SIMERS vai São Lucas/Puc após novo caso de violência na saúde em Porto Alegre

Notícias Saúde

O Sindicato Médico do RS (SIMERS) vai ao Hospital São Lucas da PUC para conferir a situação no local após homem ser morto e outro baleado em frente à instituição, conforme notícia da imprensa. O novo caso de violência acentua a cobrança por medidas do governo estadual e ocorre justamente um dia após o presidente do Simers, Paulo de Argollo Mendes, reunir-se com o secretário estadual de Segurança Pública, Wantuir Jacini.

Argollo considera que as medidas prometidas pelo secretário precisam ser urgentemente implantadas. A entidade verificará as condições para a manutenção do atendimento devido ao impacto da violência. É o oitavo caso do ano de violência em unidade de saúde em Porto Alegre este ano, sendo que a maior parte envolve disparos de arma e mortes.

Dados: Em 2015, foram 33 ocorrências de violência no Estado, sendo 22 em Porto Alegre. O número mais que dobrou frente a 2014, que teve 14 casos (8 na Capital). Os dados compõem monitoramento do SIMERS, com base em relatos e notícias da Imprensa.

Em 2016, subiu para 8 casos, com o desta quarta-feira. Todos em Porto Alegre. Este ano a violência aumentou: houve ataques a postos, como o da Cruzeiro, que teve de ser fechado devido ao nível da violência, com mortes e disparos de metralhadora. Houve tentativa de execução de um homem a tiros dentro da emergência do HPS, execução de um paciente dentro do Cristo Redentor e tiroteio com morte entre bandidos e policiais em frente ao hospital da zona norte.

Reunião na sede da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) entre SIMERS e Jacini definiu pela criação de uma câmara temática para cuidar das questões de segurança na saúde. O grupo de trabalho vai reunir integrantes do SIMERS, outras entidades médicas e órgãos de segurança. Argollo reforçou as principais reivindicações: integração do videomonitoramento existente em diversos órgãos, instalação de botões de pânico, policiamento em cada unidade, aumento do efetivo da Guarda Municipal e até detectores de metais nos acessos.