9 dicas para aproveitar a Black Friday com segurança; do site Comunique-se

9 dicas para aproveitar a Black Friday com segurança; do site Comunique-se

Comportamento Comunicação Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios Segurança Tecnologia

A Black Friday é uma data muito aguardada por aqueles que já têm planos de adquirir um produto específico ou mesmo o fechamento de um pacote de viagens, por exemplo. Sem dúvidas, trata-se de uma data emblemática para o comércio em geral, seja físico ou eletrônico.

No entanto, ainda que as lojas físicas promovam ofertas, o grande bom da Black Friday ocorre nos e-commerces e marketplaces. Segundo o relatório Webshopper 35ª edição (realizado pela Ebit — referência na análise no comércio eletrônico do país), a última Black Friday, realizada em 26 de novembro de 2016, faturou R$1,9 bilhão, marcando uma alta de 17% em relação a 2015.

Isso significa que o faturamento da Black Friday é 13 vezes maior que o lucro obtido em dias comuns. E a expectativa para 2017, no âmbito geral do comércio eletrônico, é de 12%, isto é, um faturamento de R$ 50 bilhões.

Apesar da crise econômica que ainda paira pelo país, as expectativas são altas para a Black Friday 2017, que está marcada para ocorrer no dia 24 de novembro. Tipicamente ocorre na última sexta-feira de novembro, e tornou-se uma data consolidada no calendário dos brasileiros.

Sendo assim, separamos algumas dicas para que você aproveite a Black Friday 2017 com segurança e evite fraudes. Acompanhe!

9 dicas para evitar fraudes na Black Friday

Os benefícios da Black Friday são inegáveis. Um deles é o fato de adiantar as típicas compras do final de ano, seja qual for o segmento. As categorias mais significativas, nesse caso, são os vestuários e os eletrônicos em termos de pedidos e volume financeiro. No entanto, diversos nichos estão presentes na plataforma digital. Um deles são os supermercados e hortifrútis. O Mambo Delivery é um exemplo.

Mas também é evidente que ocorrem diversos crimes cibernéticos, em qualquer período do ano. Mas em períodos sazonais, os e-consumidores tornam-se mais vulneráveis. Sendo assim, confira as dicas que preparamos aproveite a Black Friday sem riscos!

1 – Antes de mais nada, avalie a segurança do seu próprio dispositivo. Seja smartphone, tablet, notebook ou computador. É imprescindível contar com um antivírus atualizado;

2 – Verifique se o site que você está navegando possui a sigla ‘’https’’ e um cadeado fechado. São alguns dos indicadores de segurança e ambos estão no campo de endereço. Além disso, também verifique se o site dispões de selos de segurança, como E-bit, ClearSale e TrustVox, por exemplo;

3 – Caso o site seja desconhecido, desconfie de mensagens contendo links recebidas através de sms. Caso fique interessado, opte por escrever o endereço completo do site na barra de busca do navegador;

4 – Ainda que o site seja conhecido e seguro, nunca realize compras através de computador de terceiros ou que conta com rede de internet pública;

5 – Não deixe de conferir a política de privacidade do site;

6 – Procure saber se o site possui um endereço físico, o ponto de distribuição e a transportadora contratada;

7 – Também é possível checar o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) e checar o status da loja em sites como o Procon ou Reclame Aqui;

8 – É ideal acompanhar a média de preços com antecedência e, posteriormente, comparar os valores para descobrir se os descontos são reais e significativos;

9 – Por fim, parece ingênuo, mas pode ser significativo: não hesite em perguntar a alguns amigos se eles já realizaram uma compra através do site em que estão. Procure saber como foi a experiência dos compradores do site, sendo assim, outra alternativa é ler os comentários e verificar as avaliações que os usuários deram à loja.

Direito do consumidor no pós-compra

Após a finalização da compra, o site deve enviar um e-mail com a confirmação da compra, número do pedido, características do produto e as etapas da entrega. O Procon-SP alerta que, no caso das compras online, o cliente tem até 7 dias para fazer a notificação de troca ou devolução do pedido.

O link que segue abaixo aponta os sites que o Procon-SP não indica: são endereços que receberam reclamações dos consumidores registradas no Procon-SP, foram notificados, mas não emitiram uma resposta ou não foram encontrados. Confira:

http://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php http://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php

Website: http://www.tendadrive.com.br/black-friday-2017

Farsul pede segurança e exige punição em incêndio de Sananduva

Destaque Poder Política

A Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul manifesta sua preocupação e indignação com os fatos ocorridos em Sananduva. A queima de lavouras por um grupo de indígenas é a consequência de um quadro de tensão que domina a região há bastante tempo e já havia sido alertado pela Farsul. A entidade exige que seja garantida a segurança dos produtores locais e que os responsáveis sejam judicialmente punidos.

