SEBRAE/RS apresenta estratégia de atuação para 2017. Um dos destaques é o Novo Portal da instituição que irá oferecer páginas segmentadas, E-commerce e Educação a Distância

SEBRAE/RS apresenta estratégia de atuação para 2017. Um dos destaques é o Novo Portal da instituição que irá oferecer páginas segmentadas, E-commerce e Educação a Distância

Agenda Agronegócio Cidade Comunicação Destaque Economia Negócios Poder Política Porto Alegre Tecnologia Turismo

Fortalecimento dos Pequenos Negócios, Estímulo ao Empreendedorismo e Crescimento Sustentado são os três pilares estratégicos que norteiam as ações do SEBRAE/RS no ano de 2017, contribuindo para o cumprimento da missão que consiste em promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e estimular o empreendedorismo. “Contribuir para a construção de um País mais justo, competitivo e sustentável é a essência do nosso trabalho. E para que possamos atingir este propósito, precisamos atuar através de parcerias, não querendo fazer tudo sozinhos. Somente desta forma os pequenos negócios poderão durar mais, produzir e empregar mais, gerando riqueza para a sociedade”, analisa o diretor-superintendente do SEBRAE/RS, Derly Fialho.

Nesta terça-feira, 10 de janeiro, o SEBRAE/RS apresentou sua estratégia de atuação para 2017 durante Coletiva de Imprensa com a presença dos principais veículos de comunicação de Porto Alegre com transmissão ao vivo para a imprensa do interior do Estado. O presidente do Conselho Deliberativo do SEBRAE/RS e do Sistema Farsul, Carlos Sperotto, fez saudação inicial e relatou algumas ações de destaque em 2016 como o Programa LIDER, o Salão do Empreendedor Rural e a Mercopar. Os diretores Técnico e de Administração e Finanças, Ayrton Pinto Ramos e Carlos Schütz, respectivamente, também apresentaram projetos e ações que serão desenvolvidos a partir deste ano.

Para atingir um dos objetivos a que ser propõe, Fortalecer os Pequenos Negócios, o SEBRAE/RS seguirá atuando para implementar a REDESIMPLES – Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios, em mais 20 municípios gaúchos, impactando 80% das MPEs gaúchas. Até dezembro de 2016, 80 cidades já haviam simplificado seus processos, beneficiando os empreendedores na abertura e legalização de suas empresas. No Estado, este trabalho conta com a parceria da Junta Comercial, Industrial e Serviços do Rio Grande do Sul – Jucis/RS.

Mais um grande passo dentro do projeto de implantação da REDESIMPLES no Rio Grande do Sul é o Registro Digital. Esta ação possibilitará que o empreendedor realize os serviços de registro de atos empresariais pela internet. Os contadores e empresários poderão enviar o contrato social eletronicamente, com certificação digital, e realizar praticamente todas as entradas de documentos sem ter de sair do escritório, 24 horas por dia. O Registro Digital traz benefícios ainda para a administração pública, com a redução de custos de papel. Desde 2009, todos os novos processos já saem digitalizados. Do total de documentos em acervo físico da Jucis/RS – 24 milhões -, 9 milhões já foram colocados em ambiente digital. A expectativa é finalizar esse trabalho até dezembro de 2018. Com a implementação da REDESIMPLES, o SEBRAE/RS pretende diminuir o tempo de formalização de empresas no RS, previsto hoje em 31 dias nos municípios que aderiram à Rede.

Com foco na melhoria do ambiente para as micro e pequenas empresas, foi sancionada em outubro do ano passado a Lei Complementar 155/2016 – a sétima atualização em dez anos da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Um dos destaques do Crescer Sem Medo é a possiblidade de as empresas renegociarem suas dívidas tributárias do Simples Nacional com a Receita Federal para pagamento em até 120 meses, com parcela mínima de R$ 300,00. Quase metade dos pequenos negócios que estavam com débitos no Simples Nacional, e que foram notificados pela Receita em setembro do ano passado, parcelaram suas dívidas e permaneceram com o direito de serem optantes desse sistema tributário que reduz impostos e a burocracia. Das 584 mil micro e pequenas empresas que foram notificadas, 285 mil já regularizaram a situação para permanecer no Simples.

LIDER – a força do trabalho em conjunto

Com o intuito de Estimular o Empreendedorismo e, portanto, desenvolver as regiões, a instituição promove o Programa LIDER – Liderança para o Desenvolvimento Regional, que teve início em abril de 2015 nas regiões da Campanha e da Fronteira Oeste. Em cada uma delas, grupos compostos por representantes dos setores público e privado e terceiro setor foram estimulados a elencarem as prioridades locais para, juntos, construírem um plano de desenvolvimento regional. Toda esta caminhada foi orientada pela metodologia desenvolvida pelo SEBRAE em oito encontros de desenvolvimento grupal e de planejamento. O trabalho teve continuidade em encontros bimestrais de acompanhamento e monitoramento de resultados.

