Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho apresentam Nova Lei Trabalhista em Pelotas

Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho apresentam Nova Lei Trabalhista em Pelotas

Notícias Poder Política Trabalho

A cidade de Pelotas, na região Sul do Estado, recebeu a penúltima edição das Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho nesta quarta-feira (11). Diversas autoridades prestigiaram o evento, como o prefeito em exercício de Pelotas, Idemar Barz, e o Gerente Substituto da Gerência Regional do Trabalho e Emprego, João Ricardo Dias Teixeira.

Idealizador da modernização trabalhista, o deputado Ronaldo Nogueira enfatizou a importância das mudanças promovidas pela nova lei. “Nós somos um país com capacidade de criação de riquezas, e não podemos ver crianças dormirem com fome. Depois que a Lei entrou em vigor, o emprego voltou ao Brasil e as empresas voltaram a contratar”, concluiu.

Para o desembargador e vice-presidente do TRT-RN, Bento Herculano Duarte Neto, um dos principais avanços diz respeito à negociação entre patrões e empregados. Exemplo disso é a possibilidade de o trabalhador negociar suas férias. “A nova lei veio para facilitar a vida dos trabalhadores. Ela veio para ajudar na geração de empregos, criando um ambiente jurídico favorável, com mais segurança jurídica, tanto aos patrões, quanto aos empregados”, explicou.

Em sua conferência, o ministro do TST Aloysio Corrêa da Veiga argumentou que o direito individual do trabalho não sofreu alteração. O direito coletivo, por sua vez, mudou e o diálogo foi a grande novidade da modernização trabalhista. “A negociação coletiva sempre existiu, desde a consolidação das leis do trabalho. E esse ajuste de vontades pressupõe transação. A reforma trabalhista traz a proibição do que não pode ser negociado. Ou seja, os direitos sociais”, disse o ministro.

O fechamento da etapa gaúcha das Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho ocorre nesta sexta-feira, data que marca um ano da assinatura da Lei Nº 13.467. O evento será no Hotel Sheraton, em Porto Alegre, às 12h.

Pelotas: noiva “magra demais” deve ser ressarcida em R$ 6 mil

Pelotas: noiva “magra demais” deve ser ressarcida em R$ 6 mil

Destaque Direito Direito do Consumidor Negócios

Falhas no ajuste de um vestido de noiva levaram a 4ª Turma Recursal Cível do Rio Grande do Sul a condenar a empresa Brizolara & Torres a pagar mais de R$ 6 mil em indenização por danos morais em Pelotas, na Metade Sul. Culpada por estar “magra demais”, a autora do processo teve de alugar outro vestido, um dia antes da cerimônia.

Ela relatou que, em outubro de 2015, um ano antes do casamento, entrou em contato com a loja e firmou um contrato de aluguel de R$ 1,9 mil. Durante os meses antes do casamento, foram realizados ajustes na peça. Na última prova do vestido, um dia antes da cerimônia, a noiva constatou sobra de tecido e a proprietária da loja culpou a cliente por ter emagrecido demais.

Na Justiça, a consumidora entrou com um pedido de R$ 25 mil em danos morais, mais o valor do aluguel do vestido alternativo, de R$ 600. Na primeira instância, o Juizado Especial Cível do Foro de Pelotas condenou a empresa a ressarcir a noiva em R$ 2,1 mil. Ela recorreu à segunda instância e, na 4ª Turma Recursal, o valor a ser pago em indenização subiu para R$ 6,3 mil. (Rádio Guaíba)

Legislação para o Mercado da Saúde. SEBRAE/RS promove palestra gratuita no dia 29 de maio no Pelotas Parque Tecnológico, a partir das 14h

O que é necessário saber na hora de abrir uma empresa na área de saúde? Além dos conhecimentos técnicos existe uma série de informações relacionadas à regulação de produtos médicos e à mudança de legislação. Para manter os empreendedores a par, o SEBRAE/RS realizará no dia 29 de maio a palestra “Atualizações Sobre as Regulações Brasileiras Aplicáveis a Produtos Médicos”. O evento será a partir das 14h no Pelotas Parque Tecnológico (Av. Domingos de Almeida, 1785 – Areal) com inscrições gratuitas. Interessados podem confirmar presença pelo telefone (53) 3225-0541 ou pelo e-mail nathaliat@sebrae-rs.com.br.

A apresentação será do especialista em assuntos regulatórios da Domo Salute Consultoria Regulatória, Diego Louzada. Entre as explicações que serão detalhadas no encontro está o fato de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter obrigatoriedade de aprovar a comercialização de produtos para saúde no Brasil e o que isso impacta aos empreendedores. Esta ação está dentro do Projeto Conexão Healthcare, que trabalha com as empresas da cadeia do setor de saúde. Esta ação está dentro do Projeto Conexão Healthcare, que trabalha com as empresas da cadeia do setor de saúde.

