Gedeão Pereira defende criação do seguro agrícola rural contra intempéries. Cerimônia marca posse da nova diretoria da Farsul

Gedeão Pereira defende criação do seguro agrícola rural contra intempéries. Cerimônia marca posse da nova diretoria da Farsul

Agenda Agronegócio

Uma cerimônia muito prestigiada ocorrida na noite de sexta-feira (14/4) no sede da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul marcou a posse da nova diretoria da entidade. A solenidade que empossou Gedeão Silveira Pereira como presidente da Farsul contou com a presença do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, do governador do RS, Eduardo Leite, e do presidente da CNA, João Martins de Souza Júnior, o escolhido para dar posse aos integrantes da nova gestão. Também participaram os senadores Lasier Martins e Luis Carlos Heinze, o prefeito do Porto Alegre, Nelson Marchezan, presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Alceu Moreira, entre outras autoridades e representes de federações da agricultura de todo o País e de sindicatos rurais e produtores do Estado.

DiretoriadaFarsul
Diretoria da Farsul Foto: Tiago Francisco/Farsul

Gedeão centrou o seu discurso no desafio de o País retomar o caminho da competitividade, que exige muito trabalho e eficiência. O presidente ressaltou sobre a necessidade de se fazer as reformas e trabalhar por elas. “Esse direcionamento exige muita coragem para o enfrentamento. Parte importante dessa mudança está nas mãos dos deputados federais”, disse. Em relação ao setor, pontuou mudanças importantes como a criação do seguro agrícola rural contra intempéries, o que certamente também impactaria na redução do custo do financiamento para o setor.

Em seu pronunciamento, Ricardo Salles destacou que o governo está comprometido a ajudar o setor produtivo continuar como o principal motor do desenvolvimento do Brasil. “O presidente Jair Bolsonaro é entusiasta e apoiador do agronegócio”, afirmou. Salles ressaltou que o meio ambiente tem a agricultura como o seu principal parceiro. “É o homem do campo que cuida do meio ambiente no Brasil. E o nosso País deu exemplo de sustentabilidade para todo o mundo.
O governador Eduardo Leite reforçou que o agronegócio é a sustentação da balança comercial do RS e que o papel do governo é se dedicar aos fatores externos que permitam melhor condição de competitividade para quem produz. Entre as iniciativas do governo para aumentar o apoio ao setor listadas por Leite, estão concessão de rodovias e hidrovias no Estado para a iniciativa privada . “Assim, será possível acelerar investimentos em dragagem e sinalização dos rios e melhorar as estradas que fazem o escoamento da produção. A cerimônia também marcou a apresentação na nova logomarca do Senar feita pelo superintendente do Senar Administração Central, Daniel Carrara, e a posse do dos novos conselhos Administrativo e Fiscal e da nova diretoria executiva do Senar-RS, que tem como superintendente Eduardo Condorelli.

1312482857762
Cerimônia de posse de Gedeão Pereira, na Farsul Foto: Tiago Francisco/Farsul

 

Gedeão Silveira Pereira é eleito presidente da Farsul

Gedeão Silveira Pereira é eleito presidente da Farsul

Agronegócio Destaque Poder Política

A 42ª eleição realizada pela Farsul desde sua fundação, em 1927, conduziu Gedeão Silveira Pereira à presidência da Federação. Dos 137 sindicatos aptos a votar, 119 compareceram e apenas um votou em branco. O pleito foi realizado nesta quarta-feira, dia 31, e elegeu a próxima diretoria responsável pela gestão da federação de agricultura mais antiga do país, com 91 anos. O mandato de Gedeão inicia no dia primeiro de janeiro de 2019 e vai até 31 de dezembro de 2021.

