Procura de pacientes do interior por emergências na Capital aumenta e prefeito diz que serviço está à beira de um “colapso”; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

Procura de pacientes do interior por emergências na Capital aumenta e prefeito diz que serviço está à beira de um “colapso”; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Poder Política Porto Alegre prefeitura Saúde

O prefeito de Porto Alegre afirma que vai entregar uma cidade melhor para o candidato que conseguir se eleger nesta disputa ao comando do Paço Municipal. Ainda assim, José Fortunati, do PDT, lamentou uma situação na área da Saúde que preocupa. O drama é no atendimento das emergências hospitalares que enfrentam um cenário de alta demanda e superlotação. O alerta do prefeito, prestes a deixar o cargo, é de que o serviço na Capital esta à beira de um colapso.

A ponderação de Fortunati indica que este quadro foge da competência da administração municipal, responsável por absorver uma demanda que não é de sua responsabilidade. Segundo ele, o problema é que a crise financeira do Brasil também já atingiu a Saúde.

“Realmente estamos praticamente com um colapso na porta de entrada das nossas emergências. Por exemplo, no Hospital de Clínicas, o acesso é restrito e, no HPS, também temos dificuldades. Toda a demanda vinda do interior do Estado cresceu muito nestes últimos tempos, justamente por que a crise profunda fechou hospitais, leitos e emergências em diferentes cidades”, declarou.

O resultado da descrição do prefeito é um aumento de 30% para 45% na média da procura de pacientes do interior pelo serviço de emergência em Porto Alegre. Fortunati deixou claro que a atenção a este público vai continuar, mas reconheceu dificuldades. “Naturalmente que quem esta no interior do estado precisa de atendimento, nós não vamos negar este atendimento, porém, esta situação nos gera problemas”, analisou.

A superlotação nas emergências da Capital é constatada desde o começo do ano, quando foi registrado um aumento de 20% no primeiro quadrimestre. Porém, com a chegada do inverno, a procura aumentou no segundo semestre agravando ainda mais o problema.

Na última semana, Fortunati entregou para a aprovação da Câmara de Vereadores, a Lei de Diretrizes Orçamentárias. A previsão na LDO é de um investimento de 20% do total do orçamento na área da Saúde, índice superior aos 15% determinados pela Constituição Federal. (Voltaire Porto / Rádio Guaíba)

Estado aumenta em 8,4% recursos estaduais investidos nos hospitais

Estado aumenta em 8,4% recursos estaduais investidos nos hospitais

Notícias Saúde

Os hospitais gaúchos que oferecem atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) receberam este ano, entre recursos federais e estaduais, mais de R$ 721 milhões de janeiro a maio. O dado consta no relatório quadrimestral de saúde apresentado, nesta quarta-feira (22), na reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa.

O documento aponta um avanço de 8,4% nos repasses de recursos aos hospitais, em relação ao mesmo período de 2014. Além disso, até o momento, os investimentos efetuados pelo Governo do Estado superaram os repasses federais destinados às instituições.

“Estamos vivendo a maior crise financeira da saúde pública brasileira, mas temos que enfrentá-la”, ressaltou o secretário estadual de Saúde, João Gabbardo dos Reis. Segundo ele, apesar desse panorama, a produção do SUS está rigorosamente em dia com todos os prestadores de serviços. O secretário também reforçou que, mesmo sem o Incentivo de Cofinanciamento da Assistência Hospitalar (IHOSP), os hospitais receberam mais recursos neste ano do que em 2014.

O Relatório Detalhado de Prestação de Contas do Quadrimestre Anterior (RDQA) é apresentado três vezes por ano em audiência pública na Assembleia Legislativa, conforme determinação da Lei Complementar 141/2012 e a resolução nº 459/2012 do Conselho Nacional de Saúde (CNS). O documento deve informar dados sobre o montante e a fonte de recursos aplicados no período e sobre oferta e produção de serviços nas redes própria, contratada e conveniada.

A diretora da Assessoria Técnica de Planejamento da Secretaria Estadual da Saúde (SES), Aglaé Silva, também participou da reunião.

Após tiroteio no HPS, presidente do Simers lamenta que Sartori tenha perdido controle sobre criminalidade; por Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Após tiroteio no HPS, presidente do Simers lamenta que Sartori tenha perdido controle sobre criminalidade; por Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Cidade Comunicação Direito Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura Saúde Segurança

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) voltou a cobrar providências do poder público para solucionar a falta de segurança em unidades médicas de Porto Alegre. A entidade se manifestou após o registro de uma tentativa de homicídio a tiros, dentro do Hospital de Pronto Socorro, no início da tarde de hoje. Um homem entrou na casa de saúde, procurou a Emergência fingindo ser paciente, e efetuou de seis a sete disparos contra o alvo, internado desde a madrugada. Após o crime, o autor dos tiros fugiu de moto, com a ajuda de um comparsa. A vítima, Maicon Azevedo da Silva, de 21 anos, recebe atendimento, em estado grave. O atendimento, que ficou restrito na Emergência, já se normalizou.

Para o presidente do Simers, Paulo de Argollo Mendes, a falta de policiamento ostensivo nos hospitais vem provocando uma escalada da criminalidade nas casas de saúde. Conforme o dirigente, o governador José Ivo Sartori perdeu o controle sobre a criminalidade. Além de câmeras de videomonitoramento, a presença de policiais, e não de vigilantes, defende Argollo, é fundamental para dar uma resposta à sociedade.

Sobre o HPS, o dirigente defende a identificação de quem circula pela unidade de saúde e sugere a instalação de catracas para ampliar a segurança no local.

