Fortunati avalia metas e faz balanço das ações de governo

Fortunati avalia metas e faz balanço das ações de governo

Cidade Destaque Economia Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura
O prefeito José Fortunati coordenou nesta segunda-feira, 19, junto com o vice-prefeito Sebastião Melo, o último seminário de governo de sua gestão, com todos os secretários, presidentes e diretores dos órgãos municipais. Na reunião, aberta à imprensa, foram apresentadas as principais realizações de 2005 a 2016, período em que foi implantado o modelo de gestão baseado em metas com assinatura de contratos de gestão, e acompanhamento do desempenho da administração municipal. Neste ano, das 275 metas estabelecidas, 86,6% foram total ou parcialmente atingidas. Baseado na transparência e na transversalidade, o modelo de gestão foi destacado por Fortunati como o grande responsável pelos avanços na administração municipal desde sua implantação. Com o Portal Transparência, a cidade também conquistou nota 10 do Ministério Público Federal, a única entre as capitais do país, e também o título de cidade mais transparente do Rio Grande do Sul, concedido pelo Tribunal de Contas do Estado.
Segundo o prefeito, a transparência e a gestão eficiente e responsável dos recursos públicos permitem que, mesmo num momento de crise, a Capital seja entregue ao próximo governo com grandes conquistas e legados. “Temos hoje um modelo de gestão referência para as cidades brasileiras, no qual conseguimos aumentar a busca de recursos sem aumentar os tributos e combatemos o desperdício por meio do corte de despesas sem prejudicar a qualidade dos serviços. Ampliamos o atendimento na área da saúde, construímos unidades, o Hospital da Restinga e Extremo-Sul, recebemos pacientes do interior, abrimos novas escolas infantis e superamos as metas do Plano Nacional de Educação, iluminamos praças, criamos o Centro Integrado de Comando (Ceic). Enfim, queríamos ter feito mais, mas estamos deixando uma cidade muito melhor para os próximos governantes”, disse o prefeito.
Fortunati ressaltou que, geralmente nos momentos de crise, as cidades deixam de investir, e que isso não foi o que aconteceu em Porto Alegre. “Nós fomos em busca de recursos. Sem esse esforço a cidade teria ficado paralisada em termos da realização de obras. Algumas ainda estão em execução, mas entregamos empreendimentos pelos quais a cidade esperava há mais de 20, 30 anos. E ainda estamos deixando recursos para o próximo prefeito. Temos o grande financiamento conquistado junto a Corporação Andina de Fomento, no valor de US$ 92 milhões, para a revitalização da Orla do Guaíba e obras de pavimentação, e temos outro projeto para a construção de 25 escolas municipais e requalificação das demais também com recursos garantidos”, explicou.

A apresentação completa com o balanço das ações pode ser conferida aqui.

imagem165584
Neste ano, das 275 metas estabelecidas, 86,6% foram atingidas. Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Capacitação – A secretária municipal de Planejamento Estratégico e Orçamento, Izabel Matte, lembrou que o modelo de gestão implantado a partir de 2005 garantiu a capacitação de mais de 11 mil servidores públicos. Isso deve fazer com que o trabalho tenha continuidade. “Foi produtivo, aprendemos e entregamos serviços importantes. Temos que pensar que a essência da gestão pública são os servidores, os grandes responsáveis pelo atendimento ao cidadão. Com a estrutura já organizada, neste modelo que segue parâmetros de qualidade, torna a administração capaz de tocar as rotinas da prefeitura dentro de um modelo de gestão moderno”, afirmou.

