Feliz aniversário Rádio Sobral !! A Voz da Região Carbonífera completa 40 anos no ar e de alguma forma eu também

Feliz aniversário Rádio Sobral !! A Voz da Região Carbonífera completa 40 anos no ar e de alguma forma eu também

Comunicação Destaque

 

No fim do ano de 1978, Butiá foi agitada pelo início dos testes experimentais da novidade, e eu deixava um radinho de pilha  com o “dial cravado” no 1140 AM. Não importava se havia ou não transmissão, o aparelho ficava ligado. D. Ilda não gostava muito: “Desliga isso, tá  gastando pilha. Dinheiro não dá em árvore”. De tempos em tempos, o silêncio era quebrado por algum teste, na maioria das vezes, o som de um vinil do Harpo tocando “San Franciscan Nights” ecoava pela casa. Cada vez que ouço a canção, lembro imediatamente da “Voz da Região Carbonífera”. Veio o natal, a virada de ano e finalmente, no dia 16 de janeiro de 1979, às 6h da manhã, a Rádio Sobral entrou no ar com o Programa Roda de Chimarrão, comandado pelo grande Heron Oliveira. Claro que naquele dia, diferente de todos outros da minha vida, acordei feliz às 05h50.

collares
Trabalhando na cobertura do encontro A Região Carbonífera em luta pelo mercado de carvão da Jacuí I, Clube Butiá, 21/12/90.

A rádio tinha uma programação totalmente popular, com a participação dos ouvintes pelo telefone. Naquela época, Butiá tinha cerca de 15 mil habitantes e 250 telefones de magneto. O sistema chamado de magneto funcionava com uma fonte de alimentação, sempre próxima ao equipamento para alimentar a transmissão de voz. A gente tirava o “telefone de gancho” e uma corrente elétrica era produzida, acionando a telefonista de plantão na CRT (Companhia Riograndense de Telecomunicações), que conectava os usuários com quem eles queriam conversar. Pois Seu Romeu era o feliz proprietário de um telefone, e o filho dele, um louco por participar. Inaugurei a interatividade da emissora.

fusca
Greve da Busato, 1986: Grevistas espalharam “miguelitos”, com dois pneus furados e sem macaco, a solução foi levantar o carro na mão.

Heron, Luis Carlos Oliveira, Sérgio Fernandes, Alfeu Oliveira… todos promoviam um “quiz”, e lá ia eu responder. Como eram perguntas fáceis, o índice de acerto era alto, e eu, um aficionado pela rádio, me tornei um inconveniente ou, no popular, uma mala sem alça. Foi então que, em meados de fevereiro, me chamaram na Sobral, fizeram vários elogios e, para me afastar do telefone, propuseram que eu virasse uma espécie de “repórter mirim”. Aos 13 anos, eu iria cobrir os eventos esportivos da quadra da Brigada Militar, onde a gurizada jogava futebol de salão, e relataria na programação esportiva noturna chefiada pelo sargento Brasil de Oliveira Lucas. Convite feito, convite aceito. Missão dada, missão cumprida.

O vírus do rádio estava inoculado, e eu nunca quis saber de vacina para ele. Aos 16 anos, me tornei operador de áudio – como aprendiz do Pedro Rosa – e aí uma história curiosa: na primeira semana, José de Oliveira me levou para uma transmissão externa, com o objetivo de ensinar a montar os aparelhos que permitiam realizar programas de fora do estúdio. Era um sábado, e as Lojas Lebes haviam comprado uma ação de merchandising. O âncora da rádio se deslocava até a filial e lá entrevistava clientes e falava nas ofertas. Fomos para o local, e nada do colega chegar. O pessoal na sede começou a ficar nervoso. Uma série de intervenções teriam que ser feitas e não daria tempo porque havia uma jornada esportiva pela frente. O Zé me explicou o que estava acontecendo, e eu disse que faria. Ele parou, pensou… e como não tinha mais ninguém, vai tu mesmo. Fiz, fui elogiado e nunca mais deixei o microfone. Hoje, sou apresentador do SBT Rio Grande – Segunda Edição, adoro TV, mas sigo apaixonado pelo rádio.

foto
Transmitindo um pronunciamento do diretor da CRM, Jorge Gavronski.