De acordo com a gestora do projeto na Regional Sul do SEBRAE/RS, Marcia Porto, o encontro é uma parceria com o Pelotas Parque Tecnológico, o Arranjo Produtivo Local (APL) de Saúde e a empresa Domo Salute Consultoria Regulatória. “Organizamos essa agenda para ajudar os empreendedores. Com a quantidade de negócios que estão surgindo na cidade, notamos a necessidade de informar sobre a regularização no campo do serviço médico. Além disso, ela também serve como uma provocação para novos empresários buscarem mais dados”, observa.

“A palestra é aberta ao público em geral porque todos devem estar cientes dos processos regulatórios, não só da área da saúde, mas de todos os setores da economia”, conclui. O projeto Conexão Healthcare tem como parceiros as duas universidades do município (Universidade Católica de Pelotas e Universidade Federal de Pelotas), o APL da Saúde, o Pelotas Parque Tecnológico, UNICRED e o Cluster Tecnológico da Saúde e busca trabalhar a cadeia produtiva do setor.

O Palestrante:

Diego Louzada tem um sólido conhecimento da regulamentação brasileira. Começou a trabalhar com Avaliação da Conformidade em 2003, quando iniciou em um laboratório de ensaios acreditado pelo INMETRO/Anatel/Anvisa. Deixou o laboratório para iniciar seu próprio negócio e durante os últimos sete anos vem desenvolvendo atividades como consultor de assuntos regulatórios, atuando com diferentes organismos reguladores brasileiros.

Serviço:

Palestra – Atualizações Sobre as Regulações Brasileiras Aplicáveis a Produtos Médicos

Data: 29/05/2016

Hora: 14h às 16h

Local: Pelotas Parque Tecnológico (Av. Domingos de Almeida, 1785 – Areal)

Confirmada a programação da sétima edição do Festival Internacional Sesc de Música. Evento será realizado entre os dias 16 e 27 de janeiro de 2017, em Pelotas

Confirmada a programação da sétima edição do Festival Internacional Sesc de Música. Evento será realizado entre os dias 16 e 27 de janeiro de 2017, em Pelotas

Agenda Cultura Destaque

Já consolidado no cenário cultural de Pelotas, o 7º Festival Internacional Sesc de Música tem sua programação fechada e confirmada. Programado para acontecer entre os dias 16 e 27 de janeiro, o evento contará com 12 dias de intensos e repletos de música com uma série de concertos e apresentações gratuitas em diversos locais da cidade, além de cursos ministrados por professores de 21 nacionalidades. O Festival tem como objetivo incentivar o desenvolvimento da produção musical, fomentar o intercâmbio e o desfrute de bens culturais. Confira abaixo a programação completa.

Nesta edição, serão 47 espetáculos, entre recitais e concertos, e 23 cursos de música, que ocupam casarões antigos, teatros, igrejas, ruas e parques. São mais de 450 profissionais da música, entre professores, alunos, músicos e técnicos, que participam de cursos, trocas de experiências e espetáculos artísticos. Um intercâmbio de culturas e aprendizado, representado por mais de 21 países. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no site www.sesc-rs.com.br/festival.

Entre os destaques está o concerto de abertura, dia 16 de janeiro, no Teatro Guarany, que apresenta a Orquestra Unisinos Anchieta, com participação da banda Quarchêto e do solista Luciano Maia. Além disso, dia 21 de janeiro, a praia do Laranjal recebe o espetáculo “Clássicos do Jazz”, com a Orquestra de Câmara do Festival e a solista Debora Neto. O encerramento do Festival, dia 27 de janeiro, no Largo do Mercado Público, será com a Orquestra Acadêmica do Festival e solistas Eiko Senda, Flávio Leite e Frederico Sanguinetti, que trazem no repertório a obra Carmina Burana. Outro destaque são os recitais de professores, que ocorrem na Bibliotheca Pública Pelotense e trazem grandes nomes de diversos países, como Brasil, Argentina, Áustria, Japão, Uruguai, Alemanha, Rússia, Itália, Bulgária, Eslovênia, França e Estados Unidos.

As classes que reunirão cerca de 270 alunos de várias nacionalidades são: Violino, Viola, Violoncelo, Contrabaixo, Flauta, Oboé e Corne Inglês, Clarinete, Fagote, Trompa, Trompete, Trombone Tenor, Trombone Baixo, Tuba, Saxofone, Eufônio, Harpa, Percussão, Violão Clássico, Canto Lírico, Piano, Composição, Prática de Orquestra e de Banda Sinfônica. A seleção dos participantes aconteceu entre junho e julho deste ano, onde mais de 830 candidatos se inscreveram. O Festival conta com apoio institucional da Prefeitura Municipal de Pelotas, das Universidades Federal e Católica, Faculdade Senac, Unisinos, Ospa, Bibliotheca Pública Pelotense, Expresso Embaixador, EcoSul, Refrigerante Biri e Café 35.