Gedeão será o 24º presidente da Farsul. Ele, juntamente com mais trinta diretores, todos produtores rurais, terão a responsabilidade de defender os interesses setoriais, representando milhares de produtores rurais do estado. É missão da Farsul, honrar a vocação de produzir, de defender o direito de propriedade, a livre iniciativa, a economia de mercado e os interesses do País.
Médico veterinário, formado em 1971 pela Universidade Federal de Santa Maria, Gedeão Silveira Pereira é produtor rural, proprietário e administrador da Estância Santa Maria com produções de Pecuária de Corte (raças hereford e polled hereford) com manejo em pastagens de azévem, trevo e cornichão e agricultura de arroz, soja e sorgo e florestamento de eucaliptos. Já realizando viagens de estudos em pecuária à Nova Zelândia, Austrália, USA, Argentina, Chile, Paraguai, França, Espanha e Rússia.

Foi diretor da Associação Brasileira de Criadores de Hereford e Braford e presidente do Sindicato/Associação Rural de Bagé por dois mandatos. Presidiu a Comissão de Assuntos Fundiários da Farsul, onde, também, foi vice-presidente por quatro mandatos e vice-presidente da CNA. Preside a Federação, desde dezembro de 2017, após o falecimento de Carlos Sperotto. Pela mesma razão, é presidente do Sebrae/RS e vice-presidente do Fundesa. É o responsável pelas negociações de comércio exterior da CNA e presidente do Fórum Mercosul da Carne.

Agronegócio/RS:  Etapa estadual do CNA Jovem inicia neste final de semana

Agronegócio/RS: Etapa estadual do CNA Jovem inicia neste final de semana

Direito Economia Educação Negócios Notícias Poder Política

Começa na próxima sexta-feira (13/05) a inédita fase estadual do CNA Jovem, programa desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-RS). Um grupo de 20 jovens gaúchos participa da iniciativa de capacitação, que visa o desenvolvimento de novas lideranças para o meio rural e o Brasil. O primeiro encontro ocorrerá até sábado no Master Perimetral Hotel – Av. Loureiro da Silva, 1840, bairro Cidade Baixa. As próximas etapas da fase estadual estão programadas para os dias 3, 4, 17 e 18 de junho.

Criado em conjunto com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o CNA Jovem é realizado no Rio Grande do Sul em parceria com o Sistema Farsul e Sindicatos Rurais. A iniciativa é dirigida para jovens com idade entre 22 e 30 anos, formação superior e que já tenham liderado algum tipo de ação em suas regiões de origem. Durante a capacitação, os participantes serão instigados a trabalhar sobre questões de relevância para o segmento rural e à sociedade. Todos eles foram selecionados através de processo seletivo, que avaliou seus vídeos encaminhados onde apresentavam propostas e soluções a demandas de suas regiões de origem.

A programação propõe que cada jovem escolha um desafio relacionado a pautas de relevância no segmento do agronegócio. Conforme o gestor do programa no Rio Grande do Sul e Chefe da Divisão de Inovação e Ações Especiais do SENAR-RS Taylor Guedes, definido os desafios, os jovens irão desenvolver planos de ação para solucioná-los. Em paralelo, entre um encontro presencial e outro, haverá atividades que serão aplicadas remotamente. “A programação tem como objetivo discutir com os participantes cenários e gargalos relacionados ao agronegócio, avaliar e aprimorar as habilidades de liderança e, principalmente, prepará-los para que definam os desafios e elaborem suas estratégias de ação. Esses são os dois principais produtos do programa”. No encontro deste final de semana, também será apresentado aos participantes outros detalhes do programa, bem como informações sobre o contexto econômico do agronegócio das entidades envolvidas. Haverá ainda uma palestra ministrada pelo vice-presidente do Sistema FARSUL, Gedeão Pereira.