Também participaram da reunião o presidente e o vice-presidente de Relações Institucionais e Marketing do Capítulo Rio Grande do Sul do Instituto de Gerenciamento de Projetos (PMI-RS), Thiago Regal e Marco Antônio Kappel Ribeiro, respectivamente; a representante da Endeavor, Bruna Eboli; e o diretor-executivo do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), Luiz Ildebrando Pierry.
Pierry falou sobre a oportunidade de trabalhar metas de qualidade na gestão pública e como Porto Alegre se consolidou como uma referência nesse modelo. “Os frutos sempre vamos colher muito tempo depois. Estamos plantando o futuro de Porto Alegre e será uma lástima se os próximos governantes não derem continuidade a esse trabalho. Essa administração pensou em criar um ambiente favorável ao desenvolvimento da cidade, ao empreendedorismo, buscando aperfeiçoar a prestação de serviços públicos”, concluiu o diretor-executivo do PGQP.
Simplificar – Para a Endeavor, parceira na implantação do Projeto Simplificar, uma das grandes conquistas foi a redução do tempo de abertura de empresas. “Encontramos em Porto Alegre um governo disposto a implantar essa iniciativa e conseguimos reduzir em 98% o tempo de abertura de empresas. No caso das de baixo risco, passamos de 493 para 10 dias a espera pela emissão da licença”, afirmou Bruna Eboli.
No caso do Instituto de Gerenciamento de Projetos, que tem na conta grandes corporações internacionais, atuar junto ao poder público era um grande desafio. “Temos orgulho de ter participado deste projeto com a Prefeitura de Porto Alegre e ver o quanto a cidade evoluiu e pode servir de exemplo para outros municípios”, disse Thiago Regal.
Contrato de Gestão – De acordo com a metodologia de avaliação dos indicadores, titulares e adjuntos se reúnem mensalmente em seminários de análises com o vice-prefeito Melo. Trimestralmente, é realizada avaliação também com a presença do prefeito Fortunati, para detectar avanços ou melhorias que devam ser perseguidos. Desde 2013, sempre no mês de março, foram realizados os seminários de governo, nos quais foram assinadas as metas para o ano, representando entregas para a cidade em obras e serviços em todas as áreas, e foram divulgados os resultados dos contatos de gestão do ano anterior.
Delegado da Polícia Civil diz que não se reuniu com prefeito Fortunati e que investigação de tiros no Comitê de Nelson Marchezan “por ondens superiores” caberá a PF

Delegado da Polícia Civil diz que não se reuniu com prefeito Fortunati e que investigação de tiros no Comitê de Nelson Marchezan “por ondens superiores” caberá a PF

Cidade Destaque Eleições 2016 Entrevistas Poder Política prefeitura Segurança Vídeo

 

Em entrevista a Rádio Guaíba, o delegado da Polícia Civil, Cesar Carrion rechaçou a tese defendida pelo prefeito ao garantir que nenhum policial civil está trabalhando no comitê tucano. A investigação também esclareceu que a servidora da Prefeitura, que teria repassado as informações para Fortunati, é irmã de um vigilante. Conforme Carrion, Fortunati equivocou-se ao divulgar a informação na mídia.

“Ele (Fortunati) se equivocou ao receber informações de terceiros de que seria um possível policial que estaria no comitê. Não existe policial nenhum no comitê. Esta servidora é irmã de um segurança que trabalha no comitê”, explicou.

Fortunati também relatou ter estado com o delegado César Carrion, nessa terça-feira. O prefeito contou ter apresentado aos investigadores a servidora que alega estar sendo ameaçada, a fim de elucidar o caso. Porém, o delegado ressalta ter conversado com Fortunati somente por telefone.

Como a Polícia Federal abriu um inquérito policial, em paralelo, para averiguar o caso, todas as informações coletadas pela Polícia Civil foram repassadas para a PF. A investigação ficará a cargo da Polícia Federal. A corporação foi procurada pela reportagem, porém, não irá se manifestar sobre o procedimento investigatório. (Texto: Lucas Rivas/Rádio Guaíba)

Fortunati estreia programa na TVU em outubro

Fortunati estreia programa na TVU em outubro

Cidade Comunicação Cultura Destaque Poder Política Porto Alegre prefeitura Tecnologia Vídeo

O prefeito de Porto Alegre José Fortunati, acertou hoje os detalhes finais da estreia do programa que comandará na TVU,  A primeira edição do “Fortunati.Com” irá ao ar no dia 04 de outubro. O prefeito já havia anunciado que se dedicaria a atração na conversa que teve comigo nesta segunda-feira na estreia do ” 21h30″.  

O programa de José Fortunati terá 2 apresentações inéditas por semana, às terças e quintas, 21h, Ele fará entrevistas com personalidades da cidade. Após deixar a prefeitura em 01 de janeiro de 2017, ele se dedicará ao programa e também a ministrar aulas e palestras sobre Gestão Publica em uma Universidade.

Procura de pacientes do interior por emergências na Capital aumenta e prefeito diz que serviço está à beira de um “colapso”; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

Procura de pacientes do interior por emergências na Capital aumenta e prefeito diz que serviço está à beira de um “colapso”; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Poder Política Porto Alegre prefeitura Saúde

O prefeito de Porto Alegre afirma que vai entregar uma cidade melhor para o candidato que conseguir se eleger nesta disputa ao comando do Paço Municipal. Ainda assim, José Fortunati, do PDT, lamentou uma situação na área da Saúde que preocupa. O drama é no atendimento das emergências hospitalares que enfrentam um cenário de alta demanda e superlotação. O alerta do prefeito, prestes a deixar o cargo, é de que o serviço na Capital esta à beira de um colapso.