INGRESSOS – Para conferir as apresentações que ocorrem no Theatro Guarany é necessária a retirada de ingressos, antecipadamente. Sugere-se a doação de um quilo de alimento não perecível – os alimentos serão direcionados às entidades sociais cadastradas junto ao Programa Mesa Brasil Sesc. As entradas são limitadas e cada pessoa poderá retirar um par de ingressos por apresentação, conforme cronograma: dias 11,12, 13, 14, 16 e 17/01 – retirada de ingressos para espetáculos de 16, 17/01; dias 16, 17, 18, 19, 20 e 23/01 – retirada de ingressos para espetáculos de 18, 19, 22 e 23/01; dias 23, 24, 25 e 26/01 – retirada de ingressos para espetáculos de 24, 25 e 26/01. Os ingressos serão distribuídos no Sesc Pelotas (Rua Gonçalves Chaves, 914), de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e sábado, das 8h às 12h.

 

::: SOBRE O 7º FESTIVAL INTERNACIONAL SESC DE MÚSICA ::::

O QUE É? O Festival Internacional Sesc de Música é um dos maiores da área na América Latina e tem o objetivo de incentivar o desenvolvimento da produção musical e fomentar o intercâmbio e o desfrute de bens culturais.

 

QUANDO? De 16 a 27 de janeiro de 2017, em Pelotas.

 

COMO? Durante o Festival, no turno da manhã, acontecem as classes (cursos); no período da tarde, os ensaios; e à noite, as apresentações, todas com entrada franca para a comunidade.

 

::: DADOS GERAIS :::

– 21 países representados no grupo de professores.

– Mais de 450 profissionais da música, entre professores, alunos, músicos e técnicos.

– 47 espetáculos gratuitos (09 concertos no Theatro Guarany, 02 espetáculos nos palcos externos, um espetáculo na Catedral Pelotense, 8 recitais de alunos, 10 concertos de Música de Câmara e 17 recitais na comunidade).

– 23 cursos disponibilizados, reunindo 270 alunos de diversos estados e países.

– A realização do Festival é do Sistema Fecomércio-RS/Sesc e tem o apoio institucional da Prefeitura Municipal de Pelotas e apoio cultural das Universidades Federal e Católica, Faculdade Senac, Bibliotheca Pública Pelotense, Unisinos, Ospa, Expresso Embaixador, EcoSul, Refrigerante Biri e Café 35.

 

::: PROGRAMAÇÃO FESTIVAL 2017 :::

16/01

18h – Cortejo Musical | Quinteto Porto Alegre – Músicos do Festival – Largo do Mercado Público

20h30 – Orquestra Unisinos Anchieta | Participação Quarchêto | Solista Luciano Maia | Regente Evandro Matté – Teatro Guarany

 

17/01

19h – Festival na Comunidade | Colombian’ Sax Quartet – Paróquia Santa Terezinha

19h – Festival na Comunidade | Orquestra de Câmara Sesc / MG – Catedral do Redentor (Igreja Cabeluda)

20h30 – PianOrquestra (RJ)

 

18/01

11h – Festival na Comunidade | Grupo Violinos Sesc / MG – Hospital Santa Casa de Misericórdia

19h – Música de Câmara | Recital de Professores: Maria Isabel Siewers (Argentina/Áustria) | Eiko Senda (Japão/Uruguai) | Max Uriarte (Brasil/RS) – Bibliotheca Pública Pelotense

20h – Festival na Comunidade | Orquestra de Câmara Sesc / MG – Laranjal (Estação Verão Sesc)

20h30 – Quinteto Oblivion – “Tango em Música e Dança” – Theatro Guarany

 

19/01

13h – Música de Câmara | Recital de Alunos – Bibliotheca Pública Pelotense

16h – Festival na Comunidade | Classe de Eufônios – Cras São Gonçalo

18h – Festival na Comunidade | Colombian’ Sax Quartet – Shopping Pelotas

19h – Música de Câmara | Recital de Professores: Wally Hase (Alemanha) | Christoph Hartmann (Alemanha) | Liuba Klevtsova (Rússia) | Emmanuele Baldini (Itália/Brasil) – Bibliotheca Pública Pelotense

20h30 – Tempos de Solidão | Missa do Orfanato (W. A. Mozart) – Theatro Guarany

 

20/01

11h – Festival na Comunidade | Classe de Eufônios – Expresso Embaixador

13h – Recital de Alunos | Bibliotheca Pública Pelotense

19h – Música de Câmara | Recital de Professores: Catarina Domenici (Brasil/SP) | Marcello Guerchfeld (Brasil/RS) | Stanimir Todorov (Bulgária/Argentina) | André Carrara (Brasil/RS) – Bibliotheca Pública Pelotense

20h – Festival na Comunidade | Orquestra de Câmara Sesc / MG – Paróquia Amor Divino (Col. Santo Antônio)

20h30 – Banda Sinfônica do Festival – Regente Marcelo Jardim – Catedral de Pelotas

 

21/01

11h – Festival na Comunidade | Classe de Metais – Largo Mercado Público

13h – Recital de Alunos – Bibliotheca Pública Pelotense

17h30 – Festival na Comunidade | Grupo Iluminura – Catedral do Redentor (Igreja Cabeluda)

19h – Música de Câmara – Recital de Professores: Alberto Bocini (Itália) | Emerson Kretschmer (Brasil/RS) | Eder Kinappe (Brasil/RS) | Hella Frank (Brasil/RS) | Wally Hase (Alemanha) | Horacio Schaefer (Brasil/SP) | Christoph Hartmann (Alemanha) | Stanimir Todorov (Bulgária/Argentina) | Max Uriarte (Brasil/RS) | Diego Grendene (Brasil/RS) | Liuba Klevtsova (Rússia) | Artur Elias (Brasil/RS) | André Carrara (Brasil/RS) – Bibliotheca Pública Pelotense

21h – Clássicos do Jazz | Orquestra de Câmara do Festival | Regente Evandro Matté | Solista Debora Neto – Laranjal (Estação Verão Sesc)

 

22/01

18h – Música de Câmara – Recital da Classe de Piano – Bibliotheca Pública Pelotense

19h30 – Concerto Banda de Música do Exército | Regentes Tenente Madeira | Tenente Chaves – Theatro Guarany

Concerto Orquestra Acadêmica | Regente José L. G. Rios (VEN) | Solista Diego Grendene – Theatro Guarany

 

23/01

13h – Recital de Alunos – Bibliotheca Pública Pelotense

15h – Festival na Comunidade – Colombian’ Sax Quartet – Hospital Espírita de Pelotas

19h – Música de Câmara – Recital Professores: Valentin Garvie (Argentina/Alemanha) | Fernando Deddos (Brasil/PR) | Andrej Zust (Eslovênia/Alemanha) | Douglas Gutjahr (Brasil/RS) | José Milton Vieira (Brasil/RS) | Darrin Coleman (EUA/Brasil) | Paulo Bergmann (Brasil/RS) | Albert Katthar (Brasil/SP) | Tiago Linck (Brasil/RS) – Bibliotheca Pública Pelotense

19h – Festival na Comunidade – Orquestra Estudantil Areal – Igreja São José (B. Fragata)

20h30 – Núcleos do Festival: Cordas, Violões e Madeiras – Theatro Guarany

 

24/01

13h – Recital de Alunos – Bibliotheca Pública Pelotense

15h – Festival na Comunidade – Classe de Violões – Asilo de Mendigos de Pelotas

19h – Festival na Comunidade – Grupo de Cordas do Festival – Paróquia Sant’Ana (Colônia Maciel)

19h – Música de Câmara – Recital de Professores: Marc Sieffert (França) | Wally Hase (Alemanha) |  Daniel Benitz (Brasil/RS) | Hella Frank (Brasil/RS) | Christoph Hartmann (Alemanha) | Alberto Bocini (Itália) | Martin Kuuskmann (Estônia/EUA) | Michel Lethiec (França) | Diego Grendene (Brasil/RS) | Max Uriarte (Brasil/RS) – Bibliotheca Pública Pelotense

20h30 – Núcleo do Festival: Canto | Gala Lírico – Theatro Guarany

 

25/01

13h – Recital de Alunos – Bibliotheca Pública Pelotense

17h30 – Grupo de Metais do Festival – Café Aquário

18h – Festival na Comunidade – Grupo de Trombones Festival – Anglo UFPEL

19h – Música de Câmara | Recital de Professores: Maria Isabel Siewers (Argentina/Áustria) | Artur Elias (Brasil/RS) | Michel Lethiec (França) | Marcello Guerchfeld (Brasil/RS) | Catarina Domenici (Brasil/SP) | Diego Grendene (Brasil/RS) | Christoph Hartmann (Alemanha) | Martin Kuuskmann (Estônia/EUA) | Andrej Zust (Eslovênia/Alemanha) – Bibliotheca Pública Pelotense

20h30 – Núcleos do Festival: Percussão e Metais – Theatro Guarany

 

26/01

13h – Recital de Alunos – Bibliotheca Pública Pelotense

19h – Música de Câmara | Recital de Professores: Linus Roth (Alemanha) | Emmanuele Baldini (Itália/Brasil) | Emerson Kretschmer (Brasil/RS) | Roman Spitzer (Israel) | Horacio Schaefer (Brasil/SP) | Massimo Macrì (Itália) | Stanimir Todorov (Bulgária/Argentina) – Bibliotheca Pública Pelotense

19h – Festival na Comunidade – Grupo de Cordas do Festival – Paróquia Sto. Antonio (Laranjal)