Esta é a primeira vez em que o programa terá uma etapa estadual. Além de apresentar seus trabalhos à diretoria do Sistema Farsul, os três jovens gaúchos melhores pontuados estarão classificados para fase nacional do CNA Jovem, que acontece entre os meses de julho e novembro, em Brasília. Eles também passam a integrar a Rede CNA Jovem, que já conta com participantes da primeira edição, através da qual são desenvolvidas campanhas, missões nacionais e internacionais, e diversas oportunidades de crescimento pessoal e profissional. “Ao mesmo tempo em que são estimulados a liderarem ações construtivas no meio rural, estes jovens terão a oportunidade de abordarem as demandas do agronegócio gaúcho em uma criativa rede nacional de soluções. Deste modo, queremos estimular o desenvolvimento de personalidades comprometidas com o futuro do campo e da sociedade como um todo”, comenta o superintendente do SENAR-RS, Gilmar Tietböhl.

As atividades da fase estadual do programa terão como instrutores dois jovens egressos da última edição, o que colabora na transmissão e entendimento dos conteúdos tratados. Os participantes selecionados para este ano já estão sendo chamados pelo SENAR-RS.

 

Vencedora gaúcha em 2015

A médica veterinária Carolina Heller Pereira, de Porto Alegre, foi uma das cinco vencedoras do CNA Jovem em 2015. Ela apresentou um projeto voltado para avaliar a sustentabilidade e a emissão de gases geradores do efeito estufa em fazendas do RS, utilizando um software desenvolvido pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Carolina teve como desafio verificar a necessidade de adaptar o programa norte-americano conforme a realidade brasileira, visando a obtenção de dados sobre a emissão de gases para cada sistema de produção nas propriedades. A veterinária, juntamente com os outros quatro vencedores do ano passado, participou de uma missão à China, onde pôde conhecer instituições de pesquisa, modelos de empreendedorismo e prospecção de negócios.

 

 

Sistema Farsul lança ciclo Para Onde Irão os Novilhos?

Sistema Farsul lança ciclo Para Onde Irão os Novilhos?

Negócios Notícias

Após três anos promovendo os seminários De Onde Virão os Terneiros?, o Sistema Farsul apresentou, nesta quinta-feira (10.12), seu novo programa para desenvolvimento da pecuária gaúcha: o ciclo Para Onde Irão os Novilhos?. A apresentação ocorreu em Santa Maria. O vice-presidente da Farsul, Gedeão Pereira(foto), afirma que o foco da nova programação serão questões como técnicas de terminação do gado, mercados e qualidade da carne gaúcha. Para o dirigente, manter o apoio à atividade pecuária é prioridade para o Sistema Farsul. “Nos últimos cinco anos, o Rio 15604568dc2dda1443124877Grande do Sul ganhou aproximadamente 1,2 milhão de hectares de soja em terras de pecuária. Mas não podemos abrir mão dela e das oportunidades. Temos preços na pecuária gaúcha muito maiores do que em São Paulo hoje. Temos um produto diferenciado, que o mundo quer”, afirmou o dirigente, nesta quinta-feira, durante o seminário De Onde Virão os Terneiros?, defendendo aumento de produtividade pecuária, com aproveitamento das áreas de pastagem de inverno em campos de soja.

Segundo o chefe da Divisão Técnica do Senar-RS, João Augusto Telles, o formato do novo ciclo deve seguir o do que encerra seu terceiro ano, com dias de campo seguidos de palestras em diferentes municípios do Rio Grande do Sul. “É um modelo de sucesso, que deu certo e vamos manter”, garante. Ainda serão realizadas etapas do De Onde Virão os Terneiros?, em locais que não receberam o evento.

Antes do anúncio, o coordenador do evento, José Fernando Piva Lobato, voltou a fazer um apelo para que o produtor adote práticas que levem a um aumento da produtividade, a fim de elevar o número de terneiros por vacas no rebanho gaúcho, hoje de apenas 0,56. Ele defende ajustes na lotação pecuária, investimentos em pastagens e seleção, para garantir fêmeas bem alimentadas e prontas para reproduzir. Citando dados de um produtor de Estado, ele afirma que manter uma novilha no campo custa R$ 310 por ano, e uma vaca falhada, R$ 378: um custo que não se justifica se o animal não gerar terneiros. A melhoria traria impactos econômicos para todo o Estado. “Temos de manter nossas plantas frigoríficas abertas, gerar empregos. É uma questão social, até!”, afirma Lobato.