O presidente da Comissão de Assuntos Fundiários da Farsul e da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), Paulo Ricardo Dias, destaca que, além do prejuízo financeiro, está a preocupação com a vida das pessoas. “Há muito vínhamos colocando a grave situação que existe na área e agora ocorre mais essa agressão aos produtores rurais. Além de uma perda considerável, eles estão retidos nas suas propriedades, proibidos de sair de casa e sem que ninguém possa entrar também”, informa. Ele lembra que ainda há a ameaça de que as próprias casas sejam queimadas. Dias demonstra preocupação com o fato de até mesmo a Brigada Militar e os Bombeiros terem seus acessos impedidos. “Estamos levando, mais uma vez, às autoridades constituídas a necessidade de estarem presentes. O Estado não pode se ausentar, pois é preciso evitar uma situação de maior gravidade que é a questão da vida”, ressalta.

A Farsul já conversa com Polícia Federal, Secretaria de Segurança do RS, Ministério Público Federal e Ministério da Agricultura. O principal pleito é o aumento do efetivo policial na região e a identificação e punição dos responsáveis. “Não admitimos que grupos de qualquer etnia ou viés político ou ideológico venham causar esse tipo de prejuízo aos nossos produtores”, afirma o dirigente.

A Federação esclarece que o acontecimento não tem nenhuma relação com a questão agrária, que está sub judice. “O que existe lá é um ato de terrorismo de algumas poucas famílias indígenas que extorquem os produtores e que, neste caso específico, fazem uma represália à ação da Polícia Federal que foi cumprir mandato de prisão contra três indivíduos”, explica Dias. Ele lembra que a região é predominantemente de pequenos produtores. “Imagina um produtor ver toda sua área queimada depois de todo investimento e suor do seu trabalho. O prejuízo é muito grande financeira e psicologicamente falando e nós estamos cobrando uma solução para esse cenário”, reforça o diretor.

Sem explicar como, Schirmer diz que prioridade da Segurança é criar vagas em presídios. Secretário esteve reunido nessa manhã com a cúpula da Segurança no RS

Sem explicar como, Schirmer diz que prioridade da Segurança é criar vagas em presídios. Secretário esteve reunido nessa manhã com a cúpula da Segurança no RS

Destaque Segurança

O novo titular da pasta da Segurança Pública do Estado, Cezar Schirmer, reuniu-se na manhã de hoje com representantes da Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias e Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe). O objetivo era tomar ciência do cenário problemático da pasta e propor as primeiras medidas.

Conforme Schirmer, as ações vão se concentrar em agilizar e superar burocracias para implementar propostas, o que prevê a contratação de servidores, abrir novas vagas em penitenciárias, mantendo bandidos presos e aumentar o número de PMs nas ruas.

O secretário foi questionado sobre as medidas que serão adotadas para aumentar, imediatamente, as vagas nas penitenciárias. Ele disse que o tema é uma prioridade dentro da pasta, mas não explicou quais medidas serão adotadas.

“Eu ainda estou focado na prefeitura de Santa Maria. Quinta-feira devo assumir. Tão logo assuma, vamos nos debruçar sobre este assunto. Ouvi da superintendente da Susepe que, com criatividade e recursos, é possível ampliar o número de vagas. O governo aumentou, nos últimos dois anos, cerca de 5 mil novas vagas. Isso não corresponde à necessidade, que é muito maior. Este é um assunto muito relevante, afirmou Schirmer, sem detalhar proposições.

O número de vagas abertas recentemente pela Susepe em presídios é inferior a 5 mil. A população carcerária, em contrapartida, apresentou elevação e bateu recorde neste ano, com mais de 34 mil apenados.

Sobre o convite para assumir a pasta, Schirmer disse que o governador convocou um amigo de vários anos ‘de graça’. O secretário ponderou que as mudanças ocorrerão a longo prazo.

“Ele tem consciência da dimensão do desafio. E eu tenho um pouco de loucura de aceitar esse desafio e dedicar o melhor das minhas energias, vigor e experiência para este enfrentamento. Não se muda uma realidade do dia para a noite”, disse.

Nesta tarde, Cezar Schirmer irá a Santa Maria, onde vai cumprir compromissos como prefeito. Ele deve permanecer na região central do Estado até a próxima quarta-feira. (Eduardo Paganella / Rádio Guaíba)

Sindicatos veem com desconfiança novo secretário de segurança do Estado; por  Gabriel Jacobsen e Guilherme Kepler/Rádio Guaíba

Sindicatos veem com desconfiança novo secretário de segurança do Estado; por Gabriel Jacobsen e Guilherme Kepler/Rádio Guaíba

Destaque Poder Política Porto Alegre Sartori Segurança

Três sindicatos de servidores que representam policiais e agentes penitenciários gaúchos veem com suspeita o nome de Cezar Schirmer, escolhido ontem pelo governador José Ivo Sartori para comandar a Secretaria de Segurança Pública do Estado. Entre os motivos alegados para a desconfiança está o fato de que Schirmer não possui experiência na área da Segurança Pública.

Isaac Ortiz, presidente da Ugeirm sindicato, que representa escrivães, inspetores e investigadores da Polícia Civil, diz que a categoria esperava um nome de impacto e com conhecimento sobre o tema.

“Todo mundo estava esperando algum nome que causasse um impacto na Segurança, que chegasse com algumas medidas, que tivesse algum conhecimento da área. Eu não me lembro do deputado Schirmer ter algum conhecimento na área da Segurança Pública. Mas vamos esperar para ver, né?”, avaliou Ortiz.

O presidente da Abamf, Leonel Lucas, associação que representa os cabos e soldados da Brigada Militar demonstra preocupação, avaliando que o novo secretário não entende de Segurança Pública. Por esse motivo, segundo Lucas, Schirmer deve se cercar de técnicos no assunto.

“O próprio secretário disse que não tem experiência na área. Fazer laboratório com a segurança pública nessa altura do campeonato é muito temerário. Não precisamos de amigos, precisamos de pessoas que entendam de segurança. A gente deseja boa sorte e esperamos que ele reúna pessoas que entendam para solucionar esse problema”.

Flavio Berneira, presidente da Associação dos Agentes Penitenciários (Amapergs), segue na mesma linha, apontando que o nome de Schirmer causou espanto à categoria, especialmente em um momento de crise.

“Nos espanta que não seja um técnico. Em um momento de tamanha crise nós imaginávamos que viria alguém ligado à area de Segurança. Tendo sido escolhido Schirmer, por ser político, nossa torcida para garantir a liberação dos recursos necessários para fazer frente às nossas demandas, precariedades”, destacou.

Discurso divergente tem a delegada Nadine Anflor, que representa a categoria de delegados. Ela aponta simpatia com a escolha do governador e acredita que, mesmo tendo perfil político, o ex-prefeito de Santa Maria pode se cercar de bons técnicos. Os delegados também demonstram satisfação com a escolha de um colega de carreira como secretário adjunto.

“Nos manifestamos no sentido de apoiá-lo. Em tempos de crise temos que nos unir cada vez mais. Acreditamos que bons técnicos irão cercá-lo. A própria nomeação do secretário adjunto, um delegado de polícia já experiente, poderá auxiliar na condução dessa pasta”, afirmou Nadine.

O próprio secretário Schirmer admitiu ontem, durante entrevista coletiva, que irá se apropriar de informações sobre a área a partir de agora. Também admitiu que seu foco, até a manhã de sexta-feira, era o comando da prefeitura de Santa Maria. Entretanto, o novo secretário pediu um “voto de confiança” para o trabalho que passa a realizar, dizendo conhecer como prefeito os problemas e dificuldades da segurança pública.

“Meu foco até as 10h (dessa sexta) era a minha cidade, a prefeitura de Santa Maria. Não é fácil mudar o foco do dia para a noite. A partir de agora eu vou me aprofundar, me encharcar de informações e de conhecimentos. Minha experiência como prefeito e como homem público me foi possível avaliar as questões de segurança, suas dificuldades, seus problemas, seus desafios”, afirmou ontem Schirmer.

O governador José Ivo Sartori afirmou que a escolha do novo secretário foi pessoal e baseada na confiança que tem em Schirmer.

Governo gaúcho voltará a pagar benefício para reduzir aposentadorias de PMs; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Governo gaúcho voltará a pagar benefício para reduzir aposentadorias de PMs; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Cidade Destaque Direito Segurança

Foto: Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba
Sartori também anunciou aumento dos valores pagos para brigadianos aposentados de desejam retornar à ativa. Foto: Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, anunciou nesta quinta-feira que o Estado voltará a pagar o abono permanência na tentativa de reduzir o número de brigadianos que pedem aposentadoria. A medida estava suspensa pelo Executivo desde o início da gestão Sartori. Com isso, os brigadianos que estão aptos a se aposentar, mas decidem permanecer na ativa, receberão ao menos R$ 1,5 mil a mais em seus salários. A expectativa do Piratini, com a medida, é reduzir em, ao menos, 500 os pedidos anuais de aposentadorias na corporação.

Sartori anunciou também o envio de um projeto de lei para a Assembleia Legislativa gaúcha permitindo o aumento da remuneração aos brigadianos aposentados que desejem retornar à ativa para atuar em escolas, videomonitoramento e atividades administrativas. O projeto prevê aumento na remuneração do chamado Corpo Voluntário de Militares Inativos (CVMI) de R$ 1,1 mil para R$ 1,8 mil a esses servidores – que somam o valor às atuais aposentadorias.

O aumento do benefício visa a tornar o programa mais atrativo. Segundo o Piratini, a Brigada Militar terá autorização para recolocar na ativa até 500 servidores, nesse formato. O aumento no valor do programa não atinge os brigadianos do CVMI que são cedidos a outros poderes, pelo fato deles já receberem um complemento dos órgãos onde atuam.

Segundo Sartori, a implementação de melhorias na Segurança Pública exigirá cortes de gastos em todas as demais área do governo. ”Com certeza, posso adiantar que nós vamos ter que cortar em outras áreas para poder suportar e sustentar o que vai ser investido. Vai ser um processo em que todo mundo tem que oferecer um pouco para mostrar que a prioridade é a segurança”, afirmou.

O governador também afirmou que trabalha na construção de um projeto que crie benefício semelhante para os inativos da Polícia Civil.

Grupo volta a protestar por segurança em frente à casa de Sartori.  Manifestantes colheram assinaturas para abaixo-assinado que pede providências do governo estadual

Grupo volta a protestar por segurança em frente à casa de Sartori. Manifestantes colheram assinaturas para abaixo-assinado que pede providências do governo estadual

Destaque Poder Política Porto Alegre Segurança

Um grupo de manifestantes voltou a protestar por segurança, nesta sexta-feira, em frente à residência do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, na zona Sul de Porto Alegre. Cerca de 50 manifestantes se reuniram no local, com balões e cartazes pedindo “socorro, segurança já!”. Eles também colheram assinaturas para um abaixo-assinado pedindo providências da administração pública contra a violência.

O movimento, que se rotula apartidário, criou um documento entitulado “segurança urgente- #reagecidadão”, em que lista propostas e pede ações efetivas do governo contra a insegurança. Conforme os participantes, cerca de 35 mil assinaturas foram colhidas nos últimos cinco meses.

Nessa quinta, dois grupos, um da zona Norte e outro da zona Sul de Porto Alegre fizeram um “velório” simbólico do governo do Estado, com oito cruzes representando vítimas recentes da violência.

Ao menos três protestos para cobrar mais segurança nas ruas estão marcados para este final de semana, em Porto Alegre. O primeiro acontece no fim da manhã deste sábado no bairro Higienópolis, no entorno do Colégio Dom Bosco, onde a mãe de um aluno foi morta na quinta-feira em tentativa de assalto.

No final da tarde deste sábado, mais uma Serenata Iluminada acontece no Parque da Redenção, na área central. O evento já havia sido previsto para o fim de semana e busca cobrar mais segurança para a utilização de espaços públicos à noite. O grupo se concentra a partir das 18h, na área próxima ao Monumento ao Expedicionário.

Já no domingo, a partir das 15h, outra mobilização é promovida por pais, professores e alunos de colégios da zona Norte, no Parque da Encol. Os organizadores pedem que todos vistam preto ou se fantasiem como palhaços para demonstrar luto e indignação pela insegurança na Capital. (Correio do Povo)

Uso do apito para segurança é ampliado em Porto Alegre

Uso do apito para segurança é ampliado em Porto Alegre

Cidade Comportamento Destaque Política Porto Alegre Segurança

A experiência do projeto “Vizinhança Vigilante” no bairro Cidade Baixa, com o uso do apito para maior segurança dos moradores, está sendo ampliada em Porto Alegre. Na manhã de sábado, a iniciativa, que tem apoio da Brigada Militar, foi lançada nos bairros Petrópolis e Santa Cecília. O encontro ocorreu no Largo Adair de Figueiredo, na rua Vicente da Fontoura, próximo da avenida Ipiranga.

“Vamos utilizar o apito na prevenção. Já existe uma eficácia: na Cidade Baixa foi coibido atos de vandalismo”, destacou Suzete Carbonell Leal, responsável pela montagem do grupo na região. Ela citou o caso de um indivíduo que estava pronto para quebrar o vidro de um carro estacionado. “Uma moradora apitou e ele saiu correndo. Essa ação deve ser exemplo”, ressaltou. A reportagem completa está no Correio do Povo.

‘Hoje existe sim pena de morte, que é a sentença imposta pelo bandido’, afirma Beltrame; por Eduardo Paganella / Rádio Guaíba

‘Hoje existe sim pena de morte, que é a sentença imposta pelo bandido’, afirma Beltrame; por Eduardo Paganella / Rádio Guaíba

Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura Segurança

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro participou de um evento nesta segunda-feira, na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. José Mariano Beltrame foi enfático ao dizer que existe pena de morte no Brasil, que é a sentença imposta pelo bandido. Ele discursou por cerca de 45 minutos durante reunião do Comitê Permanente de Segurança Metropolitana. Entre os temas discutidos, Beltrame destacou problemas constitucionais que prejudicam todo o rol da segurança pública.

O titular da pasta de Segurança do Rio destacou o contexto de saída do período de regime militar afetou a Constituição de 1988, que apresenta uma falha significativa no que tange à determinação de que os estados são responsáveis pela segurança. Para Beltrame, atualmente, faltam iniciativas de cunho federal. Ele também disse que os problemas dentro das instituições de polícia são reflexos dos problemas sociais.

Beltrame destacou ainda que a cadeia da segurança pública vai além das polícias, passando pelo Ministério Público, Judiciário, presídios e programas e projetos de assistência social, especialmente para menores. Sobre as Unidades de Polícia Pacificadoras, disse que a implementação do sistema foi como uma anestesia a um paciente que precisa de uma grande cirurgia. O secretário finalizou sua fala afirmando que sem segurança não há desenvolvimento social.

Sartori: “Criminalidade não vai ter vida fácil para a criminalidade no Rio Grande do Sul”. Governo chama 2,6 mil policiais concursados e investe R$ 166,9 milhões em Segurança

Sartori: “Criminalidade não vai ter vida fácil para a criminalidade no Rio Grande do Sul”. Governo chama 2,6 mil policiais concursados e investe R$ 166,9 milhões em Segurança

Notícias Poder Política Sartori Segurança

Os dois mil aprovados no concurso público da Brigada Militar (BM) serão chamados e ingressarão nos cursos de formação. O mesmo ocorrerá com os 661 aprovados para Polícia Civil (PC). O chamamento de mais efetivo é uma das ações do pacote de medidas da segunda fase do Plano Estadual de Segurança Pública, lançado na manhã desta quinta-feira (30) em ato no Palácio Piratini. As ações representam R$ 166,9 milhões em novos investimentos na Segurança Pública até o início de 2018.

Além da ampliação do efetivo, o plano inclui pagamento de horas extras e diárias, realização de novos concursos para a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e o Instituto-Geral de Perícias (IGP), investimentos no reaparelhamento dos órgãos de segurança e a reestruturação do sistema penitenciário com a geração de novas vagas prisionais.

“No mundo ideal, o ato de hoje era para ter acontecido no primeiro dia do nosso governo, No mundo real, só conseguimos nesta data. No mundo ideal, o ato de hoje era para ser muito mais abrangente e profundo. No mundo real, fomos ao limite do possível e do responsável. Essa diferença entre o ideal e o possível tem o tamanho da defasagem da estrutura do Estado”, afirmou o governador José Ivo Sartori.

O governador sustentou que o governo cumpre um papel importante e necessário. “Mas sou claro e transparente ao dizer que este esforço é insuficiente e temporário. Nós não podemos esquecer que, antes de termos um quadro de normalidade nos serviços públicos, precisamos aprofundar as reformas de Estado”, enfatizou.

Caminhada iluminada, no final da tarde deste sábado, pede mais segurança em Porto Alegre. Manifestantes vão da Redenção até o Piratini

Caminhada iluminada, no final da tarde deste sábado, pede mais segurança em Porto Alegre. Manifestantes vão da Redenção até o Piratini

Cidade Notícias Porto Alegre prefeitura Segurança

Uma caminhada iluminada para reivindicar mais segurança nas ruas de Porto Alegre deve percorrer o trajeto entre o Parque da Redenção e o Palácio Piratini, no final da tarde deste sábado. O protesto é organizado pelo mesmo grupo que promove a Serenata Iluminada da Redenção, evento que propõe a ocupação do parque à noite.

A caminhada deve partir por volta das 17h do Monumento ao Expedicionário, na rua José Bonifácio, em direção ao Centro da Capital. O movimento também chama atenção para o problema da iluminação pública da cidade, considerada insuficiente. A proposta é que os manifestantes levem lanternas e velas acesas para percorrer o caminho de forma pacífica. (Rádio Guaíba)