Comunidade quer que o nome de Costa e Silva seja mantido no novo bairro

Comunidade quer que o nome de Costa e Silva seja mantido no novo bairro

Cidade Notícias Poder Política

Conversei hoje no Agora/Rádio guaíba, com a Conselheira do Orçamento Participativo Eixo Baltazar, na zona Norte da Capital, Laura Elise Machado, que me garantiu, a oficialização do nome bairro como Costa e Silva agrada a maioria da população que ali vive. Segundo ela, antes quando era apenas um conjunto habitacional com o nome do ex-presidente do período militar ninguém se preocupava com o nome da comunidade, mas agora que surge a formação do bairro a partir do desmembramento do Rubem Berta, aparece o questionamento por conta do nome do ditador.  Laura destacou que estava previsto um plebiscito para a troca do nome, mas o projeto foi derrubado.

Laura entende que na região existe o conjunto habitacional de mesmo nome, cuja característica é ser habitado por muitos ex-militares e mudar o nome não muda a História. Sobre o pedido do Movimento de Direitos Humanos para que o prefeito vete o nome, disse que a população do bairro fará uma mobilização contrária para que permaneça o nome de Costa e Silva.

Saiba mais: Movimento de Justiça e Direitos Humanos quer que prefeito vete o nome de Costa e Silva para novo bairro da Capital

Movimento de Direitos Humanos vai pedir que Fortunati vete criação do bairro Costa e Silva

Movimento de Direitos Humanos vai pedir que Fortunati vete criação do bairro Costa e Silva

Notícias

A criação de 15 novos bairros em Porto Alegre motivou uma polêmica entre os cidadãos. Um dos nomes aprovados pelos vereadores para delimitar área da zona Norte da cidade é o Costa e Silva, formado pela região entre os bairros Sarandi e Rubem Berta, a partir da avenida Baltazar de Oliveira Garcia. O presidente do movimento de Justiça e Direitos Humanos, Jair Krischke(foto), disse que vai pedir ao prefeito José Fortunati que vete a homenagem ao presidente que governou o país durante o Regime Militar.

Conforme Krischke, a prefeitura não pode adotar essa denominação e, ao mesmo tempo, participar do Marcas da Memória, em conjunto com o movimento de justiça. O projeto sinaliza com placas locais da Capital em que houve tortura durante a ditadura. “É absolutamente incompatível com essa postura criar um bairro com essa nomenclatura”, apontou o conselheiro. A proposta de criação do bairro com o nome do militar é do Executivo. A localidade com a mesma denominação já existia. No site dos Correios, consta o nome Loteamento Presidente Costa e Silva para a mesma localidade.

A vereadora Mônica Leal, que usou a tribuna para defender a manutenção do nome, justificou que a população local é favorável à nomenclatura já adotada. Disse ainda que é preciso “considerar que esses nomes fazem parte de toda e qualquer sociedade, de modo que não podem ser simplesmente apagados”.

Relembre

Com 29 votos favoráveis e duas abstenções, a Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou, com emendas, nessa segunda-feira, o projeto de lei do Executivo que traça nova delimitação dos bairros em Porto Alegre, criando mais 15 e extinguindo dois. Com a proposta, que vai agora à sanção do prefeito José Fortunati, o número de bairros passa de 79 para 94. (Samuel Vettori/Rádio Guaíba)