Presidente da Fecomércio-RS assina contrato para primeira etapa da nova sede com investimento de R$ 350 milhões

Presidente da Fecomércio-RS assina contrato para primeira etapa da nova sede com investimento de R$ 350 milhões

Cidade Negócios Notícias Poder Prédio Tecnologia Turismo

O Sistema Fecomércio-RS está em franco crescimento. A primeira etapa desse salto modernizante começou neste mês. O presidente Luiz Carlos Bohn assinou na sede da entidade contrato com a empresa JL, do Paraná, para a construção da primeira fase do futuro Complexo do Sistema Fecomércio-RS.

unnamed(4)As obras estão previstas para começar no dia 1º de setembro deste ano e devem estar concluídas em fevereiro de 2019 – um cronograma de 30 meses de atividades. O valor a ser investido nesta unnamed(6)etapa pela Fecomércio chega a R$ 150 milhões. O conturbado momento econômico que o país enfrenta foi driblado com uma planificação financeira feita com todos os detalhes. “A crise não vai interferir, pois temos o dinheiro total da obra guardado há muitos anos. Planejamos isso há mais de 15 anos”, explicou o mandatário, Luiz Carlos Bohn.

A nova sede da entidade será inaugurada na Rua Fernando Ferrari, no bairro Anchieta, em Porto Alegre/RS, às margens da Freeway. Haverá medidas mitigatórias exigidas pelo Poder Público, relativas ao impacto local, no valor de R$ 25 milhões. O complexo será construído com o conceito de sustentabilidade em um terreno de 20 hectares ao longo de 150 mil metros quadrados de área total.

unnamed(3)Além da nova sede da Fecomércio-RS, Sesc e Senac, o empreendimento abrigará um centro educacional, uma arena multiuso com capacidade para dez mil pessoas e garagem. Nesta primeira etapa do projeto arquitetônico, será construída a sede administrativa em uma área de 45 mil metros quadrados.

Expoagas 2015: Abertura reúne lideranças e agrega reivindicações para o setor

Expoagas 2015: Abertura reúne lideranças e agrega reivindicações para o setor

Economia Expoagas Negócios Notícias

Aconteceu durante a manhã desta terça-feira (25) a solenidade de abertura da 34ª Convenção Gaúcha de Supermercados – Expoagas 2015. O discurso de abertura foi protagonizado pelo presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo (foto acima). Também falaram na ocasião o presidente da Federação da Agricultura do Estado do RS (Farsul) e do Sebrae RS, Carlos Rivaci Sperotto; o vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Sanzovo Neto; e o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn. Representando o governador do RS e o prefeito de Porto Alegre estiveram presentes para acompanhar o momento, respectivamente, o secretário do Planejamento e Desenvolvimento Regional, Cristiano Tatsch, e o presidente da Câmara de Porto Alegre, Mauro Pinheiro. O evento, que será realizado até dia 27 de agosto, na FIERGS, em Porto Alegre, estima que o volume de negócios concretizados nos três dias do evento atinja os R$ 405 milhões, superando os R$ 369 milhões do ano passado.

Longo manteve uma linha de reivindicações em sua exposição e defendeu uma mudança política para fortalecimento do setor varejista no País: “Recentemente, o Brasil foi apontado, em pesquisa, como segundo país mais pessimista do mundo. Porém, isto não é pessimismo, isto é realismo devido à realidade em que vivemos”, afirmou. Sobre a crise que atinge a economia brasileira, Longo foi categórico ao explicar que é necessária uma mudança moral e ética, acima de tudo. “Há uma crise financeira sim, mas há uma crise ainda maior de valores no Brasil. E esta não é mundial, é exclusiva do nosso País”, taxou.

IMG_7386Sperotto, que foi homenageado com o título de Supermercadista Honorário Agas, ao levantar o troféu (foto)agradeceu o reconhecimento elevando-o ao setor varejista como um todo: “Esta homenagem vai com o meu nome, porém, ela é de todos os produtores rurais do Rio Grande do Sul”. Segundo Sperotto, 80% do que vai para as gôndolas dos mercados são oriundas do campo. “As dificuldades surgem, a crise está presente, porém não podemos parar de trabalhar. Nosso setor está equilibrado, mas temos de continuar buscando o desenvolvimento”, declarou.

Com um ponto de vista nacional sobre a situação atual, Sanzovo Neto destacou que os expositores e supermercadistas que participam da Expoagas têm a oportunidade, de não só driblar a crise, como de fortalecer os negócios também. “O setor do varejo é um dos últimos a cair na crise e um dos primeiros a sair dela”, disse. Já Bohn, enfatizou a questão política como providencial para o desenvolvimento da economia. “A inflação está em quase 10% ao ano, o cenário é difícil, acima da crise econômica, vivemos uma crise política que barra o crescimento. Porém, passamos por dificuldades muito piores, no passado, iremos superar mais esta”, concluiu.