Fazenda garante recursos e reclama de ‘falhas de gestão’ na Secretaria da Segurança do RS; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Fazenda garante recursos e reclama de ‘falhas de gestão’ na Secretaria da Segurança do RS; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Destaque Economia Negócios Poder Política Segurança

O secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, afirmou, nesta quinta-feira, que os recursos para a implementação do Plano de Segurança Pública do Rio Grande do Sul estão garantidos desde o anúncio do governador José Ivo Sartori. Segundo Feltes, se ainda há demora na execução do plano, como a liberação de horas extras e diárias, por exemplo, isso decorre de um “problema de gestão” da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Feltes chegou a dizer que não é mais possível responsabilizar a Secretaria da Fazenda pela demora na execução do plano.

“Acho que ontem nós alinhamos os discursos em uma reunião patrocinada pelo vice-governador (José Paulo) Cairoli onde eu havia sugerido a reunião com Comando da Brigada, Polícia Civil, IGP, Susepe, todo mundo lá. Na verdade eles não implementaram ainda (a Segunda Etapa do Plano de Segurança Pública) porque lhes faltaram condições, mas não financeiras. O dinheiro está disponibilizado desde o dia do anúncio do governador, o problema lá (na SSP) foi de gestão mesmo. Acho que nós alinhamos ontem o discurso. A desculpa não pode mais ser a Secretaria da Fazenda. Sempre esteve (garantido o dinheiro para as medidas) desde o anúncio do governador. Quando o governador anunciou, poderia a Secretaria de Segurança ter implementado de uma forma mais visível”, explicou Feltes.

A Segunda Etapa do Plano de Segurança foi anunciada há quase um mês e prevê investimentos de mais de R$ 160 milhões, sendo R$ 52 milhões somente para horas extras e diárias. Extraoficialmente, fontes ligadas à Segurança Pública dizem que esses valores de diárias e horas extras não foram empenhados pelo governo, ou seja, documentados, dando garantia de que os gestores já podem efetivar o plano. Em tese, isso também afeta o repasse de R$ 30,5 milhões reservados para a reestruturação e o reaparelhamento dos órgãos da SSP ainda em 2016.

O Plano prevê, também, a contratação de 2 mil brigadianos e 600 policiais civis até o fim de 2017. O chamamento está previsto para ocorrer em três etapas, sendo o primeiro grupo convocado em agosto. (Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba)