16 de Dezembro: O dia em que um denunciado por estelionato assumirá a presidência do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul

16 de Dezembro: O dia em que um denunciado por estelionato assumirá a presidência do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul

Direito Notícias

Como pode? Um denunciado por estelionato, com ação tramitando no Superior Tribunal de Justiça segue dizendo se os políticos gaúchos são sérios ou não na condução da coisa pública. Para piorar, Marco Peixoto vai assumir a presidência do TCE/RS. Sim! A corte que julga o certo e o errado, será presidida a partir de 16 de dezembro, por um acusado de estelionato. Alguém pode dizer: Mas, ele não foi condenado. É verdade. Porém sobre um integrante da magistratura não pode haver nenhuma suspeita. Já escrevi e repito. Pelo bem da imagem da casa onde atua e para evitar o constrangimento de seus pares no TCE-RS, Peixoto deveria ter se licenciado do cargo, sem remuneração, enquanto não houver uma decisão do STJ no processo de estelionato que envolve a suspeita de manutenção de funcionários-fantasma na Assembleia Legislativa quando ele era deputado estadual. Não se licenciou e  agora vai assumir a presidência da casa. Que vergonha para o Rio Grande do Sul. O Estado que já está quebrado financeiramente, começa a falir moralmente.

Questiono novamente: Como pode um réu por estelionato presidir o TCE-RS que julga o governador, prefeitos, vereadores, dirigentes de empresas públicas? Não é crível que alguém suspeito de praticar crimes na administração pública julgue outras pessoas acusadas de práticas semelhantes. Em nome da credibilidade da Corte onde atua, o melhor é Marco Peixoto deixar seu confortável gabinete enquanto tudo não estiver devidamente esclarecido. Se houver a absolvição, já que seu advogado, Fábio Medina Osório, garante que se trata de um processo sem fundamento algum, arbitrário e injusto. “Um deputado não consegue ficar controlando a efetividade de todo seu gabinete, mormente quando se sabe que muitos dos servidores desempenhavam à época funções externas às dependências do Poder Legislativo”, disse. Marco Peixoto volta a atuar com a segurança de quem foi julgado e nada encontrado. Mas, até lá, fica muito ruim um suspeito de estelionato contra os cofres públicas opinar sobre semelhantes. Ruim para ele e para a Corte.

 

PS: Depois de escrever  o texto sobre o fato de Marco Peixoto, Conselheiro do TCE/RS ser acusado de estelionato e seguir julgando na maior cara de pau.  Recebi esta reportagem do grande Giovani Grizotti, onde ele​ mostra que vários políticos gaúchos tem situações semelhantes e seguem por aí… A reportagem do Giovani é anterior a denuncia do STJ contra Marco Peixoto. Hoje a situação do Conselheiro é de ser acusado por estelionato. Mas, ela serve para que todos tenham uma visão geral do que está acontecendo. Felipe​Vieira​