Motorista da Uber é agredido em saída de audiência pública na Capital; taxista presta depoimento

Motorista da Uber é agredido em saída de audiência pública na Capital; taxista presta depoimento

Notícias Porto Alegre prefeitura

Um motorista da Uber foi agredido com um tijolaço na cabeça ao deixar, na noite desta terça-feira, a audiência pública que discutiu, no Ginásio Gigantinho, o projeto que regulamenta o aplicativo de celular em Porto Alegre. De acordo com o relato da vítima a um grupo de motoristas que troca informações pelo WhatsApp, o ataque ocorreu em frente à escola Imperadores do Samba, na avenida Padre Cacique.

Já a Brigada Militar confirmou que uma viatura da Operação Avante, que percorria o local, flagrou o ocorrido e deteve um suspeito da agressão. O suposto taxista presta depoimento na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento, junto ao Palácio da Polícia.

Aguarde mais informações   (Rádio Guaíba)

Chargista Marco Aurélio deixa as paginas de Zero Hora

Chargista Marco Aurélio deixa as paginas de Zero Hora

Cidade Comportamento Comunicação Cultura Notícias Poder Política Porto Alegre Publicidade

A tradicional charge de Marco Aurélio, publicada há décadas, nas primeiras páginas não será mais vista em Zero Hora. A empresa deve anunciar nos próximos dias, que o chargista deixará o dia a dia do jornal impresso. Funcionário há 46 anos do Grupo RBS, ele não se afastará totalmente da empresa. Marco Aurélio, irá publicar seus trabalhos uma vez por semana, na ZH Digital.

Lya Luft comunica saída da VEJA através das redes sociais

Lya Luft comunica saída da VEJA através das redes sociais

Comunicação Cultura Notícias

Em um breve post na rede social Facebook, a brilhante escritora Lya Luft, comunicou que deixará de escrever a coluna da VEJA:
” Comunico aos meus amigos e leitores, sobretudo da revista Veja onde escrevi por treze anos ,com orgulho e alegria, a coluna Ponto de Vista:A vida funciona por ciclos. O artigo sobre um Brasil leiloado, do fim de semana passado, foi o ultimo na Veja.Nao se abre espaço para conjeturas: é uma separaçao amigavel, tranquila e consensual. Foi um longo belo tempo de desafios e aprendizado, amizade e respeito,e só tenho a agradecer.”

Eliseu Padilha diz que saída do governo não é golpe e que o PMDB não tem garantias de continuar no poder com Michel Temer

Notícias Poder Política

 

O secretário executivo do PMDB, Eliseu Padilha, disse que a chance zero de seu partido não sair do governo Dilma hoje à tarde. Em entrevista por telefone ao Programa Agora, Padilha destacou que não havia mais a possibilidade de que os chamados caciques conseguissem segurar a aliança partidária por mais tempo, sob pena de uma insurreição da base. Disse que o partido toma uma posição política e que há um projeto para 2018 que obriga a legenda a sair do governo.

Ao ser questionado se é golpe o desembarque do PMDB do governo Dilma, Padilha disse que já saiu do governo em dezembro e disse que a coisa não é bem assim. Para ele “o impeachment foi dado como legal pelo STF, que estabeleceu as regras do processo”. Padilha disse que mesmo com a saída de Dilma, o PMDB não tem garantias de continuar no governo com Michel Temer.

Sobre a situação de Eduardo Cunha e Renan Calheiros, que tem vários processos contra eles no STF,  Padilha disse que as instituições do Brasil estão funcionando plenamente e não vê possibilidade de interferência de um poder sobre o outro, pois as ações do Judiciário vão continuar atuando contra todos os investigados.

 

Grupo de Temer diz ter 80% dos votos para rompimento. Desembarque do PMDB já é dado como certo também pelo Planalto

Grupo de Temer diz ter 80% dos votos para rompimento. Desembarque do PMDB já é dado como certo também pelo Planalto

Notícias Poder Política

Aliados do vice-presidente Michel Temer diziam ontem já ter 80% dos votos do partido pelo rompimento com o governo Dilma. O Planalto também já está convencido de que o partido vai desembarcar e teme efeito dominó entre aliados. Até terça-feira, quando será decidido o rompimento, Temer buscará ainda mais adesões. Além do PMDB, o PP também já prepara afastamento, mesmo com a tática do Planalto de distribuir ministérios, informam EDUARDO BRESCIANI, JÚNIA GAMA e SIMONE IGLESIAS. Líderes de outras siglas da base, como PSD e PR, avisaram à presidente Dilma que não garantem o apoio das bancadas no processo de impeachment. A reportagem completa está em O Globo.