20h30 – Banda Sinfônica Acadêmica | Regente Marcelo Jardim | Solista Michel Lethiec – Theatro Guarany

 

27/01

13h – Recital de Alunos – Bibliotheca Pública Pelotense

19h – Música de Câmara | Recital Classe de Violões – Bibliotheca Pública Pelotense

20h30 – Concerto de Encerramento do Festival | Orquestra Acadêmica do Festival – Regente Evandro Matté | Solistas Eiko Senda | Flávio Leite | Frederico Sanguinetti – Largo Mercado Público

 

Eduardo Leite quer licitar PPP para o saneamento em Pelotas; por Guilherme Kolling/Jornal do Comércio

Eduardo Leite quer licitar PPP para o saneamento em Pelotas; por Guilherme Kolling/Jornal do Comércio

Destaque Poder Política

Crítico do instituto da reeleição, o prefeito de Pelotas, Eduardo Leite (PSDB), não vai disputar o pleito de outubro. Mas planeja deixar encaminhado ao sucessor um grande projeto na área do saneamento básico. Trata-se de uma Parceria Público-Privada (PPP) para universalizar a coleta e o tratamento de esgotos no município em quatro a cinco anos. Para isso, estima-se que seriam necessários investimentos de R$ 400 milhões em redes coletoras e estações de tratamento, além de fazer a ligação com as residências que não possuem o serviço. “Evidentemente, não dispomos desses recursos. Então, a maneira mais rápida e viável é a PPP”, resume Leite.

Mais de 300 municípios gaúchos são atendidos atualmente pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), enquanto cerca de uma dezena de cidades grandes e médias do Rio Grande do Sul mantêm um departamento próprio para o setor.
Pelotas é uma delas, tem uma autarquia para a área, o Serviço Autônomo de Saneamento (Sanep). Mas ainda sofre com baixos índices de tratamento de esgotos, como a maioria das cidades do Rio Grande do Sul. Atualmente, coleta 60% do esgoto gerado pelos seus 340 mil habitantes e trata apenas 18%.
Um dos problemas causados por essa situação são as valetas de esgoto que correm a céu aberto, especialmente nas ruas sem pavimentação, que somam 400 quilômetros dos 900 quilômetros de vias urbanas de Pelotas. A prefeitura já abriu uma proposta de manifestação de interesse para a concessão do serviço de saneamento. Nesta fase, os grupos apresentam estudos para que se definam as obras necessárias, o cronograma, e os valores do projeto. Houve interesse de três empresas. A reportagem completa de Guilherme Kolling está em Jornal do Comércio.
No Topo do Mundo: Gaúcho Cristiano Müller escala os 8.848 metros do Everest

No Topo do Mundo: Gaúcho Cristiano Müller escala os 8.848 metros do Everest

Comportamento Educação Esporte Notícias Previsão do Tempo Turismo

O pelotense Cristiano Müller, é o décimo sexto brasileiro a subir o Monte Everest. Hoje pela manhã, em suas redes sociais, ele comemorou o fato: ” Olá, amigos! Cheguei agora a pouco à segurança e ao conforto do Base Camp, depois de ter sido abençoado por colocar os meus pés no TOPO DO MUNDO – Mt. EVEREST, no dia 21/05/2016, às 7h10am (hora local). Neste momento me faltam palavras para descrever a emoção que estou sentindo. Por agora só quero agradecer a Deus, por me abençoar e me proteger nessa empreitada e a todos vcs pelas mensagens de apoio, pelo carinho e pela vigília que alguns fizeram durante a escalada, principalmente no dia do ataque ao cume. Assim que possível compartilharei mais detalhes de como foi essa experiência maravilhosa, a qual certamente ficará marcada por toda minha vida. Mais uma vez obrigado a todos e um forte abraço!”

10603694_10203817076283554_7409828363910400300_n
Cristiano, a sobrinha Eduarda e o irmão Marcelo acompanhando jogo do Inter na TV. Foto: Arquivo de Família

Cristiano Müller, 37 anos é solteiro e colorado, apesar de morar há muito tempo no Rio de Janeiro, seguiu torcendo exclusivamente pelo S.C.Internacional. Ele trabalha como executivo de uma multinacional há 16 anos, responsável por gerenciar a construção de importantes projetos do setor de energia em vários países do mundo. Em 2015, ele decidiu fazer uma pausa em sua carreira e tirar um período sabático para realizar um grande sonho: escalar algumas das principais montanhas do mundo, culminando com a ascensão do

13282028_1149703128414627_918769257_n
Da esquerda p direita: Francisco da Motta, Cristiano Müller(bandeira do Brasil), Marcelo Müller e João Pedro Isse

Everest. Antes do mais alto monte do mundo, ele escalou o Mckinley , o Cho Oyu, o Kilimanjaro, e finalmente o Everest.  Em fevereiro passado, acompanhado do irmão e primos, Cristiano postou no Facebook: ” É CUUUMEE!!! Hoje, 13/02/2016, às 5h59am (hora da Tanzânia), chegamos ao cume do KILIMANJARO (5.895m), TOPO DA ÁFRICA! Grande prazer e grande emoção de realizar esta etapa do projeto NO TOPO DO MUNDO acompanhado de meu irmão, Marcelo Müller e de meus primos, Francisco da Motta e João Pedro Isse. Família 100% cume! Obrigado a todos pela torcida! Já estamos todos em Moshi em total segurança. #notopodomundo #kilimanjaro #familyexpedition” . Mais informações sobre estas conquistas estão no site Extremos.