A ponderação de Fortunati indica que este quadro foge da competência da administração municipal, responsável por absorver uma demanda que não é de sua responsabilidade. Segundo ele, o problema é que a crise financeira do Brasil também já atingiu a Saúde.

“Realmente estamos praticamente com um colapso na porta de entrada das nossas emergências. Por exemplo, no Hospital de Clínicas, o acesso é restrito e, no HPS, também temos dificuldades. Toda a demanda vinda do interior do Estado cresceu muito nestes últimos tempos, justamente por que a crise profunda fechou hospitais, leitos e emergências em diferentes cidades”, declarou.

O resultado da descrição do prefeito é um aumento de 30% para 45% na média da procura de pacientes do interior pelo serviço de emergência em Porto Alegre. Fortunati deixou claro que a atenção a este público vai continuar, mas reconheceu dificuldades. “Naturalmente que quem esta no interior do estado precisa de atendimento, nós não vamos negar este atendimento, porém, esta situação nos gera problemas”, analisou.

A superlotação nas emergências da Capital é constatada desde o começo do ano, quando foi registrado um aumento de 20% no primeiro quadrimestre. Porém, com a chegada do inverno, a procura aumentou no segundo semestre agravando ainda mais o problema.

Na última semana, Fortunati entregou para a aprovação da Câmara de Vereadores, a Lei de Diretrizes Orçamentárias. A previsão na LDO é de um investimento de 20% do total do orçamento na área da Saúde, índice superior aos 15% determinados pela Constituição Federal. (Voltaire Porto / Rádio Guaíba)

Fortunati entrega LDO à Câmara de Vereadores e diz que não vai fazer “pegadinha” com futuro prefeito

Fortunati entrega LDO à Câmara de Vereadores e diz que não vai fazer “pegadinha” com futuro prefeito

Cidade Destaque Economia Poder Política Porto Alegre prefeitura

O prefeito José Fortunati entregou nesta quinta-feira à Câmara Municipal o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2017, que deverá ser respeitado pela nova gestão. A peça deve ser apreciada e votada pelos vereadores até 10 de outubro para posterior sanção de Fortunati.

O documento estabelece prioridades, metas, diretrizes gerais e específicas da administração para elaboração do orçamento anual. O projeto servirá de balizador para o primeiro ano do novo prefeito de Porto Alegre, que será eleito em outubro deste ano. Fortunati destacou um cenário de crise que resulta num desemprego de 10% da população da Capital e região metropolitana e, por isso, ressaltou que não vai comprometer a futura administração. “Eu não quero fazer uma pegadinha para o futuro prefeito e quero mostrar que esta é uma peça técnica embasada na realidade. Mas é importante destacar para a população que nas áreas da Saúde e Educação iremos investir mais do que determina a Lei Orgânica e a Constituição Federal”, ponderou.

A estimativa é de que 20% do total do orçamento sejam destinados para a Saúde e 25% para a Educação. O prefeito ainda salientou que através de um financiamento internacional foram conquistados recursos superiores a R$ 80 milhões que vão servir para a compra de tablets para todos os professores da rede pública municipal e também para a instalação de wi-fi.

A previsão é de um orçamento total de R$ 6,9 bilhões. Fortunati ainda destacou que na votação do orçamento anual da prefeitura cortes vão ser confirmados, entretanto, não adiantou quais projetos ou áreas devem sofrer enxugamento.

As ações da prefeitura serão executadas em 12 programas estratégicos: Cidade em Transformação; Desenvolver com Inovação; Qualifica POA; Infância e Juventude Protegidas; Porto Alegre Mais Saudável; Porto da Igualdade; Porto da Inclusão; Porto Viver; Segurança Integrada; Cidade da Participação; Gestão Total e Você Servidor.

O candidato que chegar ao Paço Municipal deverá respeitar as diretrizes listadas pela gestão de Fortunati. Somente a partir do segundo ano é que o novo prefeito poderá elaborar a LDO. (Rádio Guaíba e Correio do Povo)

Porto Alegre: Fortunati garante pagamento integral de servidores só até setembro

Porto Alegre: Fortunati garante pagamento integral de servidores só até setembro

Cidade Destaque Economia Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura

A crise financeira enfrentada pela Prefeitura de Porto Alegre pode levar o Executivo a parcelar o salário dos servidores municipais ainda em 2016. A projeção é do prefeito da Capital, José Fortunati (PDT), que hoje concedeu entrevista à Rádio Guaíba. Ele justifica que a Secretária da Fazenda vem registrando quedas recorrentes de receita. Entre ativos e inativos, a folha de julho fechou em cerca de R$ 215 milhões.

Fortunati garante, contudo, que o pagamento em dia da folha, nos próximos dois meses, está assegurado. “Eu não tenho a segurança de que consiga fazer o pagamento de salários, sem parcelamento, até o final do ano. O que eu posso garantir é que para o mês de agosto e setembro, os indicadores que nós temos é que o pagamento de salário se dará de forma integral”, disse.

Com a queda de arrecadação provocada pela diminuição de repasses dos governos estadual e federal, Fortunati alertou que o parcelamento pode vir a ocorrer nos últimos meses do ano. “Eu só não posso afirmar que em outubro, novembro e dezembro (haverá pagamento integral), pois há sempre uma expectativa. Mas, certamente é a última coisa que eu gostaria de fazer é parcelar salários”, frisa.

O Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) informou ter recebido a informação com surpresa. A entidade lembrou ainda que as contas da Prefeitura sempre fecharam no azul.

O diretor financeiro do Simpa, Raul Giacoboni, adverte que o Executivo concentra, hoje, mais de mil cargos de confiança, o que resulta em inchaço na folha de pessoal. Além disso, Giacoboni fala que os serviços serão afetados em caso de parcelamento. “Se acontecer nós temos formas de mobilização porque certamente tendo salário parcelado evidentemente haverá trabalho parcelado”, pontuou. (Texto e reportagem: Lucas Rivas/Rádio Guaíba)

Termina greve dos municipários após 17 dias de impasse na Capital; por Samantha Klein/Rádio Guaíba

Termina greve dos municipários após 17 dias de impasse na Capital; por Samantha Klein/Rádio Guaíba

Cidade Notícias Política Porto Alegre prefeitura

Os servidores municipais de Porto Alegre decidiram encerrar a greve da categoria, que completou hoje 17 dias. Eles se reuniram em assembleia geral, no Parque da Harmonia, e aceitaram o acordo com o Paço Municipal, que prevê reposição parcelada da inflação e a reposição do corte de ponto.

No início da semana, o prefeito José Fortunati, confirmou o reajuste parcelado, à revelia dos servidores. Ontem, ele também aceitou rodar uma folha suplementar, repondo o desconto de salário para quem aderiu à greve. Fortunati abriu, ainda, a possibilidade de adiantar a última das quatro parcelas previstas para o reajuste da inflação, de janeiro para dezembro, se as finanças municipais melhorarem até o fim do ano.

A perspectiva é de retomada no trabalho em todas as secretarias a partir desta sexta-feira. A decisão, contudo, não foi unânime e a categoria chegou à assembleia ainda dividida. Entretanto, conforme o diretor do Simpa, Raul Giacobini, houve avanços mesmo que parciais. “Nesse momento, ficou evidente que precisávamos verificar se a categoria ainda tinha força para manter a mobilização”.

A Prefeitura deve rodar a folha extra até o início de julho. O pagamento também já deve incluir a primeira parcela do reajuste, de 1,2% retroativa a maio. Depois, os servidores recebem 2% em outubro, 4,2% em dezembro e 1,6% em janeiro, com possível antecipação para dezembro.

Diário Gaúcho: O que o prefeito de Porto Alegre prometeu e o que ele conseguiu cumprir no seu segundo mandato

Diário Gaúcho: O que o prefeito de Porto Alegre prometeu e o que ele conseguiu cumprir no seu segundo mandato

Cidade Comunicação Destaque Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

Excelente a reportagem de hoje do Diário Gaúcho !! Parabéns a repórter Jeniffer Gularte e equipe pelo levantamento feito.

A pouco mais de seis meses para o fim do mandato de Fortunati, o DG conferiu quais das promessas feitas por ele ao jornal foram cumpridas, o que ficou para trás e o que começou a ser feito, mas não estará pronto até dezembro. Se as promessas que o prefeito José Fortunati fez ao Diário Gaúcho em 2012, no período pré-eleitoral, formassem o placar de um jogo, ele teria empatado: seis foram cumpridas, e seis, não cumpridas.

Confira no site do DG um panorama das propostas do prefeito e as justificativas de Fortunati, em uma entrevista exclusiva.

Mesmo após negativa de Fortunati, municipários mantêm greve esperando retomada de negociações. Atos e caminhada tentaram pressionar hoje o Executivo a reabrir discussão salarial com a categoria

Mesmo após negativa de Fortunati, municipários mantêm greve esperando retomada de negociações. Atos e caminhada tentaram pressionar hoje o Executivo a reabrir discussão salarial com a categoria

Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre

Depois de voltar a organizar atos, nesta sexta-feira, o Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) ainda estima que a Prefeitura possa retomar as negociações em torno da reposição salarial, embora o prefeito José Fortunati tenha rechaçado essa possibilidade, dizendo ontem que a negociação voltou à estaca zero. Concentrados em frente ao Paço Municipal, os servidores saíram em caminhada, hoje à tarde, em direção à Igreja da Pompéia, na rua Barros Cassal. A intenção é pressionar os gestores a retomarem as discussões. Os servidores passaram pelas vias Júlio de Castilhos, Conceição, Farrapos e Barros Cassal. Bloqueios momentâneos ocorreram durante trajeto, o que atrasou linhas de ônibus.

Em assembleia nessa quinta-feira, o Simpa rejeitou as três opções de parcelamento de reajuste oferecidas pela Prefeitura e manteve a greve por tempo indeterminado. Em 11 dias de paralisação, os municipários dizem que chega a 70% a adesão da categoria ao movimento grevista.

Embora uma das alternativas apresentadas pela Prefeitura venha atender à reivindicação de concluir a reposição de 9,2% em 2016, a categoria reclama que, sem retroatividade, perde, também, quando receber o 13º salário. Mesmo com a negativa, a diretora de comunicação do Simpa, Carmen Padilha, espera a retomada das negociações antes da terça-feira, data marcada para ocorrer mais uma assembleia da categoria. “Nós não acreditamos que haja esgotamento com uma categoria paralisada (…) eu não acredito que o prefeito não dialogará com seus servidores”, sintetiza.

Hoje pela manhã, os servidores municipais promoveram bloqueios momentâneos na avenida Assis Brasil, na zona Norte, enquanto outros distribuíram panfletos próximo a escolas e postos de saúde das zonas Sul e Leste.

Nessa quinta-feira, Fortunati anunciou que a folha salarial já foi rodada com o corte do ponto dos grevistas. O prefeito afirmou que a negociação voltou à estaca zero e não previu nova data para receber os representantes dos servidores.

Por decisão judicial favorável à Prefeitura, os municipários estão proibidos de repetir bloqueios a prédios e serviços públicos do Executivo, sob pena de multa diária de R$ 50 mil ao Simpa. Eles já obstruíram unidades do DMLU, Fasc, secretarias da Saúde e Administração, além de ocuparem o plenário da Câmara de Vereadores na última terça-feira. (Lucas Rivas/Rádio Guaíba)

Prefeitura dobra contingenciamento e suspende obras previstas em Porto Alegre; por Samantha Klein/Rádio Guaíba

Prefeitura dobra contingenciamento e suspende obras previstas em Porto Alegre; por Samantha Klein/Rádio Guaíba

Cidade Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura Saúde Segurança

A Prefeitura de Porto Alegre anunciou um corte extra no orçamento, nesta quinta-feira. Em nota, o Executivo informou que espera economizar pelo menos R$ 64 milhões com as medidas de contingenciamento. O montante, somado aos R$ 67 milhões contingenciados já no início de janeiro, totaliza quase R$ 132 milhões em economia nesse ano.

A medida não atinge serviços essenciais, mas prejudica obras previstas. A Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) vai ter corte mais expressivo, de quase R$ 27 milhões. O Departamento de Água e Esgotos (Dmae) teve reduzidos R$ 11 milhões no orçamento. Na EPTC, os recursos serão cortados em R$ 6,6 milhões. Construção de novas ciclovias e obras de saneamento previstas também estão suspensas.

Com os cortes de orçamento, a Prefeitura espera evitar o parcelamento do salário dos servidores. “Essas medidas são necessárias, diante da grave crise econômica que atinge o país e penaliza os municípios. No caso de Porto Alegre, a queda na arrecadação ameaça até mesmo o pagamento em dia da folha”, justifica José Fortunati.

Uma campanha interna deve ser realizada, junto aos servidores, incentivando as boas práticas na administração do material de expediente e outras despesas ordinárias. O Executivo justifica que, desde a publicação do decreto de contenção de despesas, em março, houve redução de diárias e compra de passagens aéreas, suspensão da celebração de novos convênios e da contratação de novas obras.