Impeachment de Dilma: Rossetto chama Temer e Cunha de golpistas e diz que governo preservará cargo da Presidente no Senado

dilma Entrevistas Notícias Poder Política

 

Conversei hoje com o ministro do Trabalho e da Previdência Social, Miguel Rossetto, no programa Agora/Rádio Guaíba. Ele deixou claro que o governo não acredita na possibilidade de que o processo de impeachment contra a Presidente Dilma Rousseff não seja aberto no Senado. Isso porque a oposição tem os votos necessários, mas Rossetto acredita que na votação final, em um prazo de até seis meses, o governo obtenha mais de 1/3 dos votos dos Senadores para preservar Dilma no cargo. Várias vezes o ministro repetiu que “Não há crime de responsabilidade. Ele não existe. O Senado não vai produzir uma nova intriga”. O ministro “entoou” o mantra petista de que a saída de Dilma da presidência significará o fim da Lava Jato e fez duras criticas ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.