Os outros brasileiros que conquistaram o Everest estão nominados no Extremos. O monte Everest é a mais alta montanha da Terra, 8.848 metros. Está localizado na cordilheira do Himalaia, na fronteira entre a República Popular da China (Tibete) e o Nepal. Em nepalês, o pico é chamado de Sagarmatha (Deusa Mãe do Céu), e em tibetano Chomolangma ou Qomolangma (“Deusa Mãe da Terra”).

O monte Everest está localizado na cordilheira do Himalaia. A cordilheira surgiu de um processo natural conhecido como Dobramentos Modernos (também conhecidos como cadeias orogênicas ou cinturões orogênicos). São estruturas geológicas que se originaram em virtude das ações do tectonismo e correspondem à formação de cadeias montanhosas, apresentando as maiores altitudes do planeta por serem relativamente jovens se comparadas à outras formações no planeta, dessa forma o lento processo de erosão ainda atua sobre suas formações, diferente dos dobramentos antigos, onde os processos de erosão foram responsáveis pela formação de planaltos e bacias sedimentares. O início da formação das principais cadeias de montanhas da Terra não ocorreu antes de 250 milhões de anos atrás, durante o período terciário. Estima-se que o Himalaia tenha surgido entre 50 a 40 milhões de anos atrás, quando as massas de terra da Índia e da Eurásia, impulsionadas pelo movimento das placas tectônicas, colidiram.

O Everest foi assim chamado por sir Andrew Scott Waugh, o governador-geral da Índia colonial britânica, em homenagem a seu predecessor, sir George Everest.

Radhanath Sikdar, um matemático e topógrafo indiano de Bengala, foi o primeiro a identificar o Everest como a montanha mais alta do globo, de acordo com seus cálculos trigonométricos em 1852. Alguns indianos pensam que o pico deveria ser chamado Sikdar, e não Everest.

Os 16 brasileiros que chegaram ao cume do Everest
Os 16 brasileiros que chegaram ao cume do Everest

O monte Everest tem duas rotas principais de ascensão, pelo cume sudeste no Nepal e pelo cume nordeste no Tibete, além de mais 13 outras rotas menos utilizadas. Das duas rotas principais a sudeste é a tecnicamente mais fácil e a mais frequentemente utilizada. Esta foi a rota utilizada por Edmund Hillary e Tenzing Norgay em 1953. Contudo, a escolha por esta rota foi mais por questões políticas do que por planejamento de percurso, quando a fronteira do Tibete foi fechada aos estrangeiros em 1949.

A maioria das tentativas é feita entre abril e maio antes do período das monções porque uma mudança na jet stream nesta época do ano reduz a velocidade média das rajadas de vento. Ainda que algumas vezes sejam feitas tentativas após o período da monções em setembro e outubro, o acúmulo de neve causado pelas monções torna a escalada ainda mais difícil. (Felipe Vieira com informações do site Extremos e Wikipedia)

Saúde: Médicos municipários de Pelotas promovem Mobilização nesta quinta-feira

Saúde: Médicos municipários de Pelotas promovem Mobilização nesta quinta-feira

Notícias Poder Política Saúde

Os médicos municipários de Pelotas promovem, nesta quinta-feira (14), a Mobilização pela Saúde. O objetivo é alertar a população sobre as dificuldades que a categoria vem enfrentando e denunciar a falta de preocupação do Executivo com as reivindicações dos profissionais. A mobilização, organizada pelos municipários e pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) começa às 8h30, em frente à Prefeitura, e depois os médicos sairão em caminhada até a sede da Câmara Municipal, onde acompanharão a sessão legislativa. No início da tarde, o grupo vai até a sede do Ministério Público Estadual para protocolar um ofício com as reivindicações da categoria. No final da tarde, os médicos acompanharão a reunião do Conselho Municipal de Saúde.

Os médicos informam que o atendimento nos postos de saúde será paralisado parcialmente, mas os serviços serão mantidos.

Situação caótica – No último dia 5, em assembleia, na sede do Sindicato Médico do RS (SIMERS) em Pelotas, os médicos decidiram entrar em estado de greve, por tempo indeterminado, em protesto contra a situação caótica da saúde no município. A decisão foi tomada após os profissionais terem pressionado os vereadores de Pelotas a derrubar projetos do Executivo que não contemplavam a categoria. Entre eles estava uma proposta de abono salarial muito abaixo da remuneração médica do mercado. Outra proposta pretendia dar aumento para os médicos em contrato emergencial sem contemplar os profissionais da rede municipal.

