Porto Alegre: Lojistas insatisfeitos com o BarraShoppingSul buscam apoio da CDL POA

Porto Alegre: Lojistas insatisfeitos com o BarraShoppingSul buscam apoio da CDL POA

Cidade Comunicação Destaque Direito do Consumidor Economia Negócios Porto Alegre Publicidade Turismo

A CDL Porto Alegre vem recebendo reclamações constantes por parte de lojistas do BarraShoppingSul. Na manhã de ontem, dia 10, uma comitiva de lojistas veio até a sede da entidade para falar das dificuldades que enfrentam para negociar com os representantes do empreendimento, especialmente, sobre o valor dos alugueis.  A situação está tão complicada que os varejistas observam que grandes redes que antes estavam naquele shopping, como HStern, Daslu, Marisa, C&A, Gap, Sony e Casa das Alianças, entre outras, já fecharam suas lojas. A partir deste encontro, tendo em vista que existe a disposição para ações mais drásticas, ficou acertado que será solicitada uma audiência entre dirigentes da CDL POA, enquanto representante dos lojistas, com a superintendência do BarraShoppingSul, para tentarem encontrar alguma solução para estas demandas.

Vale lembrar que a entidade já conta com este site, no qual os lojistas podem publicar seus pleitos e dificuldades com esses empreendimentos, bem como os representantes destes podem manifestar suas opiniões e apresentar soluções possíveis para diferentes casos ali abordados. 

PSDB ameaça ficar fora de coalizão e complica Temer. Partido quer criar regra para punir tucanos que integrarem governo

PSDB ameaça ficar fora de coalizão e complica Temer. Partido quer criar regra para punir tucanos que integrarem governo

Notícias Poder Política

Com dificuldades para encontrar nomes para um eventual Ministério, o vice-presidente Michel Temer enfrenta mais um obstáculo: o PSDB, em reunião na próxima terça, deve estabelecer punição para quem assumir qualquer cargo, caso o vice se torne presidente de fato. O grupo de Temer corre contra o tempo, para dar sinais positivos ao mercado financeiro. Até agora, nomes como Arminio Fraga e Marcos Lisboa, para a Fazenda, e Ayres Britto e Nelson Jobim, para a Justiça — cotados como preferidos de Temer —, sinalizaram que não participarão. Interino no Planalto, o vice ontem se queixou da presidente Dilma Rousseff em entrevista ao “The New York Times”: “Ela não se considerava minha amiga.” (O Globo)

Marqueteiros em fuga

Marqueteiros em fuga

Comunicação Notícias Poder Política Publicidade

Após escândalos e com João Santana preso, marqueteiros não querem ouvir falar em campanhas eleitorais. Outro elemento a empurrar para fora do mercado os grandes profissionais é a questão financeira. Além de estabelecer um teto para os gastos — em 70% do máximo empenhado pelo candidato que mais gastou no pleito para cada cargo —, as regras eleitorais que passarão a ser aplicadas a partir deste ano vedam a doação de empresas. Apenas pessoas físicas poderão dar dinheiro às campanhas – e a contribuição não poderá superar 10% dos rendimentos declarados do doador. Diante disso, a conclusão dos profissionais é uma só: vai faltar dinheiro.

— Campanha é cara. Requer estrutura para emprestar milhões para o candidato em equipamentos e dinheiro, que são pagos meses depois de concluído o serviço. E está embutido no preço o risco do calote — afirma um marqueteiro.

No meio, ninguém acredita que as doações de pessoa física serão capazes de satisfazer as expectativas de ganho dos profissionais. Em tom de chacota, um ex-integrante da campanha de Marina Silva em 2010 conta que a candidata investiu R$ 4 milhões para criar um sistema de doações on-line. Com a ferramenta pronta, arrecadou apenas R$ 140 mil. A reportagem completa está em O Globo.