A Região Sul, onde o LIDER foi realizado de forma pioneira em 2008, juntou-se a estas duas regiões, em meados de 2015, para revisão e atualização da estratégia. Nesta região, há sete anos o Programa foi o ponto de partida para o surgimento do Movimento Novo Sul, que ajudou os líderes regionais a redescobrirem a força de trabalhar juntos. Também foi a partir do LIDER que nasceu o Plano de Desenvolvimento que integrou e consolidou mais de cinco projetos já existentes no Sul gaúcho.

Derly Fialho explica que a partir de agora, cada grupo, munido do seu Plano de Desenvolvimento, vai promover articulações locais a partir dos eixos estratégicos definidos como prioridade em prol do crescimento regional. “O LIDER é um grande trabalho de mobilização junto às principais lideranças regionais tendo em vista promover a construção de caminhos empreendedores e políticas públicas que fomentem o desenvolvimento regional. A partir de agora, temos 126 líderes de 43 municípios que estão mobilizados para fortalecer uma economia que representa 10,6% do PIB do Estado e, até pouco tempo, vista como a região mais deprimida do Rio Grande”, sintetiza.

O pilar estratégico Estímulo ao Empreendedorismo será posto em prática também com a parceria das escolas e instituições de ensino superior, em que o SEBRAE leva o tema Educação Empreendedora para o dia a dia dos estudantes e professores. Nas escolas de ensino fundamental (rede municipal), a atuação ocorre de forma extracurricular em que as escolas e professores realizam a adesão, voluntariamente. A meta é beneficiar 8.550 alunos. No nível médio, a proposta é ofertar curso técnico concomitante ou subsequente à realização do ensino médio. Com relação ao Ensino Superior, em 2016, a instituição assinou convênio de cooperação técnica com Feevale, IMED, FURG, UFRGS, PUC e Unipampa para oferta de educação empreendedora, atingindo 20 mil alunos de graduação. O SEBRAE/RS também atuará com o tema nos ensinos fundamental, médio e superior em municípios das regiões Campanha, Fronteira Oeste e Sul.

Ainda para Fortalecer os Pequenos Negócios, o SEBRAE/RS passa a atuar em 2017 com projetos focados em toda a cadeia produtiva e não apenas em um segmento específico, dedicando um olhar mais macro e levando em conta desde a extração e manuseio da matéria-prima até a distribuição do produto. O diretor Técnico da entidade, Ayrton Pinto Ramos, explica que este novo formato permite uma visão ampliada de mercados e, portanto, de ações mais assertivas junto aos pequenos negócios, fazendo com que os integrantes dos elos da cadeia se aproximem e percebam oportunidades dentro e fora do Estado. “Ao fortalecer todas as partes estamos promovendo o desenvolvimento das comunidades e do Rio Grande do Sul como um todo”, ressalta. Em 2016 foram mapeadas cinco cadeias estratégicas, que são: Alimentos, Moda, Moveleira, Saúde e Turismo. Além dessas cadeias, foram priorizados segmentos estratégicos alavancadores: economia digital e criativa, energia e metalmecânico.

SEBRAE mais digital

E, para aproximar-se ainda mais dos empreendedores gaúchos, o SEBRAE implementa este ano nova forma de relacionamento, tanto no que se refere ao atendimento presencial das empresas quanto ao virtual. Desde o dia 2 de janeiro os técnicos realizam atendimento presencial nas empresas de micro e pequeno portes, buscando conhecer e compreender a realidade e as necessidades dos pequenos negócios gaúchos.

O novo modelo de atendimento está fundamentado no conceito de relacionamento, em que o SEBRAE/RS, mediante diagnóstico e plano de ação específico para cada empresa, conscientiza o empreendedor de que existem oportunidades de melhoria e de que estas poderão ser desenvolvidas por soluções e ferramentas do SEBRAE ou de outras instituições com expertise diferenciada. A meta para 2017 é atender 800 empresas únicas, 600 de forma ativa ou receptiva, e 200 através de parcerias, totalizando 35 mil empresas.

