Porto Alegre: Escadas do Mercado Público serão restauradas

Porto Alegre: Escadas do Mercado Público serão restauradas

Agenda Destaque Negócios Poder Política Porto Alegre Segurança Trabalho Turismo Vídeo

 

Amanhã, completam-se cinco anos de um aniversário que ninguém gostaria de comemorar. No dia 6 de julho de 2013, um incêndio destruiu parcialmente o segundo andar do Mercado Público, que, ainda hoje, permanece fechado ao público. No entanto, neste ano, a Associação do Comércio do Mercado Público Central (Ascomepc) tem um presente para o tradicional prédio histórico da Capital dos gaúchos: as duas escadas de acesso localizadas nos quadrantes 3 e 4 serão recuperadas.

De acordo com Adriana Kauer, 2ª secretária da Ascomepc, uma empresa já foi contratada para fazer as reformas necessárias. “Dentro de 15 a 20 dias, no máximo, devem começar as obras de recuperação.”

A recuperação das escadas faz parte no Plano de Prevenção Contra Incêndios (PPCI) que está sendo executado pela associação, após os permissionários assumirem a responsabilidade pelo mesmo perante o Ministério Público, em homologação assinada em maio deste ano junto ao promotor Claudio Ari Melo. “Trouxemos para nós a missão de reabrirmos o segundo andar. E só com o PPCI poderemos fazer isso. Neste momento, a empresa contratada para fazer o projeto aprovativo é a Combate, a mesma que fez o PPCI para a Santa Casa”, explica Adriana.

No período que a reforma estiver em andamento, porém, a circulação dos clientes no Mercado não será afetada.

 

Alvo de denúncia, DEP registra possível incêndio criminoso em Porto Alegre. Galão de querosene foi encontrado no local

Alvo de denúncia, DEP registra possível incêndio criminoso em Porto Alegre. Galão de querosene foi encontrado no local

Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre prefeitura

Um incêndio registrado na madrugada desta segunda-feira destruiu parte dos arquivos da sede do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) em Porto Alegre. Apenas documentos armazenados em uma sala onde opera a assessoria jurídica do órgão foram queimados. A Polícia Civil trabalha com a possibilidade do incêndio ter sido criminoso. Um galão de querosene foi encontrado no local. Em agosto, a Prefeitura de Porto Alegre revelou um rombo de pelo menos R$ 2 milhões em pagamentos superfaturados no DEP.

O prédio do Departamento fica localizado na rua General Lima e Silva e não dispõe de câmeras de segurança. Nessa manhã, em entrevista ao programa Agora da Rádio Guaíba, o diretor-geral do DEP, René José Machado de Souza, ainda se mostrou cauteloso ao afirmar a possibilidade do incêndio ter sido criminoso. Souza garantiu, porém, que todos processos destruídos pelas chamas também estão armazenados em outros sistemas. “Todos estes processos administrativos, que estavam sendo investigados, não ficavam unicamente em meio físico, e existem cópias em meios digitais”, diz. Imagens de câmeras de segurança de prédios vizinhos serão solicitadas para tentar identificar o acesso de suspeitos ao prédio durante a madrugada e início da manhã de hoje.

Em agosto, a Prefeitura confirmou que pelo menos R$ 2 milhões foram pagos pelo Executivo de foram irregular para uma empresa realizar serviços de limpeza de bueiros em Porto Alegre. Os números foram divulgados após conclusão de uma sindicância realizada no DEP. Responsável pela investigação, a Procuradoria-Geral do Município (PGM) encontrou superfaturamento de 30% no serviço. A descoberta do esquema levou a Prefeitura a trocar o comando do DEP. ( Felipe Vieira com informações de Lucas Rivas/Rádio Guaíba)