Adolescente de 16 anos matou universitária em frente à família na Cavalhada, revela Polícia. Além dele, dois homens e um segundo menor, de 14, já apreendido, tiveram participação no crime

Adolescente de 16 anos matou universitária em frente à família na Cavalhada, revela Polícia. Além dele, dois homens e um segundo menor, de 14, já apreendido, tiveram participação no crime

Cidade Notícias Segurança

A Polícia Civil revelou, hoje, que um adolescente de 16 anos é apontado como responsável pelo disparo que matou a universitária Sara Tótaro, de 23 anos, na quinta-feira passada, na zona Sul de Porto Alegre. O latrocínio (matar para roubar) ocorreu no bairro Cavalhada, em frente à família da vítima, abordada ao chegar em casa.

De acordo com a Polícia, diligências e o cruzamento de dados levaram à identificação do menor, que ainda não foi apreendido. A investigação também confirmou que vai solicitar o pedido de internação do suspeito.

O delegado Luciano Coelho explicou, em entrevista coletiva, que um outro adolescente, de 14, também teve envolvimento direto no crime. Ele admitiu participação após ter sido detido no fim de semana. O jovem tentou assaltar um policial militar no bairro Partenon, foi baleado, socorrido e internado na Fase.

O envolvimento da dupla se confirmou por meio de vestígios encontrados no carro da família de Sara. “Hoje à tarde, eu recebi o laudo de papiloscopia, onde as impressões digitais dos dois adolescentes foram encontradas no veículo da vítima”, disse. O adolescente de 14 foi convidado a participar do crime em troca de uma recompensa de R$ 1 mil para conduzir o veículo, que era o alvo do roubo.

Além da dupla, residente do bairro Glória, a Polícia Civil também tenta identificar outros dois suspeitos de envolvimento no caso, ambos maiores de idade.

Crime

O crime ocorreu em 23 de junho, na rua Gaurama. Sara, a mãe e uma irmã foram surpreendidas ao chegarem em casa em um Volskwagen Up!, do pai dela. Os quatro criminosos desceram de um veículo branco e anunciaram o assalto. Um dos criminosos tirou a mãe de Sara do veículo, à força, e baleou a jovem, sentada no banco traseiro. Com um tiro no abdome, ela chegou a ser socorrida mas morreu enquanto era levada para atendimento médico no posto de saúde da Vila Cruzeiro. Os suspeitos fugiram sem levar nada. (Rádio Guaíba)

Identificados envolvidos na morte de universitária na zona Sul de Porto Alegre. Um dos envolvidos já foi preso pela Polícia Civil

Identificados envolvidos na morte de universitária na zona Sul de Porto Alegre. Um dos envolvidos já foi preso pela Polícia Civil

Direito Notícias Segurança

A Polícia Civil identificou dois suspeitos de participação na morte da jovem Sara Tótaro, de 23 anos, morta na última semana no bairro Cavalhada, em Porto Alegre. O delegado responsável pela investigação, Luciano Coelho, afirmou que um dos suspeitos já foi detido pela investigação. Uma entrevista coletiva deve ser concedida na tarde desta quinta-feira para dar mais detalhes sobre o inquérito.

O caso:

O crime ocorreu no dia 23 de junho, na rua Gaurama, no bairro Cavalhada. Sara chegava em casa em um Volskwagen Up! acompanhada da mãe, que dirigia o carro do pai, e uma irmã. Um grupo de criminosos desceu de um veículo branco e anunciou o assalto. Durante a ação, um dos bandidos atirou, baleando a jovem na altura do abdômen.

A jovem chegou a ser socorrida mas não resistiu aos ferimentos e morreu enquanto era levada para atendimento médico no posto de saúde da Vila Cruzeiro, na zona sul. Os suspeitos fugiram sem levar nada. (Eduardo Paganella/Rádio Guaíba)

Jovem de 23 anos é assassinada em frente à família durante assalto na zona Sul de Porto Alegre. Em vídeo vizinho relata assalto que terminou com morte de jovem na Capital; do Correio do Povo

Jovem de 23 anos é assassinada em frente à família durante assalto na zona Sul de Porto Alegre. Em vídeo vizinho relata assalto que terminou com morte de jovem na Capital; do Correio do Povo

Entrevistas Notícias Segurança Vídeo

 

A jovem Sara Tótaro, morta em frente à família durante um assalto no bairro Cavalhada, em Porto Alegre, recebeu os primeiros socorros da mãe, que é anestesista aposentada. O vizinho Elivando Gritti presenciou a tentativa de reanimar a estudante de 23 anos e contou que ajudou no transporte até o Posto da Vila Cruzeiro, na zona Sul da Capital.

thumb.aspx
Família foi abordada quando chegava em casa, no bairro Cavalhada | Foto: Guilherme Testa

“O assalto ocorreu às 21h45min, depois dos pais buscarem a Sara na faculdade. Eles estavam chegando em casa e, como o portão da casa não é automático, o pai saiu do carro para abri-lo. Os bandidos chegaram, abordaram e atiraram na guria”, disse em entrevista ao Correio do Povo nesta sexta-feira. “A mãe dela é médica e até fez os primeiros socorros”, acrescentou.

Gritti relatou que, logo após o assalto, os moradores da rua Gaurama, no Parque Madepinho, tentaram contato com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e com a Brigada Militar (BM), mas não conseguiram. “Como o carro permaneceu em frente ao portão e estava com o motor ligado, eu peguei a direção e levamos a Sara até o Posto da Vila Cruzeiro”, explicou.

A família Tótaro estava em um Volkswagen Up no momento do assalto. A mãe de Sara foi retirada à força do carro e, depois disso, houve o disparo que atingiu o abdômen da universitária, que estava sentada no banco traseiro do carro. Os suspeitos fugiram sem levar nada e até o momento não há informações sobre a autoria crime.