Na 2ª quinzena de janeiro, entra no ar o novo Portal do SEBRAE/RS com páginas segmentadas e conteúdo exclusivo de 20 setores prioritários para a economia do Rio Grande do Sul. O site disponibilizará aos empreendedores cursos, palestras e consultorias online, além de e-books, infográficos e vídeos sobre empreendedorismo, Finanças, Leis e Normas, Pessoas, Mercado e Vendas, Organização, Planejamento, Inovação e Cooperação. O conteúdo local também está reforçado com cursos online. Outra novidade é a opção para que o cliente efetue inscrições em cursos, palestras e eventos presenciais no site. Estas duas opções (canal EAD e E-commerce) estarão disponíveis para o cliente até março deste ano. De forma digital, o SEBRAE/RS pretende realizar 60 mil atendimentos este ano.

Empresas atendidas em 2016

No ano que passou, o SEBRAE/RS atendeu 162.364 micro e pequenas empresas com soluções focadas em produtos e serviços. No RS, o SEBRAE/RS está presente em todas as regiões do Estado através de 10 escritórios regionais e 16 unidades de atendimento. A meta de atendimento para 2017 é de 175 mil pequenos negócios.

Crescer de forma sustentada

E para realizar todas as ações a que se propõe, “o SEBRAE/RS está atento à necessidade de crescimento constante e duradouro, assentado em bases estáveis e seguras, aumentando a produtividade e reduzindo a dependência dos recursos de contribuição social”, diz o diretor de Administração e Finanças, Carlos Schütz. Além disso, segundo ele, é importante ampliar a captação de recursos por meio de convênios com entidades parceiras e oferecer soluções de alto valor agregado, com possibilidade de contrapartida financeira pelos clientes.

Pesquisa revela a relação entre MPEs e instituições financeiras

Pesquisa revela a relação entre MPEs e instituições financeiras

Destaque Economia Negócios

A pesquisa Financiamento dos Pequenos Negócios, realizada pelo SEBRAE Nacional, aponta que ainda existe uma grande barreira para que micro e pequenas empresas (MPEs) solicitem empréstimo. De acordo com os dados, também subdivididos por Estado, mais de 80% dos empreendimentos não solicitam crédito bancário, número que aumentou 10% com relação ao ano anterior. No Rio Grande do Sul, apenas 14% dos empresários entrevistados solicitaram financiamento nos últimos seis meses. Esses e outros dados apontam a realidade de quem pretende abrir ou expandir os negócios.

A entidade ouviu 6.886 empreendedores em todo o País por meio de questionários aplicados via contato telefônico, nos meses de agosto e setembro. Entre os resultados gerais, 47% dos entrevistados afirmam que a redução da taxa de juros seria a melhor solução para um financiamento ser efetivado. Na sequência, 27% apontam que a redução da burocracia seria o melhor atrativo. Como alternativa para suprir investimentos não relizados, os empreendedores negociam prazos com fornecedores (52%), usam cheque pré-datado (27%) ou especial (20%) e cartão de crédito empresarial (21%). A pesquisa mostrou, também, que 22% não estão utilizando nenhum tipo de financiamento.

No Rio Grande do Sul, os dados revelam que 14% dos empreendedores tentaram realizar um financiamento nos últimos seis meses. A técnica da Gerência de Gestão Estratégica do SEBRAE/RS, Andreia Cristine Gratsch Nascimento, ressalta que “eles estão reticentes em buscar capital de terceiros”. Entre os que buscaram crédito, o destino do valor solicitado seria para capital de giro (42%). “Em alguns casos colocam investimento próprios, mas não estão conseguindo gerar recursos para operar. Por outro lado, 37% procuraram financiamento para investir em compra de máquinas e equipamentos”, informa a técnica. Reforma ou ampliação (29%), refinanciamento de dívida (24%), compra de mercadorias (18%) e desenvolvimento de novo produto (3%) também foram apontados na pesquisa.

Para os gaúchos, a taxa de juros também responde pela maior dificuldade em conseguir realizar uma transação com instituições de crédito (55%). Falta de garantias reais (16%), de avalista (8%) e da documentação exigida (2%) seguem atrás. No entanto, 26% não apontou nenhuma dificuldade. “Os valores solicitados ficaram em torno de R$ 27 mil e, nos casos em que um empréstimo é concedido, o valor final atinge em média R$ 23 mil”, disse Andréia. Para a técnica, essa pesquisa é importante para o SEBRAE “identificar pontos que podem ser trabalhados no acesso ao crédito e para as instituições financeiras observarem as necessidades do público que atende”.

A pesquisa completa pode ser acessada gratuitamente nesse link.

SEBRAE/RS apresenta resultados do Programa AGIR.  Iniciativa desenvolveu ações para estimular empresas que têm negócios de impacto social.

SEBRAE/RS apresenta resultados do Programa AGIR. Iniciativa desenvolveu ações para estimular empresas que têm negócios de impacto social.

Agenda Cidade Destaque Negócios

As atividades que influenciam diretamente no cotidiano da sociedade, os chamados negócios de impacto social, são um nicho de mercado crescente e que, no ano de 216, contaram com o impulso do SEBRAE/RS. O Programa Agir – Aceleração e Geração de Impacto Social no RS, com duração de seis meses, atendeu 13 micro e pequenas empresas (MPEs) por meio de consultorias e atividades para estruturarem melhor o seu modelo de crescimento, de receita e de impacto.

O encontro final do programa contará com um fórum, com o caso de sucesso da Insecta Shoes e apresentação das quatro empresas participantes que obtiveram resultados mais expressivos (Colibri, Um por Cento, Re-ciclo, Igualla e Químea). Conforme explica a gestora da iniciativa pelo SEBRAE/RS, Lucimara Miceli, os negócios desenvolvidos pelas empresas fazem parte de diversos segmentos, com destaque para a área da saúde, reaproveitamento, educação, sustentabilidade e acessibilidade. “O foco desses empreendimentos não é uma ação pontual, mas sim um conjunto que impacta na sociedade como um todo”, aponta.

A metodologia utilizada no projeto foi baseada em três focos principais, ajudando as empresas a encontrarem modelos de crescimento, receita e impacto, com monitoramento e acompanhamento pelo Caminho Empreendedor. Além disso, foram realizadas consultorias individuais com carga horária de 20h de forma presencial e a distância. “O encontro final será uma oportunidade para que esses participantes apresentem seus projetos a fim de realizar networking e captar possíveis investimentos por parte de outros integrantes do ecossistema desse segmento”, ressalta Lucimara.

O técnico do SEBRAE/RS Tulio Josue Pinheiro dos Santos, que acompanhou o desenvolvimento das atividades, comenta que a rotina de atividades foi intensa e que foi possível encontrar resultados já no andamento do programa. O encerramento, que será através do Fórum de Negócios de Impacto Social, servirá para que os empresários detalhem a sua participação, elencando o aproveitamento das atividades e, ainda, unir os principais atores desse ecossistema para fortalecer ainda mais o nicho de mercado. “Todas as ações foram desenvolvidas tanto com base no perfil e empolgação do empresários quanto nos resultados que queríamos trazer para eles, ou seja, ajudá-los a encontrar o seu modelos de crescimento, receita e impacto”, disse.

Entre as propostas trabalhadas destacam-se as ações estratégicas para modelagem do negócio, testes de mercados para verificação se o produto ou serviço era viável economicamente e apresentação de diferentes tipos de investimentos de impacto. “Fazer com que eles percebessem o conjunto de valores deste nicho foi muito importante para a realização do programa, que terá uma nova turma em 2017”, antecipa Santos. A apresentação de resultados ocorre hoje, 12 de dezembro, a partir das 19h, no Nós Coworking (Anexo 2 do Shopping Total, na Avenida Cristóvão Colombo, 545).

Programação:

19h – Recepção

19h15 – Abertura do Fórum

19h40 – Abertura do Painel

19h45 – Guilherme Braga, da Egalitê

20h – Larissa Kroeff, da Meu Copo Eco

20h15 – Perguntas do painel

20h40 – Pitches empresas AGIR

21h20 – Entrega certificados

21h30 – Happy hour e networking

Mercopar apresenta novidades e muitas oportunidades de negócios. Evento começou nesta terça-feira com muita movimentação em Caxias do Sul

Mercopar apresenta novidades e muitas oportunidades de negócios. Evento começou nesta terça-feira com muita movimentação em Caxias do Sul

Destaque Negócios

Inovação, conhecimento e oportunidades variadas de negócios atraíram um bom público logo no primeiro dia da 25ª Mercopar, Feira de Subcontratação e Inovação Industrial que começou nesta terça-feira, 4 de outubro, em Caxias do Sul. Com a presença de, aproximadamente, 300 expositores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, além da China, o evento apresenta as novidades dos setores de automação industrial, borracha, eletroeletrônica, energia e meio ambiente, metalmecânico, movimentação e armazenagem de materiais, plástico e serviços industriais até a próxima sexta-feira (07), sempre das 14h às 21h. São esperados cerca de 15 mil visitantes nos quatro dias da mostra.

“As empresas têm demonstrado que estão trabalhando cada vez mais tecnologia e processos inovadores. A Mercopar é um ambiente não só de negócios, mas que pode contribuir efetivamente para a melhoria da eficiências das empresas”, ressalta o diretor Técnico do SEBRAE/RS, Ayrton Pinto Ramos.

INDÚSTRIA 4.0 – Para quem visita a feira, um dos principais enfoques é a disseminação do conhecimento sobre a Indústria 4.0. Também chamada de 4ª Revolução Industrial, as ações realizadas durante a feira vão explicar como os conceitos da Indústria 4.0 podem ser aplicados junto às empresas. Este processo engloba inovações em automação, controle e tecnologia da informação com aplicação em processos de manufatura. Proporciona troca de dados utilizando conceitos ciber-físicos, internet das coisas e computação em nuvem, facilitando uma visão e execução de fábricas mais inteligentes, onde suas estruturas de produção são moduladas e conectadas com dados circulando de forma online, se auto ajustando conforme a necessidade da produção. “A feira tem também este papel, de disseminar o que está acontecendo em nível mundial”, destaca o diretor-geral da Hannover Fairs Sulamérica, Valério Regente.

Foi justamente com o foco na inovação que André Schaan Casagrande, diretor da Globo Engenharia, de Porto Alegre, visitou o evento pela quinta vez. “A feira em si tem este propósito, de apresentar novidades. Vemos pessoalmente produtos, catálogos e o que tem de mais atual no momento para o nosso setor e, ao mesmo tempo, mantemos contatos com fornecedores. Aqui começam relações e parcerias que podem durar anos”, explica.

Também frequentando a Mercopar há bastante tempo, Evaldo Éverton, representante da Vector Assessoria, com sede em Caxias do Sul, empresa na área de projetos de engenharia mecânica, automação e segurança de trabalho, tem como objetivo aumentar as parcerias comerciais com clientes e fornecedores. Ele também busca tecnologias novas com custo atrativo e que possam gerar negociação. “Acredito que dentro da feira, com toda esta movimentação, podemos até conseguir preços melhores que no dia a dia e, normalmente, nossos objetivos são alcançados com sucesso. Estou com uma expectativa positiva,” observa.

Dario Vivian, representante da italiana Timat Service, empresa que trabalha na área de logística internacional, é outro frequentador assíduo da Mercopar. Parceiro do SIMECS (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul), tem como finalidade prospectar mais clientes que queiram usar a tecnologia italiana em suas empresas, através de importações. Para ele, a entrada desta tecnologia ajuda na competitividade, na qualidade, além de oferecer produtos mais em conta para o setor. “Confio na indústria brasileira e aquelas que estão aqui têm tudo para obter sucesso apesar deste momento um pouco adverso. Acredito que também nesta edição conseguirei bons contatos”, finaliza.

RODADAS DE NEGÓCIOS – O Projeto Comprador da Mercopar, que reunirá empresas compradoras de médio e grande porte, terá início nesta quarta-feira. Esta é considerada uma grande oportunidade para mais de 200 expositores inscritos nas Rodadas de Negócios, que agendaram reuniões de acordo com as suas áreas de interesse. Nos dois dias de realização deste projeto serão realizadas 1.400 reuniões, número semelhante ao do ano passado.

Informações adicionais sobre a Mercopar podem ser acompanhadas pelo site www.mercopar.com.br. A realização é do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (SEBRAE/RS) e da Hannover Fairs Sulamerica, empresa do Grupo Deutsche Messe AG.

SEBRAE leva atendimento para municípios do interior gaúcho no início de outubro. Unidades móveis percorreram cinco cidades nesta semana

SEBRAE leva atendimento para municípios do interior gaúcho no início de outubro. Unidades móveis percorreram cinco cidades nesta semana

Cidade Negócios Notícias

O SEBRAE/RS estará mais perto das micro e pequenas empresas dos Vales do Taquari e Rio Pardo e do Noroeste Gaúcho. Entre os dias 4 e 7 de outubro, as unidades móveis da entidade estarão nas cidades de General Câmara, Mato Leitão, Augusto Pestana, Joia e Santo Cristo.

Em cada unidade, um técnico do SEBRAE/RS presta serviços, que vão desde o apoio ao Microempreendedor Individual (MEI) até orientações para gestão do negócio, como assessoria financeira, de marketing e de planejamento, inclusive para quem estiver interessado em começar a empreender. Os visitantes também terão acesso a informações sobre as soluções e cursos oferecidos pela entidade para apoiar a demanda específica de cada empresa. Mais informações sobre os atendimentos também podem ser obtidas pelo número 0800-570-0800.

Confira o cronograma dos atendimentos das unidades móveis do SEBRAE/RS por região:

Vales do Taquari e Rio Pardo:

5/10 – General Câmara – das 10h às 12h e das 13h às 17h – no Centro de Eventos Gilberto Amaro Pires Pereira – no Centro

6/10 – Mato Leitão – das 10h às 12h e das 13h às 17h – em frente à Prefeitura Municipal

Noroeste:

4/10 – Augusto Pestana – das 10h às 12h e das 13h às 17h – na Praça Central

5/10 – Joia – das 9h às 12h e as 13h às 16h – na Câmara de Vereadores

6 e 7/10 – Santo Cristo – das 9h às 12h e das 13h às 16h – na Prefeitura Municipal

Projeto Comprador da Mercopar é oportunidade de negócios. Sessenta e sete empresas compradoras e 200 expositoras participarão das rodadas durante a feira

Projeto Comprador da Mercopar é oportunidade de negócios. Sessenta e sete empresas compradoras e 200 expositoras participarão das rodadas durante a feira

Destaque Economia Negócios

Nada menos que 67 empresas dispostas a adquirir produtos e serviços confirmaram presença no Projeto Comprador da Mercopar, feira que acontece em Caxias do Sul de 4 a 7 de outubro. Serão 56 empresas brasileiras e outras 11 do exterior, sendo cinco argentinas, cinco chilenas e uma canadense. “Participar da Mercopar representa uma importante oportunidade para fomentar os negócios. O Projeto Comprador tem como diferencial colocar as micro e pequenas em contato direto com as demandas de grandes organizações empresariais. Os resultados dos últimos anos comprovam que estar na feira, seja como expositor ou visitante, é sinônimo de novas parcerias, possibilidades de negócios, troca de informações e muito conhecimento”, considera o diretor Técnico do SEBRAE/RS, Ayrton Pinto Ramos.

Para a edição deste ano estão inscritas mais de 200 empresas chamadas “vendedoras”, que apresentarão todas as informações sobre seus produtos e serviços. Entre as organizações brasileiras confirmadas, que participarão como compradoras, estão nomes como Aeromóvel Brasil, Agrale, Agrimec, Agritech Lavrale, Altivus do Brasil, ArcelorMittal Vega, Astória Papéis, Bitten Máquinas, Borrachas Vipal, Brasilata, Brinox Metalúrgica, Bristol, Bruning Tecnometal, CAF Brasil, Companhia Energética Rio das Antas, Comil Silos, Fitesa, Fixoved, Foton Caminhões, WAP Lavadoras de Alta Pressão, Gerdau, GKN Land Systems, GTS do Brasil, HM, Caio Induscar, Pagé, Romi, Jofund, Josapar, Jumil, Kuhn do Brasil, Macrosul, Marinha do Brasil, Mascarello, Mesel, Mercur, Metalúrgica Fey, PLA do Brasil Implementos Agrícolas, Rossil Industrial, Samae, Saur, Schulz, SNS Metalúrgica, Tramontina, Transferro, Trielht, Trox do Brasil, Vector Arke, Venax, Yanmar Máquinas, Yara e Zinc Metais.

Com relação às empresas estrangeiras, três argentinas e a canadense estarão presencialmente no evento, enquanto as demais atenderão via Skype, sistema já utilizado, com sucesso, no ano passado. As reuniões individuais, com duração de 15 minutos, acontecerão nos dias 5 e 6 de outubro, no espaço da Rodadas de Negócios.

A Mercopar – Feira de Subcontratação e Inovação Industrial é realizada pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (SEBRAE/RS) e pela Hannover Fairs Sulamerica, empresa do Grupo Deutsche Messe AG. O cadastro para visitação, assim como mais informações, podem ser obtidas pelo site www.mercopar.com.br.

Mercopar contará com visitas orientadas. Iniciativa é inspirada na Feira de Hannover, na Alemanha

Mercopar contará com visitas orientadas. Iniciativa é inspirada na Feira de Hannover, na Alemanha

Destaque Negócios

A 25ª edição da Mercopar, que acontecerá na próxima semana, em Caxias do Sul, contará, pela primeira vez, com a realização de visitas orientadas. A iniciativa é inspirada na Feira Industrial de Hannover, na Alemanha, e será colocada em prática durante todos os dias do evento, de 4 a 7 de outubro. O foco é proporcionar aos visitantes uma visão da Indústria 4.0 e o quanto ela é acessível para empresas de todos os portes.

De acordo com Fernanda Nobre Mazot, da Gerência Setorial do Comércio e Serviços do SEBRAE/RS, as visitas orientadas são importantes para quem precisa estar atualizado com as novidades do mercado. “Uma das vantagens para as micro e pequenas empresas, por exemplo, é ampliar o seu olhar e conhecimento para as melhores práticas da indústria, cases de inovação, produtos e equipamentos apresentados na feira”. Os empresários que desejam participar desta ação poderão aproveitar os dois horários previstos para a saída, às 15h e 18h, com limite de 15 pessoas em cada grupo. As inscrições devem ser feitas com até 30 minutos de antecedência junto ao Web Space do Salão de Negócios. As visitas serão guiadas pela consultora do SEBRAE/RS Isabel Groenendal Aguiar.

INDÚSTRIA 4.0 – A Indústria 4.0, também chamada de 4ª Revolução Industrial, terá um enfoque especial durante a Mercopar, explicando como seus conceitos podem ser aplicados junto às empresas. A Indústria 4.0 engloba inovações em automação, controle e tecnologia da informação com aplicação em processos de manufatura. Proporciona troca de dados utilizando conceitos ciber-físicos, internet das coisas e computação em nuvem, facilitando uma visão e execução de fábricas mais inteligentes, onde suas estruturas de produção são moduladas e conectadas com dados circulando de forma on line, se auto ajustando conforme a necessidade da produção. Devido à sua importância, este tema será demonstrado em dois espaços dentro do Salão da Inovação: Realidade Virtual e Simulação da Indústria 4.0.

A Mercopar – Feira de Subcontratação e Inovação Industrial é realizada pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (SEBRAE/RS) e pela Hannover Fairs Sulamerica, empresa do Grupo Deutsche Messe AG. O cadastro para visitação, assim como mais informações, podem ser obtidas pelo site www.mercopar.com.br.

Estímulo ao empreendedorismo inovador: Sibratecshop disponibilizará recursos para empresas desenvolverem produtos ou processos inovadores. A iniciativa é do SEBRAE, Senai e Ministério de Ciência e Tecnologia e, no Estado, contará com apoio da UFRGS

Negócios Notícias

Uma nova possibilidade para estimular as empresas, startups e pequenos negócios que querem se fortalecer por meio de produtos e processos inovadores. O Sibratecshop é uma solução que está disponível no Rio Grande do Sul por meio do SEBRAE/RS e destinará R$ 600 mil para investir em até 20 projetos inovadores. A iniciativa conta com apoio do Senai, Ministério da Ciência e Tecnologia e com a parceria do Laboratório de Metalurgia Física da UFRGS (Lamef/UFRGS). Informações e inscrições podem ser feitas pela Central de Relacionamento, no telefone 0800-570-0800, ou nas unidades de atendimento do SEBRAE/RS.

Conforme explica o técnico da Gerência de Inovação, Mercado e Serviços Financeiros do SEBRAE/RS, Alexandre Zigunovas Junior, a importância do apoio para as micro e pequenas empresas, especialmente aquelas que têm a tecnologia como base, gerou diversas ações por parte do SEBRAE/RS nos últimos anos. “Temos nos posicionado fortemente para incentivar o movimento do empreendedorismo de inovação com diversas propostas. O Sibratecshop é mais uma oportunidade para as empresas inovarem e se diferenciarem no mercado, pois serão apoiadas desde a etapa inicial, ainda em fase de validação da ideia, até a prototipação de um produto-piloto”, conta.

O Sibratecshop vai destinar até R$ 600 mil divididos em 20 projetos com o valor individual máximo de R$ 30 mil cada uma. “Essa solução se diferencia pelo atendimento de um consultor que ajudará com informações técnicas, além de serviços de terceiros, utilização de laboratórios, matérias-primas e insumos necessários ao desenvolvimento do produto e seu protótipo”, ressalta Zigunovas.

O SEBRAE/RS subsidiará 75% do valor do projeto e a empresa beneficiada aportará 25% como contrapartida. Podem se beneficiar com o Sibratecshop as microempresas, empresas de pequeno porte, empresas incubadas, startups e Microempreendedores Individuais. Por conta da parceria com a UFRGS, o segmento de referência será o metalmecânico. A consultoria poderá durar até seis meses, dependendo do projeto.

Sibratecshop

Atualmente, o Sibratecshop conta com 11 laboratórios no País. Eles estão instalados nos seguintes Estados: Amazonas, Bahia, Paraíba, Minas Gerais (duas unidades), Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Expointer: Porteiras abertas para o turismo. Espaço no Salão do Empreendedor Rural mostra como pequenas propriedades podem investir no segmento

Expointer: Porteiras abertas para o turismo. Espaço no Salão do Empreendedor Rural mostra como pequenas propriedades podem investir no segmento

Destaque Economia Negócios

Colher frutas direto do pé; acompanhar ordenhas; tomar café da manhã típico do interior. Com o dia a dia cada vez mais agitado das grandes cidades, atividades simples do meio rural podem ser encantadoras para aqueles que buscam descanso em contato com a natureza. Ciente disso, FARSUL, SENAR-RS e SEBRAE/RS, através do programa Juntos para Competir, apresentam no Salão do Empreendedor Rural, na 39ª Expointer, o espaço do Turismo Rural, destinado àqueles produtores que têm interesse em abrir as porteiras de suas propriedades e investir para no segmento.