Desde o ano passado, o Sindicato vem realizando verificação nos postos de saúde e locais de atendimento e comprovando o descaso e a precariedade dos estabelecimentos. Os médicos querem a implementação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), a normatização da redução a normatização da redução da carga horária da categoria para o máximo de 20 horas semanais, mantidas as atuais remunerações, e a inclusão de gratificação de função, baseada no maior percentual pago pelo município. Pelotas conta com 90 profissionais ligados ao município. Em 1º de março, o SIMERS e os médicos encaminharam ofício à Prefeitura com as reivindicações e deu prazo de 10 dias úteis para o Executivo se manifestasse sobre as negociações.

Autorizado registro de duas mães em certidão e alteração de nome e sexo feminino para masculino

Direito Notícias

 

A primeira analisou pedido de um casal de mulheres que fizeram inseminação artificial para ter filho. Como estavam juntas havia muitos anos – inclusive com a união civil reconhecida -, queriam que seu filho tivesse o nome de ambas na certidão de nascimento. O Juiz de Direito Diretor do Foro de Pelotas, Marcelo Malizia Cabral, entendeu que “as relações humanas e suas modificações desafiam o Judiciário, criando a necessidade de um novo pensar, que se torne adequado à realidade, interpretando a norma e os princípios de maneira extensiva, concretizando a Justiça”. Malizia entendeu que o artigo 227, § 6°, da Constituição Federal (que diz serem proibidas quaisquer designações discriminatórias relativas à filiação) era aplicável ao caso, determinando que o registro de nascimento do filho constasse com o nome de ambas as mães.

A segunda sentença tratou da alteração de registro civil quanto ao nome e ao sexo (no tocante à definição do gênero no documento)  da parte requerente. Embora tendo nascido mulher, o autor via-se como homem, tendo interesse de fazer cirurgia para alteração de sexo. O magistrado disse que “seu nome de registro não alcança o modo pelo qual se vê como ser humano. O registro é um, o sentimento é outro”. Aliás, segundo a sentença, não se fazia necessária a cirurgia da mudança de sexo. Para o Juiz, “o conceito de dignidade da pessoa não pode limitar-se a uma cirurgia de implantação da genitália masculina: deve assegurar sua integridade psicofísica no âmbito doméstico, profissional e social, a fim de que possa exercer plenamente os direitos civis que dele decorrem”.

Os processos correm em segrego de Justiça e contaram com a anuência do Ministério Público.

“A Justiça precisa cada vez mais se aproximar dos cidadãos, e com os olhos bem abertos, percebendo que tem de acompanhar os avanços sociais. Deixar de prestar esse tipo de serviço à população é negar-lhe Justiça”, afirmou o Juiz.

Fortunati garante sanção a projeto que proíbe Prefeitura e Câmara de contratarem empresas doadoras de campanha

Fortunati garante sanção a projeto que proíbe Prefeitura e Câmara de contratarem empresas doadoras de campanha

Cidade Direito Negócios Notícias Poder Política

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), confirmou que vai sancionar o projeto de lei que proíbe o Executivo e o Legislativo municipal de firmarem ou prorrogarem contratos com empresas (incluindo consórcios) que tenham financiado campanhas eleitorais, por quatro anos, a contar da data da doação. Foi o que confirmou, no fim da tarde desta sexta-feira, a assessoria de imprensa do Paço Municipal, após a reportagem da Rádio Guaíba veicular que leis semelhantes já entraram em vigor em Santo Antônio da Patrulha e Pelotas – nessa última, em função de um projeto de um vereador do PDT, legenda de Fortunati.

Na Capital, o prefeito já entrou em contato com o presidente da Câmara, vereador Mauro Pinheiro (PT), solicitando o recebimento do texto para que possa ser sancionado. Desde a metade de junho, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT), autor do projeto, pretendia enviar a matéria para a análise de Fortunati, em audiência no dia 22 de junho. Com o prefeito alegando falta de agenda, o vereador previa realizar um ato com a presença de políticos e representantes de entidades em apoio à iniciativa, a fim de pressionar Fortunati.

Sgarbossa ficou sabendo pela Rádio Guaíba que o projeto vai ser sancionado. “Nós só temos a comemorar. E também saudar a atitude do prefeito Fortunati, num entendimento elevado de espírito público, já se manifestou pela sanção do projeto”, brindou.

A matéria havia sido aprovada na Câmara Municipal com placar de 13 votos a favor e 10 contra na última sessão de 2014. O resultado de votação foi questionado pelo líder do PDT no Legislativo. Márcio Bins Ely acabou, porém, retirando requerimento que pedia realização de uma nova votação, e a Câmara, enfim, ratificou aprovação da matéria em metade de junho.