Da Sobral, fui para a Charqueadas FM e, de lá, para a RBS ( Rádios Gaúcha, CBN e Itapema FM, RBS TV e TVCOM), a Band RS (Rádios Band AM, Bandnews FM e Band TV) e a Rádio Guaíba, onde apresentei um dos programas de maior credibilidade e longevidade do rádio brasileiro, o “Agora”. Aquele menino que escutava a Guaíba na casa do tio João enquanto ele lia o velho Correio do Povo fez o programa do Flávio Alcaraz Gomes, Adroaldo Streck, Amir Domingues… trabalhou com Ranzolin, Ruy, Lauro, Belmonte, Lasier, Copstein, Glênio Reis, Paulo Denis… e, bem ou mal, em maior ou menor grau, substituí todos eles.

Eu não seria quem sou se não fosse a emissora fundada pelo Padre Frederico Antonio Assmann, Zeferino Gonçalves, Romeu Carlos Leite, Walter Coiado e vários outros sócios que formaram a Sociedade Butiaense de Radiodifusão Ltda. No início, sua potência era de 250w, passou para 1 Kw e atualmente tem a potência de 2 Kw, atingindo além de Butiá as cidades de Minas do Leão, Arroio dos Ratos, São Jerônimo, Charqueadas, Eldorado do Sul, Barão do Triunfo, General Câmara, Triunfo, Venâncio Aires, Taquari, Estrela, Pantano Grande, Encruzilhada do Sul,  Rio Pardo e on-line em qualquer lugar do planeta. Quarenta anos após sua fundação a emissora continua firme e forte sob o comando de Antonio Correa (Jajá) e Francisco Garcia (Quico), cumprindo com o que uma emissora regional tem que fazer: informar o seu público sobre o que acontece na comunidade.

 

Hoje, a Rádio Sobral completa 40 anos de comunicação e, de alguma forma, eu também.

 

 

 

50314616_2289026248035910_566524706241380352_n
Estúdio antigo, antena de transmissão e prédio da Sobral. Fotos: Facebook da Rádio Sobral
Otelio Drebes recebe hoje a Medalha Mérito Farroupilha

Otelio Drebes recebe hoje a Medalha Mérito Farroupilha

Destaque Economia Negócios Vídeo

Otelio Drebes, fundador das Lojas Lebes, será homenageado com a  distinção máxima da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, ele recebe hoje a Medalha do Mérito Farroupilha. A honraria será entregue às 18h, no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Por traz do sucesso de ter erguido a 13a maior rede de varejo do Brasil – com mais de 160 lojas, gerando mais de 3 mil empregos e faturamento anual na casa do R$1 bilhão – há a história de um menino que começou a trabalhar aos 6 anos de idade para ajudar os pais. Hoje, aos 84 anos, o empresário compartilha sua exitosa história por todo o estado em palestras motivacionais e com cunho social. Também criou recentemente o Prêmio “Fala, Professor!”, com o propósito de instigar professores de escolas municipais a criarem projetos relevantes aos alunos e à sociedade. A honraria a Otelio Drebes é uma indicação do deputado estadual Maurício Dziedricki (PTB).

 

Dois projetos do Grupo RBS são reconhecidos em prêmio internacional de mídia. Iniciativa para as Lojas Lebes e aplicativo Pelas Ruas foram destaque na 83ª edição do INMA Global Media Award

Dois projetos do Grupo RBS são reconhecidos em prêmio internacional de mídia. Iniciativa para as Lojas Lebes e aplicativo Pelas Ruas foram destaque na 83ª edição do INMA Global Media Award

Comunicação Cultura Economia Negócios Notícias Tecnologia Trabalho

Entre concorrentes de todo o mundo, duas iniciativas do Grupo RBS foram reconhecidas na 83ª edição do INMA Global Media Award: a empresa recebeu os prêmios de Melhor Projeto na América Latina e Melhor Relações Públicas ou Campanha de Serviço Comunitário, com o aplicativo Pelas Ruas, e Melhor Solução de Marketing para Anunciante, com o projeto de mídia para as Lojas Lebes. O anúncio ocorreu na noite dessa segunda-feira (4), durante cerimônia em Washington (EUA). Desde 1935, a International News Media Association (INMA) promove uma premiação com o objetivo de destacar as principais iniciativas de comunicação capazes de aumentar receita e audiência e inovar com o desenvolvimento de novos produtos.

– Estamos muito felizes com o reconhecimento. O aplicativo Pelas Ruas é uma bela ação colaborativa com os gaúchos, em que buscamos levantar os problemas e achar soluções para o dia a dia – destaca a vice-presidente de Produto e Operações do Grupo RBS, Andiara Petterle.

Resultado de uma parceria entre marcas do Grupo RBS, o aplicativo Pelas Ruas é uma ferramenta que auxilia a população a compartilhar e discutir problemas hiperlocais. Com um smartphone ou tablet em mãos, os usuários podem apontar as falhas da Grande Porto Alegre e de algumas cidades do litoral norte gaúcho em um mapa colaborativo, bem como informar se os problemas postados já foram solucionados. Dessa forma, buracos de rua, fios e energia elétrica, problemas de esgoto e outras demandas das regiões podem se tornar reportagens de GaúchaZH, Zero Hora, Rádio Gaúcha e RBS TV.

Já o case Lebes trata-se de um projeto comercial realizado pelos times de Field Marketing, Mercado e Produto da RBS, em parceria com a agência Matriz e o cliente para o lançamento da nova Lebes Life Store. Para a inauguração do prédio no centro de Porto Alegre, foi utilizada a solução integrada no modelo de risco compartilhado. A oferta contou com entrega de anúncios, ações com a presença de comunicadores, spots e comerciais nas mídias da RBS sobre a loja recém-aberta. Em apenas uma semana de funcionamento, o projeto atingiu a meta de vendas do mês e superou todas as previsões históricas do anunciante. A iniciativa exemplifica o novo modelo de negócio do Grupo RBS, implementado no início de 2017. Inspirada nas mudanças do consumo de mídia e nos desafios de negócio de cada cliente, a estratégia visa oferecer soluções criativas e integradas que engajem o público para alcançar os resultados esperados.

– O case com a Lebes mostra a força das mídias do Grupo RBS e a coragem de um anunciante em apostar no nosso formato. É um projeto diferenciado, aliando o que há de mais moderno em termos de estratégias integradas de mídia. Usamos tudo o que existe de disponível no mercado (influenciadores, display, rádio, TV, jornal etc.), em uma lógica 360º – aponta o vice-presidente de Mercado, Marcelo Pacheco.

Neste ano, outros dois projetos da RBS destacaram-se entre os finalistas: a plataforma GaúchaZH ficou entre as melhores ideias para aumentar a leitura e o engajamento digital e o Donna Beauty Pompeia foi reconhecido como um dos melhores novos conceitos para criar centros de lucro.

Em 2017, o Grupo RBS também esteve entre os vencedores INMA Global Media Awards com o prêmio de Melhor Uso de Redes Sociais e destaque da América Latina, no INMA Global Media Awards. Em 2016, os prêmios conquistados foram Melhor Conteúdo Pago ou Iniciativa para Novas Assinaturas, com ZH Tablet, e Melhor Ideia para Aumentar as Vendas de Publicidade, com a multiplataforma gastronômica Destemperados.

 

Lebes anuncia primeira loja fora do Rio Grande do Sul

Lebes anuncia primeira loja fora do Rio Grande do Sul

Cidade Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias Porto Alegre

O diretor das lojas Lebes, Otelmo Drebes Junior, comemora em seu perfil do Facebook, o fato da empresa atravessar a fronteira do Rio Grande do Sul e chegar ao estado vizinho de Santa Catarina. A primeira filial catarinense está em fase de conclusão e será inaugurada no Nações Shopping, em Criciúma. Uma segunda loja será inaugurada ainda esse ano em São José.  “Gostaria de compartilhar a minha felicidade, dizendo que agora somos uma empresa interestadual! Abriremos nossa primeira loja Lebes fora do estado no próximo dia 30 de Junho, em SC! Não encarem como se eu estivesse ‘me achando’. É orgulho mesmo! Pra quem conhece um pouco da nossa história, sabe que não faltou trabalho por essa conquista.” Eu que conheço a tradição da família em empreender, desde a década de 70 do século passado, quando me criei fazendo compras no recém inaugurado Supermercado Lebes, também fico muito feliz. Parabéns e sucesso para família Drebes, que segue empreendendo mesmo com o cenário instável da economia brasileira.

Otelmo Drebes JuniorInteressante esses homens que tem o espírito empreendedor.  Otelmo é da terceira geração da família e apesar da crise pensa grande o futuro. Em seu Facebook está publicado um post que mostra bem isso:

O lado bom da crise

Como todo e qualquer otimista sempre vejo o lado bom das situações. Vivemos num momento difícil econômico e financeiro estatal que ninguém sabe dizer até quando vai. Nem mesmo o mais preciso e estudioso economista pode afirmar que saímos dessa pior em 6 meses, final do ano ou ano que vem. Já ouvi previsões que apenas só depois das eleições presidenciais. São ciclos. A crise acaba, o Brasil não!

O fato é que qualquer empresário vai ter que suar a camisa pra se manter no mercado. Os profissionais mais criativos nesse momento serão os privilegiados. Mas não adianta apenas ser criativo, precisa-se saber colocar em prática.

Quando que íamos:
– verificar qual retorno sobre aquele valor investido em marketing pra identificar qual é o melhor meio de comunicação se a economia estivesse num oba oba?
– estipular meta loja a loja, hora em hora por setor a setor, categoria por categoria, produto a produto?
– Reavaliar nossos contratos de aluguéis que já estavam firmados a longa data?
– Verificar qual a melhor taxa de retorno do banco?
– Exigir que TODOS clientes fossem atendidos na loja, se o momento era de abundância?
– Engajar nossas equipes sem gastar um tostão?
– Fazer mais com menos?
– Exigir mais dos fornecedores quanto a preço, prazo de entrega e condição de pagamento?

Antes não dava tempo pra essas coisas e só pensávamos em ‘abocanhar’ mais e mais vendas.
Tenho colegas de profissão que estão simplesmente cortando custos sem saber seus reais impactos futuros.
Quem conseguir sobreviver a tudo isso, estará preparado para conquistar share de mercado com know-how e atender toda a demanda reprimida que se instala neste momento.
É hora de, literalmente, pegar uma lupa e ver o que realmente faz sentido para o nosso negócio. Chega de luxos. Chega de ostentação. O SUCESSO NÃO TOLERA DESPERDÍCIO!

 

Lebes inaugura novo Centro Logístico

Negócios Notícias

Lojas Lebes, uma das maiores redes de varejo do Rio Grande do Sul, inaugura dia 12 de novembro seu novo Centro Logístico Lebes (CELL) que vai unir e centralizar toda a operação da empresa em um só local. O pavilhão de 19mil m2, construído com bases sustentáveis como aproveitamento de água e energia, está localizado no parque logístico da GLP, que fica na Rodovia RS 118, km 11, 50248b60-6fd4-4dd5-9614-40eee9b02a01bairro Ipiranga, em Gravataí. O condomínio logístico representa o que há de mais moderno em centros de distribuições no sul do país. “Este é o reflexo da expansão da Lebes ao longo dos últimos anos. Vínhamos sentindo a necessidade de unificar as quatro operações que estavam em locais separados em um único centro. A partir de agora, em um mega espaço, teremos mais agilidade, otimização de pessoal, custos e também rapidez nos nossos processos”, explica Otelmo Drebes, presidente da Rede(foto).

Com mais de um milhão de clientes ativos e 135 filiais em todo o Estado, a Lebes movimenta cerca 6 mil veículos por ano que transportam  mais de 20 milhões de unidades.