Expointer 2015: Farsul aponta que resultados do evento demonstram a força do agronegócio

Expointer 2015: Farsul aponta que resultados do evento demonstram a força do agronegócio

Economia Expointer Negócios Notícias Poder Política

O presidente do Sistema Farsul, Carlos Sperotto, comemorou os resultados alcançados durante a 38ª edição da Expointer. Sperotto destaca que a palavra que marca essa edição é superação. “Quando nos apresentam os problemas, trazemos as soluções, provando que podemos ir mais longe do que as pessoas pensam. Os números sinalizam um norte altamente favorável para o agronegócio, apesar do cenário atual da economia”, diz. Ele aproveitou para agradecer à parceria do governo do Estado, principalmente na figura do secretário da Agricultura e Pecuária, Ernani Polo, pelo “desempenho e simplicidade na contribuição de todo o processo”.

O presidente da Comissão de Exposições e Feiras da Farsul, Francisco Schardong, destacou que antes mesmo da divulgação dos resultados finais, a comercialização de animais já superou a edição passada, totalizando R$ 15 milhões, um superávit de 23% no faturamento. “Esse desempenho positivo irá refletir certamente nos remates de primavera. Além disso, mostra o ótimo momento que a pecuária de corte vive no Estado”, comenta.

Para o vice-presidente da Farsul, Gedeão Pereira, a Expointer também evidenciou o bom relacionamento do pecuarista e das lideranças gaúchas com a indústria da carne, visto que os dois maiores frigoríficos do país, Marfrig e JBS, adquirem gado do Rio Grande do Sul para suas linhas premium e realizaram encontros com fornecedores em Esteio. “Os convênios firmados pelos dois frigoríficos durante a feira evidenciam a qualidade do gado gaúcho”, disse..

A Vitrine da Carne, promovida pelo programa Juntos Para Competir – parceria entre a Federação, o Senar-RS e o Sebrae/RS –, foi novamente sucesso de público. Foram 2.753 espectadores, com uma média de 95 pessoas por sessão, que acompanharam a desossa de carcaças bovinas, ovinas e suínas. Neste ano, a novidade ficou por conta da presença de três totens em frente à Vitrine, nos quais as pessoas podiam ter acesso às receitas e levá-las para casa em papel impresso.

Perspectivas para a Expointer 2016

O presidente do Sistema Farsul, Carlos Sperotto, destaca que as projeções para 2016 são ainda mais otimistas. “O próximo ano já está sendo preparado. Temos que ter posições que venham a se consolidar no que diz respeito às definições das áreas do parque”, finaliza.

Expointer 2015: Presidente da Ocergs, Vice da Farsul e produtor rural recebem medalha Assis Brasil

Economia Expointer Notícias Poder Política

gedeão-silveira-pereiraUm ponto alto da abertura oficial da Expointer 2015 foi a entrega da medalha Assis Brasil, feita pelo Governador Sartori. entre os agraciados, o vice-presidente da Farsul, produtor rural e médico veterinário, Gedeão Pereira(foto). Gedeão é considerado produtor modelo de pecuária de corte e de grãos, com a participação de cursos na área no mundo inteiro, Pereira também tem como marca em sua história de sucesso a atuação sindical voltado ao sucesso do produtor rural, com passagens pelo sindicato rural e associação rural de Bagé. Atualmente, divide o seu tempo entre a administração da Estância Santa Maria e o trabalho na Farsul e na CNA, onde é membro da Comissão Fundiária. “Estou muito honrado por ter recebido um prêmio tão importante. Creio que este reconhecimento está atrelado ao meu trabalho em órgão sindicais com os olhos sempre voltados ao produtor rural”, afirma Pereira.