Moisés Mendes deixa Zero hora

Moisés Mendes deixa Zero hora

Comunicação Cultura Direito Notícias Poder Política
O jornalista Moisés Mendes anunciou hoje que está deixando o jornal Zero Hora. Nesta sexta-feira ele enviou um e-mail a amigos e leitores explicando os motivos da saída: “Solicitei meu afastamento em 29 de fevereiro, dias após ter sido informado de que a Zero juntaria as edições de sábado e domingo em uma superedição com o melhor de ZH. Eu deixaria de escrever no espaço que ocupava no domingo e seria mantido como articulista em outros três dias da semana.

Moisés ocupava espaço na edição dominical desde o final de 2014

No final de 2014, o jornalista já havia pedido demissão, após o anuncio de mudanças entre colunistas. Daquela vez o motivo foi a comunicação que Moisés deixaria de escrever no espaço que compartilhava Paulo Sant’Ana. Ele ocupava a penúltima página nas edições de terças e sextas. Moisés, pediu demissão, mas foi demovido de sua ideia em função do apelo de leitores e colegas de redação. Naquela época ele disse ao blog Jornalistas/RS: “Fiquei comovido, não imaginava que teria tanto apoio. Agora tenho uma responsabilidade ainda maior com o leitor”. Da minha parte quero agradecer ao Moisés, na década de 90, quando foi editor de Economia de ZH abriu amplos espaços para reportagens que produzi para a Rádio Gaúcha. Ouvinte atento do Rádio e sem que o jornal tivesse coberto o assunto me chamava junto com a Bela Hammes e mandava eu baixar o texto. depois eles corrigiam os erros de pontuação e gramática e estampavam no jornal. O ápice foi uma manchete principal de capa na cobertura da privatização da Aços Finos Piratini, hoje Gerdau.
Moisés tinha grande admiração de parte dos leitores de Zero Hora. Em um de seus textos de maior repercussão, QUEM TEM MEDO DE BOLSONARO?  Recebeu elogios de Tarso Genro, ainda exercendo o cargo Governador do RS. Após ler o texto, Tarso publicou em suas redes sociais: “Artigo de Moisés Mendes sobre Bolsonaro, na ZH de hoje, dignifica o jornalismo de opinião. Orgulha todos os que são democratas e humanistas. Defendi, quando era Ministro da Justiça, que não era preciso mudar a Lei da Anistia, para punir quem torturou, matou e estuprou. Bastaria o Supremo dizer que esta mesma Lei da Anistia não se aplica a estes crimes, que não podem ser compreendidos como crimes políticos. A discussão foi distorcida por setores da mídia, cúmplices do Regime, como se quiséssemos mudar a lei para agredir as instituições militares e, assim, intimidar os que defendem a punição, na verdade, de crimes hediondos ou comuns mesmo dentro do direito formal do próprio regime. Hoje, o STF passa a reconhecer que Lei da Anistia deve ter nova interpretação, não para julgar instituições, mas indivíduos criminosos.”

Confira na íntegra a mensagem que Moisés Mendes enviou a amigos e leitores, na manhã desta sexta-feira, explicando sua saída da Zero.