Os crimes, recorrentes em hospitais de Porto Alegre, ainda levaram o presidente do Simers a comparar o nível de violência da Capital com os de cidades historicamente mais violentas: “Porto Alegre não deve nada ao Rio de Janeiro. Os traficantes dizem aos governadores o que vão fazer o fazem o que bem entendem. Essa é a verdade”, lamenta.

Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Porto Alegre confirmou que o alvo do criminoso havia ingressado, durante a madrugada, em busca de atendimento, após ter sido baleado. O confronto, que resultou em uma morte, ocorreu na avenida Cavalhada, na zona Sul.

Em março, em uma ocorrência semelhante, um jovem foi morto dentro do Hospital Cristo Redentor, na zona Norte da Capital. Ele foi atingido com três tiros na cabeça dentro do setor de traumatologia, no terceiro andar da instituição. A Polícia apurou que um adolescente cometeu o crime.

Confira, na íntegra, a nota da SMS sobre o caso: 

Com relação à ocorrência com disparo de tiros que ocorreu no interior do Hospital de Pronto Socorro (HPS), na tarde desta terça-feira, 19, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que um rapaz deu entrada nas dependências do hospital às 2h30 da madrugada, já baleado, trazido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Durante o dia, outro homem acessou o hospital se identificando como paciente. Ao localizar o rapaz já baleado, disparou contra ele, sem causar morte, fugindo logo após. Não há registro de feridos, a não ser o paciente que já estava baleado e permanece em atendimento. O 9º Batalhão da Polícia Militar está no local.

RS: Estado zera fila de espera de transplantes de córnea

RS: Estado zera fila de espera de transplantes de córnea

Notícias Saúde

O Rio Grande do Sul zerou, neste mês de setembro, a fila de espera por transplantes de córnea. O anúncio foi feito pelo secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, nesta sexta-feira (25), durante solenidade em comemoração à Semana Nacional de Doação de Órgãos, no Palácio Piratini. “É uma situação inédita no Estado, pois não existem mais pessoas na fila aguardando transplante de córnea. Os órgãos captados estão sendo disponibilizados a outros estados”, afirmou.

O governador José Ivo Sartori anunciou que o governo do Estado se associou à campanha Doar é Legal, iniciada em 2009 pelo Tribunal de Justiça, e expandiu para todos os sites do Executivo o link onde qualquer pessoa pode se cadastrar como doador de órgãos e receber um certificado gratuito, que possibilita comunicar à família sobre seu desejo.

Estado adere à Campanha Doar é Legal na Semana Estadual de Doação de Órgãos

“Hoje, o que nos une é a doação em prol da vida. É importante que o doador expresse sua vontade aos familiares, embora seja difícil encontrar serenidade em meio a dor e a tristeza. Em um abraço solidário, vamos melhorar ainda mais esses números e colocar nosso Estado em posição de destaque no ranking em favor da vida”, disse Sartori.

O presidente do Tribunal de Justiça, José Aquino Flores de Camargo, afirmou que a campanha Doar é Legal já emitiu 22.678 certificados digitais em todo o país desde 2011. O presidente da Assembleia Legislativa, Edson Brum, também anunciou a união do parlamento na campanha e disse que o link já está disponível no portal www.al.rs.gov.br.

Transplantes

Levantamento da Secretaria da Saúde revela que o número de notificações de doação aumentou 17% de janeiro até 20 de setembro em comparação ao mesmo período do ano passado. Já o número de doações efetivadas aumentou 32%, colocando o Rio Grande do Sul no 3º lugar do ranking nacional.

O Rio Grande do Sul lidera o ranking dos estados em transplantes de rim e pulmão. Fica em 5º lugar nos transplantes de pâncreas e 7º nos transplantes de fígado e coração. De janeiro a setembro deste ano, foram realizados 351 transplantes de rim, 94 de fígado, 29 de pulmão, 11 de coração, 5 de rim e pâncreas e 558 de córneas.

Até o dia 24 de setembro deste ano, 18 pessoas estavam na fila de espera de um coração novo, 169 de fígado, 1 de pâncreas, 75 de pulmão, 893 de rim, 15 de rim e pâncreas e 4 de fígado e rim.

Homenagens

O governador entregou certificados aos hospitais que se destacaram na captação de órgãos neste ano. São eles: Pronto Socorro de Canoas, HPS de Porto Alegre, Cristo Redentor, Hospital de Tramandaí, Santa Casa de Uruguaiana, Nossa Senhora da Pompeia de Caxias do Sul, Bruno Born e São Lucas da PUC.

Sartori homenageou o ex-deputado estadual Sanchotene Felice e o ex-deputado federal Beto Albuquerque pela dedicação em prol da qualificação e do apoio às ações relacionadas ao processo de transplantes no Estado.

O verdadeiro significado da doação foi sintetizado pela homenagem feita por pacientes transplantados aos profissionais, que, com a solidariedade de famílias anônimas, lhe deram uma nova vida.

Os homenageados foram os médicos Valter Duro Garcia, pioneiro e referência nacional na construção do sistema de transplantes, e coordenador do transplante renal da Santa casa de Porto Alegre; Fernando Antonio Lucchese, diretor médico do Hospital São Francisco da Santa Casa; Ivo Nesrala, precursor do transplante cardíaco no RS e diretor-presidente do Instituto de Cardiologia; e José Camargo, expoente em transplante pulmonar na América Latina, idealizador e diretor do Hospital Dom Vicente Scherer da Santa Casa de Porto Alegre.