A condecoração foi instituída em 1973, em homenagem a Assis Brasil, mestre do ruralismo brasileiro, visando apoiar e estimular o desenvolvimento da atividade primária no Rio Grande do Sul. É destinada àqueles que se destacam na agricultura e pecuária. Neste ano, também foram agraciados o presidente da Ocergs, Vergílio Perius, e o agropecuarista, Antônio Bonotto.

Expointer 2015: Reunião da CNA aborda retirada da vacina da febre aftosa

Economia Expointer Notícias Política

A retirada de vacinação contra a febre aftosa no Brasil foi o principal tema debatido na reunião da Comissão Nacional Bovinocultura de Corte da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) realizada19864779690391_mini nesta segunda-feira, na Casa Farsul no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Representando a Farsul no encontro, o vice-presidente da Federação, Gedeão Pereira(foto), afirmou não ter uma visão desfavorável no processo, mas respeitando uma temporalidade necessária. “Não temos condição de retirar a vacina. Devemos caminhar a médio e longo prazo, mas precisamos ter mais segurança. O RS é parceiro num futuro”, disse.

O encontro, conduzido pelo presidente da comissão da CNA, Antônio Pitangui de Salvo, reuniu importantes lideranças do tema, como o diretor do Centro Panamericano de Febre Aftosa da Organização Mundial da Saúde (Panaftosa), Ottorino Cosivi, do presidente do Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC), Sebastião da Costa Guedes, presidente da ABIEC, Jorge Camardelli, do assessor técnico da Farsul, Luiz Alberto Pitta Pinheiro e de presidentes e representantes de federações e associações de raça de todo o país.

O assunto foi introduzido pelo consultor técnico e presidente da Comissão da Bovinocultura de Leite da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP), Ronei Volpi. Ele informou que o Estado pretende fazer a última vacinação do gado em maio de 2016. “Em novembro de 2015, faremos a revisão total dos cadastros para nos prepararmos e, em novembro de 2017, encaminharemos o pedido de área livre para Organização Internacional de Epidemiologia (OIE) para tentar conquistar a condição em 2018”, informou.

Sebastião Guedes, do Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC), confirmou que a erradicação na América do Sul até 2020 é clara. Destacou como ações importantes discutir a criação de um banco de reserva de vacinas, o risco de manipulação de vírus exóticos no continente e discussão em reunião extraordinária do Grupo Interamericano de Erradicação da Febre Aftosa (Giefa), em Washington. Guedes defendeu a retirada da vacinação a começar pelos estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste, Leste, Norte e Nordeste, e por último, das áreas de risco, quando as condições forem propícias.

O diretor do Panaftosa, Ottorino Cosivi, expôs um panorama da febre aftosa dos países da América do Sul e afirmou que a região tem bom sistema de vigilância. “De todos os países, o que mais preocupa é a Venezuela, onde o serviço sanitário declarou não ter como saber o que se passa em todo o território nacional”, disse. Cosivi alertou para a importância de se manter uma capacidade instalada de vacinação para casos de recorrência.

A programação do evento contou com a apresentação de Sérgio Bertelli Pflanzer, da Unicamp, que falou sobre simplificar a classificação das carcaças bovinas apenas pelo número de dentes para facilitar a definição de pontuação.

Em seguida, pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Roberto Girolo, apresentou o projeto Carne Carbono Neutro, que propõe um selo para quem seguir práticas definidas como plantar árvores com espaçamento de até 22 metros em áreas de pecuária e prevê um trabalho de valorarão econômica para pesquisar possibilidades de o consumidor pagar mais por esse produto certificado.

Pitangui, da CNA, e Pereira, da Farsul, concordaram que o projeto é importante, mas que deve-se considerar outras frentes como um trabalho para identificar a pegada de carbono das pastagens e das reservas florestais já existentes. “Região do Bioma Pampa, por exemplo, tem característica de não ter árvores. Precisamos de um outro caminho por aqui”, comentou Pereira.

Ao final, o presidente do Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável,Fernando Sampaio, apresentou e entregou aos presentes o recém lançado o Guia de Práticas para a Pecuária Sustentável.