Agradecimento
Esse e-mail é para agradecer pelo convívio, no momento em que comunico meu desligamento de Zero Hora. Agradeço a leitura, o reconhecimento e a crítica, nesses 27 anos em que atuei em muitas áreas do jornal.
Solicitei meu afastamento em 29 de fevereiro, dias após ter sido informado de que a Zero juntaria as edições de sábado e domingo em uma superedição com o melhor de ZH. Eu deixaria de escrever no espaço que ocupava no domingo e seria mantido como articulista em outros três dias da semana.
É óbvio que tais deliberações são da natureza e das prerrogativas de qualquer comando em qualquer atividade. Mas ainda tentei defender minha permanência na edição nobre do jornal, certo de que o espaço não era meu, mas do leitor de ZH. Não obtive êxito, procurei entender o contexto da decisão tomada pela direção e optei por sair. Aprendemos, nas mais variadas situações, que é preciso saber a hora de ir embora.
Faço esse breve esclarecimento porque só agora, após minhas férias, foi formalizada minha saída. Os que me acompanharam e contribuíram para o meu trabalho merecem pelo menos uma despedida.
Obrigado pelos questionamentos, pelos alertas e até pela total discordância com o que escrevo. Sempre acolhi com respeito as observações de quem me lê e continuarei defendendo com radicalidade, como obrigação de jornalista, a ampla liberdade de expressão.
Pluralidade, diversidade e livre circulação de ideias, no jornalismo e em todas as áreas que contribuem para a propagação de informações e de opiniões, não podem ser meros recursos mercadológicos. Somente serão efetivas se estiverem a serviço do debate, dos avanços civilizatórios e da democracia.
Abraço
Moisés Mendes
(Aos que perguntarem, não tenho nenhum projeto no momento. Este é meu e-mail pessoal, que ofereço aos leitores e amigos sem restrições).

12884594_1734198536799142_1091046480_nEm uma breve nota publicada, na página 4, da edição de hoje(25.03.2016), o vice-presidente editorial da RBS, Marcelo Rech trata do assunto, lamentando a decisão em caráter pessoal da saída do profissional com 27 anos de casa. Rech garante ainda que: “Zero Hora convidará articulistas de perfil similar ao de Moisés para colaborar com colunas e comentários que mantenham a diversidade de opiniões que caracteriza o jornal.

Cristovam Buarque fala sobre saída do PDT e opção pelo PPS. Senador critica Ciro Gomes e elogia Aécio Neves

Notícias Poder Política

Entrevistei hoje o senador Cristovam Buarque sobre a saída do PDT. Ele esteve  11 anos no Partido. Cristovam, disse que foi convidado pelo presidente nacional do PPS, Roberto Freire, para capitanear uma modernização na sigla. Por isso decidiu deixar a legenda e se filiar ao PPS na próxima quarta-feira. O parlamentar trocou o PT pelo PDT em 2005, às vésperas do escândalo do mensalão e disse que deixa o partido por não querer compactuar com um acordo com o PT, que deverá lançar o nome de Ciro Gomes candidato a presidente em 2018, caso o ex-presidente Lula não consiga se viabilizar como candidato.

Em entrevista ao Programa Agora da Rádio Guaíba, esclareceu que o PPS é um partido que tem propostas para o futuro do Brasil, incluindo a estabilidade monetária como compromisso para o Século 21. Destacou que não estamos em crise mas em processo de decadência econômica e para tanto o PPS oferece condições de fazer política. Ao ser questionado sobre a mudança de legenda, Cristovam não garantiu nem negou que seria candidato a presidente em 2018. O senador confessa que houve conversas sobre o tema, mas disse que não migra para o PPS por conta disso e cogita, inclusive, apoiar outro candidato. Ao ser questionado se o candidato do partido for Aécio Neves, disse que ele é uma alternativa para mudar o Brasil e que teria condições de enfrentar os problemas do País.

Obrigado, D’Alessandro!

Esporte Notícias

 

 

Obrigado, Andrés Nicolás D’Alessandro, foi um prazer ter te visto jogando com as camisas 15 e 10 do meu Inter. Você é um dos maiores jogadores que eu vi nos meus 44 anos de Beira-Rio. Obrigado pelos títulos, pelos gols, pelas assistências e até pelas brigas e frases indignadas. Houve momentos que você deixava de lado o profissional e encarnava o nosso espírito de torcedor. A gente podia odiar aqueles segundos que resultavam em cartões amarelos e vermelhos. Porém, tua indignação contra injustiças dentro do campo nos representava. Lembro da tua estreia em um Gre-Nal de 2008, pela Copa Sul-Americana,  1 a 1. Eliminamos o adversário e abrimos caminho para a conquista de mais um Campeonato Continental. Por sinal, o clássico tinha um sabor especial né? Talvez algo como um “asado con calabaza” feito por ti para servir  a Erica, Martina, Santino e em breve quando nascerem os dentes, o Gonzalo. Para nós tu em campo, era um churrasco de domingo com a família e amigos antes de um grande jogo. Algo que nos delicia e encanta.

Obrigado pelas inúmeras alegrias. Elas superam em muito qualquer problema que existiu na nossa relação de amor e paixão. Nós colorados agradecemos a tua entrega ainda maior em grandes e decisivos jogos.

Obrigado pelo Lance de Craque! Esse trabalho que tu e tantos outros se dedicam mostrando que vocês se lembram de quem precisa.

Obrigado, por nos auxiliar na conquista de mais títulos gaúchos e na segunda Libertadores.

Obrigado principalmente pelo “la boba”, dribles e lançamentos que muitas vezes podem não ter resultado em gols e títulos, mas que nos encantaram e fizeram a gente acreditar que a magia do futebol permanece viva. Você foi O CARA! Eu acredito que a nossa torcida já cantava o Tema da Vitória quando tu chegou a vestiu a camisa 15.

 

Oh dalê, dalê, dalê oh
dalê, dalê, dalê oh
Pra sempre Inter

Eu nunca me esquecerei
Dos dias que passei
Contigo Inter

Colorado é coração
trago amor e paixão
Pra sempre Inter

Oh dalê, dalê, dalê oh
dalê, dalê, dalê oh
Pra sempre Inter

Eu que muitas vezes cantei mais forte, para te homenagear, os versos:

Oh dalê, dalê, dalê oh
dalê, dalê, dalê oh
Pra sempre Inter

Juro que seguirei cantando:

Oh D’Ale, D’Ale, D’Ale oh
D’Ale, D’Ale, D’Ale oh
Pra sempre Inter

Obrigado, Andrés Nicolás D’Alessandro!

PT ouve queixas de Paim e garante que senador não fala em deixar legenda. Presidente estadual, Ary Vanazzi, admitiu ter ouvido insatisfações, mas minimizou rompimento

PT ouve queixas de Paim e garante que senador não fala em deixar legenda. Presidente estadual, Ary Vanazzi, admitiu ter ouvido insatisfações, mas minimizou rompimento

Notícias Poder Política

O presidente estadual do PT, Ary Vanazzi, esteve reunido com o senador Paulo Paim, na tarde desta sexta-feira, mas não ouviu do parlamentar nenhum pedido de saída da legenda. Vanazzi admitiu, ainda assim, ter ouvido insatisfações. O dirigente reconheceu a indignação de Paim com uma série de fatores envolvendo o governo federal, mas disse acreditar que uma maior participação dele em discussões partidárias possa retomar a relação positiva entre as partes.

“Ele se queixou e não escondeu nada. Vota favorável a projetos e a presidente veta e não concorda com a política econômica ou perda de direitos dos trabalhadores”, reconheceu Vanazzi. Mais cedo, Paim participou do programa Esfera Pública e, mais uma vez, sinalizou pela saída do PT. “Pregamos uma coisa e está acontecendo outra. E eu me sinto desconfortável”, declarou.

Entre os destinos prováveis do senador, estão a Rede Sustentabilidade e o PSB. Até terça-feira, Paim ainda se reúne com os prefeitos José Fortunati, do PDT, e Jairo Jorge, do PT; com o ex-senador Zambiasi, do PTB, e com lideranças do PSB e PDT. (Rádio Guaíba – Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Levy cobra reformas para ficar

Levy cobra reformas para ficar

Economia Notícias Poder Política

Em entrevista à repórter MARTHA BECK, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que sempre buscou medidas além do ajuste nas contas públicas: “O que me irrita é uma fixação que existe no governo com a agenda fiscal.” Perguntado sobre quanto tempo ficaria no cargo, afirmou que “a extensão da minha permanência” depende de uma sinalização do governo de que pretende adotar reformas. Pouco antes, em reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), Levy se despediu dos outros membros do colegiado, segundo relato de presentes ao encontro.  A reportagem completa está em O Globo.