A técnica da Gerencia Setorial de Comércio e Serviços do SEBRAE/RS Amanda Paim, responsável pelo espaço no Salão do Empreendedor, destaca que o turismo pode ser uma importante alternativa de renda para a propriedade, a partir de um investimento inicial baixo. “O proprietário pode aproveitar quartos ociosos da casa para receber visitantes, por exemplo, ou receber turistas interessados em ter a experiência de um dia no campo. Não há uma regra, cada um pode investir na vocação do seu negócio”, explica. Amanda pondera, entretanto, que o produtor precisa estar preparado. “Elaborar um plano de negócios é o ideal para quem quer começar a investir neste segmento”, destaca.

Dentro do Plano de Negócios o empresário poderá detalhar qual será seu foco de trabalho: Educacional, para Visitação, Gastronomia ou Hospedagem. Os quatro segmentos foram escolhidos como prioritários pelo Grupo de Trabalho formado pelo Governo do Estado através das secretarias do Turismo, da Fazenda e de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo, Abratur-RS, Emater/RS, Famurs, IPA Metodista, PUCRS, SEBRAE/RS, SENAR-RS e UCS. “Estamos numa fase de diagnóstico inicial do turismo rural no Rio Grande do Sul e de mapeamento das propriedades que já estão atuando no segmento. Em breve, teremos um banco de dados a partir do qual poderemos trabalhar na divulgação e qualificação das propriedades”, destaca Márcia Merllo, coordenadora do Observatório de Turismo da Secretaria do Turismo do Estado.

Proprietária do Sítio Águas Claras, na região conhecida como Pelotas Colonial, Andréa Chies, contou a sua experiência bem-sucedida a partir do investimento no turismo rural durante palestra na Arena do Conhecimento do Salão do Empreendedor, na manhã de sexta-feira, 2 de setembro. Uma vez ao mês a propriedade recebe turistas interessados em contato com o meio rural. O momento também é uma oportunidade para a família Chies apresentar e vender a produção local de morangos, tomates e derivados, como geleias. “Oferecemos o melhor que nós temos: carinho e qualidade. As pessoas percebem a diferença”, afirmou.

De acordo com Andréa, a parceria com outras propriedades com serviços similares e com agências de turismo que possam ajudar a trazer clientes para as visitações são muito importantes para o bom andamento do negócio.

Salão do Empreendedor Rural

O Salão do Empreendedor Rural é uma iniciativa inédita da FARSUL, do SENAR-RS e do SEBRAE/RS, através do Programa Juntos para Competir, na Expointer. Localizado no Pavilhão Internacional do Parque de Exposições Assis Brasil, o espaço contempla uma extensa programação que inclui tendências e oportunidades do agronegócio, palestras para a melhoria da propriedade rural, atendimento especializado ao produtor, além das tradicionais Vitrine da Carne e Vitrine dos Alimentos.

Oportunidades de avanço para a ovinocultura gaúcha em pauta. Evento ocorre no Salão do Empreendedor Rural, dia 29 de agosto, a partir das 9h

Oportunidades de avanço para a ovinocultura gaúcha em pauta. Evento ocorre no Salão do Empreendedor Rural, dia 29 de agosto, a partir das 9h

Agronegócio Destaque Expointer Negócios

O Salão do Empreendedor Rural na Expointer, iniciativa da FARSUL, SENAR-RS e SEBRAE/RS, através do programa Juntos para Competir, proporcionará capacitações e troca de informações para os visitantes. Dentre as atrações, destaque para o painel “Oportunidades de negócios e o futuro da ovinocultura”, que ocorre dia 29 de agosto, das 9h30 às 11h30. A entrada é franca e as inscrições devem ser feitas no local. O Salão do Empreendedor Rural está localizado no Pavilhão Internacional do Parque de Exposições Assis Brasil (BR-116, Km 13, s/n), em Esteio.

Este painel foi idealizado para ser um momento dinâmico, de bastante interação, gerador de boas ideias. Para fundamentar essa discussão foram convidados três especialistas com vasta experiência na cadeia produtiva da carne ovina.

• Walter Celani, VPJ Carnes, Pirassununga – SP.

• Élvio Flores, Cabanha Flor do Lago, Irani – SC.

• Tarcísio Bartmeyer, Castrolanda, Castro – PR.

Em debate com o público presente, os três convidados terão o desafio de abordar formas de atuação para superar os principais gargalos da produção ovina, tais como organização produtiva e comercial de ovinocultores, visão de futuro e oportunidades de negócios para o setor.