Osmar Terra coordena comissão externa da Câmara que vai analisar epidemia de zika vírus e microcefalia

Osmar Terra coordena comissão externa da Câmara que vai analisar epidemia de zika vírus e microcefalia

Notícias Poder Política Saúde

Diante da extrema gravidade da epidemia do Zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti e causador da microcefalia em recém nascidos, a Câmara criou uma comissão externa para tratar do assunto. A coordenação ficou com o deputado federal Osmar Terra (PMDB-RS) presidente das Frentes Parlamentares da Saúde e da Primeira Infância, ex-secretário estadual da Saúde nos governos Germano Rigotto e Yeda Crusius.

A Comissão vai percorrer as unidades da Federação mais atingidas pela epidemia, para conhecer de perto a situação e apresentar propostas de combate ao Aedes.

Osmar Terra avalia a situação como extremamente grave:

– A microcefalia produzirá seres humanos com profundas lesões cerebrais, sem autonomia, e com importante atraso motor e cognitivo. Portanto, não é só um problema imediato. Ele irá afetar intensamente as famílias e o conjunto da sociedade por muitas décadas. O custo humano, social e econômico será incalculável.

Fazem parte, ainda os deputados Reginaldo Lopes (PT-MG), Luiza Erundina (PSB-SP); Rogério Rosso (PSD-DF), Jovair Arantes (PTB-GO), Wilson Filho (PTB-PB), Zeca Cavalcanti (PTB-PE), Mandetta (DEM-MS), Marcelo Álvaro Antonio ((PMB-MG), Evair Melo (PV-ES), Leandro (PV-PR) e Sarney Filho (PV-MA).

Greve dos caminhoneiros é um movimento justo, defende Osmar Terra

Greve dos caminhoneiros é um movimento justo, defende Osmar Terra

Notícias Poder Política

Os caminhoneiros estão em greve nacional como resposta ao governo federal que não tirou do papel nenhum dos itens negociados em fevereiro. Os principais pontos daquela pauta eram a redução do preço do diesel, o preço dos pedágios, a prorrogação do programa Pró-Caminhoneiro, a abertura de linha de crédito especial para o transportador autônomo de cargas, com limite de R$50 mil, com carência e juros subsidiados, com pelo menos 24 meses para pagamento .

O deputado federal Osmar Terra (PMDB-RS), que foi foi um dos principais interlocutores do Congresso com os grevistas no início do ano adverte desde fevereiro que a categoria está revoltada e que a m_noticia_738paralisação de agora pode ser maior que a primeira de 2015: – Este é um movimento justo. É a resposta à crise econômica provocada pelo governo Dilma e a falta de sensibilidade demonstrada pelo não atendimento pleitos mínimos, levaram a profissão de caminhoneiro autônomo a ficar perto de ser extinta. Estes profissionais são donos de dois ou três caminhões e transportam commodities, especialmente grãos.

Os autônomos dependem do valor do frete e do custo de manutenção, especialmente do óleo diesel. Terra prossegue: – Com as políticas equivocadas do governo federal houve um mal duplo: caiu o preço do frete, pela redução da atividade econômica e o aumento do combustível. A maioria paga para trabalhar o que torna inviável a atividade.

Em fevereiro, para segurar o movimento, o Poder Executivo fez muitas promessas aos caminhoneiros e nenhuma delas foi cumprida: – Eles vivem uma situação de penúria, desespero. A classe corre o risco de acabar no pais, ficando o setor para os grandes grupos. São centenas de milhares de famílias que perderão seu ganha-pão. Por isso essa paralisação será forte por que pela simples sobrevivência, é pelo direito de continuar trabalhando e sustentando suas famílias e o progresso do país. O movimento é justo e que assume um caráter político, pela insensibilidade do governo federal, que não negociou, enrolou os caminhoneiros que agora estão revoltados , desesperados com as perdas que tiveram durante o ano – encerra o deputado.