve falta temporária de ração, mas que não resultou em morte de cães. A comunidade auxiliou, à época, na aquisição de mais ração.

Em Santa Maria, na região Central, a ração para os cães em presídios é fabricada pela Susepe, na tentativa de driblar a falta de alimento. O diretor da penitenciária de Rio Grande, Ben Hur Goulart, estima que esse exemplo possa virar modelo. “Essa é uma iniciativa que surgiu em Santa Maria para suprir a demanda de lá. Nada impede que parte da ração produzida seja redistribuída. A tendência é de que as demais administrações penitenciárias adotem o mesmo modelo”, projetou.

Mesmo com a negativa da falta de alimentos por parte dos administradores das cadeias, a Susepe revelou que vai abrir um pregão eletrônico para a aquisição de ração, por um período de seis meses. Ao todo, há 330 cães atendendo o sistema penitenciário gaúcho. Reportagem: Eduardo Paganela, Vitória Famer, Voltaire Porto / Rádio Guaíba

Presidentes, políticos e artistas parabenizam Lula pelos 70 anos

Presidentes, políticos e artistas parabenizam Lula pelos 70 anos

Notícias Poder Política

A presidente Dilma Rousseff, políticos como o ex-presidente da França, Nicolás Sarkozy, ativistas, artistas e outras autoridades gravaram vídeos em homenagem ao aniversário do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que completa 70 anos nesta terça-feira (27). As mensagens foram publicados na página do ex-presidente no Facebook.

Em vídeo, Dilma destacou a trajetória de Lula na política e a importância do ex-presidente para o Brasil se projetar no cenário mundial. A presidente também salientou seu testemunho da trajetória que fez do Brasil “um país de todos”, que eliminou o “flagelo” no país e o fez virar referência no combate à pobreza.

"Nós, brasileiros reconhecemos seu papel para o país", disse Dilma
“Nós, brasileiros reconhecemos seu papel para o país”, disse Dilma

“Querido Lula, ao parabenizá-lo pelos 70 anos de vida, me somo a todos os seus amigos para celebrar a sua vida, uma vida extraordinária. Homenageio o parceiro de todas as horas, o retirante nordestino que transformou o Brasil, o presidente que conquistou o coração dos brasileiros”, disse a mandatária, salientando ainda o orgulho de dar continuidade à trajetória que posiciona o país no cenário mundial com dignidade, grandeza e soberania.

“Nós, brasileiros reconhecemos seu papel para o país. Ao longo desses anos, aprendi muito com nossa convivência e sou muito grata por isso. Nessa festa dos seus 70 anos, estendo um forte e fraterno abraço, com a satisfação e orgulho de caminharmos sempre lado a lado na missão de transformar em realidade o Brasil com que sempre sonhamos”, completou Dilma.

José Graziano, diretor-geral da Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO), relembrou de seu passado com o ex-presidente Lula e da luta dos dois no combate à a fome no Brasil e no mundo. “Nós ainda temos muita coisa para fazer nesse mundo afora. Erradicar a fome é possível. O senhor mostrou isso no Brasil”, ressaltou.

O cantor e compositor Chico Buarque foi uma das personalidades que enviou mensagem de parabéns ao ex-presidente.”Lula, bem-vindo ao ‘setentinha’. Estou com você, como sempre”, disse o artista.

"Se a amizade entre o Brasil e a França evoluiu tanto é porque você o quis."
“Se a amizade entre o Brasil e a França evoluiu tanto é porque você o quis.”

Dennis Williams, presidente da UAW International Union, e Gary Castell, tesoureiro da entidade que representa os trabalhadores da indústria automobilística no mundo, desejaram muitos anos de vida ao “irmão” Lula. “Sua liderança não inspirou apenas o Brasil, mas os Estados Unidos e o mundo.”

Também em vídeo, Carlos Lopes, secretário-executivo da Comissão Econômica das Nações Unidas para África, lembrou da contribuição de Lula para a aproximação do Brasil com o continente africano. “Em nome de todos os africanos que conhecem a outra margem do ‘rio’ Atlântico, nós desejamos o melhor nestes seus 70 anos.”

O ex-presidente da França, Nicolás Sarkozy, elogiou a liderança internacional de Lula e as boas relações com o Brasil em mensagem em vídeo. “Caro Lula, sei que hoje é o seu aniversário, fiz questão de estar presente nesta ocasião com este vídeo para te agradecer. Se a amizade entre o Brasil e a França evoluiu tanto é porque você o quis”, disse Sarkozy. “Viva o Brasil! Viva a França!”

Também parabenizaram Lula o fotógrafo brasileiro, Sebastião Salgado, e sua mulher Lélia Wanick; a cineasta Anna Muylaert; o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos; os governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e de Minas Gerais, Fernando Pimentel; o ministro da Cultura, Juca Ferreira; e a diretora e produtora de cinema, Tata Amaral. (Jornal do Brasil / Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula)