Conselheiro de órgão ligado à Receita é preso ao pedir propina para o Itaú

Conselheiro de órgão ligado à Receita é preso ao pedir propina para o Itaú

Notícias

Um membro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF), espécie de Tribunal da Receita, foi preso em flagrante pela Polícia Federal (PF), na noite desta quarta-feira (6/7). Ele foi surpreendido pelos agentes no momento em que cobrava pagamento de propina ao Banco Itaú, em um shopping de Brasília. A ação, intitulada Quatro Mãos, foi autorizada judicialmente e se deu a partir de denúncia da própria empresa privada de grande porte.

De acordo com a PF, o conselheiro solicitou vantagens ao Itaú para proferir decisão favorável e influenciar em julgamento de processo administrativo no âmbito do CARF.

O flagrante se deu no curso de Ação Controlada deferida judicialmente pelo Juiz Federal Marcus Vinícius dos Reis Bastos da 12ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, com base em representação da Polícia Federal, para que fosse aguardado um momento mais oportuno do ponto de vista da produção de prova.

Quatro mãos
O nome da operação é baseado na proposta inicial feita pelo investigado a representante da instituição financeira, para que a elaboração do voto fosse feita a “quatro mãos”. Apesar da semelhança, a ação ocorreu independentemente das investigações levadas pela operação Zelotes, segundo a PF. (Correio Braziliense)

 

O outro lado: FHC, Lula, Aécio, Nardes, Itaú… falam sobre as denuncias de Pedro Correa

O outro lado: FHC, Lula, Aécio, Nardes, Itaú… falam sobre as denuncias de Pedro Correa

Notícias Poder Política

O jornal Folha de São Paulo afirma que, apesar das revelações, há pouca prova documental apresentada pelo ex-parlamentar. Pedro Corrêa, depois de uma longa negociação, deve começar a prestar depoimentos e a apresentar as provas que tem a partir da semana que vem.

Augusto Nardes afirmou ao jornal que o envolvimento de seu nome na delação é “uma retaliação pela oposição que fazia dentro do PP. Diz que foi candidato independente e não contou com o apoio de Pedro Corrêa, na época presidente do partido”.

O senador Aécio Neves declarou à Folha que Andrea Neves, irmão dele, não conhece e jamais teve contato com Pedro Corrêa. O senador também enfatizou que repudia as falsas acusações mais uma vez repetidas sem indícios que possam minimamente comprová-las.

Ao tomar conhecimento da citação envolvendo a compra de votos na emenda de reeleição em seu governo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso classificou o relato como “ridículo”.

O presidente do Itaú, Roberto Setúbal, disse ao jornal que fica “profundamente indignado” ao ver o nome do pai dele, Olavo Setúbal, “absurdamente envolvido em uma história sem comprovações”. Setúbal disse que ele era um homem absolutamente ético e que tem  convicção de que jamais se envolveu em nada parecido com o que, covardemente, o ex-deputado descreveu. Setúbal declarou ainda ao jornal que o pai dele não participava de qualquer atividade politico partidária desde 1986 e que não há nenhum indício de que essa história possa ter fundamento.

O Instituto Lula disse que não comenta falatórios e “quem quiser levantar suspeitas provas em relação a Lula que apresente provas”.

A defesa de Pedro Corrêa não quis se manifestar. (JG)