Em Pelotas, um texto similar foi vetado pelo prefeito Eduardo Leite (PSDB), mas a Câmara derrubou o veto nessa quinta. (Lucas Rivas/Rádio Guaíba)

Pedágios renderam 820 milhões em ISSQN para 634 municípios em 2014

Cidade Economia Notícias Política

As concessionárias de rodovias repassaram em 2014 a ordem de R$ 820 milhões em ISSQN – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza para 634 municípios cortados por vias sob administração privada. Em relação ao repasse de 2013, houve um crescimento de 3,5%. Nos últimos cinco anos, a montante chega a 3,5 bilhões de reais. “Registramos esse crescimento em 2014 porque tivemos mais obras e novas concessionárias entraram em operação. O repasse deste valor para os municípios é um dos benefícios do modelo para as chamadas cidades lindeiras, que são cortadas pelas rodovias. Além da melhoria da infraestrutura, que acaba por atrair mais negócios para a região, o repasse do ISSQN pelas concessionárias transforma-se em receita de muita importância e utilidade para prefeituras. O valor repassado evidencia a importância que as rodovias têm para completar a renda desses municípios para investimento em saúde, educação, esporte, obras municipais etc.”, explica Ricardo Pinto Pinheiro, presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias – ABCR.

O recolhimento do ISSQN é determinado por legislação e obedece a extensão da rodovia na jurisdição de cada município. Os repasses ocorrem todos meses e são definidos de acordo com o percentual aplicado em cada cidade, conforme determina a legislação.

No Rio Grande do Sul, a prefeitura de Santo Antônio da Patrulha, município onde fica uma das praças de pedágio da Triunfo Concepa, que administra 121 quilômetros de rodovia no Rio Grande do Sul, estima que em 2014 de 5 a 6% da arrecadação total do município tenha vindo do ISSQN gerado pelo pedágio instalado na cidade. A média mensal é de R$ 350 mil. De acordo com o secretário de Obras, Segurança e Trânsito da prefeitura de Santo Antônio da Patrulha, Antônio Fernando Selistre, os recursos contribuem na área da saúde, com a contratação de mais médicos, em investimentos na educação e em obras feitas no município. Em 2014 o total de recursos do ISSQN gerado a Santo Antônio da Patrulha foi mais de R$ 3 milhões.

Se somados os oito municípios do trecho administrado pela Triunfo Concepa, a receita gerada pelo ISSQN ultrapassa os R$ 12 milhões. Este número não considera o valor de ISSQN gerado pelos serviços diretamente ligados à concessionária. Apenas em 2014 esse número gerou um acréscimo de R$ 6 milhões aos cofres dos municípios.

O presidente da ABCR, Ricardo Pinheiro, afirma que a contribuição das concessionárias fomenta o desenvolvimento socioeconômico dos municípios. “É um recurso que confere benefícios dentro das cidades. Este dinheiro ajuda as prefeituras a manter e aplicar novos programas e atividades que revertam em mais qualidade de vida e bem-estar para os moradores”, destaca.

A arrecadação se mostra ainda mais importante para os pequenos municípios. Para muitos, o repasse de ISS representa quase 30% da receita tributária total das prefeituras. O prefeito Eduardo Leite, de Pelotas (RS), observa que ao lado do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o ISSQN repassado pela Ecosul representa uma das principais fontes de receitas da Prefeitura. “São recursos que o Executivo tem disponível para aplicar aonde deseja, claro que respeitado os percentuais mínimos condicionais dos 25% em Educação e os 15% em Saúde”, destaca.

Segundo ele, o imposto arrecadado com impostos sobre serviços gerados pela atividade do Polo Pelotas, rodovia que atravessa o município, 25% foi aplicado em Educação, 15% em saúde e o restante em diversos serviços prestados pelo município que vão desde o pagamento do salário dos servidores até a manutenção dos serviços feitos na cidade como as obras de repavimentação das vias e a manutenção da iluminação pública.

No município de Cristal (RS), foram repassados R$ 466.539,36 em ISS, valor referente aos 5,19% que a cidade representa dentro do Polo Pelotas. Na opinião da prefeita Fábia Richter, a Ecosul tem contribuído muito para o desenvolvimento da cidade. “Os recursos são aplicados na área da saúde, onde viabilizou-se a Estratégia de Saúde da Família, na educação, com o transporte dos estudantes para Camaquã, custeado pelo município e ampliação da Escola Otto Becker que receberá neste ano o ensino médio”, destaca ela.

A prefeita relembra ainda que o aspecto financeiro não é a única vantagem para o município de Cristal. “A empresa ainda é responsável por muitos empregos diretos e indiretos que sustentam muitas de nossas famílias, e, portanto, esta parceria tem dado bons resultados ao Cristal e certamente ainda terá muito a oferecer”, finaliza.